História O insuportável do meu meio irmão - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Namjin
Visualizações 43
Palavras 1.308
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha quem voltou.
Foi mal pela demora, eu estava sem tempo.
Cap narrado pelo Jimin.

Capítulo 4 - Capítulo 4


JIMIN POV.

Eu estava tendo um sonho tão bom, tava eu e uma garota muito gostosa, estávamos no meu quarto e cara... Foi maravilhoso. 

Quando estava chagando na melhor parte meu celular toca me acordando. Era Namjoon, meu melhor amigo.

JM - Fala Nam.

NJ - Ae Jimin! Vou passar na sua casa as nove horas esteja pronto.

Estranhei.

JM - Pra que mesmo? 

NJ - Você e retardado mesmo! Bom meu amigo se você se esqueceu hoje e o meu aniversário e como meu melhor amigo vai ter que passar o dia inteiro comigo e a noite vamos pra uma balada pegar umas noanas. 

Sorri.

JM - Beleza. Te espero.

Me levanto e vou para o banheiro, escovo os dentes e tomo um banho demorado. Quando volto pro meu quarto,  olho no celular e vejo que ja são oito horas, me visto e vou tomar café. 

Quando chego a cozinha dou de cara com quem eu menos queria ver.

- Merda estraguei meu dia.

- Nossa filhinho,  sou tão feia assim? 

- Eu não sou seu filho. E você e a mulher mais feia que ja vi na vida.

Ela vem na mimha direção e me prende na parede.

- Quando você era mais novo não falava isso,  filhinho.

Odeio essa mulher. 

A empurro.

- Eu fui obrigado. Você e um ser desprezível.  Eu te odeio.

Meu pai entra na cozinha nessa hora.

- O que é isso Jimin? 

Park sarah finge eu a estava maltratando denovo.

- Ah meu amor,  eu tendo me aproximar do seu filho mas ele sempre me trata mal.

Diz ela abraçando ele e fingindo que estava chorando. Meu pai me olha bravo. Essa desgraçada sempre consegue o que quer.

- Denovo Jimin? Você não acha que está na hora de parar de agir como uma criança mimada.

Me viro e saio da cozinha, não quero ouvir mais nada.  Escuto meu pai me chamando, mas nem ligo.

Quando eu era pequeno minha vida era bem melhor. Minha mãe estava viva e eu a amava muito. Um dia ela chegou em casa com uma amiga aquela mulher me dava muito medo ela tinha um olhar de caçador me olhava como se eu fosse sua presa. Minha mãe a adorava.  Meus pais tiveram que fazer uma viajem e ela teve que cuidar de mim, nessa época eu estava com 14 anos. Assim que meus pais sairam ela me levou pro quarto e abusou de mim,  depois disso sempre que ela me via arranjava um jeito de me pegar. Quando meus pais voltaram,  eu ia contar pra eles ma ela me ameaçou. Disse que se eu contasse ela ia matar a minha mãe. Claro que eu não acreditei em nada do que ela falou então consegui contar pra minha mãe ela falou que ia mandar aquela mulher pra cadeia. Fui para escola feliz naquele dia. Quando voltei pra casa fiqui horrorizado com o que vi. Minha mãe estava caida no chão da sala. Morta. Depois disso a única coisa que eu lembro foi de ver Sarah rindo de mim e falando que não era pra mim ter contado nada pra ela. E que a culpa da minha mãe ter morrido era minha. Ate hoje eu me sinto culpado se eu nao tivesse falado nada a minha mãe poderia estar viva agora.

Depois de uns dois anos meu pai começou a se a relacionar com ela. A partir dai ele vem sendo enganado por ela. Descobri que ele tinha um casa com ela mesmo sendo casado com a minha mãe. Não acredito que ele foi capaz de fazer isso com ela. Por isso que eu não o respeito mais. Agora pra piorar com tudo essa desgraçada inventou que teve um filho do meu pai a dezesseis anos atrás e o idiota acreditou.  Ela faloi ainda que não tinha condições de cuidar dele e o deixou em um orfanato.

Mas e claro que eu nunca vou acreditar,  esse filho que ela diz ter so pode ser  cúmplice dela. Se esse moleque vir pra minha casa vou fazer da vida dele um inverno. 

Começo a sorrir.

Namjoon chega as nove em ponto.

- Tava me esperando ne? - sorri - Ainda bem que esta aqui fora, facilita a minha vida.

Entro em seu carro e partirmos pra um lugar qualquer.

...

Faltava pouco pra irmos na boate,  eu estava contando para o Nam sobre os planos da minha queridinha madrasta. 

- Mas e se o moleque realmente for filho dela? 

- Tenho certeza de que não é, só pode ser um cúmplice dela. Ela quer casar com o meu pai pra ficar com o dinheiro dele. E um filho e uma ótima opção. 

- E como ela vai encontrá-lo? 

- Ela inventou uma história la,  mas que eu saiba eles ja sabem em que orfanato ele está.  E um menino. Ela vai la amanhã pra ver se encontra o filho dela. - falo sarcástico.

- E você vai fazer da vida dele um inferno não e mesmo? 

- Com toda certeza meu amigo.

...

Chegamos na boate era umas dez horas. O Nam demora muito pra se arrumar. Esse logo foi dar em cima de ums caras. Sim ele e gay ele fala de noanas pra mim como um modo de fazer o meu passado ser meio engraçado. 

Vou pro bar da boate,  logo vejo um cara bêbado fazer um show.  Começo a rir e aplaudo quando ele termina.

Procuro Nam, e quamdo o encontro sem que não vem coisa boa por aí. Ele esta dando em cima de uma cara, e esse cara perece imcomodado.

Derrepente o carinho do show chega dando um soco em Namjoon.  Ai eles começam a brigar. Corro na direção deles e peço pro Nam parar mas ele nem me ouve.

Tento para- ló tarde demais a polícia chegou.

Resumindo fomos todos presos eu o Nam o dançarino e os amigos dele.

O engraçado foi que o amigo do dançarino falou que nem conhecia eles. Foi eengraçado o desespero deles.

Eu e o Nam estávamos tranquilos,  ja aviamos passado por aquilo várias vezes.

...

Era eu acho umas três horas da manha e eu estava ouvindo alguém chorar. Me levantei e procurei pela pessoa era o cara da dancinha. 

Me levantei e fui até ele.

- Tudo bem? 

Ele estava com a cabeça entre os joelhos.

Assim que me ouvio levantou a cabeça e me encarou confuso.

- O que te importa? 

- Calma cara!  So to querendo te ajudar. Se você ta assim por estar encrencado fica de boa nada vai te acontecer. 

- Não e por isso.

- E pelo que então? 

- Meu amigo Jin ele estava esperando uma ligação pra ver se ele foi aceito no emprego. Mas por culpa minha agora ele tem a ficha suja e talvez não consiga o emprego. 

- Ahnn...

Meio que fiqui sem palavras. Me sentei ao seu ledo e o puxei para uma abraço desajeitado.  Ele ficou surpreso com meu ato, mas não se afastou e logo começou a chorar novamente. Fiz carinho em seus cabelos.

- Sabia chorar as vezes e bom. Minha mãe sempre dizia que quando choramos estamos jogando fora as coisas que nós deixam triste.

- Mas também choramos de alegria.

- Ta. Mas ai ja e outro caso.

Ele sorriu e se deitou no meu colo continuei fazendo cafuné nele.

- Ah qual e o seu nome mes... - ele ja tinha dormido que ótimo. 

...

De manhã fui o primeiro a acordar tirei a princesinha do meu colo e fui acordar o Nam. Falei pra ele o que acoteceu com a princesinha e ele riu.

- Princesinha sério? 

- Ele tem cara de princesa.

O guarda logo apareceu e liberou a gente.  

Nam me deixou em casa e fui direto pro meu quarto dormir de verdade.


Notas Finais


Essa Sarah e uma desgraçada.
Odeio ela.
Tadinho do Jimim.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...