História O Humano e a Híbrida - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Personagens Originais
Tags Hibridos, Nalu
Exibições 234
Palavras 2.120
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Bem, aqui estão um pouco das coisas resolvidas >_<
Meu Pc, está horrível, então como eu já disse não tenho data certa de postagem :3
Bem, eu já dei várias dicas pra vocês, meus Chuchus :3
Espero que desvendem, e entendam.
NÃO ESCREVI HENTAI. Por isso, vai estar um pouco difícil de entender.
Eu amei esse capítulo. Acho que eu detalhei ele muito bem <3

Capítulo 14 - Capítulo Quartoze


Estava no quarto de Erza, a mesma dormia. Eu estava suspirando em baixo da cama, da mesma. Em minha forma de Lobo.

Naquela hora, eu sabia que Lucy estava apenas á alguns quilômetros de nós. Tinha certeza que Júvia também sabia. Lucy precisava ficar sozinha, para por os pensamentos em ordem.

Se ela precisasse de qualquer coisa, eu estaria ali para ela.

Afinal, todos nós somos uma alcateia, que tinha perdido um membro mais fraco; Yukino.

Porém ainda éramos uma forte alcateia, forte de Híbridos.

Iriamos seguir Lucy, para onde ela fosse. Sabíamos que ela estava sempre a nós proteger. Ela estava sempre com a gente, mesmo que apenas no coração, mas estava.

Afinal,  ela é nossa  Alfa.

 

{Nesse Capítulo}

{Lucy On’}

 

 

Os raios de sol, entrando na pequena caverna que eu me encontrava á poucos minutos, junto de Mavis, que dormia tranquilamente em cima das folhas de algumas árvores que eu juntei. Suspirei sentindo o cheiro de terra molhada, que vinha de fora da caverna.

Suspirei, me levantando. Dei uma última checada em Mavis, e resolvi ir para um rio próximo, tomar um banho e quem sabe, procurar algo para mim, e para Mavis comermos.

Saí da caverna, sentindo os poucos raios de sol, baterem em meus pelo cor de mel mesclados com preto. Podia ouvir os passarinhos cantando e cheiro de orvalho, mesclado com o cheiro de terra molhada.

Suspirei esticando meu pequeno corpo, sentindo minha pata traseira doer, eu ainda podia sentir a dor. Um duro golpe, para lembrar que caças são perigosas, e que podem deixar as coisas mais perigosas. Ainda mais, quando se tem um filhote para alimentar.

Essa pequena ferida, foi causada por um alce, que matei. Porém fiquei ferida.

Voltei para minha forma humana, e mergulhei no lago. Precisava ficar sozinha, por pelo menos, um pouco.

Aquilo foi um golpe duro, muito duro. Porém de algum jeito, eu sabia que eles não tinham culpa, por Lisanna ter pego meu antigo diário. Porém, eu não me sinto preparada para voltar. Um turbilhão de sentimentos, rondavam meus sentimentos.  

Afundei-me na água, por uns segundos. Precisava pelo menos, me desligar do mundo, por alguns segundos.

Várias pessoas pesavam pela minha mente:

Jelleal, Júvia, Wendy, Natsu, Erza, Levy… Yukino…

Eu queria poder me desculpar com a Yuki... Eu queria ter chegado mais cedo. Mas as vezes, eu só queria morrer.

Ou melhor, eu queria encontrar meus pais, pelo menos uma única vez. Seiliah me disse uma vez, que minha mãe era uma humana com uma magia parecida com as dos dragões, só que mais forte, e que meu pai, era um lobisomem. Esses foram os fatores para eu me tornar uma híbrida tão forte assim.

Ainda me lembro de muito bem, do cheiro de mamãe... Rosas misturadas com chocolates.

Com esses pensamentos, eu voltei á superfície. Olhei para uma pedra perto da margem do rio, e lá tinha uma muda de roupas, olhei para o chão, onde minhas chaves estavam. Um brilho rosa, rodeou uma das minhas chaves.

“ – Obrigada, Virgo.

Eu sabia que ela poderia ouvir mesmo lá nas estrelas. Suspirei, era hora de retornar a realidade; Não poderia deixar Mavis sozinha por muito tempo sozinha, algum outro híbrido poderia chegar lá, e por fim, achar que ela, é um delicioso pedaço de carne.

Assim que me vesti: Eu usava uma blusa em estilo coladinho, com um pequeno decote, nos seios na cor azul. Usava uma saia um tanto pequena, na cor branca, eu deixei meus cabelos soltos.

Porém eu voltei para minha forma de loba, assim que senti um cheiro delicioso;  Era um Alce!

Em entrei na grama alta, seria muito mais difícil para ele me encontrar.

Ele estava de costas para mim, eu ia me aproximando devagar, quando estava pronta para morder a bata traseira dele, ele olhou um pouco para trás, e correu;

Eu desatei, correndo atrás dele, teria que correr atrás dele, antes que eu me afastasse mais da pequena caverna, que Mavis descansava.

Acelerei meu passo, e por fim, olhei para o lado, tinha algumas pedras, perto do Alce. Eu pulei em cima da pedra e de lá, eu pulei em cima do alce, derrubando-o ele e eu mesma. Quando ele caiu, eu fui rápida e mordi com força, no pescoço do mesmo.

Os olhos ele, foram se arregalando, enquanto minha mandíbula apertava cada vez mais, o pescoço dele. O sangue escorria pelo meu pescoço. Não ó meu, e sim o dele.

Foi quando ele deu uma última suspirada, e o peso dele cresceu, fazendo-o com que ele, deixasse o peso dele cair para o lado contrario, da minha boca.

Ele estava morto.

Sorri com minha pequena matança. Apenas teria que arrastar a presa, até perto da caverna.

 

 

{...}

 

Eu tinha encontrado um lugar simples, e deixei lá, o corpo desfalecido do alce para trás.

Acordei Mavis cuidadosamente. Nós andamos até o corpo e comemos tudo. Mavis se sujou de sangue, porém ficou muito fofa!

Depois daquilo, nós descansamos um pouco. Já anoitecendo, pude ouvir um ouvido, ou melhor, dois.

Depois daquilo, eu abri um sorriso e respondi, fiz questão de deixar rastros, porém claro que no final ei fiz questão de sumir com todas as evidências que provavam que eu dormia ali perto. Já na toca, Mavis dormiu bem pertinho de mim.

Ela se divertia muito, na floresta. Eu claro, a ensinava a caçar alguns coelhos, para que ela já tivesse uma pequena habilidade para matar.

O uivo de mais cedo, foi o uivo de Jelly e Júvia.

Eles disseram que estavam tudo pronto, e que arrastariam Natsu para o bar Fairy Tail. Bem, minha vingança contra Lisanna, estava quase pronta.

As vezes, eu só queria chorar. Eu acabei me lembrando da noite que tive com Natsu, antes da Lisanna, começar a ficar na casa dele.

Cara, aquilo me machucou por inteira. Eu tinha me entregado á ele.

Por mais que eu negasse que eu gostava dele, aquilo me machucava.

 Eu tive minha noite, com o Natsu, uma semana antes da Lisanna, praticamente morar, na casa de Natsu. Ele foi muito carinhoso comigo. Porém eu estou ficando preocupada, com as severas consequências, que uma noite de amor pode provocar.

As consequências, são muito sérias.

 

{Lucy Off’}

{Autora On’}

 

 

Em uma sala, de boa aparência quatro pessoas estavam sentadas;

Um casal de loiros, e uma azulada e um ruivo.

“ – Grandeeney. – A Loira, estava com uns papéis na mãos.  – Depois de muitos anos de esforços, finalmente conseguimos a liberdade dos híbridos.

“ – Oh, Finalmente! – Comemorou Grandeeney.

“ – Sim. – Murmurou o homem loiro tristemente. – Eu estaria mais feliz, se nossa filha estivesse conosco. Mas, ela não está.

“ – Jude, querido. – A mulher loira sorriu para ele. – Ela está bem. Eu sinto isso! Nossa pequena Lucy, está bem. Tenho certeza, que deve estar sendo cuidada por uma pessoa que goste dela de verdade. Nós iremos encontrá-la, e matar a saudade!

“ – Layla. – Chamou Igneel. – Sua filha que seja Lucy, por acaso, esse ano, ela teria dezesseis anos?

“ – Oh, sim. Nossa pequena Lucy, estaria com dezesseis anos.

“ – Layla. – Chamou Grandeeney. – Eu posso estar enganada, porém nós compramos uma ´híbrida, esse ano. O nome também tem o mesmo sobrenome de você. – Grandeeney sorriu. – O nome dela, é Lucy Heartifilia.

Os rostos, dos loiros tomaram uma cor pálida.

“ – É A NOSSA PEQUENA, JUDE! – Gritou Layla.

“ – Olha, nós não temos certeza, e também... – Igneel coçou a garganta para continuar – Ela fugiu de casa, depois de uma briga com a namorada de nosso filho.

“ – Não importa, Grandeeney! – Layla sorriu radiante. – Ela é a nossa pequena, eu tenho certeza! É a mesma, cabeça-dura que o Jude.

Ambos riram, e as passagens para dois aviões foram compradas.

Jude e Layla sorriram, estavam perto da sua possível, filha.

 

 

{...}

 

 

Andando pelas ruas calmas de Magnólia, um típico adolescente, com uma grande mala se aproximou de um hotel, onde se hospedaria.

Ele estava cada vez, mais perto do que indicava ser sua  “Irmã”.

Os longos cabelos ondulados e negros, metade preso num rabo de cavalo, e sua franja altamente bagunçada, davam destaques aos olhos vermelhos e indecifráveis.

Seu corpo, bem malhado e arrumado, lhe dava um ar superior. Sua magia podia ser sentida de longe, por outros humanos dotados com poderes de dragões, e demônios.

Usava uma blusa preta, de golas juntamente com uma calça jeans, escura seu All-Star preto, com um detalhe de uma estrela em amarelo, davam um lindo destaque.

O vento gélido, parecia não fazer efeito na pelo do garoto alto, que tinha acabado de entrar no hotel, cujo era caríssimo.

Dirigiu-se, até a recepcionista que lhe encarava com um sorriso falso. Afinal, era apenas mais um cliente. Que provavelmente, não lhe daria gorjeta.

“ – Boa noite senhor. Tem uma reserva?

“ – Já sim, em nome de meu pai. – Respondeu, com uma carranca séria.

“ – Oh, sim. – Ela pegou uma chave e lhe entregou. – Aqui está. Suíte presidencial, número quinze.

“ – Muito obrigado. – Ele colocou a mão no bolso, tirando duas notas de cinquenta, e depositando em um pequeno jarro, ao lado da recepcionista. – Obrigada por me atender tão bem.

A face da garota ficou completamente rubra. Talvez se ele soubesse que ela também era uma híbrida, ele provavelmente lhe repudiaria. Não, ela não podia se envolver com ninguém.

Em toda sua vida, teve apenas uma amiga. Por apenas um dia, mas teve.

Ela sempre foi uma híbrida livre, ninguém tinha muito interesse em híbridos gatos. Eram bem agíeis, fieis, e até certos pontos, fortes. Porém nem sempre.

Híbridos gatos, eram mais fortes contra híbridas cobras. Porém perdiam uma luta facilmente contra os híbridos lobos. Por isso, ela era a única, híbrida gata viva.

Assim que forá descoberta, seus pais foram mortos. Ela foi adotada por um dos lordes do inferno. Hades.

Ele deu uma boa vida á ela, tanto no Submundo, quanto no mundo mortal.  Foi então, que ela quis se aventurar, então, foi perto de um local de treinamento. Lá ela encontrou sua única amiga híbrida; Lucy Heartifilia.

Porém ela foi capturada e ela não pôde fazer nada, a pedido de Lucy. No único dia, que ambas viraram amigas, percebeu, que Lucy tinha marcas de torturas no corpo. Então, a Híbrida gata, resolveu cura-la.

Em nenhum momento a Híbrida loba, tirou o sorriso idiota do rosto.

A garota foi tirada dos desvaneios, quando percebeu que chovia lá forá.

As vezes era bom, ser a dona do hotel. Ela dormia no melhor quarto, tinha empregados, que lhe obedeciam, ela ganhava gorjeta... Mas sentia falta de sua única amiga.

 Andou até a porta do hotel, que abriu-se, assim que o calor do corpo dela, chegou perto o suficiente da mesma.

Olhou para rua, onde humanos corriam, caçando um lugar para se abrigarem. Talvez eles não quisessem pegar uma gripe. Afinal, eles eram tão fracos...

Suspirou, sentindo as gotículas de água, entrarem em contato com sua pele, ao sentir as árvores balançarem e algumas folhas caírem.

Olhou para as estrelas, que ainda não tinham sido nubladas pela espessa névoa, que a chuva trazia consigo.

“ – Eu ainda vou te encontrar de novo... – A mulher curtos cabelos esverdeados, com uma pequena franja, sussurrou ás estrelas. – Lucy... – Ela sorriu determinada, quando a chuva sessou. – Ou não me chamo, Brandish!   

 

 

{...}

 

 

O garoto misterioso, estava deitado no seu novo quarto. De hotel.

Estava tão imerso em seus pensamentos que só voltou á realidade, quando seu telefone tocou. Apareceu a imagem de um jovem homem de olhos azuis, como o contato que estava ligando.

“ – Oi, Papai.

“ – Você já chegou? Eu sua mãe estávamos preocupados!

“ – Não precisam ficar. Eu já cheguei. Foi por aqui, que encontrei o sinal de sua magia. Porém tem algo diferente... Por enquanto, nada de muito importante.

“ – Oh, bem... Você nós deixou preocupados! Não pode deixar o mais forte dos dragões, preocupado, seu fedelho!

“ – Ih, qual foi, dragão do Apocalipse? Eu sou mais forte que o senhor, e que a mamãe, juntos! Eu posso derrotar vocês, hein?! – Ele riu descontraído.

– Não teria coragem para fazer algo, contra seu velho. Mas, bem... Lembre-se: Encontre sua pequena estrela. Ou melhor, nossa pequena estrela!

“ – Eu sei, pai. Mas eu já vou dormir, estou cansado. Beijo pai, dá um beijo na minha mãe. Tchau pai, boa noite!

“ – Boa noite, filhote.

E assim, a ligação finalizou-se.    

O jovem garoto resolveu dormir. Colocou seu celular para carregar, e por fim, pegou no sono, lembrando-se de sua pequena Estrela.

 

 

{Continua...}

 

 

“ – Eu tenho medos bobos,

E coragens absurdas... –“

“ – Lucy Heartifilia –“

 

 

“ – Sabe aquela pessoa,

Que você, pensa antes

De dormir? –“

“ – Jovem Garoto. –“

 

 

“ – Ninguém, vai dizer,

Que foi por Amor.

Todos vão chamar de

Derrota. –“

“ – Autora. –“

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Feliz dia das crianças meus Bebês :3
Alguns de vocês são mais velhos, que eu, porém ainda são meus bebês. Eu tenho apenas 14 anos de pura, inocência. - Pelo menos nesse Perfil. -
Bem, meus amores. Espero que tenham entendido.

POVO, ME DESCULPEM! EU PERDI AS NOTIFICAÇÕES DE VOCÊS, QUE COMENTARAM! - O idiota de meu primo, apagou. - PERDÃO!

ENTÃO ME FALEM, QUEM EU NÃO RESPONDI E EM QUAL CAPÍTULO.

Feliz dia das crianças, meu Bebês. Hoje irei chamar vocês de bebês :3
Mamãe ama vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...