História O Início De Um Legado - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Resident Evil
Personagens Albert Wesker, Barry Burton, Chris Redfield, Claire Redfield, Jill Valentine, Kevin Ryman, Ozwell E. Spencer, Personagens Originais, Rebecca Chambers
Tags Ação, Chris Redfield, Drama, Jill Valentine, Raccon City, Resident Evil, Romance, Stars, Valenfield
Exibições 58
Palavras 2.109
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Canibalismo, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


O início de novas tretas e confusão!!

Capítulo 9 - Relação em risco


Fanfic / Fanfiction O Início De Um Legado - Capítulo 9 - Relação em risco

Caminhando pelo corredor, lado a lado, Chris tenta uma aproximação:

--- Sobre ontem...  – Antes que pudesse concluir seu pensamento, Jill o interrompeu.

--- Não aconteceu NADA!!! – Ela diz séria, olhando para o chão.

Chris fica inconformado com a frieza dela. A mulher ao seu lado nesta manhã não se parecia em nada com a mulher fogosa e atrevida que estava em seus braços ontem à noite. Agora, a barreira que ela colocava entre eles era maior e mais intransponível do que a anterior.

--- Você vai ignorar tudo o que rolou ontem? – Ele insiste.

No fundo, ela sabia que a química entre eles era incontestável, a atração mútua não era algo que pudesse ser ignorado da noite para o dia. Mas, ela não queria se envolver com ninguém naquele momento, muito menos com alguém do seu trabalho, da sua equipe, ou para piorar, com seu parceiro.

As aspirações profissionais da mulher era seu único foco. Nada e nem ninguém seria capaz de mudar isso. E mesmo que sentisse algo mais forte por aquele homem, ela teria que ignorar seus sentimentos junto dos acontecimentos da noite passada.

Jill, finalmente, cria coragem e olha para Chris. Naquele momento ela teria de ser clara com ele:

--- Foi um erro! Não deveríamos ter deixado as coisas chegarem naquele ponto... – Ela fica sem saber o que dizer para concluir seus pensamentos.

Na verdade, era difícil dizer algo contradizendo seus próprios sentimentos. Jill não queria que ele percebesse o que ela realmente estava sentido. Por mais que estivesse confusa, nos últimos dias, ela estava gostando da companhia dele, estava gostando do cheiro dele e daquele sorriso mais do que deveria. E depois daquele beijo, era difícil controlar a vontade louca de se jogar nos braços fortes dele.

Chris recuou um pouco. Aquela palavra ficou ecoando em sua mente: “ERRO”.

Por mais que repetisse para si mesmo que Jill era apenas mais uma mulher bonita no RPD, e o mundo estivesse cheio de mulheres bonitas facilitando as coisas para ele, sentiu seu coração partido com as palavras dela. Erro seria negar o que um sentia pelo outro. E pelo que parecia, era mais do que apenas uma atração física. Depois de sentir os beijos e as carícias dela, Chris sabia que o coração dele nunca bateu tão forte por alguém como batia por ela.

No início, tudo não passava de mais uma paquera, entretanto, com a convivência Chris passou a admirar aquela mulher centrada, corajosa, levemente tímida, extremamente profissional, e com isso um sentimento muito maior foi brotando dentro do seu peito.

Chris encarou Jill, e respondeu com sinceridade:

--- Erro é tentar fugir disso, como você está fazendo agora! – Ele a encara.

Jill, ainda sem jeito com a reação dele, tenta terminar com a conversa:

--- Eu não estou fugindo! Vamos esquecer isso, está bem? Não quero que atrapalhe nosso trabalho! – ela diz calma.

Chris revira os olhos. Percebe que Jill jamais assumiria que também havia gostado do que acontecera. Ela era durona, e não daria o braço a torcer para ele. Talvez por medo de se machucar, por medo da relação dos dois afetar o desempenho no trabalho ou porque simplesmente adorava, mesmo que involuntariamente, contrariá-lo.

--- Tudo bem. Vamos esquecer esse “erro”! – Ele diz sarcástico.

Jill sorri aliviada. Pelo menos ele não insistiria mais nessa história, assim, poderiam retomar a relação de parceria. Era o que ela pensava.

Eles seguem pelo corredor até o escritório dos STARS, onde todos estavam sentados em suas mesas, analisando os depoimentos do último caso. Seria um dia longo, cheio de papéis para ler e relatórios para preencher.

Durante o trabalho, Chris observava Jill sentada em sua mesa digitando concentrada. Enquanto olhava para a morena, sorria feito um bobo lembrando da noite passada. Era impossível esquecer, na verdade, ele nem queria esquecer. E não o faria.

*Se a Valentine faz tanta questão de esquecer o que rolou, eu faço questão de lembrá-la a cada segundo. Vou provocá-la tanto, até ela acabar cedendo e admitindo que gostou... e que quer mais! * Chris estava pensativo, até ser cutucado por Joseph.

--- Tá com esse olhar de bobo... de novo! – Joseph sussurra para o amigo

Chris ri da piadinha. Os rapazes dos STARS já estavam percebendo que Chris não tirava os olhos de sua parceira. Todos notavam a aproximação dos dois nos últimos dias. Jill era tão séria que ninguém se atrevia a brincar sobre o fato dela e Chris estarem se tornando muito íntimos.

Forest se aproxima de Joseph e Chris e convida:

--- Vamos comemorar meu aniversário! Amanhã na Boate da Rua Folsolm! – Ele diz animado.

--- Vamos nos divertir, galera!! – Joseph diz empolgado, batendo nos ombros dos amigos.

--- Pensei que iríamos encher a cara no J’s Bar... – Chris argumenta.

--- Qual é Redfield? Hoje vamos no J’s depois do trabalho, e amanhã vamos na boate! Lá só tem gatinha... Vamos nos entreter com uns rabos de saia! – Forest explica.

Chris sorri e em sua mente se forma o plano perfeito para provocar Jill.

--- Um Redfield nunca fica fora da diversão! – Chris afirma, dando um sorriso malicioso.

Do outro lado da sala, Jill repara nos meninos conversando. Eles parecem animados com algum assunto. Logo, ela desvia o olhar ao notar que Chris a observava discretamente.

Após o trabalho, e como de costume, Chris, Brad, Joseph, Forest e Jill seguem para o J’s Bar.

 

*

 

 Por ser sexta-feira, o lugar estava lotado, muitos policiais e civis circulavam pelo bar. Normalmente, nos finais de semana, Jack (o dono do bar) contrata alguns músicos para tocar ao vivo. Hoje, havia um trio tocando blues e rock.

 Forest encontra uma mesa disponível no meio do bar e todos se sentam. Assim que avista os rapazes dos STARS, Cindy corre para a mesa a fim de atendê-los.

--- Boa noite, pessoal! O que vão querer hoje? – Ela pergunta sorridente.

--- O de sempre! – Forest afirma.

 Antes de Cindy se retirar, Chris segura a mão dela, chamando sua atenção:

--- Hoje, eu vou querer uma coisa diferente! – Ele sorri para ela.

Todos na mesa se espantam com a atitude dele. Brad que estava segurando o menu na frente de seu rosto, abaixa o cardápio, deixando apenas os olhos à vista para ver o que aconteceria.

Cindy se derrete toda quando Chris segurou sua mão. Ela estava tão espantada quanto as pessoas sentadas na mesa com ele. A garçonete aguardava o rapaz fazer seu pedido.

--- Vou querer uma dança com a garçonete mais linda e simpática desse bar! – Ele pisca para ela.

A garota loira, agora estava quase transparente pelo pedido daquele homem. Brad derruba o cardápio na mesa. Joseph e Forest ficam de boca aberta com aquilo. Jill fuzila Chris com o olhar. Ela detestava o jeito pretensioso e autoconfiante dele em relação às mulheres.

--- Eu adoraria, mas estou no meu horário de trabalho, Chris! – Ela diz desanimada.

--- Jack não vai se incomodar de ficar sem uma de suas garçonetes por poucos minutos! – Ele insiste.

Cindy sorri envergonhada pela situação.

--- Vou trazer os chopps de vocês! Depois resolvemos sobre a dança... – Ela conclui, deixando a mesa com um sorriso largo no rosto.

Chris sorri e olhando para os amigos, questiona:

--- O que foi? – Ele observava a cara de espanto e surpresa dos colegas.

Discretamente ele olha para Jill, que tentava disfarçar a raiva que estava sentindo dele naquele momento.

*Como ele pode ser tão canalha? Na noite passada me beija, me acaricia, e se não fosse por eu ter cortado o contato, teríamos ido pra cama. E agora, ele fica flertando e seduzindo a Cindy!!! Bem na minha cara!!! IDIOTA!!!! * Jill pensa enquanto olha o cardápio.

--- Redfield garanhão atacando novamente!! Pensei que tivesse sossegado! – Joseph comenta mas logo leva um chute no pé por debaixo da mesa. Era Chris, pedindo descrição ao amigo.

--- Vamos ao banheiro comigo, Chris! – Forest pede.

--- Ir ao banheiro junto costuma ser coisa de mulher... – Brad brinca

Enquanto se levanta e sai da mesa, Forest dá um tapa na cabeça de Brad pela brincadeira que tinha feito. Chris o acompanha em silêncio.

 

(No banheiro)

 

--- O que foi aquilo? – Forest questiona preocupado.

Chris sorri de um jeito malandro e responde:

--- Só convidei a moça pra dançar!

Forest passa a mão pelos cabelos. Ele parecia não acreditar no que Chris estava fazendo. Ambos se conheciam bem antes de entrarem nos STARS. Eram amigos próximos e ele sabia que o rapaz estava querendo uma chance com Jill.

--- Tudo bem paquerar a Cindy. Ela é bonita. Mas não na frente da Jill!! Qual é? – Forest estava inconformado pela atitude do amigo.

--- Você viu só a cara da Valentine?!! Ela estava espumando de raiva! – Chris conta se divertindo com a situação.

Forest fica confuso, não estava entendendo onde o amigo queria chegar com aquilo. Chris parecia feliz, ele não parava de rir.

--- Não estou entendendo nada, brother! Só te aviso para ter mais cautela, ou vai acabar ficando sozinho, sem nenhuma das duas gatinhas! – Forest conclui.

Chris já estava colocando seu plano em prática. Era um plano audacioso, mas ele correria o risco. Se Jill não admitisse por bem que também gostava dele, ele a faria admitir de outra forma!

*Talvez Jill precise de um empurrãozinho... Ela vai parar de ser tão fria e racional.* Chris pensava consigo enquanto voltava para a mesa.

 

*

 

Quando retornaram, as bebidas já estavam na mesa. Eles brindaram ao aniversário de Forest!!!

--- Quero todos vocês na boate amanhã!! – Forest intima os amigos.

--- Conta comigo! – Joseph avisa.

--- Estou dentro! – Brad afirma.

--- Eu também... – Chris acrescenta.

Jill fica um tempo em silêncio pensando se iria.

--- E você, Jill? Diga que vai com a gente!! O Richard vai levar a namorada dele. – Forest tenta convencê-la.

Ela não deixaria de ir em uma festa por causa de Chris. Ele não tinha tanta influência assim sobre ela.

--- Eu vou! – Ela confirma sua presença.

Chris dá um sorriso torto, aquele que o torna um cara tão charmoso ao sorrir. Eles brindam novamente e tomam um gole da bebida.

Depois de um tempo conversando e bebendo, Jill sai para ir ao banheiro.

Assim que ela deixa a mesa, Cindy se aproxima dos rapazes. Joseph, vendo a garçonete se aproximar, brinca:

--- Loirinha bonita se aproximando!!

Os meninos olham para Cindy. Ela abaixa-se perto de Chris e fala algo em seu ouvido. Chris vai se levantando da mesa, mas antes, faz outro convite para a loira:

--- Amanhã você gostaria de ir com a gente na Boate comemorar o aniversário do Forest?

Ela fica animada e comenta:

--- Claro, por sorte é meu dia de folga! – Ela sorri para os meninos da mesa.

Forest sorri sem jeito. Ele não acreditava no que Chris estava fazendo. A mulher que ele dizia estar gostando estaria na boate, mas ele convida outra para a mesma festa.

A música (I don’t know but I gotta go) que Cindy havia pedido para a banda começou a tocar. Jack havia liberado a moça para uma dança rápida com o amigo.

--- Vamos?! – Cindy puxa Chris pelo braço para mais perto da banda, onde poucos casais já dançavam.

 Brad e Joseph se entreolham não entendendo o porquê Chris estava agindo daquela forma. Ele era tão discreto em relação às mulheres que paquerava. O mais estranho é que nunca paquerou Cindy, eles eram apenas amigos, embora todos notassem a queda que a loira tinha pelo rapaz.

Eles começaram a dançar, Chris colocou uma mão no meio das costas da mulher e a outra segurava a mão delicada de Cindy.

Nesse instante, Jill sai do banheiro e ao olhar para a mesa, nota a ausência de Redfield.

--- Ferrou!! – Forest diz em voz alta na mesa, vendo Jill sair do banheiro.

 Enquanto vai caminhando para a mesa, Jill vai procurando Chris pelo bar, e quando o encontra dançando com Cindy, ela paralisa, olhando assustada aquela cena. Ela sentia seu sangue fervendo de raiva circular por todo seu corpo. Ela não queria acreditar no que seus olhos viam.

*Cachorro! * Ela pensa.

Essa fúria dentro dela era incontrolável, ela não queria sentir o aperto no coração que estava sentindo. Ela não queria ver aquela dança acabar em um beijo entre os dois. Ela não suportaria. Não suportaria ver outra boca beijando ele.

Jill se odiava por sentir o que sentia: Ciúmes!


Notas Finais


Será que a Jill vai desistir de ir para a boate?
E o clima entre Chris e Cindy?

No próximo capítulo vocês serão surpreendidos...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...