História O Inicio do Desespero - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~Fuzurin

Postado
Categorias Originais
Tags Ação
Exibições 1
Palavras 11.005
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Super Power, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Drogas, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - A Guerra do Outro Mundo


A Guerra do Outro Mundo

 

                Takashi olhando para sua coleção de vasos lembrou que seu padrasto lhe daria um vaso de platina se ele tira-se nota máxima alguma vez na vida, também o cara é dono da empresa de metalúrgica, com empolgação pra estudar, pegou o livro, abriu na matéria de matemática, olhou e olhou fechou e voltou a observa os vasos pensando, “ o que eu faço?” a prova é daqui uma semana, já sei a minha mãe é ótima em física e matemática no exercito ela foi obrigada a saber, Takashi desceu para falar com a mãe que estava se preparando para ir ao trabalho. –mãe me ensina como faz matemática?- uma resposta imediata de sua mãe. –eu não, você é burro o suficiente pra não entender, e você não vai nem passar de ano mesmo, talvez ano que vem, ok?- Takashi simplesmente concordou e ficou quieto, Raissa saiu para o trabalho a noite, e Takashi foi dormi, chegou em sua cama e começou a chorar, nem sua própria mãe acreditava nele, adormeceu com o tempo e foi a escola no dia seguinte.

                Acordando no dia seguinte minha mãe chegou do trabalho. –ok filho vou te levar pra escola se arrume. – arrumou-se e foi para escola com a sua mãe bem atrás parecendo uma stalker, porque depois daquele incidente ela faz isso desde sempre, até trocou o horário de trabalho, cheguei à escola, neste momento minha mãe voltou para casa e dormiu. Fui à sala de aula, para saber sobre a situação da prova. [professor] – Ei alunos a prova será adiada mais 5 dias porque está previsto uma tempestade no dia da nossa prova, mas para não ficar injusto tiramos 5 questões da prova, não vá adiantar muito para um certo alguém. –todos olham para mim com aquela cara de risadas, e vozes ecoavam vindo deles, “ah tadinho não vai passar, como esperado do loser”, “o que? De novo? Haha ele gosta tanto assim da escola, que babaca”,  “como esperado, é ruim nas notas, e nem tem amigos”. Todos pensavam que essas falas me machucavam, mas era mentira nem me incomodava ele nunca se importou com estranhos,  Takashi só confia em sua família, normalmente Takashi mata aulas de matemática, física, geografia... Mas só não mata aula de história e química, ele gosta de saber a história de como o vaso foi criado e sabe as funções dos vasos, então sempre se deu bem nessas matérias, mas sempre tirou nota razoável graças ao seu trauma, que não tenho ideia de como adquiri, agora eu vou ficar lendo um livro até a o horário de escola acabar.

                20 dias faltando para a prova, e Takashi deprimente, desistiu , saiu de casa para comprar um sorvete na loja ao lado. Quando olhou para o céu tinha algo que estava emitindo uma luz rosa, brilhante, elegante, parecia o vaso lendário. Todos(mundo) pararam de fazer algo para ver aquela luz linda, mesmo com tanto luminosidade, não ardia os olhos, durou a cerca de 20 minutos, e de repente explodio liberando uma onda branca e estranha que deu dor de cabeça em todos, apagando a luz do mundo inteiro, o governo recebeu mensagens de engenheiros que os avisaram que era uma grande luz de emissor PEM (um tipo de armamento que desabilita maquinas), o governo do mundo inteiro mandou o pessoas (exercito e entre outros), para acalmar as pessoas dizendo que era uma bomba que desabilitava maquinas, que foi um erro de alguma agencia espacial, demorou dois dias para acalmar a população, mandaram vários militares paras ruas para que não houvesse nenhum tipo de atrocidade, mas as coisas não foram tão boas assim. Um agente do governo trouxe um recém-treinado de sua agência que foi visitar a família, ele voltou tremendo de medo e meio paranoico, deram calmantes para ele, e o diretor da agencia perguntou. – o que houve novato?- ele se recupera depois de um tempo. – eu descobri os motivos de vários assassinatos por congelamentos, queimadura e trituramentos e os outros não identificados. – todos felizes pela noticia, mas preocupado com a reação dele. – então diga. - No momento ele falou exatamente tudo. – eu ouvi dizer de algumas pessoas e depois eu vi com os meus próprios olhos que aquilo era verdade, falou que tinha uma criança brilhando de olhos vermelhos nas regiões da íris e pupila, viram está criança que aparentava ter 9 anos, foi falar com uma pessoa que aparentava estar com raiva, e disse o seguinte de acordo com o que eu ouvi.

                ei, você grandalhão me fala onde eu estou?- o grandalhão olhou para a criança. –quem é você sua pivete? Não me incomode se não vou abusar de seu corpo, hehe, então vai embora e não tire minha paciência. – a criança olhou para ele com uma cara maligna. – se não me responder agora você irá se arrepender. – o marmanjo olha para a criança com uma cara meio feliz. – ok então vamos ver do que eu me arrependerei. – ele abre o zíper de sua calça e mostra seu pênis para a criança enquanto balança, a criança agarra seu pênis. – ohhh, realmente, as crianças de hoje em dia estão avançadas, então você chupa isso, dependendo se for bom ou não eu vou te mostrar um prazer maior como recompensa. – ela solta um sorriso realmente maligno, apertou com muita força, que explodiu o pênis do cara. -ah!!!!!!!, o que você fez isso está doendo muito!!!!!!!- ela espera o cara se debater por um tempo, agarra sua cabeça, e aperta com força fazendo a expressão do grandalhão mudar como se aquele aperto como se realmente fosse forte. –agora você irá responder minhas perguntas sem questionar nada se não você morre entendeu? –o grandalhão espantado só balança a cabeça de concordância, e chorando de dor. – onde eu estou? E como eu vim parar aqui?- o grandalhão desesperado e ao mesmo tempo confuso achando que era uma brincadeira e falando tudo cagado?. –isso é um bricadeira? É, voque é so uma crianpa você não sabe nad sob a vid dos adultos, vo. – a criança começou a aperta a cabeça do marmanjo e olhando com cara de que ele não tinha mas utilidade, enquanto ele segurava a mão da criança e tentando tira-la, ela emiti uma luz preta de seu corpo, bem fraca, mas emitiu, após isso ela atravessou a cabeça dele com sua mão, olhou para os lados dizendo “eu preciso buscar informação de onde estou” e foi andando por ai, como havia muitas nuvens pretas no céu por causa da explosão, não é possível nota-la(as nuvens seriam normalmente tinta preta como aquelas do polvo, só que essa funciona no ar).

                [diretor] - hmm isso realmente é estranho, difícil de acreditar nesta história, conte o que você viu, de sua filha parece que aconteceu algo parecido.

[agente] - sim eu contarei, também esqueci de mencionar uma pergunta que me falaram, que ela fez ao marmanjo mas minha filha fez a mesma coisa, irei contar o resto, bem resumido.

                [agente] - minha filha começou a olhar para o lado e viu sua mãe, e perguntou as mesmas coisas, a mãe sem entender nada, tenta dar uma de protetora a abraçando. – você está em casa filha, não se preocupe, eu irei lhe proteger. – acariciando a cabeça, ela leva um soco e fica tonta deitando-se no chão de dor. E pergunta a mesma coisa, minha esposa fica desesperada, mas antes de ela tentar qualquer coisa ela a congela emitindo uma luz branca, minha esposa(enquanto lacrimeja contando a história) é dividida em pedaços, minha filha olhou para onde eu estava, então assustado, eu sai correndo, encontrei este policial e pedir para ele me levar até aqui.     

                - hmm realmente é algo assustador, mas você não contou a parte principal a parte que você ”esqueceu-se de falar na história” que você ouviu de outra pessoa. –ele assustado e tremendo, fazendo todos em volta perceber que foi algo realmente estranho e horrível, dizendo. – ela também perguntou, “por que eu estou em um corpo de uma criança?”. –isso faz todos da assembleia ficar com uma cara de espantados, até o diretor que estava mantendo a posição de “inabalável” ficou com uma cara estranha. – rhaanahan(ajeitando a voz) , agradeço pela informação, levem-no para área de descanso, eu cuidarei disso, quero que mande uma mensagem para o mundo todo quando as ondas de radio voltarem, para pensamos em uma estratégia, se isso acontecer não sei o que os outros países irão reagir.

                No outro mundo mais evoluído, mas idêntico a Terra, pessoas e entre outros. Estava tendo uma guerra religiosa crentes contra crentes,  padres contra padres e como qualquer outro lugar agentes contra agentes.

                Em um conflito Brasile e Canada contra a Africa Bré( no outro mundo as coisas são diferentes, Canada  sendo canada, Brasile sendo Brasil e Africa Bré sendo a Europa), Tendo uma disputa entre países ricos, em um confronto direto mandaram Padres, Crentes e agentes para resolver a situação derramando um mar de sangue por onde passava, pessoas inocentes morrendo, essa é 7º guerra que teve, a Africa Bré parece estar se vingando de Brasile pela 5º guerra mundial onde Africa Bré foi a vencedora, com ajuda de outro país, mas teve muitas pardas agora ela parece querer se vingar, agora irei falar sobre o clima, pluff (som do rádio desligando).[José] - ahh já virou noticia isso, mesmo sabendo que foi a Africa Real(EUA) que começou aquela guerra e então nós aniquilamos aquele lugar depois de perde pra Africa Bré, e então qual é o nosso objetivo soldado(mesmo nível de cargo que major)?- O superior deles pega a papelada. – quero que você mate esse padre e pegue as informações que ele sabe, e faça a maior aniquilação desses monstros que tem por lá, vou te mandar a crente do tipo b e  3 do tipo a. –José olha com uma cara um pouco assustada. –por que eu tenho que trabalhar com crentes? Sendo que os do tipo a são iniciantes?- interrompido antes de dizer outra coisa. – essas são minhas ordens mesmo você não sendo um monstro como eles, o estrago que você faz é próximo, então sem reclamação nº 1, como Ás de nossa organização, você mostrará como se age em uma guerra, então pegue a papelada e vá logo para o jato. –José pegou a papelada e foi para o jato junto com os crentes, enquanto viaja. [José]– ei qual é o “religionismo” de vocês?- eles responderam. –eu sou que transforma metais e pedras em lamina, eu desintegro as coisas, eu posso machucar a audição de uma única pessoa. –José pensando o que fazer, decide a estratégia. – você irá comigo o crente de “ensurdamento”, você do tipo b dará suporte para os dois aqui, quando eu conseguir eliminar o padre, eu irei me reunir com vocês para matar os outros, só isso. – todos concordaram, mas um perguntou. – o que a gente faz, caso você morra? O seu oponente é considerado um dos padres mais perigosos, que manipula a gravidade a uma área imensa. –José lendo a papelada. –o meu objetivo principal é pelo menos arrancar um membro ou pegar informações nem que eu somente converse com ele e morra em seguida, e caso eu morra, vocês ouvirão a do tipo b ela tem as informações do que fazer, vocês são monstros podem matar todos sem ressentimentos, então se eu morrer ou não, não irá mudar nada na vida de vocês. – apita o alarme de que chegaram na zona de guerra, todos se preparam para pular do jato.

                Caindo em uma floresta, José e o tipo a foram matar o padre, a do tipo b e os outros ficaram nos arredores protegendo a nave, por que só iam lutar quando ele “voltasse”. Chegando a um lugar aberto o agente José viu o padre em pé em uma área aberta, dava-se por perceber que ele destruiu as arvores, o chão estava coberto de galhos, então ele mandou o tipo a ficar atrás daquela pedra, dizendo-o. –quando eu ligar a luz vermelha você impossibilita o padre. - entrando no local, ele pisava fazia barulho, então o padre nota sua chegada. – eu estava te esperando manipulador das mil armas, ouvi dizer que você matou agentes peritos no caratê faixa pretas com um vaso de lixo, não sei como você fez isso. – José estava olhando para o lado para ver se não tinha ninguém. –então você sabia que eu estava atrás de você, então decidiu me matar sozinho para ganhar uma recompensa de 100.000.000 Reais (dinheiro mundial), com esse dinheiro você pode se aposentar e aposentar seus netos, um monstro como você só se interessa com coisas triviais, huff. – o padre riu. –então sem mais de longas vamos começar. –jogando ondas gravitacionais que ocupavam exatamente 10 metros, José usou um salto mortal de atleta, quase o acertou, usou os gravetos no chão para jogar nele como se fosse um dardo, O padre conhecendo seu codinome tenta se esquivar mas ao ver que passou raspando nele, derrama sangue de sua costela, ele ficou surpreso, não achou que ele fizesse tão juízo ao seu codinome, então começou a usar sua gravidade para desviar os galhos, reduzindo a área da gravidade de10 metros em 6, voava galho pra caramba, enquanto usava mortais para se esquivar, tentando se aproximar dele, depois de 2 minutos, conseguiu se aproximar do padre para que o cara escondido o atrapalhar, e estando perto o suficiente para mata-lo.

                O outro grupo se preparando para um ataque onde tinha 4 crentes, a suporte mandou eles descerem o morro, e ficassem escondidos até eles passarem e quando, eles passaram, o cara desintegrou a terra e quando eles caíssem, após isso ele se escondeu atrás de uma arvore, o outro cara se preparou para matar os outros. [suporte] - espere mais um pouco, agora. O outro agente joga as laminas uma erra e o outro consegue esquivar, o que esquivou vai direto à direção dele e o eletrocuta, matando-o, o desintegrado estava atrás da arvore ficou escondido pensando em algo, o rádio soando uma voz baixa. –ei daqui15 segundos desintegre a arvore onde você está e empurre na direção deles, isso irá mata-los. –esperou 15 segundos, desintegrou uma parte da arvore e empurrou esmagou um e o outro pulou para se esquivar, mas o que se esquivou foi acertado na perna, o agente foi a sua direção e começou a desintegra-lo como não sabia usar sua habilidade muito bem, o desintegrou aos poucos, enquanto ele chorava de dor, não gritava porque começou pelo pulmão. [suporte] - ótimo vamos pro local onde o nosso líder está, pelo o que eu li o formulário do outro agente que foi com ele, parecia ter problemas com atenção e ele era do tipo c na verdade, ainda não faço ideia o porquê de mandar ele. Tenho certeza de que ele o atrapalhará. –foram em direção aonde eles estavam.

                José consegue chegar próximo ao padre, liga o sinalizador, mas o agente atrás da pedra não fez nada pensando que tinha um limite de alcance pelo fato de ser um novato ainda, mas até agora ele não sabe o porquê de mandar um novato, se esquiva de outra onda, mas é jogado no chão com força, fazendo-o perde movimento, então ele tenta se virar sozinho, usando o sinalizador (que parece uma sirene de policia) para piorar sua visão, depois de um tempo já cansado, consegue ficar atrás do padre, saca um facão e vai acerta a parte superior da nuca, então o cara que ficou atento aos arredores para ver se não tinha realmente ninguém olhou para a luta pelo fato de estar demorando muito, viu o sinalizador e utilizou seu poder, fazendo o sentir dor de ouvidos e abaixar um pouco, após isso José errou o ataque, o padre vendo que ele errou o ataque o derruba, José no chão o padre também derrubou o outro que o atacou de longe, esmagando aos poucos. –graças a você, eu ficarei rico, realmente me diverti nessa batalha, mas está na hora de dá um fim nisso. – Eles(suporte e o outro agente) chegam a tempo ela manda o cara desintegrar a terra até onde ele está, quase esmagando o corpo de José, a terra desintegrada o desequilibra o deixando e desconcentrando,  José vê a oportunidade pega o facão de novo e arranca sua cabeça, se sentindo todo dolorido, pelo esmagamento, olha com cara de que foi salvo para os dois, chama o outro agente. – ei você, venha aqui. – ele vem com aquela de “ele vai reclamar comigo”, ele chega próximo ao José, e é chutado na perna fica de joelhos, José saca o punhal. –você quase me matou, com certeza é um agente duplo, desculpe-me amigo mas você irá morrer. –os outros dois olhando sem ressentimentos achando realmente que ele era um agente duplo, o radio liga com um aviso, com uma falta de sinal. –ei ás o agente de habilidade ensurdedora, está em treinamento ainda, vi a papelada e acabei trocando, como você tem costume de matar aqueles que lhe são inúteis, não faça isso preciso dele, eu mandei o errado o que eu devia te mandado está quase chegando , mande este de volta, acabe com os crentes dai , e quando acabar ai,  acabe com a base deles e mande os outros agentes de volta, cambio desligo. - José olha de novo para ele, tira o punhal de seu pescoço que já entrou um pouco. –você foi salvo, mas o que você fez não precisava ser um experiente para que desce certo, mandarei uma mensagem para que você tenha um treinamento mais pesado, seu inútil. – o outro cara foi embora com o jato no qual eles vieram, e o outro cara chegou no outro jato, era um cara de eletricidade, que chegou em pouco tempo. [José] – entendo é você, você irá com eles, eu vou me virar sozinho. – a do tipo b confuso por que tinha uma arma de fogo, mas momento nenhum ela ouviu barulho de tiro.

[suporte]- ei, porque você não usou a sua arma de fogo?

 [José]- ele usava gravidade, ele podia mandar o tiro de volta para mim, ele estava olhando o tempo todo para a minha arma de fogo, pensando que eu podia saca-la, mas sem conversa volte ao trabalho.

                 Eles se separam, os 3 que restaram estavam lutando contra os outros crentes nas sombras enquanto protegia a nave que era a sua maior prioridade, tendo um mar de sangue por onde passava, outros crentes já tinham lutado lá, enquanto o tipo b estiver viva eles não morrerão.

                 José chega ao abrigo deles. –fico feliz de que os Estados Unidos impediu o mundo de usar bombas, para proteger a natureza (EU=Africa, coloquei isso porque a Africa tem um monte de estados juntos, mas chamado de EUC), ótimo o padre era tão ruim em senso de direção que fez um mapa, maravilha, só me pergunto se com esses danos que eu recebi vou conseguir mata-los, deve ser melhor do que pedir ajuda. –vendo o acampamento, observou os vigilantes, foi por um lugar cego onde estava o muro. –mano é tão fechado que nem agua passa provavelmente toda área é assim, mesmo que eu entre como eu mato todo mundo? – viu um caixão de agua logo acima. –entendo esse tipo de tática, os inimigos invadem este local, eles recuam deixando todos os suprimentos, achando que venceram, fecham o portão, derrubam o caixão de agua, e provavelmente tem um usuário de eletricidade lá, hm, já sei o que eu vou fazer. – usou um estetoscópio para saber se tinha alguém do outro lado ouvia algumas vozes, mas distantes, usa seu maçarico no muro, fazendo um buraco pequeno e passou por baixo, colocou a parte do muro de volta, e se escondeu atrás de uma parede verificando as vozes, olhando aos arredores, viu um cozinheiro entrando no vestiário para se trocar, vendo que não tinha ninguém por perto, entrou no vestiário, enquanto o abria o armário, olhou para as roupas, viu se tinha o crachá, o nocauteou. –se não é um crente não precisa morrer. –jogou ele dentro do seu armário e inseriu um pouco de sonífero nele para que ele ficasse mais tempo dormindo, ele se troca rápido coloca o crachá e chega o chefe. -você é um novato? Nunca te vi antes, mas sem perder tempo prepare isso e entregue isso para todos. – fazendo uma cara de assustado, somente disse sim e fez o que ele mandou, com uma cara de atrapalhado e preparou a comida deles e foi entregar em uma panela gigante, quando os outros cozinheiros foram fazer outra coisa, viu que todos estavam ausentes no local, e colocou uma poção alta de veneno de na panela ficou com uma cor estranha, então jogou o corante, porque ele sabia que podia trocar de cor, como ele é um agente de tipo a&c, sabia o que que aconteceria isso, foi em direção ao crentes, colocou a panela no meio deles, e os outros em seguida vieram com os pratos e talheres. –aqui estão seus alimentos divirtam-se. - 90% por cento deles estavam comendo, os outros cheiraram a comida  sentindo um peso e cheiro diferente, um crente experiente pergunta. –ei, o que você colocou aqui para ter um cheiro e peso diferente? –José deu uma risada. – é um ingrediente extra para dar mais energia a vocês. – o cara insatisfeito com a resposta. –você está brincando conosco? Responde o que você colocou. - e todos começaram a cair um por um, e José da outra risada. – para um monstro como você até que você é esperto, pena que vai morrer. – o cara tenta ataca-lo, mas quando percebe tem um punhal em seu abdômen, ele cai e morre, todos ficam em estado de alerta e tentam o atacar, como ele não é burro não dá pra matar 70 crentes de frente, ele foge, todos vão atrás dele, um dos guardas que viram a situação. – ei não fação isso com certeza é uma armadilha, ele está os atraindo. – eles não deram atenção e continuam em direção á ele. [guarda] – guuaardas! matem o intruso!- continua fugindo e despistando deles, vai em direção ao caixão de agua, um cara joga as lâminas, ele esquiva e o caixão abre deixando o lugar todo molhado, como a área é fechada a agua permanece, José em pouco tempo manda uma mensagem parra os cozinheiros (os únicos normais), “tirem seu amigo do armário e suba em um lugar aonde a agua não chegue, se não vocês morrem”, eles sem entender a situação, subiram em algum lugar, o cara de poder de eletricidade viu ele em cima de um lugar, e foi ataca-lo em cima das residências. [José]–opa que maravilha o cara de poder de eletricidade não morreu, vou fazer ele se arrepender, se ele fizer o que o que eu estou pensando. – José pega uma luva que não conduz eletricidade e coloca na mão esquerda, e então joga uma linha na agua então o José joga uma linha na agua, e a segura, o cara da eletricidade na pura burrice, pega a linha dele, joga em sua direção transmitindo eletricidade, chegando a linha quase em sua face, José só estica a linha, transmitindo eletricidade para todos os lados matando quase todos (os cozinheiros não contam, sobram mais três crentes que imaginaram que isso iria acontecer, ou por que os outros ficaram tontos pela agua que derrubo-os, que avistam José perto da caixa de agua, e  vão atrás dele, já que ele não conhece nenhuma das habilidades deles não arrisca confronto direto, tenta pega-los encurralado, mas fica se escondendo o tempo todo, não consegue pelo menos fazer que um se separe ou se esconder sem se achado, então ele arrisca usar a granada, e joga na direção deles, um deles vê a granada e pula, é jogado pela explosão, mas os outros dois morrem porque estavam de costas, o outro que conseguiu se “esquivar” engatinhando para sobreviver. –alguém me ajude. – José chega perto dele, com uma cara meio estranha porque é a primeira vez que ele vê um crente preocupado com a sua vida, pelo o que ele sabe normalmente eles se suicidam quando começa a ficar difícil a situação para eles. –então vocês monstros pedem ajuda? Que interessante no final das contas vocês são idênticos as pessoas normais. –prende as mãos dele com pregos, e sua perna e o interroga.

[José] – onde é sua base?- Após o crente se acalmar.

[crente]  – fica, no leste embaixo de uma casa amarela, a senha é a primeiramitogia, tudo junto e letra minúscula, agora que eu te contei tudo me. –sua cabeça aparece voando. Manda as palavras gravadas para agência caso esqueça. – agora eu vou descansar, vou esperar aqueles monstros morrerem, se eu for lembrar aquela do tipo b já trabalhou comigo varias vezes seria ruim se ela morresse, é melhor ir lá, desperdiçar alguém habilidosa como ela é burrice.

                Enquanto isso na agência. –ei, cientista que emigrou de dos estados unidos do centro, você disse que construiria uma arma antirreligiosa tem certeza que vai funcionar? –o cientista olha para soldado com uma cara de ódio, o soldado se assusta, porque os EUC, são considerados invencíveis.[cientista] –não muita, eles serão tele portados, para lugares aleatórios, mas somente as pessoas vivas, onde o raio acerta vai mandar todo mundo até as pessoas normais. –o soldado olha para ele com cara de confuso. –então você irá atirar aonde? Na antártica? –o cientista riu. –eu vou atirar Na Africa bré, afinal todos os religiosos estão sendo mandados para lá, e provavelmente todos os cidadãos foram assassinados já. –ele olha para ele com uma cara de que está com razão. [soldado]- outros países estão mandando mais religiosos para a Africa Bré, parece que querem fazer com a Africa Bré o que aconteceu com a Africa Real, mas eu vou trazer de volta os agentes que eu mandei. –toca o alarme. –nós estamos sendo invadidos, atacados de todos os lados, perdemos os jatos, e os guardas estão morrendo, mandem o manipulador das mil armas voltar agora. – o soldado fica desesperado, mas o doutor sem ressentimentos, e na confiança. –acho que é hora de usar essa belezura, vou lutar com vocês porque sou vida louca. –ele aperta o botão iniciar, e começa a contagem regressiva 1h.

                Enquanto isso na guerra, José chega á eles depois de muito tempo guiado pelo tipo b pelo espirito (20 minutos), e pergunta.

                [José]- ei tipo b onde está o quartel deles, você conseguiu localizar?

                [tipo b] - Sim, eu sei onde eles estão, parece que aliados nossos já encontraram aquele lugar, use o rádio lhe mandarei as coordenadas.

[José]- sim, quando eu chegar ao meu objetivo, vão embora parece que o quartel precisa de nossa ajuda.

                Ela o levou para o local, (10 minutos) José viu que a porta estava aberta. –tá, vai embora com os outros agentes, mas deixe seu espirito aqui, vou precisar de seu suporte, avise que vou ficar aqui até morrer. –eles (agentes) vão embora, e ele vai ao local junto com o espirito, chegando ao local. – olhe o local e me fala se tem alguém. – o espirito entrou, mas não tinha ninguém, José entra em seguida, vê uma “lagoa de sangue”. – você vai pra direita e eu vou pra a esquerda. - ela foi por um lado e ele foi para o outro, enquanto ele andava e olhava para os lados, fala pelo radio com ela. –só tem gente morta aqui, ei você achou alguém?- mas ninguém responde- parece que cortaram a linha de radio e o espirito observador dela não veio me contata, deve te sido eliminada, vou ter de agir sozinho. - enquanto andava e via uma pilha de gente morta, andava procurando por algo que poderia lhe ser útil, viu outras pessoas indo a sua direção, se aproximaram para fazer contato, olharam para ele com cara de desconfiado.

[Agente] - ei quem é você? Você não parece ser do oriente

[José] - (posso convencê-los de que sou aliado matar todos e pegar informação do ultimo que sobreviver), não, eu sou aliado de vocês, vim do oriente, sou agente de lá para enganar o ocidente.

[agente] - não acredito, preciso de uma senha que nos forneceram para contatar aliados e você precisa dizê-la ou se não é inimigo.

  [José] - (aquela senha) primeiramitologia, sem ser numero, e a palavra tudo junto. –eles abaixaram a guarda acreditando que ele era realmente um aliado, ele se juntou a eles, e começaram a trocar informações. - ouvi dizer que o shadoven está aqui, matando todas as pessoas que tem nome conhecido, parece que o manipulador das mil armas está aqui também.

[outro agente] - é verdade, esse manipulador matou um padre do nosso grupo, agora o shadoven está atrás dele, pena que a gente não tem foto dele e nem o nome do manipulador e do shadoven.

[José] - (eles realmente estão falando tudo que eu queria saber, que descuido), tá como contribuição consegui informações, eu vi alguns deles recuando e até a pessoa que parecia o manipulador das mil armas.

[agente] - isso é bom, tá, vamos sair daqui não quero morrer para aquele profeta. –José fez uma cara de maldoso, mas dizendo algo para se enturmar. – eu também não. – eles todos foram andando por ai procurando a saída, porque nem o José sabia onde era, tinha tanto sangue que não dava para diferenciar o caminho, após um tempo andando com eles, José percebeu que eles abaixaram a guarda, ele pegou um osso dos mortos, chegou perto deles, cochichando no ouvido do que estava mais atrás. –vocês deveriam ser mais espertos. – os nocauteia com o osso acertando sua nuca, um deles quase desmaiando.

[agente] – então você é o manipulador?

[Jose] - sim, e obrigado pela informação de que o shadoven está aqui- pega o seu facão e corta a cabeça de todos.(25 minutos)as luzes se apagam, saindo uma voz de fundo. - eu estava atrás de você José Augusto da Silva! – ele olha para os lados com medo, José se lembra do relatório que leu sobre ele antes de ser mandado para esse lugar. – quando eu fui ler o relatório sobre os poderes dele, pelo o que eu me lembre, ele oculta até mesmo sua existência, mesmo que ele esteja do seu lado, é impossível nota-lo. –desativando seus poderes, chega perto de José, sussurrando em seu ouvido. –eu estou atrás de você, e não se esqueça eu também anulo a habilidade do 6º sentido. –José se assusta e pula para frente, dando um tiro na direção onde ele estava, mas parece que ele não estava mais lá, quando ele ficou estável no chão sentiu sangue saindo de seu lombar, colocou a mão para verificar e tinha o punhal dele, ele caiu no chão, e lembrou. – ele engana todos os sentidos, aff vacilei. –fecha os olhos e espera a sua morte. (5minutos)

                O céu fica arrosado as pessoas começam a sumir do mundo inteiro, os da Africa Bré sumiram todos de uma vez só, o guarda que estava do lado do doutor que usou a maquina. –ei não era para só o povo da Africa Bré?  

[doutor] - eu não disse que não sabia a distancia da explosão? –todos começaram a sumir do mundo pouco a pouco outros tele portaram para a fora da terra, tinha corpos mortos flutuando pelo espaço, as únicas pessoas que sobreviveram, foram as pessoas que estavam vivendo em marte, e as pessoas que foram pesquisar a estrela Próxima Centauri, a Próxima B.

                Então no mundo “original”, Takashi estava em um beco perto de onde um monte de gente parou para olhar a luz rosa no céu, então ele tinha ido para lá. Mas não era mais ele, olhando para o corpo estranho. –o que aconteceu, eu jurava que o shadoven tinha me matado? E que corpo é esse? Nossa que cara magro, ele não se alimenta? Nossa que dor de cabeça é como se eu soubesse coisa que eu não deveria saber. – pega um caco de vidro no chão. –ahn, por que meus olhos estão brilhando vermelho? O que está acontecendo. –olhando para todos conversando entre si. –isso deve ser mensagem de deus; isso com certeza é mensagem de deus que bom que somos todos crentes, vamos falar com os padres. –José assustado. –crentes? Tantos assim? Padres? Deus? Então aqui é o mundo após a morte? Por que tem um significado diferente passando por minha cabeça? É como se esse negocio de crentes tivesse um outro significado aqui, preciso interagir com eles para saber o que está acontecendo. –percebendo que nenhum deles possui olhos vermelhos, olhando pro lado procurando alguma forma de ocultar seus olhos, ele avista uma pessoa de óculos escuros, pega uma pedra no chão e atira nele, para a sorte dele, o cara vê de onde veio a pedra, e vai correndo em direção de onde veio. –haha, que sorte, deve ser um valentão, tomara que ele tenha resposta, do qual eu preciso. – então, o cara chega e olha para ele e da uma risada. –hahahahahhahah, o loser e então tava tentando acert alguma coisa com preda, e acabou me acetando? Só pa avisa, não ache que eu vo pedoa você po isso ;José: (nossa, por que eu estou entendendo está língua na qual eu nunca ouvi na minha vida? Me da náuseas )tá por que o meu nome é loser? E fale direito por favor, parece nego de pneumonia na câmara de gás pedindo ajuda; Delinquente: você tá mi tirando, você é um fracassar, po isso ti chama de loser, porque você não ganha di ninguém; José: (mano, preciso de um tradutor pra entender esse cara), primeiro: fale direito, não dá pra entender nada. E segundo: não me chame de loser se você não consegue nem falar direito, aposto que a escola desistiu de você por causa disso; Delinquente: seu fi da puta-  O delinquente foi ataca-lo, mas no momento em que ele chegou perto, ele jogou o caco de vidro em sua clavícula esquerda, o fazendo delirar de dor, neste exato momento, José foi para trás dele pegou o seu outro braço, torceu, quebrou, e pulou o empurrando, fazendo-o cair no chão, José pega outro caco de vidro, aponta para sua cabeça e pergunta.

[José] – diga-me onde eu estou?

 [Delinquente] – até parece, que eu contaria, algo pra você seu merda, você é só um simples perdedor- José enfinca o caco de vidro em sua perna.

[José] –(olha ele começou a falar direito, mas só entender essa língua na qual eu nunca ouvi na vida, isso ainda me da náusea) não foi isso que eu te perguntei, mas se quiser pode morrer para um fracassado como eu, se você preferir, posso te torturar, deixando sua morte extremamente lenta.

[Delinquente] - tá bom, tá bom, mas não faça isso eu respondo qualquer pergunta, você tinha pergunta, onde eu estou, certo? Você está na coreia, se eu não tenha certeza você estava aqui para olhar a luz rosa, não me pergunte que luz rosa era aquela, eu não sei, eu te disse tudo que sabia, por favor, não me mate.

                José se levanta do corpo dele, e tira o caco de vidro, puxa sua cabeça, dizendo palavras assustadoras- sua morte não será lenta, mas você morrerá. –antes que o Delinquente dissesse qualquer coisa, ele enfincou o caco de vidro em seu coração, pegou os óculos dele. – eu o derrubei, o fazendo cair de cara, como esses óculos não quebraram bem isso não importa, não podia deixa-lo vivo, já que ele viu o meu rosto, agora vou pesquisar sobre o que está acontecendo aqui. – tirou o sangue dá mão, escondeu o corpo do cara, e andou por ai, com os óculos escuros, perguntando a varias pessoas, como era o mundo se fazendo de estudante que veio fazer intercâmbio, conseguindo informações valiosas, o fazendo descobri, que o significado de religião, é totalmente diferente de onde ele veio, e ele deduziu que foi tele portado, mas acreditando que não foi um profeta que fez isso.

                Foi na casa do corpo na qual ele possuía, ele sabia por algum motivo. Quando percebeu, seu corpo estava apagando, adormeceu caindo no chão, 5 minutos depois Takashi levanta olha para os lados, tira os óculos. –por que diabos eu estava usando isso? O que eu iria comprar mesmo? Cadê a luz rosa que estava no céu? E eu não estava no beco? Vou pra casa devo estar doente. – chegando em casa, ligou a tv, mas lembrou que a luz do local tinha acabado, foi para o seu quarto e a luz voltou, o deixando bem puto, ligou a tv novamente para ver desenho, mas só passava noticiários sobre a situação. –estamos, sofrendo ataque dos demônios, um monte de pessoas de olhos vermelhos atacando um aos outros, torturando e fazendo diversas crueldades, eles possuem olhos vermelhos forças absurdas, e ainda soltam poderes, mesmo que eles dizem ser crentes, mas o que está acontecendo? –Takashi desliga a tv, e vai para o quarto dormi, lembrando-se da prova que tinha que fazer, deitou-se em sua cama e dormiu, lembrando-se da prova, dormiu em seu sono passou uma história de seu passado, na época que ele começou a admirar vasos.

                Enquanto ele voltava para a casa, após o vaso que ele começou a admirar, viu quatro delinquentes conversando após uma briga, ele com todo animo foi lá. –ei oque vocês fizeram? –um dos caras um pouco tonto, e sem paciência. –ei garoto sai daqui, não quero espancar você. –Takashi um pouco assustado. –Desculpe-me, é que eu achei que vocês tivessem apanhado então eu vim perguntar, se queriam ajuda. –Um dos caras já careta com o Takashi, se aproxima. –seu merda, quem você acha que nós somos? Seu pivete de merda vou te espancar. –um dos caras o impede. –ei não faça isso com a criança, ela já tá tremendo o deixar com medo nos dará problemas. –O cara para, quando ia se desculpar, Takashi solta palavras que não imaginaria soltar, chorando e desesperado. –Por que um merda como você me atacaria?! Você só é um fracassado, que só sabe brigar! –Takashi fala isso vendo a visão dele com um ódio, e percebe a bosta que fez, tenta pedir desculpas, mas antes de dizer algo sofre uma porrada na cara na qual o faz cair no chão que nem geleia, fica dando porradas em sua cara o fazendo sangrar pra caramba, após isso aparece um guarda de patrulha. –ei parem de fazer essa barbaridade. – o policial foi em direção a ele, o cara muito puto com a situação atacou o policial na cabeça com uma barra de ferro que estava caído no chão, após a briga, o guarda caiu no chão despejando sangue, um dos caras foi ver se ele estava “bem”. –ei seu bosta você matou o policial. –o delinquente assustado, grita, fazendo um eco, outros policias chegam e veem a situação, e então.

                -ahn o que aconteceu? Foi um sonho? Aquela não é a história que eu contei por policial? Estranho eu tenho certeza que foi aquilo, mesmo que eu tenha contado tudo cagado, como ele entendeu? É como se ele soubesse que eu ia contar aquela história, devo ta ficando louco hmm, como assim já são 10 da manhã? Eu perdi a escola? –Takashi olha para sua mão e ela estava machucada, e seu corpo estava com câimbra e todo dolorido. –oque será que aconteceu eu sou sonambulo? –vou falar com minha mãe, foi no quarto De sua mãe, abriu a porta, mas ela estava dormindo então decidiu não atrapalha-la, ligou a tv novamente, e passou no jornal. –um cara de abajur matou um monte de pessoas que se autodenominavam crentes, aqui a imagem para vocês ele estava com uma mascara que ocupava metade do rosto então não deu para saber. –Takashi olha atentamente para tv, pensando que já viu aquele cara em algum lugar, ele pega um copo de água, começa a tomar, e quando foi ver os outros ângulos, cospe. –pera esse cara sou eu? Não não não, eu não tenho capacidade de luta, deve ser outra pessoa parecida, e quem diabos consegue matar com um abajur?- Takashi olha para a data e vê que a prova vai ser em breve, toca o telefone novamente, ele vai atender, era a escola, mandaram um recado de: a prova será adiada, daqui 2 dias vocês o farão, mas nós tiramos a redação para vocês, queremos decidir logo o futuro de vocês. Takashi fica depressivo, chora lembrando que vai repetir novamente o mesmo ano.

                Após um dos crentes ser pego enquanto fugia do Takashi de abajur, era o 4º o que conseguiu fugir, foi levado para o governo, chegou ao superior, e em seguida ele perguntou. –você seria o sobrevivente, da fuga do assassino do abajur, quero lhe oferecer um trabalho parra nós, você receberá dinheiro e entre outros. –a assembleia ficou assustada com tau sugestão, mas veio uma resposta rápida.

[prisioneiro] - sim, eu aceito

[diretor] - ótimo então você está contratado, mas antes de tudo nos conte o que você é, de onde você veio, e por que se autodenomina ser um crente, quero que conte exatamente tudo o que você sabe.

 [prisioneiro] - sim, eu contarei tudo desde o começo, e sobre nossa evolução, bem mais rápida.

                -Tudo se iniciou na época bem antes do cristianismo, quando Roma ainda existia, eles acreditavam em deus faziam suas oferendas, mas mesmo assim nada mudava guerras atrás de guerras até os próprios filósofos daquela época diziam ser inútil a crença de deus, mesmo o imperador dizendo que não queria isso, ou seriam enforcados, não temiam isso, pois era mais fácil morrer na guerra, então, 5 anos após a morte do imperador, o seu filho, que também estava na palestra, quando os filósofos disseram que acreditar em deus fútil e inútil, foi na cadeia, onde estava alguns filósofos, perguntando qual seria a outra alternativa além de acreditar em deus, propôs uma saída e prestigio a eles caso o mostrasse o outro lado, claro se fosse progressivo, então declarou a religião inútil, todos se revoltaram até mesmo a assembleia, dizendo que ele foi manipulado pelos filósofos, discordou com toda a certeza, dizendo palavras que na história de onde eu vim estão no livro de história “se você acredita naquele algo, mas, aquele algo não o ajuda, acredite em outro ou faça por si próprio”, então estamos investindo na ciência a partir de hoje diga a todos que mostraremos resultados melhores do que acreditar em deus, após isso fizeram uma intensa pesquisa sobre a ciência principalmente na arte da guerra, então em 3 anos conseguiram fazer a primeira arma de fogo, sendo o primeiro império a conseguir essa arma, usaram para invadir todos os países, dominaram o local chamado Africa Bré no nosso mundo, em 5 anos, mas vou chamar de Europa, já que eu estou aqui, voltando, todos aniquilados por Roma, logo após isso começou a investir em embarcações, por que disseram que a terra é plana, o imperador não acreditou nisso, em 10 anos fizeram a embarcação, grande para aguenta bastante gente caso eles cheguem em algum lugar bem evoluído quanto eles, fizeram uma embarcação para o oeste, e varias para o sul para dominar a atual Africa. Vamos pular essa história, vai ficar muito comprida, vou fazer um resumo, Roma de Declarou ser chamado de Africa após a dominação, anos depois o mundo se revoltou contra a Africa, e se separaram, mas naquilo ninguém não acreditava, mas nesse tau do deus, e religião, separando, alguns ficaram com o nome de Africa ainda, na qual seriam EUA=Africa Real, foi dizimado por Brasil=Brasile e Africa Bré, aquele país sumiu do mapa era impossível fazer algo lá, isso aconteceu após a 5º guerra, Mas o pais que mais se desenvolveu foi o Estados Unidos=Africa, na 2º guerra mundial todos os países lutaram contra os Estados Unidos, mas em menos de 6 meses, todos os países foram aniquilados, Então Os EU declarou se forem guerrear “não usem bombas, nós preservamos a natureza”, então não poderiam fazer nada, pois perderam, então vários cientistas começaram a modificar algo para fazer os super-humanos como os mutantes, em si, mas um cientista do EU, fez uma nuvem que cobriu o mundo todo, ninguém sabe o que era, e quando percebeu algumas pessoas ganharam poderes, mas também trocaram a personalidade viraram sádicas, pessoas dominadas pela luxuria só queriam sentir prazer, então contrataram essas pessoas, dando lhe dinheiro para fazer qualquer coisa, só que especificaram alguns, como os do tipo a: focado em combate de frente. Os do tipo b: focado em suporte e reconhecimento de área. E os do tipo c: focado em infiltração, assassinatos, e roubo de informações. Eles são chamados de crentes, os crentes seriam aqueles que possuem o poder, mas não tem a maestria do poder. Os padres seriam os que têm a maestria do poder usando em abundancia e sem problemas. E por ultimo os profetas que são considerados, pessoas de poderes únicos ou extremamente raros, mas não são considerados como uma das pessoas que possuem poderes eles agem de acordo com as suas ideologias. E por ultimo algumas pessoas consideradas perigosa no nosso mundo, crentes e entre outros, mas vou falar os mais conhecidos e o qual eu conheço, que são só dois, eles são: O manipulador das mil armas, veio de Brasile, e o outro veio da Rússia, chamado Shadoven, Sombra mais covarde em inglês.

[diretor] – é uma história difícil de acreditar, mas por que crentes?

[prisioneiro] - porque na época, das religiões só havia guerra, e a religião cegava todos, e a maioria dos crentes eram sádicos, pelos objetos da tortura, também acredito que o cara do abajur era o tal do manipulador.

[diretor] entendo, mas como você veio parar aqui?

[Prisioneiro] – não faço ideia. Eu estava morrendo quando aconteceu isso.

[diretor] – levem-no para o seu quarto logo darei instruções, para o seu trabalho.

                Faltando, mais um dia para a Prova de Takashi, sem estudar nada á noite foi falar com sua mãe antes de ir ao trabalho. – mãe, o que aconteceu a muito tempo atrás? Quando aqueles delinquentes me atacaram? – a mãe se arrumando, disse coisas na qual ele ficou totalmente confuso. –você falou um monte de bosta, e eles te bateram não foi, achei que você soubesse disso, após você ir ao hospital você ficou com amnésia, pelo o que eu ouvi da recepcionista, o policial que estava lá estava contando uma história pra você, repetidamente, falando no final isso aconteceu, guarde em sua memória. –Takashi um pouco confuso. – isso aconteceu mesmo? Você não espancou os guardas do hospital? – Raissa riu. – por quê? Eu nunca causei uma confusão no hospital, só porque eu era lutadora de rua, eu não faria isso... eu acho, tchau, eu estou indo trabalhar depois que você repetir amanhã me fala se quer ir a escola ainda. – Raissa sai de casa pensando o que aquele policial fez para ele pergunta algo desses. Takashi confuso sobre a situação foi para o seu quarto, Kyung-soon, indo chantagear seu irmão, repetente.

[Kyung-soon] – e então vai repetir de novo? Quer que eu passe cola pra você, quando eu chegar na sua série?

[Takashi] – isso machuca sabia? Vou desistir da escola, pela situação na qual eu estou. Mas ouvi isso de alguém que pede conselhos meus de história é foda.

[Kyung-soon] – a única coisa que você presta é historia e química, por causa de vasos.

[Takashi] – não fale assim dos meus vasos, eles salvaram minha vida, agora eu vou dormi ver o meu fracasso de amanhã.

[Kyung-soon] – quando eu chegar no seu ano vou falar muito mau de você, hahaha adeus.

                Takashi entra em seu quarto, deita em sua cama, e começa a chorar. –nem minha irmã, acredita em mim, talvez eu devesse desistir de tudo mesmo... Estranho o meu corpo está ficando muito sonolento do nada. –então ele dorme, troca de corpo com o José.

                Dia da Prova, ele acorda extremamente cansado, e todo machucado desceu as escadas, ligou a tv, vendo o jornal. - o assassino do abajur, ataca novamente. – em seguida desliga a tv, come um pão, e vai para a escola. Chega na escola vai direto para a sala de aula, todos olham para ele, com cara de dó outros com cara de “finalmente vou me livrar desse cara”, o teste iniciou, ele pegou sua caneta, e foi resolver as questões de história e química, resolveu rápido, após isso, foi para as matérias de escrita, era inglês, olhou para as questões e vomitou, o professor, assustado. – ei você está bem? –Takashi vomita seu café da manhã e não vomita mais nada, pois ele só comeu um pão, para de vomitar altos nada depois do pão. –desculpa eu senti dor de barriga e tontura, vou fazer logo a prova. –o professor na mancada. –se você consegui fazer algo seu fracassado. – Takashi senta-se na cadeira, coloca a cara no papel e chora um pouco, percebendo que está com a mente mais firme, tenta fazer a prova, e vê que as questões todas, ele sabe a resposta dando-o náuseas fortes, mas aguenta, responde todas em pouco tempo, entrega para o seu professor. – vou corrigir logo, para te repetir logo, tá agora, vai tomar um remédio, não quero que você vomite de novo. –Takashi foi comprar um pão, na lanchonete, a mulher que vende olha para ele com cara de desconfiada.

[vendedora] – você é dessa escola? Nunca te vi aqui.

[Takashi] – é que eu nunca vim aqui, eu falto bastante, sou conhecido como loser, acabei vomitando o meu pão de hoje, então se eu ficar mais de 2 dias sem comer minha mãe me bate.

[vendedora] – ahhhh, você é o tau do loser, ouço coisas horríveis sobre você, e como assim ficar mais de 2 dias sem comer sua mãe te bate?

[Takashi] – é que eu não gosto de comer, sabe não tenho vontade.

[vendedora] – ouvi isso, me faz chorar quase, toma te dou esse pão com esse extra, precisa comprar não, agora você tem que fazer a prova né, vá.

[Takashi] – obrigado, mas eu terminei a prova já, sabe nem vou passar de ano, então eu desisti já, obrigado.

                Takashi come seu pão, enquanto a vendedora pensa “o garoto é tão boa pessoa por que falam mau dele?”, Takashi  vai para a sala, chega na sala de aula, o professor vai direto em sua direção.

[Professor] – Takashi você colou na prova?

[Takashi] – como eu colei se eu terminei 1º?

[professor] – não brinque comigo á outros jeitos de colar! Você acertou a prova toda, a prova era de dissertativa.

[colegas de classe & Takashi] – O que?!

[professor] – não me olhe com essa cara de “eu num se nada”, como você tirou essa nota?

                Takashi fica feliz, mas em seguida, já solta um sorriso maligno falando com orgulho. –ah sabe professor, quando alguém pode, ela faz, e nem estava tão difícil assim, como se estudos fossem útil, sem prestar atenção em sua aula consegui ficar com nota máxima na prova, você podia te dificultado um pouco mais isso, haha. – o professor se sentiu humilhado na frente de todos, e até os alunos que estudaram pra caramba, e estão tendo dificuldade na prova. – certo, mas você sabe que você precisa fazer a aula de educação física. –Takashi se lembra de que não faz exercício físico além de treinar com sua mãe sobre fuga temporária, o professor se sentido confiante de novo. –vamos ver do que você é capaz na aula de educação física. – o professor voltou a olhar a sala, e então Takashi foi esperar na aula de E.F, após 2 horas de espera, acabou o tempo da prova, todos os alunos foram para a E.F, chegando lá viu Takashi dormindo no chão que nem um bêbado, um dos alunos que ficou puto com ele na sala, tenta ataca-lo, mas o professor impede, dizendo. –faça o que quiser quando você ganhar dele na aula de E.F e quando ele repetir o faça se arrepender de ter nascido, e grave se quiser. –o cara faz um sorriso e acena concordando com o que ele disse, o professor o acorda. – ei, vai pra educação física moleque, então ele vai pra E.F. O primeiro é arremesso de bola, todos arremessaram a bola, foi à vez de Takashi, só que deram uma bola mais pesada pra ele, entregando a bola, ele colocou na mão sentindo diferença, estava bem leve, jogou passando o dobro da média, todos se assustaram com aquela força, Takashi fazendo aquelas posições de gente musculosa, o alunos da escola inteira, estavam com raiva, então pularam pra 2º etapa, a corrida, era um corrida de 100m e tinha que chegar antes de 30 segundos, foi cinco pessoas um dos melhores atletas de lá, deu o tiro para cima, a corrida de 100m Takashi chegou em 7s o resto chegou de 10 pra cima, o fazendo o melhor corredor da escola em 10 anos, todos já estavam com o ódio, e então chamaram um apresentador de circo, para ganhar dele na 3º etapa que era equilíbrio, pelo o que soubessem ele não passaria se não tirasse nota máxima e ficasse em 1º e, todas, então cinco pessoas se equilibraram, algumas caíram em pouco tempo, mas o apresentador de circo e Takashi permaneceram sobre a corda.

[Takashi] – ei, você é bom, você é dessa escola?

[apresentador] – (pelo o que me falaram, ele não podia descobrir se não, eu não recebiria) ah claro, você é bom em si, quanto tempo você treinou?

[Takashi] – não, eu não treinei, por quê?

                O cara se sentiu rebaixado por alguém conseguir se equilibrar, sem treino por um bom tempo, então desistiu o fazendo ganhar, todos se sentiram humilhados, e derrotados por um magrelo e ainda por cima burro, Takashi foi à diretoria, perguntou para o diretor se tinha passado, ele disse que sim, Então voltou para casa, feliz, indo contar para sua família.

                O professor reuniu alguns alunos que queriam acabar com ele e fazendo o seguinte plano (13 alunos).

[professor] – o seguinte, vamos acabar com o loser, o plano é bem simples, nós o chamamos pelo celular, faremos uma festa a noite, em um lugar onde se joga carro velho, faremos isso as 8 horas, alguma pergunta?

[aluno] – o que a gente vai fazer com ele em si? Assustar, bater e entre outros.

[professor] – vamos espanca-lo, mas para que ele não diga nada, eu cuido disso, a gente pode transforma-lo em nosso mascote.

[o mesmo aluno] –só espanca-lo tá bom, chantagear alguém para que ele faça exatamente tudo, o que se mandar não tem graça.

                 O professor sorriu. –é claro, não há motivos para chantagear. –Todos marcaram o dia para espanca-lo, será daqui dois dias. Takashi chegando em casa, chegou na janta com a família, todo se achando, sentou na cadeira.

[Raissa] – qual é a dessa cara? Aconteceu algo hoje? Acertou mais questões do que deveria? Haha

[Kyung-soon] – tenho certeza que repetiu o ano, mas ninguém reclamou, não é?

[Takashi] – hahahahahahhaha, ingênuos, mal sabem vocês, que eu passei de ano, sim eu tirei nota máxima na escola, 100% na prova e na atividade física.

[Kyung-soon] – para de bobagem, com certeza você está mentindo, se fosse assim, o meu pai compraria seu vaso de “platina”, mesmo que ele vá comprar o de ouro, porque platina é muito caro.

[padrasto] – é verdade, eu compraria um vaso d ouro sem pensar 2 vezes, se você tirasse nota máxima em alguma prova

[takashi] – oh, é sério? Como esperado da dona da empresa de metalúrgica, então quando a minha mãe for ver o panfleto amanhã de quem passou ela avisará que você deve comprar.

[Raissa] - você chegou em primeiro lugar certo? Farei questão de ir amanhã, ah amor pega mais arroz pra mim, por favor.

[Kyung-soon] - tira uma foto faço questão de ver.

[Takashi] – vocês se arrependeram de me subestimar.

                Todos após a janta foram dormi. No dia seguinte Raissa acorda, acorda seu filho, para ele preparar o almoço, ”ele começou a aparentar cansado desde que aquela luz rosa apareceu no céu, tenho que investigar”, liga a TV. – o assassino do abajur ataca mais uma vez, mas dessa vez eram assassinos, o que será que está acontecendo, mandaremos imagem para a tela se você consegue identificar esse sujeito.

[Raissa] – filho, esse assassino parece você, realmente parece, é você não, né?

[Takashi] – por que você acha isso? Até parece que eu machucaria alguém? Mesmo que eu acorde bem cansado, mas, não sou eu, deve ser outro maníaco por ai (esse cara realmente aparenta ser eu).

[Raissa] – é mais fácil você ser assassino do que ficar em primeiro na escola.

[Takashi] - valeu mãe, nem machucou.

                Takashi ficou esperando sua mãe voltar, e avisar para todos, qual foi sua nota, mas enquanto isso, olhava para o teto, começou a adormecer, aos poucos, voltou a consciência, ele estava em seu quarto colocando uma mascara, parecida com o do assassino, achou estranho ter isso, por um momento achou que fosse sua mãe, mas ela não é magra tanto quanto o assassino, então ignorou, guardou a mascara, quando olhou para a janela, já era de tarde, umas 5 horas da tarde, quando foi descer para a escada, ajoelhou-se perto da escada, se sentindo anêmico, e extremamente cansado, desceu as escadas ligou a TV, e como o de costume. - o assassino do abajur ataca novamente, só que dessa vez ele usou arma de fogo. –desligou a TV, ficou sentado até sua família chegar, sem percebe enquanto descansava, já era 8h, achou estranho ninguém te chegado, foi olhar a casa e na porta da casa estava escrito que eles voltariam amanhã de manhã. – ah, nem vieram me parabenizar pelas minhas notas que triste. – O celular tocou, Takashi foi ver, era o seu celular, olhou para o celular se perguntando como se usava aquilo, ele nunca falou com ninguém na sua vida, atendeu a ligaçãodepois de o celular ligar 3 vezes, atendeu a ligação saindo uma voz meio forçada para que não fosse descoberto.

[professor] – quero lhe parabenizar pelo seu sucesso de passar de ano, venha aqui nesse deposito de carros, ou como queira chamar.

[Takashi] – professor, por que está fazendo uma voz forçada? Você vai comemorar uma festa para mim? To ai já, o numero do “deposito” é 304 né?

[Professor] – como você descobriu minha voz? A esquece, sim o numero é 301, vem logo se não as pessoas que eu convidei, vão comer o bolo, haha.

[Takashi] – eu não ligo pro bolo, nem gosto de comer mesmo, mas to indo ai, tá mas antes de tudo como desliga isso? E por que no deposito

[Professor] – só coloca no lugar onde estava, e vem, as pessoas estão com pressa, e o motivo de ser o deposito, você vai descobrir.

                Takashi, feliz vai para o seu quarto, trocar de roupa, abre seu armário e vê que só tem uma roupa, lembrou que nem sai de casa pra algo, a única coisa que ele fez em sua vida toda foi olhar os seus vasos e por teto, pega a outra roupa porque está mais limpa, sai de casa e vai em direção para o deposito, mas enquanto caminha lembra daquela cena dos delinquentes, mas não liga porque são pessoas conhecidas, ele acha. Chega ao local, vê uma mesa no fundo, acha que as pessoas estão escondidas e vão falar parabéns como nos filmes, chega lá não tem exatamente ninguém. –onde estão todos? Vim rápido, será que não era aqui. – A porta se fecha, e todos aparecem, com paus de madeiras, em volta dele.

[Takashi] – é... Eu cheguei à parte de explodir o animal com doces?

[professor] – claro, mas não vai ser doce que vai sair e sim sangue.

[Takashi] – é gente eu não entendi, por que sangue coitado do animal (por que eu estou sentindo que esse animal sou eu?).

[aluno qualquer] – seu retardado, você é o animal. Ataquem- no.

                Todos foram ataca-lo, mas como ele foi possuído por um agente, ele conseguiu esquivar de todos quase, alguns ele defendeu, achou estranho, porque não doía tanto quanto o imaginado permaneceu esquivando, até todos cansarem.

[professor] – como você esquivou de tudo isso?

[takashi] – para simples pessoas como você, fazer isso é coisa fácil, mas eai, vai querer tentar de novo?

                 Takashi se distrai um pouco com a câmera na dianteira, professor o agarra pelo pescoço, enquanto ele estava distraído, e chama todos para bater nele. Após 3 minutos de espancamento, o físico dele estava melhor, do que esperado, mesmo sangrando, em varias partes do corpo, ele estava melhor do que o esperado, o professor, todo feliz tira uma foto. –viu o que acontece quando, você subestima um professor seu merda? Agora vou mandar isso pro seus pais e botar, tudo gravado, agora é só modificar como se a gente tivesse falando, e botar que você colou na prova para tirar nota máxima. – um dos alunos o interrompe.

[aluno] – você disse que não o chantagearia.

[professor] – eu só vou fazê-lo pagar por colar na prova.

[aluno] – ele realmente colou na prova, você viu?

[professor] – não, eu não vi, eu não gosto desse cara simplesmente isso.

                O aluno se revolta com tau coisa.

[aluno] – como você ousa fazer isso? Eu achei que ele realmente tinha feito algo ruim, mas é só por isso, ei gente vamos embora, pegar o filme e deletar o vídeo.

[outro aluno] – não vamos fazer isso, ele é um fracassado não quero ver ele, no meu ano nem fudendo, certo gente?

                Todos concordam. O cara todo desesperado.

[aluno] – eu vou acabar com a vida de vocês vou pegar esse vídeo, e postar, nem que eu tenha que ser preso.

[professor] – não acho que você vá fazer isso, gente acabe com ele, o mate caso for necessário. Ou eu vou ferrar todos vocês, junto comigo, porque só eu e esse cara ae sabe mexer.

[alunos] – sim, sim senhor, desculpe-me, mas eu não quero ser preso.

                Espancam-no até a morte, todos se sentem pra baixo apos matar um amigo como ele.

[professor] – ótimo, agora vão embora, eu me livro do cadáver.

[José] ahahahahahhahahhaahhahahahhahah, ninguém vai embora não, todos vão pagar pelos seus erros.

                Todos se assustam, com a risada de Takashi, mesmo todo ferrado dá uma risada de como se tivesse muita energia.

[professor] – você ainda está consciente? E que tom de voz é essa? Ei acabe com ele seus inúteis.

[José] haha, não se preocupem, eu matarei todos vocês, pragas da humanidade.

                José pega um pedaço de ferro no chão, e vai em direção a eles, com uma cara assustadora, todos com medo tentam recuar até  mesmo o professor, mas dois deles tropeçam, e é assassinado por “Takashi”, eles começam a ficar loucos e vão pra ci8ma dele, mas ele mata todos os 10(2 morreram) com uma facilidade extrema, olha para o corpo do cara que se arrependeu de ter o atacado. – desculpe-me eu não pude lhe salvar, mas não se preocupe eu vou vinga-lo. – ele vai em direção ao professor que estava assustado, que não conseguia nem se locomover.

[José] – então, pra um fracassado como você quais são suas ultimas palavras e desejos?

[professor] – eu quero que você queime no inferno e sofra.

[José] – pena que desejo de perdedor nunca se realiza, agora adeus, lhe encontro no tal “inferno”.

                José usa a barra para perfurar sua garganta. – uff, agora vou comprar carne. – José se limpa do sangue que ficou no rosto, pega a roupa do professor mesmo sendo pequena, vai para um açougue, parecendo àqueles caras de roupa apertada, compra 70 quilos de carne com o dinheiro de todos os alunos, agradece e vai para onde todos estavam mortos, as pessoas que estavam lá não reconheceram ele por estar todo sujo e espancado. Chegando ao local juntou 4 em 4 pessoas, e queimou, colocando a carne em cima para disfarçar o cheiro. Limpou todo o sangue, quebrou a fita da câmera, e foi embora para casa, tomou banho, trocou de roupas, limpou as roupas sujas, pegou o celular, e apagou a mensagem do professor, chegou perto da cama e deitou-se, apagando-se aos poucos, trocou. Takashi olha que estava deitado, sem entender nada acha que é um sonho, olha seu celular era 11 p.m, vê que não tem nenhuma mensagem, pensa que é um sonho e logo em seguida dorme.

                Acorda no dia seguinte, todo dolorido, levanta sua camisa, e vê um monte, de pancadas. – o que aconteceu acordei assim de novo? Pelo menos não estou cansado. –escova os dentes, desce as escadas e vê tudo apagado, vai para a cozinha vendo que tinha gente, as luzes se acendem, e todos gritam. – surpresa.

[Raissa] – eu nem acredito que você tirou nota máxima, parabéns eu estou realmente surpresa, você estudou?

[Takashi] – mas é claro, por que eu não estudaria? Haha. Ei isso é um vaso de ouro?

[padrasto] – sim como prometido, eu te daria um de platina, mas como você sabe, é meio impossível comprar isso, muito caro.

[kyung-soon] – e nem precisou de minha ajuda pra passar de ano.

                Takashi falando como se fosse aquelas mulheres falando com toda a certeza, com a mão levantada e o indicador apontando pra cima.

{Takashi] – minha clara Kyung-soon Mi-cha, eu nunca precisaria de ajuda vinda de você.

                Todos riram, e aproveitaram a festa com comida bolo e salgados, menos Takashi ele ficou apreciando o vaso, afinal ele não come nada, após isso todos foram a loja comprar algo pra Takashi como presente, a Raissa ficou em casa para limpar as coisas (era a vez dela), enquanto limpava, o celular dela recebeu uma mensagem de alguém anônimo, dizendo “eu estou voltando para visitar meu filho Takashi Eduardo, queria me encontrar com ele o mais rápido possível, dar uma boas vindas sabe”. Raissa se sente estranha porque o seu ex, nunca teve interesse em no seu filho, tacou o foda-se e foi fazer seus afazeres.

                No avião saindo do Japão e indo a Coréia do Sul, Hiroshi Hanaka Pai de Takashi possuído por shadoven.

[shadoven] – você pode te escapado de mim no inicio, mas eu vou te pegar de novo Manipulador das mil armas.

 

 


Notas Finais


Autor: sobre o 1º capitulo desculpe-me é a primeira vez escrevendo algo, então vou deixar esse capitulo como demonstração de uma parte da história, se gostarem me mandem mensagens, para que eu termine a história se não gostarem vou excluir tudo e criar outra, ou eu paro, agradeço pelos leitores.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...