História O Imperador e a Maou - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~LordeKoorishiro

Postado
Categorias High School DxD
Visualizações 117
Palavras 2.568
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Ecchi, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Spoilers, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Peço desculpas pela demora na postagem do capítulo. Estamos trabalhando para que isso não ocorra novamente, e que tenhamos fics sendo atualizadas constantemente.

Capítulo 5 - Revelações


Num local um tanto exilado, longe de tudo e todos, estavam um grupo, com algumas pessoas. A maioria eram adolescentes, pela altura, e forma de agir. O outro, um adulto sentado numa confortável poltrona de tecido vermelho. O adulto parecia mais interessado no livro que lia ao contrário do que os jovens estavam fazendo.

 

Um deles, sendo esse um adolescente de cabelos cor de salmão, que estava usando sua magia de chamas para tentar se esquentar. O chão era puro gelo, e o céu estava completamente negro, pois uma forte nevasca estava ocorrendo naquele momento.

 

-HEY KOORISHIRO… SENSEI! - Gritou Natsu, mal conseguindo falar, pois sua boca estava tremendo demais, em conjunto com seu corpo. O dragão, que permanecia em sua forma humana, apenas dobrou para trás o jornal que lia, enquanto olhava para o rosado.

 

-O que foi agora, Natsu? - Questionou, enquanto dava uma rápida olhada nos outros. Issei estava conseguindo se virar bem, apesar de ser um dragão de fogo, que deveria odiar o frio. Kiba tentava se aquecer com um pesado casaco que usava. Katsu tentava soprar suas chamas negras para se esquentar, sem muitos resultados.

 

-VOCÊ VAI NOS MATAR CONGELADOS! - Gritou Natsu, irritado. Koorishiro olhou para ele, com um certo brilho de maldade nos olhos.

 

-Então não tem problema, até porque o único que eu tenho que levar vivo de volta é o Issei. E talvez o Katsu, para a irmã e companheira dele não colocarem veneno na minha bebida. A Serafall irritada faz jus ao nome de Maou. - Diz o mesmo com um sorriso de canto de boca. Natsu rosnou, irritado. Nisso, eles ouvem um toque de despertador. Koorishiro tira um celular do bolso da calça, desligando o despertador, enquanto guarda o celular de novo. - O tempo de hoje acabou. Se estão vivos isso é o que importa. Na próxima, as garotas vão vir, então façam-me o favor de não passarem vergonha na frente delas.

 

Nisso, um círculo mágico imenso surge, brilhando. O brilho cega os três adolescentes ali presentes, e quando se dão conta, estão na sala da mansão de Issei. Koorishiro olha para os três, sorri, e volta a se sentar em sua poltrona.

 

As garotas correram para os três.

 

-Natsu-kun! - Exclamou Wendy, procurando ferimentos no rosado que tremia constantemente. - Está tudo bem?

 

O rosado não responde de imediato, apenas levanta e sai correndo em direção ao banheiro. Issei estava sendo esquentado por Serafall, enquanto Kiba tinha ido tomar um banho quente. Katsu estava sendo abraçado por Irina, sendo que o azulado estava extremamente corado. Rias também tentava aquecer o irmão mais velho, dando cobertores para ele.

 

-Bom, se eles voltaram vivos e não estão congelados, na próxima todos, inclusive as garotas vão. Vocês ainda precisam aprender a se manter com temperaturas extremas, como frio ou calor. - Explicou o albino, com um sorriso de lado. Nisso, todos ouvem um grito de dentro do banheiro. Menos de cinco minutos depois, Natsu veio correndo para cima do dragão de gelo.

 

-VOCÊ CONGELOU ALGO IMPORTANTE MEU! - Gritou Natsu. Wendy olhou preocupada, para em seguida procurar um cobertor. O albino olha para ele, e dá um sorriso debochado.

 

-Ah, não se preocupe, pelo que me contaram, você não usa muito o cérebro, então achei que não teríamos problemas em congelar ele. -  Disse Koorishiro, maldoso. O rosado rosnou, enquanto saía vapor das orelhas dele.

 

-O cérebro dele está mesmo congelado… - Comentou Issei, mas quente. Serafall reprimiu uma risada naquele momento.

 

-Acho que ele está falando do “fazedor de filhotes” - Comentou Azazel, com uma cerveja na mão. Wendy olhou mais preocupada ainda, mesmo não sabendo do que estavam falando.

 

-Ah… Isso… Não vai fazer falta também. Ele não usa mesmo. - Debochou Koorishiro, fazendo Natsu rosnar. O rosado voltou para o banheiro resmungando irritado.

 

-Temos cinco princesinhas inocentes aqui, sabiam? - Questionou Issei, depois parando para olhar para as pequenas que estavam ali. - Er… Wendy, desde quando tem uma irmã gêmea?

 

A azulada olhou para o moreno confusa, até olhar para seu lado, vendo uma garota idêntica a si. A diferença era que a garota ao seu lado tinha uma mecha de cabelo branco. Todos ficaram em silêncio, enquanto a segunda “Wendy” começou a andar, indo na direção de Koorishiro. O albino estava apenas observando ela com assombro. A garota apenas sobe em seu colo, e deita sua cabeça no tórax do dragão.

 

-Fofo… - Murmura ela, dormindo logo em seguida.

 

O dragão, no entanto, estava paralisado na mesma posição, apenas olhando para a pequena que dormia em seu colo. Ele não notou que Azazel estava analisando sua reação com aquela garota em seu colo.

 

-O que houve Koorishiro? - Questionou Azazel. O chamado do anjo caído fez com que o dragão saísse de seu transe. Ele olhou para o anjo caído, e voltou a olhar para a garota, que sorria em seu sono.

 

-Ela… Parece com uma pessoa que foi importante para mim no passado. - Disse o albino, parecendo recuperar a compostura. Nisso, notou que Wendy e a garota eram idênticas. Prestando mais atenção, viu que o cheiro que Wendy emanava era familiar. Era como se de repente, tivesse notado algo que não notou num primeiro momento. - Como ela apareceu aqui?

 

Nisso, todos notam Azazel coçando a nuca, enquanto olhava para o lado, parecendo estar sem jeito. Ele olhou para todos de novo, e respondeu:

 

-Eu acabei clonando a Wendy sem querer… E usei um pouco do sangue do Koorishiro para isso. Acho que ela é uma dragoa dos céus e do gelo e neve. Bem, parece que ela gosta de você. Dê um nome para ela. - Disse Azazel, com um sorriso no rosto. Por um momento, Serafall sentiu que aquilo era um plano do Anjo caído, porém, guardou a opinião para si.

 

-Eu vou dar o nome de Kazehana para ela. - Disse o dragão, fazendo com que Serafall ficasse surpresa. Tannin, que estava vendo tudo quieto, sentado a uma poltrona no canto da sala, não disse nada.

 

Wendy se levantou, e se aproximou da pequena no colo de Koorishiro. Ela examinou a garota bem, pegando a mecha de cabelo branco suavemente.

 

-Ela é como eu… Mas não é ao mesmo tempo - Disse a azulada, perdida em pensamentos. Em sua mente, ela via uma mulher de cabelos azuis, com uma mecha branca, que lhe cabia ao lado do rosto. Os olhos da mulher em sua mente eram cor de chocolate, assim como os seus. Vestia uma roupa de sacerdotisa, e tinha um sorriso gentil no rosto. Ao lado da mulher ela viu alguém, provavelmente um homem, porém não viu quem era, pois, seu devaneio se desfez.

 

Porém, ouviu a mulher dizer algo, num tom de voz baixo e maternal:

 

-Minha filha…

 

Wendy iria cair naquele momento, e Natsu se levantou rapidamente para pegá-la, porém alguém foi mais rápido que ele. Koorishiro tinha colocado Kazehana em sua poltrona, e estava segurando a pequena azulada, que estava de olhos fechados. Nisso os abriu, e olhou para Koorishiro confusa.

 

-Koori-Sensei?

 

-Está tudo bem? Você desmaiou de repente. - Disse o dragão, recolocando-a de pé. Wendy assentiu, com um lento e leve movimento de cabeça.

 

-Eu… Eu acho que vi minha mãe biológica… - Disse ela, fazendo o silêncio reinar na sala. Koorishiro olhou para ela confuso.

 

-Sua mãe biológica não é a Poluchka? - Questionou ele, sem entender. A azulada nega com a cabeça, enquanto começa a explicar.

 

-Eu fui dada para ela quando ainda era um bebê. A mamãe disse que minha mãe de verdade era uma grande dragoa, que teve que dar a vida para me salvar e salvar seu companheiro, meu pai. Ela me disse que o meu pai enlouqueceu após terem matado sua companheira, e então se isolou, pois estava ficando louco. Por isso não pode me criar. - Explicou Wendy, com um sorriso triste.

 

-E você tem raiva de seu pai? - Questionou Azazel, parecendo interessado na conversa. Wendy olhou para ele, e negou com a cabeça.

 

-Eu quero encontrar com meu pai, e tentar trazê-lo de volta a sanidade. - Disse a azulada, com uma fofa determinação. Koorishiro sorriu, e acariciou a cabeça dela, enquanto comentou:

 

-Seu pai deve ser um dragão de sorte. Ter um filhote que se preocupa tanto com ele, mesmo sem o conhecer. - Disse Koorishiro. Wendy sorriu, corada.

 

 

Todos tinham ido para seus respectivos quartos. Kazehana, Rias, Ravel e Ásia tinham ido dormir com Koorishiro, dizendo que o mesmo era pai delas. Embora todos notassem que Kazehana tinha um brilho no olhar diferente para quando falava com ele.

 

No terraço, estava apenas Azazel, fumando um cigarro. Ele soltou uma baforada de fumaça, enquanto deu um suspiro cansado.

 

-O que quer, Serafall-sama? - Questionou ele, pois já havia notado a presença da Maou atrás de si. A morena tinha uma expressão séria em seu rosto. O Tom que o anjo caído usou era um tanto irônico, já que tinha um título equivalente ao dela.

 

-Porque mentiu daquele jeito? - Questionou a morena, furiosa. Azazel se manteve em silêncio.- Porque não falou para ele que aquela era o clone da Kazehana dele, que viveu a quatorze anos atrás?! E o pior, ele acha que a filha está morta, quando na verdade ele estava fazendo carinho na cabeça dela!

 

-Erro… Quem errou primeiro? Eu por trazer elas para perto dele novamente, ou a Poluchka, que sabia de tudo isso, e nunca contou nada a ele?

 

-Como ela ia contar a ele?! Ele saiu do isolamento a uns seis meses atrás! Nem sabemos se a sanidade dele está normal! - Vociferou Serafall, aumentando o tom de voz. Azazel deu outra baforada no cigarro.

 

-Você era uma criança na época, e continua sendo. Você ainda não consegue entender o mundo dos adultos, Serafall. - Disse o anjo caído, que saiu do terraço, voltando a entrar dentro de casa, deixando a demônio no terraço, irritada.

 

-Porque ainda me tratam como criança?

 

 

No dia seguinte, que para a alegria de Issei era um sábado, todos estavam reunidos na mesa para poderem tomar o café. Koorishiro estava dando atenção para Asia, Ravel, a pequena Rias e Kazehana, que parecia estar fascinada com tudo.

 

-Isso tudo é muito gostoso, Koori! - Exclamou a pequena, com um sorriso largo no rosto. Ela também estava com a bochecha suja, pois um pouco da geleia do pão que comia ficou em sua bochecha.

 

-Fico feliz que esteja gostando, Kaze-chan. - Respondeu o dragão, acariciando a cabeça dela com um sorriso no rosto.

 

Nesse momento, Azazel, que era o único que não estava presente na mesa entra no cômodo, sendo que estava acompanhado de duas pessoas. Ambas eram garotas. Elas usavam o uniforme da academia Kuoh. Uma tinha o cabelo azul como o da pequena Wendy, e enquanto a outra era albina. A azulada tinha olhos castanhos, e sorria. Seu corpo era desenvolvido como o de Serafall, e ela precisa envergonhada de estar ali.

 

A albina tinha olhos prateados, é um semblante sério no rosto. Ela encarava Issei intensamente, o que deixava o Sekiryuutei um tanto confuso com isso.

 

-Quem são elas, Azazel? - Questionou Serafall, de maneira fria, ainda descontente com as respostas que obteve do mesmo na noite anterior.

 

-Uma é a minha sobrinha, Yuko. E esta Albina aqui é a Valerie Vali Sparda. A Hakuryuukou. - Ao ouvir isso, Ddraig pareceu se engasgar.

 

-Quer dizer que o Albion está aqui? Bem que senti o cheiro de um dragão podre de longe. - Zombou o dragão galês, sendo que todos ouviram um rosnado, vindo de Valerie.

 

-Cale a boca seu… - O dragão é interrompido por Issei.

 

-Porque estão discutindo?

 

-Os dois são rivais desde que se conhecem por gente. E por algum motivo, que nenhum deles lembra estão sempre tentando se matar. - Explicou Valerie, séria, enquanto Issei prestava a atenção.

 

-Então os portadores têm que lutar até a morte, certo? - Valerie assente. - Nós vamos nos matar então?

 

-Quem sabe… - Respondeu ela, com um sorriso enigmático.

 

-Elas vão morar por aqui, se o dono da casa não se importar. - Disse Azazel, ignorando a conversa que ouve a poucos segundos.

 

-Sem problemas. - Respondeu Issei, sorrindo.

 

Antes que alguém falasse mais alguma coisa, um símbolo mágico surge ao lado de mesa que todos sentavam. Como se fosse um sinal, todos ficaram de pé. Koorishiro olhou para o símbolo e comentou:

 

-O símbolo da família Astharoth? -Todos olharam para ele sem entender bem.

 

Nisso, um garoto, de cabelos negros, olhos fechados e um sorriso no rosto surgiu. Ele usava um sobretudo, enquanto todos ficaram em silêncio. Issei, se levantou e questionou, curioso:

 

-Quem é você, e o que faz em minha casa?

 

O garoto, pareceu se dar conta que surgiu do nada em um lugar que nunca tinha vindo, é que poucos o conheciam.

 

-Peço perdão pela minha falta de educação. Sou Diodora Astharoth. Herdeiro da família Astharoth, assim como Rias é da família Gremory. - Explicou o garoto.

 

-E o que o traz aqui, tão repentinamente, a ponto de não avisar que nos visitaria? - Questionou Koorishiro, ríspido. O dragão nunca gostou dos membros de tal família. Era desconfiado, e neles principalmente.

 

-Vim dar uma notícia importante. Minha família descobriu um documento sobre o qual eu, Wendy Marvell, Asia Argento devemos no casar. - Disse ele, com o papel na mão. Koorishiro e Issei ficam em alerta, enquanto a loira corre para perto de seu “pai”. Wendy apenas segurou a mão de Natsu e a apertou sem que ninguém visse.

 

-Me deixa ver isso aqui. - Disse Issei, depois que havia tomado o documento das mãos de Diodora. Koorishiro surgiu ao lado do Sekiryuutei, enquanto estava com o cenho franzido. - Isso é… Um absurdo!

 

-Quem fez esse documento, garoto? - Questionou o Dragão de gelo, tão frio quanto seu elemento.

 

-Foi logo quando Asia Argento se tornou demônio. Eu devia um favor a ela por ela ter me curado, então minha família decidiu que ela deveria ser leal a nós por isso. Então decidiram que deveríamos nos casar. E no caso de Wendy, a mãe dela, Poluchka concordou com isso, enquanto foi na justiça do submundo e assumiu a guarda de Asia, que é uma menor, dando assim validade ao contrato. - Disse o moreno, ainda com seu sorriso no rosto. De repente, ele olha no relógio, e parcerias surpreso. - Oh… Agora eu preciso ir. Podem ficar com esta cópia autenticada do contrato. Até mais, minhas amadas futuras esposas.

 

O círculo mágico do mesmo se ativa novamente, e ele some do mesmo jeito que surgiu. Issei dá um soco na mesa assustando a todos.

 

-Isso não pode ser verdade… EU NÃO VOU PERMITIR QUE MINHAS IRMÃS SEJAM FORÇADAS A ISSO! - Esbravejou o moreno furioso. Koorishiro se senta na cadeira. De repente todos sentem o local ficando mais frio. Quando olham para ele, sentem que o nível de magia do mesmo aumentou em mais de 10 por cento.

 

-Vamos ver… Se ele vai conseguir cumprir esse contrato. Para fazer isso… Ele vai precisar passar por cima do meu cadáver. - Todos sentiram calafrios com o tom de voz do dragão. - Ninguém mexe com minhas filhas.

 

Asia e Wendy sorriram, sendo que a azulada estranhou o motivo dele a incluir como filha. Ela relevou isso. Sabia que logo estariam no campo de batalha novamente.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...