História O Irmão - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto, Tonari no Kaibutsu-kun
Tags Deiita, Kibaneji, Kisanan, Nagahiko, Narusasu, Sasogaa
Exibições 299
Palavras 1.039
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi!

Mais um capítulo.
Nesse será mostrado o que aconteceu depois que o Gaara soube de toda a verdade.

Capítulo 21 - Visita ao IML


Fanfic / Fanfiction O Irmão - Capítulo 21 - Visita ao IML

Gaara Sabaku:

 

            Depois de ouvir tudo aquilo, corri feito um maluco, não queria ouvir mais nada, não queria ficar perto daquele sujeito, ele matou o meu pai e por causa dele, a minha mãe e o meu irmão estão mortos também.

            Corri, sentindo as lágrimas, que não paravam de cair quentes sobre o meu rosto, até que sinto alguém me puxar e quando olho pra trás, vejo Naruto, que me olha com um olhar preocupado e em seguida me puxa em um abraço, que eu correspondi e ficamos alguns minutos ali, até ele me puxar até um banco na rua e sentar comigo ali e eu deitei a minha cabeça no peito dele, só então eu percebi que todos os outros que também estavam no acampamento estavam ali. Eu nem tinha notado a presença deles.

 

- Vai ficar tudo bem. – ele disse, segurando a minha mão.

- Não, não vai. Meu irmão tá morto, como vai ficar tudo bem? E sabe qual foi a última coisa que eu disse pra ele Naru? Eu disse que o odiava. Eu tava com tanta raiva por ele não acreditar em mim... nós brigamos e ele me deu um tapa no rosto e eu disse isso... disse que o odiava, mas não é verdade, eu amo o meu irmão. – falei em meio às lágrimas e senti ele afagar os meus cabelos.

- Eu sei. Eu via o quanto vocês três eram unidos. Essa briga deve ter sido bem feia pra ter chegado a esse ponto. Mas Gaa, eu tenho certeza que seu irmão sempre soube o quanto você o ama. – ele falou, também chorando.

- A culpa de tudo isso é minha Naru. Meu pai, minha mãe, meu irmão... todos estão mortos por minha culpa, porque eu sou uma porcaria de um ômega. – falei e ele levantou minha cabeça, me fazendo olhá-lo.

- Não fala isso. Você não teve culpa, era uma criança, como poderia ter culpa? Você não fez nada de errado. A culpa é dessas pessoas maldosas, sem coração que não se importam com o sofrimento dos outros. E você ainda tem a Temari... o Shikamaru... eu. Eu gosto de você tanto quanto gosto do Dei e da Ino. Você é o meu irmão do coração. – ele falou entre lágrimas, me abraçando novamente.

 

            Nós ficamos lá por algum tempo e quando voltamos, Temari me abraçou novamente e chorou mais algum tempo, me pedindo desculpas por não ter contado nada, por ter escondido toda a verdade sobre a morte dos nossos pais.

 

- Temari... eu quero ver o meu irmão. – falei, quando ela me soltou e ela deu um suspiro e me olhou preocupada.

- Gaa... eu não sei se é uma boa ideia. Você é muito sensível e nosso irmão tá... irreconhecível. – ela falou, deixando cair algumas lágrimas no final.

- Mas eu quero ver mesmo assim. – falei e ela suspirou novamente.

- Mas... – ela falou, mas foi cortada pelo Shika.

- Deixe ele ir Tema. Ele tem direito de ver o irmão. E nós vamos com ele. – ele falou e eu agradeci, com um aceno de cabeça, que foi correspondido da mesma forma.

- Tá bom. Mas nós vamos com você. – ela falou e me pegou pela mão, me levando até o carro do Shika e fomos o caminho inteiro em silêncio. Meus amigos seguiram a gente, assim como o ruivo que era o namorado do meu irmão.

 

            Chegamos lá e apenas Temari, Shikamaru, Sasori e eu entramos. O resto ficou esperando do lado de fora.

            Entramos na sala e eu vi o corpo do meu irmão deitado, com algo cobrindo e quando destaparam, minhas lágrimas caíram novamente e eu me senti tonto, meu irmão estava irreconhecível. Como puderam deixar ele desse jeito? Temari teve uma crise de choro e Shikamaru a levou pra fora quase desmaiada e eu fiquei olhando mais algum tempo, até que senti minha cabeça girar e minha visão escurecer e depois não vi mais nada, somente escuridão.

 

_____     x    _____

 

Sasori Akasuna:

 

            Gaara pediu para levarem ele ao IML para ver o irmão e eu resolvi ir junto, queria ver o Kanku. Porém, quando chegamos lá e levantaram aquele pano, o meu sangue gelou e eu não consegui evitar as lágrimas de caírem pelo meu rosto. Como meus pais puderam chegar ao ponto de fazer uma coisa dessas? Torturar uma pessoa até a mesma ficar irreconhecível. Isso é monstruoso. O Kanku não merecia uma coisa dessas, ele era a melhor pessoa que eu já conheci.

            Shikamaru teve que levar Temari, que estava passando mal e quando olhei para o Gaara, vi que ele não estava bem e corri até o mesmo, que acabou desmaiando, porém eu consegui segurá-lo antes que caísse no chão.

            Peguei ele no colo e o levei pra fora daquele lugar e quando chegamos na rua, Temari correu até nós, olhando preocupada para o irmão, que de repente começou a se remexer e abriu os olhos e eu acho que por um momento ele esqueceu que tudo isso é minha culpa, porque me abraçou, chorando e eu retribuí, apertando o abraço, até que ele lembrou quem eu era e me soltou abruptamente, corado, se remexendo e pedindo pra descer do meu colo.

            Coloquei ele no chão e ele cambaleou, porém foi segurado por aquele amigo loiro dele e isso me irritou. Eu sei que é ridículo em uma situação dessas eu ter ciúmes, mas o que eu posso fazer? Eu tô mesmo. Não gostei desse loiro.

            O loiro o levou até o carro do Shikamaru, o ajudando a sentar lá dentro, porque ele ainda estava tonto e logo Temari e Shikamaru entraram e perguntaram se eu iria à casa deles e eu neguei com a cabeça, sei que o Gaara não quer me ver agora, então eu vou dar um tempo pra ele assimilar toda essa história.

            Olhei pra ele, que tinha a cabeça deitada no banco do carro, com uma expressão triste, que me doeu ver e vi o carro se distanciar e os amigos dele irem embora também e eu fiquei ali sozinho, pensando em tudo o que tinha acontecido desde o início e o pior é que de uma coisa eu tinha certeza, isso está bem longe de acabar.


Notas Finais


Próximo capítulo provavelmente sairá na segunda-feira.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...