História O Herói Caído - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos, The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Afrodite, Annabeth Chase, Apollo, Ares, Artemis, Atena, Ban, Calipso, Charles "Charlie" Beckendorf, Clarisse La Rue, Connor Stoll, Diane, Dionísio, Elizabeth Liones, Frank Zhang, Gleeson Hedge, Gowther, Grover Underwood, Hades, Hazel Levesque, Hefesto, Hera (Juno), Hermes, Hylla Ramírez-Arellano, Jason Grace, Júniper, Katie Gardner, Leo Valdez, Meliodas, Merlin, Miranda Gardiner, Nico di Angelo, Paul Blofis, Percy Jackson, Personagens Originais, Piper McLean, Poseidon, Quíron, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Sally Jackson, Thalia Grace, Travis Stoll, Treinador Gleeson Hedge, Veronica, Will Solace, Zeus
Tags Annabeth, Elizabeth, Percy, Traição
Exibições 59
Palavras 3.035
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 13 - Batalhas e Desafios


POV MELIODAS/PERCY

Faltavam três dias para a invasão ao Olimpo, e neste meio tempo muitas coisas aconteceram...

Eu e Lizzie estamos mais próximos. Afrodite pirou quando soube e planejou até o casamento. Sabíamos que ela estava fazendo encenação apenas para tirar um pouco da tensão que se formou sobre nós com o dia do ataque tão perto...

Treinamos, meditamos, treinamos, comemos, treinamos, dormimos e treinamos até que o dia chegou.

No café da manhã a mesa estava silenciosa. Cada um se preparou da sua própria maneira e sozinho, afinal, se fosse para morrer hoje, que morresse sendo você mesmo.

Héstia era provavelmente quem estava mais tranquila, sendo a deusa da esperança...

As horas foram passando e todos estavam para lá de nervosos. Antes de tudo começar, conversamos com cada pessoa individualmente nos despedindo caso algo acontecesse. Alguns escreveram cartas longas e deixaram em cima de suas camas, outros gravavam vídeos e tiravam fotos, tentando fazer com que ninguém os esquecesse se o pior viesse a tona.

Finalmente chegou a hora.

Todos nós vestimos as armaduras e esperamos Héstia ir na frente. Ela murmurou algumas palavras para Elizabeth e rapidamente saiu do recinto, deixando a garota para trás com um olhar perdido e preocupado.

-O que aconteceu?-perguntei chegando perto e abraçando - a fortemente. Sei que prometi nunca mais me apaixonar, mas as circunstâncias mudam.

O sinal de Héstia chegou e então fomos todos para o Olimpo, começando a invasão.

Subimos em um estranho silêncio até lá e nos camuflamos bem na hora, pois as portas do elevador se abriram. Em estado gasoso, percorremos todo o caminho até o palácio. Passamos por uma fissura que havia na porta e seguimos a luz de Héstia tempos depois, nos encontramos parados no centro do Arsenal. Uau. Era tudo o que eu poderia dizer.

Primeiramente, aquele lugar 100x maior que meu antigo apartamento e possuia um formato...peculiar. Depois, vimos que cada parte da parede e das estantes era reservada para uma arma diferente. Uma parede dourada possuia arcos e aljavas extremamente majestosos e brilhantes. Do lado da dourada, havia uma parede verde-água que me chamou muita atencão; tridentes de todos os tamanhos, cores, formas, materiais estavam enfileirados perfeitamente...mas o que realmente me prendeu o olhar foi ela. Anaklusmos estava dentro de um recipiente feito de diamante e com a minha aproximação, brilhava mais do que nunca. Eu queria tocá - la mas parei no último instante e pensei. Eu não sou mais aquele Percy... Não preciso de nada que me recorde o passado. Olhei a minha volta e me armei com duas espadas katanas nas costas, adagas dentro das botas da armadura, um escudo retrátil e duas armas mortais. Também separei um arco e aljavas que se transformavam num pingente, mas achei que estava muito... exagerado. Acho que esqueci de contar que mudamos nosso plano e a hora está bem mais...divertido.

Os outros pegaram suas armas também e então nos reunimos no centro do salão.

-Pessoal...Damos início a nossa vingança! - disse. Fizemos uma mini comemoração e botamos a mão no centro.

-Nós somos...-baixamos a mão.

-OS SETE PECADOS CAPITAIS!- gritamos juntos, jogando as mãos pro alto.

-Prontos?-perguntei sorrindo.

-Prontos!

E partimos para o ataque.

POV AUTORA.

Os deuses estavam comemorando fortemente com todos a sua volta. Estavam todos na sala do trono, deuses, campistas e criaturas magicas dançando alegres. De repente o chão treme. Os deuses ficam em alerta e a música baixa.

-Estão sentindo esse cheiro?-perguntou Zeus desconfiado.

- Que cheiro?-perguntou Ares.

-Cheiro de sangue.-respondeu Poseidon rosnando. O teto da sala dos Tronos explodiu então sete pontos extremamente brilhantes começaram a brilhar no céu, em fileira. Todos encaravam aquilo com temor.

Os dois pontos das extremidades brilharam ainda mais fortes e desceram em direção ao chão. Pousaram fazendo um enorme barulho e levantando fumaça. Depois desceram mais dois e mais dois, sobrando apenas um ponto no céu. A fumaça se dissipou e todos puderam ver claramente seis figuras paradas como estátuas na famosa pose "pouso do herói". Uma calafrio percorreu a espinha dos presentes e e então depois de muito suspense, o último ponto desceu ainda mais rápido que os outros, este pousando de pé.

-QUEM OUSA INTERROMPER A NOSSA FESTA?- Berrou Zeus.

-Não nos reconhece mais...titio?

Os sujeitos usavam armaduras extremamente majestosas e capacetes que cobriam toda a cabeça.

-Você pensa que é quem para me chama de titio?-perguntou furioso enquanto os outros deuses o seguravam.

-Eu? Bom, vou me apresentar depois de todos para manter o suspense....-disse Meliodas risonho.

Zeus rosnou.

- O que é o que é? Tem longos chifres retorcidos e é um quadrúpede fofinho?- perguntou Alan tirando o capacete.- Isso mesmo, senhoras e senhores! -mudou pra sua aparência original. O símbolo de uma cabra brilhou fortemente no peitoral da armadura. - Sou Gowther. Dos sete pecados capitais. O pecado da luxúria da cabra. Condenado injustamente por atos banais.

Os deuses arregalaram os olhos, se lembrando do dia em que mandaram aquele garoto para o Tártaro.

-Escondam suas carteiras, Escondam suas armas pois está chegando aquele que possui a mão mais leve do mundo!-anunciou Brenno com as mãos erguidas, fazendo um show. - Eu sou Ban, dos sete pecados capitais. O pecado da Ganância da raposa! Aquele que foi preso há 174 anos após roubar os deuses. - Ele tirou o capacete e seus cabelos voltaram a ser cinzas. Uma raposa brilhou no peitoral da armadura enquanto falava. -Aquilo foi só uma brincadeira mas é claro que vocês não ouviram...

Os deuses ficavam cada vez mais atentos ao que aconteceria a seguir, afinal... Duas pessoas que eles jogaram para morrer no Tártaro estavam bem ali na sua frente.

-CofCof. Ao contrário dos dois babacas eu serei direta. Eu sou Diane, da raça dos gigantes. Sou o pecado da inveja das serpentes. Julgada e condenada apenas por ter nascido.-Uma serpente dourada brilhou no centro da armadura.

-Eu sou a Maga que tudo vê e que tudo sente. Sou aquela que traz a escuridão. Meu nome é Merlin e eu sou o pecado da gula do javali. Fui condenada há 378 anos por ser mais forte que os deuses. - disse Merlin tirando o seu capacete e mostrando sua verdadeira forma. Um javali vermelho-sangue apareceu em sua armadura.

- Sou conhecido como King, mas meu nome verdadeiro é Harlequin, o rei das fadas! Condenado após apoiar os titãs na Titanomaquia. Sou o pecado da preguiça de urso, dos sete pecados capitais.

A esta altura os deuses já estavam verdes de tanto segurar a respiração. Aquilo era impossível! Como aquelas pessoas estavam ali e por que exalavam um poder mágico tão forte?

-No Olimpo sou conhecida como a Ninfa Sangrenta, mas como vocês devem se lembrar, sou Elizabeth Liones, filha do rei da floresta. Condenada há 537 anos após cometer um genocídio numa aldeia. Sou o pecado do orgulho do Leão, dos sete pecados capitais. - disse Elizabeth, retirando seu capacete enquanto seus cabelos caiam em uma cascata vermelha. O Leão brilhou e então todos olharam para a figura do meio, na expectativa.

Meliodas soltou um risinho.

-Finalmente! Achei que não ia chegar na minha vez nunca... No Acampamento Meio-sangue sou conhecido como Meliodas Fiore, mas aqui no Olimpo me conhecem como...-Ele fez suspense e retirou o capacete.- Percy Jackson, o herói Caído, filho de Poseidon. Sou o Capitão dos Sete Pecados Capitais, o pecado da Ira do Dragão. - enquanto ele falava, seus cabelos escureceram até ficarem pretos, seus olhos clarearam até ficarem verdes e ele ficou consideravelmente mais alto e belo.

Quem olhasse para os deuses agora provavelmente confundiria - os com tapioca. Eles estavam extremamente brancos e pasmos.

A sala ficou silenciosa, todos encarando aquele belo homem.

-Fi-filho!-disse Poseidon saindo do transe e correndo para abraçar o garoto.

Percy recuou um passo.

-Perdeu o direito de me chamar assim no momento em que votou para a minha morte.- disse ríspido.

O deus dos mares parou e abaixou a cabeça.

-Eu não tive escolha. . .- ia dizendo.

-Não teve escolha o caralho! Você só teve medo porque sabia que se não votasse ficaria "mal visto" na sociedade olimpiana. Quer saber? Eu não ligo mais. Não vim aqui para discutir sobre isso.

Silêncio novamente.

-Ora, ora, ora... E não é que o indesejado teve coragem de aparecer? Pensei que perderia a festa. Filho de Poseidon.- rosnou Annabeth Chase, do outro lado da sala dos Tronos.

-Annabeth.- cuspiu Percy.

-Eu estava na esperança de que um dia você voltasse para eu poder te dizer a verdade... Nunca te amei e nunca vou amar, eu apenas fiz meu jogo e você caiu feito merda... ninguém teria coragem de ficar com um pateta como você...- Annabeth jogava seu veneno.

-Já acabou? Desculpa mas tenho coisa mais importante pra fazer.- disse Percy, logo em seguida voltando a sua atenção para os deuses.

Aquilo enfureceu a loira, que veio andando em passos firmes na direção de Percy.

-Escuta aqui, você pensa que é quem para sair me interrompen- ela disse, mas foi cortada novamente.

-Eu sou Percy Jackson, o herói do Olimpo, o herói Caído, capitão dos sete pecados capitais e aquele que vai calar a sua boca. E você, quem é?-perguntou Percy.

- Eu sou Annabeth Chase. Aquela que fez você se apaixonar feito um bobo apenas para brincar com você. -ela disse sorrindo vitoriosa.

-Isso só prova que você é uma vadia de coração frio sedenta por atenção. E Annabeth? Para que já tá feio. Sabemos que você é um lixo de pessoa e uma merda de semideusa, não precisa se humilhar mais.- disse Percy, avançando na direção da loira e tocando - lhe à testa. Annabeth caiu inconsciente no chão.

-Ora seu...-disse Atena.

-Vamos voltar ao assunto principal... viemos aqui para desafiar os deuses. - disse Percy voltando a sorrir.

-E quem disse que iremos aceitar?-perguntou Ares.

-Olhe a sua volta... centenas de pessoas que acreditam na força dos deuses. Vão mesmo recuar de um desafio lançado por um bando de adolescentes? Que piada! - disse Gowther rindo abertamente.

-Muito bem, muito bem... mas antes: Para provarem serem dignos de nos desafiarem, primeiro enfrentem nossos três guerreiros mais fortes. Se vencerem, aceitaremos qualquer desafio.-disse Zeus.

-Fechado!-responderam os Sete Pecados em uníssono.

-Hércules! Aquiles! Teseu! - bradou Zeus confiante.

Os três antigos Heróis surgiram por de trás dos tronos.

-Vamos fazer isso direito e ir para a arena!- disse Atena.

Os deuses estalaram os dedos e em questão de segundos, todos estavam numa enorme arena. Os deuses sentaram - se na parte "vip" enquanto todos os outros presentes na festa o acampamento Júpiter e a nossa seita se sentaram nas arquibancadas. Os Sete Pecados Capitais encontravam - se na arena, frente a frente com os heróis. Telões mágicos flutuavam no céu mostrando os lutadores mais de perto.

-Hmm...Gowther, acho que você dá conta! - disse Percy.

-Sim senhor, Taichou!-disse Gowther batendo uma continência.

Os outros seis se afastaram, deixando apenas Gowther contra os três.

-O quê? Aqueles covardes estão mandando apenas aquele magricelo para lutar? Guerreiro de verdade enfrenta suas batalhas, não manda um ratinho pra morte no seu lugar!-bufou Ares indignado.

-Irmão, não subestime essas pessoas.- disse Atena, analisando Gowther atentamente.

-As regras são simples: perde aquele que cair no chão e não conseguir mais levantar. COMECEM!- disse Zeus. No instante seguinte, uma luz forte começou a arena irradiar de Gowther, impossibilitando a todos de verem o que acontecia. Quando a luz se dissipou, os três grandes heróis da antiguidade jaziam no chão, cobertos de feridas e gemendo de dor.

Todos ficaram em silêncio por uns cinco minutos (menos os Pecados, que sabiam que isso aconteceria e e então ficaram rindo da reação de todos) até que a gritaria irrompe.

-O que. ..?-perguntaram das arquibancadas.

-Como assim? Em menos de um segundo...

-Ele derrotou os três heróis sozinho? Quanto poder será que os outros tem?

-Oh meus deuses! Impossível!

Mas acima de tudo, quem ficou mais chocado foram os deuses.

Aquele "garoto magricelo" derrotou todos eles sozinho? Como assim? Impossível!

- E agora, deuses... Será que podem descer aqui para discurtirmos os termos do desafio?-perguntou Percy olhando para os deuses com um enorme sorriso cínico na cara, acompanhado pelos pecados.

***

Após toda a agitação, os deuses desceram em direção os pecados para conversarem.

-E então... O que vai ser?

Percy sorriu.

-Bom, tivemos muito tempo para preparar isso, então, é bem complexo: Cada um de nós guarda ressentimento sobre deuses diferentes. Quando eu chamar seu nome por favor dê um passo a frente. Zeus. Hermes. Dionísio. Deméter. Poseidon. Ares. Atena. E é isso por enquanto. Quem não for chamado por favor volte para a arquibancada.

Os deuses estavam furiosos com o tratamento que estavam recebendo. Onde já se viu um moleque como aquele dando ordens a todos?

- Dos Três Grandes, o deus dos céus e rei dos deuses Zeus! Sua oponente será Elizabeth Greenie, o pecado do orgulho do Leão.-anunciou Apolo brotando no meio da arena. Ele vestia um estranho paletó de lantejoulas douradas.

-Deus dos Viajantes e dos Ladrões, seu oponente será Ban, o pecado da Ganância da raposa.-continuou.

-SERÁ QUE ALGUÉM PODE EXPLICAR O QUE ESTÁ ACONTECENDO AQUI?!-Berrou Zeus exaltado.

-Shhhh, baby! Vocês ficam quietos enquanto nós falamos.-disse Apolo provocando. Zeus estava ficando púrpura.

-Agora, quero chamar aqui o deus do vinho e das festas, Dionísio!-sua oponente será Merlin, o pecado da gula do Javali!- continuou.

-Deusa dos cereais, Deméter! Seu oponente será Harlequin, o pecado da preguiça do urso!

- Deusa da sabedoria e estratégia em batalha, seu oponente será Gowther, o pecado da luxúria da cabra.

-Deus da guerra, sua oponente será Diane, pecado da inveja da serpente.

-Dos três grandes, deus dos mares. Seu oponente será Perseus, capitão dos sete pecados capitais, pecado da ira do Dragão! - finalizou Apolo. - Agora, a primeira dupla que eu falei por favor dê um passo passo a frente.

Zeus e Elizabeth andaram até o centro do estádio.

-Bom, é tudo muito simples: Cada um pode escolher entre batalha e um desafio. O time da casa começa escolhendo. Zeus, o que vai ser?Batalha ou desafio?-perguntou Apolo sorrindo maléficamente.

-Batalha!-respondeu o coroa sem hesitar.

-Batalha será então! Escolham suas armas adequadamente. O tempo limite é de 45 minutos, boa sorte! Perde aquele que cair no chão e não conseguir levantar.

E então a batalha começou.

As outras duplas foram tele transportadas para as arquibancadas enquanto enquanto a luta de desenrolava n meio da arena.

Zeus logo pegou seu raio - Mestre e sorriu vitorioso. Assim que raio desceu em direção a Elizabeth, ela girou o pulso Onde se encontrava uma pulseira dourada que ela pegou do Arsenal. A pulseira foi se "desdobrando" até formar uma luva de algum material estranho. Elizabeth segurou o raio raio e o lançou de volta. Zeus ficou chocado demais para se defender.

Aquela pulseira era bem conhecida para ele, mas como aquela garota conseguiu sequer encostar nela?

Ele não teve tempo para pensar pois ela o atacou com suas cimitarras envenenadas. Um corte com aparencia grotesca brilhou fortemente na bochecha do deus.

-Não adiata, logo irei me regenerar e...-Mas ele foi interrompido por uma espada voando em direção a a sua cara. O corte em vez de cicatrizar ficava cada vez maior.

-Oqu...?- Zeus estava extremamente surpreso, assim como todos os outros presentes.

-Tesouro Sagrado do Pecado do Orgulho. Heia. - disse Elizabeth se preparando para mais um ataque, porém desta vez para Deus recuou e ainda atacou de volta. Elizabeth voou na direção contrária mas conseguiu cair de pé, se arrastando por alguns metros.

Então os dois avançaram numa velocidade impressionante e começaram a trocar golpes. Depois do que se pareceu uma eternidade, eles se separaram, cada um sangrando em várias feridas espalhadas pelo corpo. Os dois pareciam abalados demais, a ponto de cair desmaiado no chão. Zeus rosnou raivoso, não aceitava que alguém que não fosse deus pudesse lutar de igual para igual, então voltaram a lutar fortemente, causando danos ao redor. Pararam de novo. Um momento de silêncio e então um deles cai de joelhos no chão e depois de peito na terra.

A arena fica em choque. O Grande deus dos céus, Zeus, havia perdido para uma garotinha?

-ISSO MESMO SENHORAS E SENHORES! A VENCEDORA É ELIZABETH, O PECADO DO ORGULHO DO LEÃO!

Os aliados e os pecados berraram e cantaram em comemoração. Os deuses encaravam aquilo chocados. Dois dos três pecados de aparência frágil derrotaram Três heróis antigos e o rei dos deuses! Quanto poder será que os outros tem?

-Próxima dupla! Hermes e Ban.

As curandeiras levaram Zeus para a enfermaria e Elizabeth subiu para as arquibancadas.

Ban sorriu mostrando os caninos e lamber os beiços.

-Eu escolho desafio!-disse Hermes.

-Entendido! É outros seguinte: Vocês terão 20 segundos para roubar máximo de coisas possíveis da platéia. Se alguém perceber que foi roubado, o pecado ou deus então em questão será desqualificado, sendo o perdedor. Eu bloqueei o som enquanto explicava as regras a vocês pois seria estupidez deixar os espectadores sabendo que serão roubados. Dependendo do item que for pego, ele valerá mais pontos. Comecem!

De repente, os dos se tornaram um borrão e vento foi tudo o que todos sentiram.

Vinte segundos mais tarde, uma buzina tocou e então Ban e Hermes apareceram na arena com uma pilha de coisas atrás de cada um.

-Alguém sentiu alguma coisa?-perguntou Apolo.

-Só um vento forte!-responderam todos com os cabelos espetados.

Apolo sorriu e então disse.

-Agora, queira nos mostrar os que roubou senhor Hermes.

-Bom, como podem ver tenho aqui várias armas e pulseiras e colares. Não esquecendo também das carteiras.-disse ele sorrindo confiante, como se tivesse ganhado. Apolo apontou para a pilha de Hermes e então um número mágico brilhou em cima.

185 itens = 2349 pontos.

-Agora vamos para a pilha do senhor Ban.

-Senhor teu rabo! Só porque tenho cabelo cinza não quer dizer que sou velho... Bom, mas agora voltando ao foco... Tenho aqui as calcinhas e cueca de cada pessoa presente neste estádio!-disse sorrindo sacana. - incluindo a de Hermes!

Ban balançava uma cueca estampada com emoji de carinha piscando.

Todos começaram a procurar suas partes de baixo, não encontrando nada. As pessoas ficaram tão vermelhas que pareciam me mandar luz de si.

Apolo ficou todo constrangido e apontou o dedo para a pilha de Ban, que era consideravelmente maior.

8.888 itens = 459.583.502.454.00 pontos.

-E O VENCEDOR SENHORAS E SENHORES, É O TARADO..OPS, PECADO DA GANÂNCIA DA RAPOSA! Tá, comemoração legal legal e tal mas agora devolva as roupas íntimas todos.

Ban fechou a cara e em instantes, a roupa íntima de cada um estava colocada por cima da calça ou armadura.

-H... É após este momento constrangedor, damos seguimento as batalhas e aos desafios: Dionísio, deus do vinho e das festas e Merlin, o pecado da gula do javali! Como anteriormente, o deus escolhe: Batalha ou desafio?

-Batalha!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...