História O Irmão - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto, Tonari no Kaibutsu-kun
Tags Deiita, Kibaneji, Kisanan, Nagahiko, Narusasu, Sasogaa
Exibições 299
Palavras 1.123
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi!

Mais um capítulo.
Nesse teremos a última parte do acampamento.

Capítulo 19 - Acampamento Parte Final


Fanfic / Fanfiction O Irmão - Capítulo 19 - Acampamento Parte Final

Kiba Inuzuka:

 

            Depois de toda aquela cena da Ino com o Sai, fui tomar café da manhã, junto com Naru, Sakura e Hinata, que conversavam alegremente e eu percebi um certo climinha entre as duas garotas. Mas o que é isso? Agora todo mundo resolveu desencalhar de uma vez e com os garotos que até uma semana atrás nós nem sabíamos que existia?

            Comi e fui até o lago e quando cheguei lá, percebi o ômega de cabelos compridos, Neji e ele tinha os olhos fechados, parecia estar meditando.

            Me aproximei mais e fiquei o olhando por alguns minutos, até que ele finalmente abriu os olhos e me viu.

 

- Tava me espiando? – ele falou, com uma careta e eu ri.

- Até parece. Por que eu iria querer te espiar? Eu nem sabia que você tava aqui. – falei e ele me olhou, com uma sobrancelha arqueada – Você não é nem um pouco fofo sabia? Nem parece um ômega.

- Isso é preconceito sabia? Um estereótipo que as pessoas colocam. Nem todos os alfas tem que ser uns machões metidos a besta e nem todos os ômegas tem que ser fofos e frágeis. – ele falou, se levantando.

- Na verdade, até ontem eu só conhecia o Gaara de ômega e sempre pensei que todos fossem fofos como o Sasuke ou manhosos como o Gaara, mas você não se parece nem com um, nem com outro. – falei e ele deu um sorriso e nossa, que sorriso é esse?

- Viu só? Nós não somos iguais. Assim como os alfas também não são iguais. As pessoas em geral não são iguais, todos tem suas particularidades. E... quanto a ser fofo... quem disse que eu quero? – ele falou e eu me levantei também, me aproximando.

- Realmente, se você não quer, tá fazendo um excelente trabalho. Eu pensava que ômegas eram fofos e frágeis, mas você tá tão longe disso. – falei, com um sorriso sarcástico.

- Eu não quero ser fofo e frágil. Pra que eu tenho que ser fofo e frágil? Pra morrer igual aos meus pais? Não, muito obrigado. – ele falou, se virando em seguida pra sair e eu fiquei intrigado. Como assim? O que ele quis dizer? – Pode ir dar uma de machão pra cima de outro tá, eu não tô afim. – ele falou, com um sorriso e foi embora, me deixando com cara de bobo e irritado.

 

            Saí de lá e o vi conversando ao longe com o Sasuke e o Naru e voltei para o local das barracas e vi a Sakura e a Hinata se agarrando, a morena no colo da rosada e me aproximei, sentando à frente delas, pigarreando pra que elas percebessem que eu estava ali e elas me olharam e Hinata ficou muito corada e tentou descer do colo da rosada, mas a mesma a agarrou forte e não a deixou sair.

 

- Kiba, o que você quer? – Sakura me perguntou irritada e eu só rolei os olhos.

- É que eu estava conversando com o Neji e... – comecei a falar e a morena me cortou.

- Você gosta do meu primo? – Hinata perguntou e eu senti o meu rosto esquentar.

- O quê? É claro que não. – falei, sabendo que certamente eu estava vermelho.

- Aham... e por que tá corado então? Fala sério Kiba, eu te conheço. – Sakura falou e eu suspirei.

- Tá bom, eu vou falar a verdade. Eu acho ele irritante. Ele é completamente diferente da imagem que eu sempre tive dos ômegas. Sempre pensei que eles fossem doces, frágeis e fofos, mas ele não é nada disso. Mas mesmo assim... eu acho que eu gostei dele. – falei, sentindo meu rosto esquentar ainda mais.

- Ai que fofo. Olha... pra falar a verdade, se você conhecer bem o Neji, você vai perceber que no fundo ele é sim, doce e fofo, mas ele não gosta de demonstrar isso. – Hinata falou e eu me lembrei do que ele falou antes.

- Isso tem alguma coisa a ver com os pais dele? O que aconteceu exatamente com os pais dele? – perguntei e a Hinata ficou com um olhar triste de repente.

- Meu tio Hizashi, o pai do Neji era irmão gêmeo do meu pai. Ele era um alfa forte e extremamente inteligente e se casou com um ômega do nosso clã, que se chamava Tokuma. Ele era o ômega mais doce, frágil e fofo, como você mesmo falou e os dois tiveram um filho, o Neji. – ela falou e respirou fundo, antes de continuar – Eles eram muito felizes e apaixonados. No entanto, o tio Tokuma chamava a atenção por causa do jeitinho fofo dele e quando o Neji tinha sete anos... o tio Hizashi foi em uma reunião importante com o meu pai e uns alfas aproveitaram a ausência dele e invadiram a casa e violaram o tio Tokuma, o deixaram muito machucado e o tio Hizashi chegou e os viu atacando o esposo e partiu pra cima deles e eles o mataram. Mataram os dois. O Neji viu tudo. Ele ficou em estado de choque e ficou sem falar por quase um ano. É por isso que ele não gosta de demonstrar fragilidade e treina todos os dias pra ser tão forte quanto qualquer alfa e é por isso também, que o meu pai é superprotetor com ele. Mas no fundo, o Neji tem um coração frágil e ele se machuca fácil. – ela falou e eu fiquei chocado e triste com a história.

           

            Saí dali, tentando absorver tudo o que tinha ouvido e fui andando e vi o Neji ao longe, com os olhos fechados novamente, provavelmente meditando de novo, porém quando me aproximei mais, percebi que algumas lágrimas corriam pelo rosto dele e eu não aguentei e me aproximei mais, me abaixando e o puxando pra um abraço e senti ele dar um pulo assustado e tentar me empurrar, mas ele pode até ser mais rápido e mais habilidoso, mas eu sou mais forte fisicamente e não o soltei e ele continuou tentando me empurrar por um tempo, até que finalmente desistiu e correspondeu ao meu abraço.

            Ficamos alguns minutos ali abraçados e quando eu o soltei, percebi que ele estava corado e eu sorri, Hinata tinha razão, no fundo ele também é fofo. Eu percebi que ele iria falar alguma coisa, mas a atenção dele foi desviada para outro local e quando eu olhei pra ver o que era, vi o Gaara, andando lentamente, com o celular na mão, pálido e com lágrimas no rosto.

            Corremos até ele, assim como todo o resto do grupo e quando nos aproximamos, ele pulou no Naru, o abraçando, chorando.

 

- O que houve? – Naru perguntou, abraçando-o também.

- Meu irmão Naru... ele morreu.


Notas Finais


É isso.
O que será que aconteceu com o Kankuro?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...