História O Híbrido {ABO NamJin} - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Rap Monster
Tags Alfa, Bangtan Boys, Beta, Bts, Jikook, Jimin, Jin, Junkook, Namjin, Namjoon, Ômega, Rap Monster, Rapmon, Romance, Shipp, Shipps, Suga, Tae, Taesook, Universo A/b/o, Vhope, Yaoi
Visualizações 168
Palavras 1.487
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


✰Muito obrigado aos que comentaram nos capítulos passados, mesmo que não tenham sidos todos que comentaram, estou completamente grata a vocês.

►Como prometido aqui está o segundo capitulo do dia.
►Como estou nesse assunto, estou pensando seriamente em postar dois capítulos por dia, mas estou um pouco insegura com esta decisão... Não sei se vocês vão aprovar, se irão ver o capitulo ou enjoar da Fanfiction, então gostaria de pedir sua opinião.
►Os Links de ambas as músicas que cito na história estarão na descrição, são ótimas músicas, e caso vocês conheçam bastante ambos os membros do BTS que cito, vocês sabem que eles realmente apreciam este grupo, pesquise se quiser saber mais.
►Se estiverem se perguntando quando que irá rolar o namoro entre ambos, fique sabendo que não será tão cedo. Um erro que várias fanfics cometem é fazer o casal se formar já no 3 ou 4 capitulo, e isso é um erro, pois, se eles apenas namorarem ou algo assim, a fanfic estará terminada, irá perder a graça, eu irei desenvolver uma historia em volta dos personagens, então se você está lendo a Fanfiction apenas com a intenção de ler a hora ou sexo, então pare de ler, por que eu prezo o conteúdo da Fanfiction, e não somente uma historinha qualquer que ambos se apaixonam, casam, criam uma família e fim.

✓Avisos dados, boa história a todos.

Capítulo 3 - É, Essa é a Minha Verdade


Fanfic / Fanfiction O Híbrido {ABO NamJin} - Capítulo 3 - É, Essa é a Minha Verdade

Tia Yang Mi parecia ter confundido-me com um exército de acordo com tudo o que empurrara para mim comer, fora um tanto difícil negar tanta coisa a mesma, que não parecia se contentar ao ouvir-me dizer que nunca fora de comer muito, o que não era verdade, um dos motivos pelo qual eu estava um tanto entristecido era pelo fato de que eu não sentia-me confortável o suficiente naquele local para comer o que realmente precisava, normalmente meu pai iria agradecer aos deuses se eu tivesse comido o mesmo que havia comido ali, pois o mesmo sempre reclamara que eu poderia comer toda a comida do mundo se pudesse.

Nunca ofendi-me por suas acusações, sempre fora feliz com meu corpo, mesmo eu comendo por 10 pessoas, podia-se dizer que eu possuía um corpo gostoso, barriga tanquinho, músculos definidos, não era gordo e muito menos magro demais, estava no ponto. Poderia dizer o mesmo de Namjoon-Ah, o mesmo possuía um corpo um tanto esbelto, seus músculos definidos podiam ser percebidos pelo tecido fino de sua camisa acinzentada. Tratei de retirar-me de meus devaneios e ir em direção ao fato, temendo que o mesmo pegasse-me a observá-lo. O garoto estava sentado à sua cama, sua atenção estava focada ao seu celular, que estava evidentemente tocando a música Fly do grupo Epik High, o mesmo parecia ter um gosto musical excelente.

-O que está fazendo? -Sua voz estridente soou, fazendo-me fitá-lo.

-Tentando procurar algo para fazer. -Respondo somente, provocando um sorriso de canto do outro.

-Quer escutar música comigo? -O outro solta a seguinte frase, provocando a famosa expressão “borboletas no estômago”.

-Claro. -Digo somente, logo sentando-me ao lado do mesmo.

O mesmo retirara a música que antes estava a tocar, e a substituiu por uma música que eu imediatamente reconheci. Não demorara muito para as vozes começarem a surgir e o cantarolar saira juntamente a eles:

 

Não vamos nos apaixonar, ainda não nos conhecemos muito bem

Na verdade, estou um pouco assustado, me desculpe

Não vamos fazer promessas, você nunca sabe o que te espera amanhã

Mas estou sendo sincero, quando digo que gosto de você

Não me pergunte nada

Eu não posso lhe dar uma resposta

Estamos tão felizes do jeito que estamos agora

Não tente me possuir

Vamos ficar simplesmente assim

Você está tornando as coisas mais difíceis, por quê?

Despedidas, após nossos frequentes encontros

Repetição de corações partidos

Não consigo encontrar um propósito nesses sentimentos tolos

Um erro, com a máscara do amor

Todos os sentimentos são a mesma coisa agora

Mas, neste momento, eu quero que você fique

Não vamos nos apaixonar, ainda não nos conhecemos muito bem

Na verdade, estou um pouco assustado, me desculpe

Não vamos fazer promessas, você nunca sabe o que te espera amanhã

Mas estou sendo sincero, quando digo que gosto de você

Não sorria para mim

Se eu me apegar a você, ficarei triste

Tenho medo de que um belo sorriso se transforme em lágrimas

Não tente nos prender

Na palavra, amor

Porque é um desejo que não pode ser saciado

A princípio, tudo se divide em excitação e preocupações

Mas no final, se torna uma obrigação, tentativa e erro

Dia após dia, eu fico nervoso, sua inocência é muita pressão sobre mim

Mas hoje à noite, eu quero que você fique

Não espere muito de mim

Eu também não quero te perder

Antes que as coisas se aprofundem tanto, antes que você se machuque

Não confie em mim

Você é sempre assim

Seu bastardo egoísta

Não vamos nos apaixonar, ainda não nos conhecemos muito bem

Na verdade, estou um pouco assustado, me desculpe

Não vamos fazer promessas, você nunca sabe o que te espera amanhã

Mas estou sendo sincero, quando digo que gosto de você

 

Ao terminar da música recebo um olhar curioso do garoto ao lado, que parecia surpreso.

-Conhece essa música? -O garoto exclamou com seus olhos brilhando.

-Não não, eu só adivinhei a letra mesmo… -Respondo irônico, sorrindo junto ao garoto. -Sim eu conheço, BigBang é uma das minhas bandas favoritas.

-Minha também. -Disse somente, voltando sua atenção ao celular.

Retirei o sorriso que irradiava, após o silêncio instalar-se percebo o quanto aquela música fizera sentido em minha vida.

{1 hora depois}

 

Havíamos escutado diversas músicas naqueles 60 minutos, descobrira mais sobre os gostos de Namjoon Ah, mas Yang Mi viera estragar a diversão, alegando que deveríamos dormir cedo devido a escola que teríamos no dia seguinte, no momento em que a mesma alegara tal fato, senti o desconforto invadir-me novamente, certamente eu não iria adaptar-me tão facilmente, já que eu jamais estivera em uma escola e muito menos tivera contatos sociais, tirando Namjoon-Ah e Tia Yang Mi eu jamais havia tido contato com outras pessoas além de meu pai, pelo fato de eu jamais ter saído de casa, pelo menos até o acidente.

-Nam, amanhã você pode acompanhar os passos de Jin? -Yang Mi perguntara dócil.

-Por que eu? -O mesmo dissera somente, sem nem mesmo abrir os olhos para responder.

-Por que ele nunca estivera numa escola, Nam. Ele não vai saber agir. -Yang Mi tentara o convencer, esquecendo de minha presença e do que eu poderia ou não ouvir.

-Tanto faz, se ele quiser ele que me siga, não vou bancar a babá. -Respondera simples, virando-se na cama, sinalizando que aquela conversa havia chegado ao fim.

-Obrigada Nam. Jin, querido, arrume-se na cama, senão irá passar frio.

-O-o que? -Perguntara espantado.-Eu vou dormir… com ele?

-É claro Jin, eu lhe avisei assim que chegamos… Devido a falta de visitas não possuímos cômodos nos quartos de hóspedes… -Ela explicara um tanto envergonhada.

-Ah desculpe, mas… Ele não vai se incomodar? -Dissera extremamente desconfortável.

-Eu vou é me incomodar se você não parar de manha e deitar de uma vez. -Ouvira-se a voz estridente do rapaz.

-Acho que isso é um convite. -Yang Mi dissera baixinho.

Sorri para a mesma que fora até a porta. Deitei-me ao lado do garoto, a cama não era para dois, mas podia-se dizer que não estava desconfortável, exceto pelo fato de que meu peito estava encostando em suas costas.

-Boa noite garotos… Durmam com os anjos. -Foram suas últimas palavras antes de fechar a porta e trazer a escuridão ao quarto.

Arrepiei-me ao perceber que o quarto não possuía nem mesmo uma janela aberta, Namjoon-Ah havia fechado todas, fazendo com que o quarto não possui-se nem mesmo um pontinho de luz.

Tremi por baixo da coberta, escuro sempre fora meu maior problema, não sabia ao certo porque, mas eu nunca dormira no escuro, o medo estava cada vez maior, sentia que as lágrimas logo viriam.

-Está com frio? -A voz de Namjoon-Ah soara em meus ouvidos.

-N-n-não… E-e-eu… Tenho medo de e-escuro… -Tentara o avisar, sentindo o medo adentrar-me cada vez que abria os olhos.

-Quantos anos você tem? -Namjoon dissera novamente.

Não o respondi, mas senti com uma lágrima estava prestes a descer, um soluço invadiu minha garganta, e alertou ao garoto ao lado que eu estava realmente assustado. Logo senti o garoto virar-se em minha direção, nossos rostos estavam próximos, podia sentir sua respiração tranquila, assim como ele podia sentir minha respiração ofegante e desregulada.

-Eu não posso acender as luzes… -Namjoon dissera dando de ombros.

Mais lágrimas teimaram descer, provocando mais soluços.

Senti a mão quente de Namjoon pousar sobre a minha, que estava à frente do meu peito.

-Eu estou aqui… -Namjoon dissera inseguro de suas palavras, mas estavam cheias de sinceridade.

Não o respondi novamente, o medo ainda não havia passado, mas não estava mais a tremer.

-Não vou deixar nada acontecer com você. -Namjoon dissera, porém, agora suas palavras eram firmes e confiantes.

Tentei enxergar o brilho de seus olhos, na esperança de acalmar-me, e fora quando uma luz surgiu no corredor do quarto, a luz adentrara o cômodo por debaixo da porta, revelando o rosto do garoto a minha frente, seus olhos estavam fixados nos meus, mas quando o mesmo notara que eu ainda estava a chorar, tirou sua mão da minha e tratou de secar meus olhos, senti-me envergonhado, Namjoon-Ah já havia me visto chorar diversas vezes, somente a ideia que o mesmo estivesse o achando um tanto infantil fazia-me tremer.

No momento em que abrira minha boca para protestar a luz apagara novamente, e o medo voltara como um tiro em meu peito.

-Eu estou aqui. Do seu lado… Confie em mim. -Namjoon sussurrara deitando-se novamente, seu rosto estava muito próximo, quase não existia espaço.

-Eu confio… -Dissera de volta, apertando sua mão que pousara novamente sobre a minha.

Senti um cheiro estranho, não sabia da onde vinha, mas não dissera nada, jamais havia sentido tal cheiro, talvez fosse coisa da minha intuição.

Fechei meus olhos, o sono já estava a ponto de dominar-me.

-Cala a boca! Não quero te ouvir!  -Namjoon havia praticamente gritado do nada, assustando-me. -Não foi com você eu só… Não é nada. Boa Noite.

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...