História O Imperfeito pode virar perfeito - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Vampire Diaries
Personagens Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Enzo, Giuseppe Salvatore, Hope Mikaelson, Jeremy Gilbert, Klaus Mikaelson, Lilian "Lily" Salvatore, Matt Donovan, Stefan Salvatore
Tags Delena, Klaroline
Visualizações 82
Palavras 1.025
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu tenho certeza que vocês já sabem o que vai rolar no capítulo de hoje...
Esse capítulo foi voltado pra minha bad.
Quem é das antigas e lembra da novela " A vida da gente"? Eu a adorava. Embora eu shipasse a Ana com o pai da filha dela, mais o doutor era um gato. Não gostei da irmã dela com o Rodrigo( pai da filha dela).

Capítulo 14 - Conversas


- Infelizmente ele não é. - Dr. Karev falou entregando um envelope a Elena.- Dúvidas podem ser tiradas.- Susurrou no ouvido de Elena e saiu.

- O que é isso?- Stefan perguntou. 

- Aquele nosso assunto.- Elena suspirou falando.

- Você quer saber?- Stefan perguntou alisando os cabelos da morena.

- Gente eu tô boiando aqui.- Damon se fez presente, risonho. Mais logo ficou sério.- Elena precisamos conversar. 

- Me dá só uns minutos.- Ele assentiu.

- Certo eu vou tomar um café aqui na lanchonete do hospital viu? Te espero lá. - Falou saindo.

- E então?- Stefan perguntou assim que sentaram.

- Estou com medo amor, eu tô com muito medo.- Elena começou a chorar e ele a abraçou. 

- Hey! Antes de tudo somos amigos, viu?- Ela respirou fundo.

- Tudo bem. Abre?- Ele pegou o envelope e abriu, enquanto Elena respirava fundo diversas vezes, se acalmando e limpando algumas lágrimas. 

- E então,  posso dizer?- Ela confirmou.- Eu sempre amarei ela.- Ele sorriu amarelo e Elena começou a chorar novamente. - Ele é o pai.

- Por que nada mudou até agora? - Ela foi pro colo dele, se encolhendo com a cabeça no peito do mesmo e ele a abraçou, mas ela continuou chorando. 

- Talvez nunca mude. As coisas são assim nunca acontece o que queremos. - Lições, coisas que nos ensinam, nunca aprendemos todas, infelizmente. - E eu sei que no fundo você sabia que era ele.- Completou, deixando um beijo em uma das bochechas avermelhadas de Elena.- Mas saíba que eu sempre estarei aqui.

- Eu sei.- A morena já estava mais calma. - Bom, eu tenho que ir vê o Damon. - Levantou.- Ei! Você sabe que sempre será o pai dela né?

- Ele merece saber, Lena.- Sorriu amarelo.

Logo Elena foi a tal lanchonete, no caminho ela chorou, respirou e respirou, bebeu um copo de água em um filtro que limpava a água da torneira e a deixava gelada, logo se acalmou por completo jogando o copo no lixeiro que tinha perto, segundos depois chegou a lanchonete. 

Pediu um café e com o olhar procurou Damon, o achando em uma mesa perto de outra com duas senhoras, olhando algo no celular.

- Posso sentar?

- Deve.- Damon falou a encarando.

- O que você queria conversar?- Ele bloqueou o celular colocando na mesa.

- Porque você pediu pra mim doar sangue sendo que eu não tenho nada a vê com sua família?- Damon perguntou. 

- Porque existia chances de você ser o pai dela.- Ela falou olhando um ponto fixo. 

- Katherine é minha filha Elena?- Ele perguntou incrédulo e ela confirmou balançando a cabeça.- Meu Deus.- Levou a mão a boca.- Por isso eu não parava de pensar nela. Algo me dizia. Por que não me contou?

- Damon eu não sabia quem era o pai, Stefan me acolheu como, acho, que ninguém faria. Ele é tanto quanto você pai dela!- Damon revirou os olhos com a última frase.

- Porra Elena eu merecia saber.- Remexeu nos cabelos assustado.- E o negócio do sangue?

- Estamos procurando...- Elena respondeu cabisbaixa. 

- Vou pedir pra minha família vir aqui,  quem sabe alguém não é compatível. 

- Obrigada.- Elena susurrou E Damon sorriu de lado sem resposta. 

- Bem, acho que foi muita notícia pra um dia só. - Engoliu em seco.- Eu preciso pensar. - Falou pegando o celular e saindo,  tinha pagado o lanche no caixa. 

Ele pagou o estacionamento e foi a praia, ele gostava de pensar lá,  sentou-se bem perto da água. Quando olhou o celular tinha 2 chamadas perdidas de Rebekah, resolveu retornar.

- Oi?- O moreno falou logo que a loira atendeu.

- Sua secretária falou que você não tinha ido hoje,  estava com medo de ser o negócio do seu pai.

- Bekah aconteceu umas coisas que depois eu vou te contar. Mais por cima, eu descobri que sou o pai da Katherine, filha da Elena. Ela tá precisando de sangue leva a Mãe lá e procura a Elena ou o mauricinho, vejam se são  compatível, por favor. 

- Damon...- Ele a cortou.

- Rebekah! Eu descobri que tenho uma filha e ela está morrendo. Vai logo!

- Tudo bem. Tchau.- Ele desligou e desligou o celular.

No final do dia foi comprovado que Rebekah poderia doar, o que deixou Elena feliz. As visitas para a pequena foram liberadas por volta das 6 e meia da noite. A pequena ainda estava no soro.

Damon bebeu até as sete e quareta da noite, como ele não tinha percebido sobre Kate? Porque Elena não falou nada? Ele pensava. Chegou a pegar duas loiras, mais não foi além de beijos.

O moreno chegou em casa, tomou um banho e foi no quarto do filho que estava dormindo. Pouco tempo depois assim que foi pra cama dormiu. Ele não tinha conversando com ninguém sobre o estado de Kate, embora estivesse com uma confiança enorme de que ela estava bem.

Quando Damon chegou em casa só estava a senhora que cuidava de Theodore dormindo na cama ao lado do berço do filho. Quando dormiu acordou- Mas continuou com os olhos fechados.- com a Mãe falando que o amava, não era pra ser surpresa, mais lembrou de um dia quando era menor e a mais velha fez o mesmo,  mais ele ainda estava chateado com ela, foi no tempo em que se tornou amigo de Elena.

Stefan estava atormentado com Rebekah ali, ela era seu primeiro amor. Ele só descobriu a "paixonite" dela quando ela estava namorando, ele começou a ficar com ela mais nunca a pediu em namoro, o que a magoou muito.

 Ele acabou descobrindo que estava apaixonado por ela mas ia fazer faculdade fora e ela quando o viu no hospital soube que nada tinha acabado. Quando Elena estava indo ao banheiro viu os dois entrando no banheiro masculino,  riu. Era como o loiro havia falado, acima de tudo eram amigos.

Logo depois a morena foi vê a pequena, já haviam a tirado do soro, mais uma enfermeira que entrou para retirar e estava saindo quando Elena chegou falou que a pequena de olhos azuis ainda estava sedada, Elena apenas confirmou. 

Ela deixou um beijo na testinha da pequena Katherine, e sentou no sofá do quarto. Acabou dormindo segundos depois.


Notas Finais


Sorry os erros.
Espero sinceramente que tenham gostado.
Bjs
------------------------------------------------------------
Vcs querem fic de Fac amoroso? Kkkkk
Não é bem fanfic é tipo perguntas que vocês fazem ou eu faço/ vocês me mandam no pvd e eu faço ai quem quiser responde algo, vocês querem?
É pq meio que assim....
O que vocês fariam se achassem que um garoto gosta de você mais as pessoas a sua volta dizem que não?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...