História O impostor - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Androide Nº 18, Bra, Bulma, Goten, Kuririn, Marron, Mestre Kame, Pan, Trunks, Vegeta
Tags Drama, Mirai Trunks, Pan, Romance, Trunks
Exibições 67
Palavras 1.904
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olaaaaa
Depois de séculos, voltei
Espero que não tenham desistido da fic...
Pretendo termina-lá até o fim do ano, por isso posso garantir que não demorarei como desta vez rs
Pra quem não desistiu, desejo boa leitura

Capítulo 15 - Desmascarado


Fanfic / Fanfiction O impostor - Capítulo 15 - Desmascarado


- Do que você está falando... pai?- 
Fitei o ser a minha frente trêmulo.
Como ele soube? Como poderia? Só pode estar me testando...
Vi Vegeta descolar as costas da parede e vir até mim a passos lentos.
Seu rosto sério, tinha algo a mais, algo como desaprovação. 
- Eu sei que você não é o Trunks. Também não consigo entender quem é você ou porque se parece tanto com o meu filho.- franzi o cenho irritado.
Como ele não sabia quem eu sou? 
- Você está brincando né??? Como não sabe quem sou?- 
Ele sorriu de canto.
- Então eu estava certo é?- não acredito que me entreguei dessa maneira. Não adiantava nem negar mais.
- Como soube?
- É mais fácil perguntar como não saber? Os outros são distraídos demais pra ver o que está óbvio na cara deles. Eu sabia que não poderia ser meu filho Trunks, então contratei um detetive e ele descobriu o Mirai.- realmente Vegeta era muito observador.
Estava sempre calado em seu canto, apenas observado.
- Agora me diga, aonde está o Trunks? E quem é você?- respirei fundo, derrotado.
- Ele está bem. Está na minha casa. Sofreu uma acidente e eu troquei de lugar com ele para conhecer meus pais verdadeiros.- 
Desta vez Vegeta arregalou os olhos surpreso. Tal atitude me deixou de olhos arregalados também. 
Como ele não sabe quem sou? Não sabe que eu e Trunks somos gêmeos? Será que Yamcha estava certo e não éramos filho dele, e de alguma forma estranha, se livraram de mim?
Minha cabeça ardia, mas Vegeta continuava ali, me fitando sério.
- Do que está falando jovem? Trunks nunca teve um irmão gêmeo.
- Como sabe? 
- Eu sou o pai!!!! Se tivesse eu saberia.
- Tem certeza que você é o pai?!- ele me olhou profundamente irritado desta vez.
- Escuta aqui, não ofenda a Bulma. Também não fale o que não sabe!!!!!
- Isso você está certo. Não sei de nada mesmo. Tudo que sei foi que vi a foto do Trunks em um jornal e deduzi ser meu irmão pois nascemos no mesmo dia, vim pra cá querendo conhecer meus pais e saber o porque me abandonaram. Mas tudo que descobri foi que vocês não tem a mínima ideia da minha existência.- 
Vegeta assim como eu não estava entendendo nada. 
Contei como Kame me encontrou e ele ouviu tudo atentamente.
- Estranho.... o lugar que você descreveu fica a algumas quadras da maternidade onde Bulma estava. Mas Bulma não disse nada sobre ter gêmeos.
- Ela poderia ter escondido de você..- sugeri ainda desconfiado a paternidade.
- Tenho certeza que ela não sabe de nada disso.
- Ela é mãe, como não saberia quando o medico tirou os bebês?
- Talvez você esteja enganado e é apenas muito parecido com o Trunks.- franzi o cenho com um sorriso debochado.
- Mesma cara, mesma idade e até o mesmo tipo sanguíneo. Fala sério, se não somos irmãos, um de nós foi clonado.
- Essa história está muito confusa.
- Talvez tenha uma pessoa que possa me responder essa pergunta.- Yamcha com certeza sabe da verdade.
- Quem?
- Prefiro checar com ele antes. Agora vou dormir..- me virei para ir em direção ao quarto até ele me interromper de novo.
- Ei, Mirai. 
- Não me chame assim...
- Esta bem.... Trunks, não está dormindo com a mulher do seu irmão, está?-
Minha respiração ficou suspensa numa tentativa de não demonstrar nervosismo.
Era melhor não assumir que dormi com a Pan, não agora que estou perto de descobrir tudo.
Me virei para ele com a cara mais seria que consegui pra responde:
- Não.-
Vegeta continuou com sua cara carrancuda difícil de decifrar.
Decidi sair logo dali antes que revelasse mais alguma coisa que não podia.
Entrei finalmente no quarto e vi Pan deitada, dormindo tranquilamente. Seu corpo estava parcialmente coberto pelo fino lençol de seda e seus cabelos espalhadas pela cama.
Tirei a camisa e vesti uma calça de moletom, depois me deitei ao seu lado sem fazer barulho. Porém assim que sentiu minha presença, a mesma se virou e se aconchegou em meus braços.
- Trunks...- me chamou com uma voz cheia de sono.
- Sim..
- Você demorou.
- Estava resolvendo algumas coisas.
- Hum...- resmungou. Pensei que tivesse dormido mas novamente aquela vozinha voltou.
- Eu te amo.-
Suspirei fundo. Estava encrencado, principalmente com a morena. Um dia ela vai saber que não era o Trunks, vai me odiar para sempre.
Logo agora, agora que estou me apaixonando pela primeira vez na vida... tem que ser pela minha cunhada? 
-  Eu também Pan.- respondi porém ela não ouviu pois já ressonava tranquilamente.
Afaguei seus cabelos sentindo o perfume que ele emanava. Sabe se lá quanto tempo ainda tenho ao seu lado.
Não poderia me aproveitar, mas não resisto e acabei me entregando ao seus encantos.
Não era pra me apaixonar, não devia ser assim.
Porém já é tarde demais, e embora eu queira viver como Trunks pro resto da minha vida, não poderia.
O melhor era acabar logo com aquilo. Procurar Yamcha e saber exatamente o que preciso.

***

Estava me sentindo culpado pelo beijo que dei em Marron. Na verdade não estava culpado apenas pelo beijo e sim por não conseguir tirá-la da minha mente.
Seu sorriso doce, seus olhos azuis, seu perfume. Céus, aquela pancada na cabeça deve ter me causado sequelas.
Já era tarde da noite e não conseguia dormir.
Virava de um lado para o outra na cama e o sono ao vinha.
Por fim decidi ir a cozinha beber um copo de leite.
Caminhei pelo corredor escuro e ouvi vozes, pelo visto Marron decidiu não ir para casa. Às vezes ela passava a noite aqui, quando ficava tarde demais pra voltar.
Ouvi sua doce voz conversando com Kame e me senti constrangido em aparecer. Estava envergonhado pelo episódio ocorrido, por isso decidi voltar para o meu quarto.
Porém quando me virei pra retornar pelo mesmo caminho, ouvi que falavam sobre Mirai.
- O senhor acha que ele esta bem? Não tem ligado....
- Mirai não está bem. Desde quando raiva, ódio e vingança trazem benefícios a alguém?-
Vingança? Do que eles estão falando?
Fiquei parado no corredor e continuei a ouvir o que diziam.
- Eu pensava que quando conhecesse os pais, ele acabaria esquecendo essa história de vingança. 
- Você sabe como o Mirai é, Marron. Determinado, não desisti assim tão fácil.
- Mas o sangue poderia falar mais alto. Quem sabe pudessem reparar a falta que fizeram a ele? Seria perfeito.
- Sim, mas este não é o Mirai que eu conheço. Ele vai fazer tudo que puder pra descarregar toda irá em cima dos Briefs.-
O que? Então foi por isso que ele fez essa loucura? 
E esses dois ainda mentiram pra mim dizendo que Mirai só queria conhecer nossos pais.
Como podem ser conivente com isso? 
Pensei estar ajudando meu irmão, mas estou causando a destruição da minha família.
Voltei para meu quarto assim que mudaram de assunto.
Agora mesmo que não estava disposto a dormir. Precisava voltar imediatamente.
A noite se passou e eu não preguei meus olhos.
No outro dia bem cedo, Marron surgiu como todos os outros dias. 
- Bom dia. Trouxe seu café da manhã, espero que goste de... Trunks... você está bem?- perguntou quando viu minha cara.
Estava furioso com ela, com Kame e com aquele Mirai.
Me esqueci completamente do que estava sentindo pela loira depois que descobri o que escondeu de mim.
- Trunks, que malas são aquelas?- perguntou ao ver no canto do quarto minha mala com as poucas coisas que Mirai deixou para trás e que era realmente minhas.
Desta vez eu a fitei profundamente. Ela ficou receosa, mas não desviou o olhar.
- Você mentiu pra mim...
- O que? Do que está falando?
- Não se faça de inocente Marron, agora sei que você não é nada do que demonstra. Você e aquele velho, Kame, mentiram pra mim. Disse tem que Mirai queria conhecer nossos pais, mas ele quer acabar com a minha família.-
Dessa vez arregalou os olhos engolindo a seco.
Pensei que negaria, porém veio até mim e sentou ao meu lado na cama.
- Me desculpe..
- Como posso te desculpar se compactuou com uma tentativa contra a minha família? Você permitiu que ele fosse lá pra ferrar com pessoas inocentes.
- Eu só queria proteger o Mirai.- a fitei de um jeito que nunca tinha feito.
Sentia um pouco de inveja por Mirai ter pessoas que se arriscavam por ele daquela maneira, porém ao mesmo tempo senti raiva por ele não dar valor a elas.
- Sorte a dele... e pior pra mim. Estou voltando pra casa agora.- disse me levantando.
- Espera, Trunks, não o prejudique. Sei que ele não vai ter coragem de fazer nada contra sua família.
- Eu não tenho essa certeza. Agora que sei que suas intenções são ruins, não vou ficar aqui mais nenhum minuto.
- Não posso deixar que faça isso.
- Você se lembra do que me prometeu?? Disse que quando eu estivesse bom, você mesma me levaria. Pois bem, eu estou bom. Agora só me resta saber se além de mentirosa, você também não tem palavra.-
Ela ficou me encarando por alguns segundo. Depois com um semblante tristonho, concordou.
- Está bem. Vou ajudá-lo a seguir viagem.- respondeu deixando a medicação e saindo do quarto.


***


Assim que o dia raiara fui atras do homem que sem dúvida tinha a respostas pra minha pergunta.
Pelo seu jeito sínico e misterioso, sabia que não me daria tudo de graça. Por isso resolvi fazer as coisas por eliminatória. 
Primeiro preciso saber se ele realmente pode ser meu pai, e pra isso preciso de um exame.
A princípio Yamcha se negou alegando que tinha certeza que era meu pai. Porém, depois de tanta insistência o mesmo topou ir até uma clínica comigo.
Tiramos sangue e mandamos para o laboratório, que levaria alguns dias para examina-lo.
Seguimos após o laboratório, até um restaurante onde almoçamos.
Vegeta não era dos mais simpáticos, porém Yamcha conseguia ser mais desagradável que ele. Pensando por esse lado, sou muito parecido com Vegeta, sempre quieto em seu canto e até um pouco carrancudo. Já Trunks parecia ser gentil e inteligente como Bulma.
Insisti que me contasse o que aconteceu e o porque ninguém na casa sabia sobre mim. Porém ele se negou a contar até que os exames chegassem e afirmassem o que ele tinha certeza. 
Disse que tudo que eu precisava saber era que ele fez tudo porque me amava.
Era confuso. Me separar da minha família por amor? No entanto não o respondi.
Logo tudo se resolveria.
Depois de passar o dia todo em sua companhia, voltei para casa.
Abri a porta e passei pela sala, só então notei que toda família estava reunida e assim que entrei me fitaram surpresos.
- Trunks?- Bulma me chamou em forma de pergunta, coisa que não entendi.
- Sim mãe... aconteceu alguma coisa?
- Sim!! Acabou, Mirai. Eles já sabem de toda verdade.-
Olhei para um canto da sala e logo vi dois pares de olhos azuis me fitarem. Sendo que um deles estava raivoso.
Mal podia acreditar que Marron foi capaz de me trair e trazer Trunks para casa.
Logo agora... isso só pode ser um pesadelo.
 


Notas Finais


Até o próximo ^^
Bjis


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...