História O Herói Caído - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos, The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Afrodite, Annabeth Chase, Apollo, Ares, Artemis, Atena, Ban, Calipso, Charles "Charlie" Beckendorf, Clarisse La Rue, Connor Stoll, Diane, Dionísio, Elizabeth Liones, Frank Zhang, Gleeson Hedge, Gowther, Grover Underwood, Hades, Hazel Levesque, Hefesto, Hera (Juno), Hermes, Hylla Ramírez-Arellano, Jason Grace, Júniper, Katie Gardner, Leo Valdez, Meliodas, Merlin, Miranda Gardiner, Nico di Angelo, Paul Blofis, Percy Jackson, Personagens Originais, Piper McLean, Poseidon, Quíron, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Sally Jackson, Thalia Grace, Travis Stoll, Treinador Gleeson Hedge, Veronica, Will Solace, Zeus
Tags Annabeth, Elizabeth, Percy, Traição
Exibições 65
Palavras 1.188
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 15 - Batalhas e Desafios (parte final)


Então Percy voou com sua espada em mãos, atacando sem dó.

Poseidon se defendia com dificuldade, mas fazia o melhor que podia. Logo ele interrompeu um ataque direto de Percy e deu-lhe uma rajada poderosa de água no tórax.

Percy voou longe, mas caiu de pé, e passou toda sua ira para a espada, que ficou de uma cor vermelho-sangue.

-De todas as pessoas, pai... pensei que o senhor nunca me trairia. Vejo que me enganei.- e golpeou novamente.

Durante a batalha deles, o chão afundava devido a absurda pressão mágica. Poseidon estava coberto de feridas escorrendo icor, já Percy estava ileso.

Poseidon criou uma Tsunami de mais de 30 metros que foi em direção à Percy, mas o mesmo tirou outra espada das costas, a que não tinha lâmina e rebateu o golpe com o dobro de sua força.

Logo Percy se cansou de brincar e resolveu começar a verdadeira batalha. Ele envolveu sua espada de diamentes com fogo, água, terra, ar, raios e mais uma magia oculta. Girou-a em torno de seu corpo, fazendo a potência aumentar. Olho nos olhos de seu "pai" e impulsionou a espada para frente, fazendo um raio de pura energia se desprender dela e acertar Poseidon com tudo, mas o raio foi ainda mais poderoso e atravessou o deus, atingindo uma das extremidades da arena. A fumaça levantou e ninguém conseguia ver nada. Merlin usou sua magia para dissipar a espessa camada de poeira e então o que puderam ver foi que o golpe de Percy foi tão forte, que além de atravessar Poseidon, atravessou a arena e mais três montanhas atrás dela, numa circunferência perfeita.

Os deuses ficaram estáticos. Como alguém com tamanho poder poderia existir sem o conhecimento deles?

Através dos telões mágicos, viram que Poseidon ainda respirava, com dificuldade. Percy caminhou até ele lentamente e encostou a ponta de sua espada bem no coração de seu pai.

-Últimas palavras? - perguntou Percy sombrio.

-O q-que f-f-fizeram c-c-c-com o m-meu f-f-filho?! - respondeu Poseidon fracamente, olhando nos olhos de Percy e fechando os olhos, em aceitação.

Percy hesitou, ergueu a espada e abaixou com tudo, atingindo o solo ao mesmo tempo que o alarme que indicava o fim da partida tocava.

Poseidon soltou um suspiro falhado e abriu os olhos.

- Eu sabia que você ainda era o meu Percy.-disse sorrindo e perdendo a consciência.

Jackson caiu de joelhos e começou a chorar. Ele gritou e esperneou, com todos a sua volta se emocionando também.

Apolo assumiu seu posto de deus novamente e foi ajudar o antigo colega a se curar dos ferimentos. Elizabeth saltou da arquibancada e correu em direção a Percy, que agora se encontrava deitado no chão.

-Eu não consegui...Eu não consegui... eu fui fraco...tolo... fraco demais. Diga-me Elizabeth, qual é o meu problema?- chorou Percy em seu colo.

-Shhhh, vai ficar tudo bem... você fez o que julgou correto, não há problemas nisso! Você é um homem bom, tem um grande coração portanto agora de acalme e venha comigo.-acalmou-o Lizzie.

Os dois seguiram para fora da arena e foram direto para o estabelecimento onde estavam ficando.

-Eu estraguei tudo! Eu sou um lixo...- ficou remoendo.

-Cale-se! Você é perfeito e eu te amo assim mesmo! Agora respire e conte até 10. Pronto? Vamos, vá lavar o rosto! Temos uma vingança a continuar.-ela respondeu sorrindo.

Percy lavou o rosto várias vezes, passou água no pulso e na nuca e respirou fundo mais algumas vezes. Logo saiu do banheiro e olhou para Elizabeth, obsrevando uma fotografia da noite da nomeação.

-Espera um momento... Elizabeth, você disse que me ama?-perguntou Percy lentamente.

Ela se assustou e virou de costas para Percy, mas mesmo assim, deu para perceber que ela estava corada.

-N-não!

-Você disse sim...-insistiu ele noutro humor.

- Que saco eu já dise que não!-ela respondeu com a voz mais fina.

Percy corre para trás dela e deu um abraço apertado. Virou-a de frente e roubou um selinho, que foi se aprofundando até se tornar um beijo apaixonado. Eles se separaram e então Percy olhou nos olhos dela e sorriu como nunca havia feito antes.

-Isso é uma ótima notícia, porque eu tambén te amo!-ele exclamou pegando-a no colo e girando no ar.

Elizabeth ficou completamente vermelha e tentou se esconder, mas obviamente não deu certo.

Com essa nova esperança no coração, os dois andaram de mãos dadas em direção ao Olimpo, para resolver assuntos pendentes.

***

POV ZEUS

Aqueles moleques... me pagam! Todos eles! Principamente a ninfa e o Perseu. Na verdade, o grupo todo! Eles nos humilharam em frente a todos os nossos súditos! O que será de nós?

Se o boato de que um grupinho de adolescentes magrelos derrotou os deuses se espalhar, estamos acabados!

Agora iremos ao conselho olimpiano para resolvermos o que é preciso.

Depois de algum tempo todos estavam lá, ( os deuses que estavam do outro lado assumiram seus lugares novamente por um tempo) até mesmo Poseidon ( porém estava enfaixado feito uma múmia) fazendo caretas de dor.

Os sete pecados se posicionaram em frente aos tronos.

-Muito bem...o que querem?-perguntei.

-Em primeiro lugar, queremos que todos jurem pelo rio estige e pelo criador do universo que aceitarão nosso pedido sem qualquer protesto, discussão ou briga.-falou Percy.

A contragosto, todos sós repetimos ao mesmo tempo.

-Juro pelo rio Estige e pelo criador do universo  que aceitarei vosso pedido sem protestos, discussões ou brigas!-ouviu-se um coro de 12 vozes.

-Certo...agora vem nosso pedido.- disse Percy respirando fundo.

-Queremos que todos os deuses renunciem ao trono.-anunciarm os sete em uníssono.

Fiquei parado processando a informação enquanto os outros faziam o mesmo.

-É O QUÊ?! - Berrei.

Quem eles pensam que são? Mas que sugestão ridícula!

Logo trovões ressoaram pelo do Olimpo.

-Você Jurou pelo...-ia dizendo King.

-Que se dane meu juramento! Eu nunca abdicarei do trono!-senti uma dor me consumir aos poucos.

Olhei em volta e vi que a maioria dos deuses, embora decepcionados e tristes, desceram de seus tronos. Já quebrei um juramento pelo estige antes... Posso fazer denovo.

No fim só restou eu sentado no trono. Os outros deuses são um bando de fracos patéticos. O que o criador do Universo poderia fazer caso eu quebrasse um juramento em seu nome? Me matar?

-Bom, acho que poderia considerar isso.- disse uma figura aparecendo sentada no encosto do meu trono.

Todos prenderam a respiração.

-Lorde Caos!- disseram Percy, Ártemis e Apolo se curvando. Os outros seguiram seu exemplo.

Eu gelei.

-L-lorde C-caos, não queria te ofender só...-tentei me justificar.

-Eu sei, eu sei...aquela baboseira de apego ao cargo né? - ele disse.

Fui abrir a boca para falar mas recebi um olhar de Caos.

Abaixei a cabeça em vergonha de mim mesmo e desci do trono. Senti que se não o fizesse, ele me mandaria ao esquecimento.

-Muito bom, Muito bom!- ele disse batendo palmas.

Antes que qualquer um pudesse fazer alguma coisa, Caos disse algo como "ihhh, meus muffins" e desapareceu. Francamente, quem deixou essa criança governar o Universo?

De repente senti um frio na espinha e uma risada maligna começou a ecoar. Uma neblima preta cobriu todo o local, e em meio a tosses, uma figura de olhos vermelhos apareceu, sentada no meu antigo trono.

-Quem é você?-perguntei encarando-o.

-Você...Seu Maldito!-exclamou Percy espumando pela boca.

-Ora, ora! O que temos aqui? Um deus patético e um cachorro louco?- peguntou a si mesmo rindo pelas piadinhas.

-Cáligus!- rosnou Elizabeth.

Olhei em volta e vi que os pecados o encaravam mortalmente.

Lá vem bomba!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...