História Morando no interior - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias João Guilherme Ávila, Larissa Manoela
Personagens João Guilherme Ávila, Larissa Manoela, Personagens Originais
Tags Briga, Giovana Chaves, Gustavo, Joao Gui, João Guilherme Ávila, Jolari, Larissa Manoela, Nicolas Torres, Opostos, Thomaz Costa, Treta
Visualizações 30
Palavras 922
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi

Capítulo 1 - Larissa vai morar com a madrinha


Estava a caminho do interior de São Paulo, no carro da minha madrinha, perdi as contas de quantas vezes eu chorei naquela noite, havia perdido meus pais em um maldito acidente de carro, Deus? O que é ele? Fez os meus pais morrerem, agora vejo a bondade. Tinha perdido meus amigos, minha escola, meu cachorro, tudo! E talvez nunca os veria novamente. 

Minha madrinha conversava com meu tio coisas banais e obseno, nossa, serio que eu teria que suportar isso a vida toda, até completar 18 anos e receber minha herança.  Depois de algumas horas, finalmente chegamos.  Sai do carro e observei com um certo nojo no olhar aquela casa, não era feia, mas nem se comparava a minha mansão, era de campo, tinha vários cavalos por perto e mata pra tudo o que é lado,  fui comprimentada pelos filhos dela, um de 20 e outra de trinta.

Pâmela: Iai! * Sorrindo. Pâmela era uma mulher alegre e muito extrovertida, até demais...*

Eu: Olá.

Nicolas: Oi. * Seco. Nicolas, era estranho, vestua oupas escuras, já foi internado muitas vezes no hospital por conta de multilação e fala coisas estranhas. Mas... Pouco me importava.*

Eu: Oi.

Madrinha: Bom, Larissa, seu padrinho irá levar as suas coisas para o quarto de Pâmela, troque de roupa e se arrume vamos sair. Domingo iremos preparar suas tarefas pra fazer na fazenda. Minha madrinha tinha uma mini fazenda, falida vamos dizer, não acredito que teria que tirar leite dos peitos das vacas! Que nojo!

Eu: Para onde vamos? 

Madrinha: Vamos a uma pizzaria. * Ah, que ótimo! De um restaurante fino para a pizzaria da esquina, que bárbaro. Adentrei mais na casa, era até jeitosinha, minha madrinha tinha bom gosto. Meu padrinho, Tomás, deixou minhas malas na cama e eu fui tomar um banho pra me arrumar pra essa tal de pizzaria.

Vesti um vestido rosa, um tênis branco, passei apenas um glos rosa e rímel, não estava muito afim de me arrumar e sai de meu quarto, indo me sentar no sofá, onde minha madrinha estava.

Eu: Estou pronta, madrinha.

Madrinha: Que bom, eles estão esperando.

Chegando na porta, havia um menino alto e bonito, mas o seu estilo era deplorável, estava acompanhado de uma mulher e  uma menina, creio que eram sua mãe e irmã.

Madrinha: Bom, Larissa, esses são, João, Laura e Cecília .

Eu: Olá.

* Eles me comprimentaram, o garoto nem se mexeu. Isso pouco me importava, na verdade.*

Entramos na caminhonete, sentei-me ao lado do esquisitão, que ótimo,  coloquei meus fones de ouvido até chegarmos a pizzaria. Na pizzaria, sentamos na mesa, a mulher trouxe as pizzas e , não sei o que aconteceu, mas minha unha quebrou.

Eu: Que horror!

Madrinha: Que foi? * Preocupada.*

Eu: A minha unha quebrou!! * Disse, quais chorando, olhando para minhas unhas. Ela deu um suspiro de alívio.* 

Madrinha: Que disto, pensava que o chupa cabra tinha te picado. 

Eu: Tem isso aqui?! * Indaguei, preocupada.

João: Rara, que graça!

* O olhei fuzilando com o olhar. A pizza era de peperone, que horror.*

Eu: Credo, odeio pizza de peperone!

Laura: Tem de frango.

Eu: É, pode ser... * A pizza estava perto de João. Ele pegou a pizza pra mim e colocou no meu prato, hum, que educado.* Obrigada.

João: Cuidado pra não quebrar a unha. * Cochicho. O olhei com raiva, era bom demais pra ser verdade.*

No caminho pra casa, fomos a pé, nossa, que idiota, ficou falando besteira o caminho todo...

João: Eu ainda estou com fome.

Cecília: Sem essa, João, você comeu 7 pedaços!!

João: Ue, estou em fase de crescimento.

Eu: Só se for pros lados. * Ele gargalhou, nossa q sorriso lindo... Oi?? Larissa, acorda! *

Cecília: É verdade que você sabe falar francês e espanhol?

Eu: Sim, eu sei.

Cecília: O João também sabe falar espanhol, não é, João?

João: Não é espanhol não, é chinês.

Eu: Qual é o caminho mesmo, Cecília, afinal, tenho que se acostumar e não estou vendo nada esqueci minhas lentes.

João: Você vira a esquerda, depois a direita.

Cecília: Deixa de ser idiota, João, ele está te ensinando o caminho errado. * Cara, que garoto infantil, ficou só tirando brincadeiras comigo, insuportável! Nós resolvemos ficar em um bosque  perto de nossa casa, fui pegar meu celular, antes de sair, escutei ele perguntando onde eu morava e se eu iria morar lá com minha madrinha. 

Ele é um psicopata, parece me odiar e quer saber onde moro é quando vou pra tramar suas armadilhas?? Tá, é gatinho, mas isso não tira o fato que se veste horrivelmente. Sentei em um dos bancos que tinha no bosque, onde todos estavam e fiquei de bobeira em meu celular, enquanto todos ficaram conversando e Cecília brincava com suas amiguinhas, entendi algo como gato beta.

Eu: Gato beta ?!* Ele apontou pra mim e começou a gargalhar.

João: Gato beta?? Você está tão concentrada que não tá nem intendendo nada!! * Dei de ombros, isso pouco me importava, colocando meus fones de ouvido eu vi um cachorrinho e fui em direção a ele para o fazer carinho, sempre amei cachorros e tinha um, porém deixei com a minha ex vizinha, minha madrinha odeia, porém ele ficou com medo e fugiu, todos gargalharam. A minha madrinha e Laura foram a algum lugar, me deixando a sós com o João, que bom. 

João: Odeio cachorros, não sei porque tem gente que gosta desses bichos.

Eu: Não fala assim deles.

* Ficamos discutindo, ate Laura o chamar, dando um sinal dizendo que já estava indo, ele se levantou, esperou alguns minutos e disse um tchau seco. Nem respondi. 


Notas Finais


Iai??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...