História O Irmão - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto, Tonari no Kaibutsu-kun
Tags Deiita, Kibaneji, Kisanan, Nagahiko, Narusasu, Sasogaa
Exibições 307
Palavras 1.813
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi!

Mais um capítulo.
Então, eu ia postar esse capítulo amanhã, mas tava muito ansiosa e acabei postando hoje mesmo.
Finalmente teremos a tão aguardada conversa entre o Itachi e o Deidara.

Capítulo 23 - Revelando a Verdade


Fanfic / Fanfiction O Irmão - Capítulo 23 - Revelando a Verdade

Deidara Uzumaki:

 

            Queria tanto ver o Itachi novamente, pedir perdão por tudo o que eu fiz, mas eu não sei onde ele está. Fui diversas vezes até a casa do pai dele, mas me informaram que ele não mora mais lá. Liguei para o Nagato, mas ele não me informou sobre o paradeiro dele, disse que o próprio Itachi é quem deve falar e que ele havia o proibido de falar qualquer coisa. Que irônico, o meu primo é amigo dele. Meus pensamentos foram interrompidos pelo meu celular que toca.

 

- Dei? É o Nagato. Eu preciso que você venha com urgência até o hospital. É sobre o Itachi. Ele precisa falar com você. – fiquei sem reação. Não sabia o que dizer ou o que fazer. Ouvi ele gritando na linha, mas eu nem me despedi, desliguei o telefone e corri até meu carro, indo direto para o hospital.

 

            Quando cheguei lá, me deparei com Nagato e o namorado dele Yahiko me esperando na porta. Eles me levaram até o jardim e eu vi de longe o Itachi, abraçado a uma garota e eu me senti incomodado.

            Me aproximei e quando cheguei à sua frente, ele me olhou e eu percebi que ele estava com os olhos vermelhos e inchados, provavelmente tinha chorado.

 

- Sente-se. – ele falou, apontando com a cabeça para o banco em que ele estava sentado e eu me sentei à sua frente e o olhei por um momento. Ele estava ainda mais lindo do que era na adolescência.

- Itac... – comecei a falar, mas ele me interrompeu.

- Deidara, eu vou ser muito sincero com você... se dependesse de mim, eu nunca mais olhava na sua cara. – ele falou e eu baixei a cabeça, ele tinha todo o direito de ter raiva de mim. Ouvi ele suspirar antes de continuar – Mas eu não posso fazer isso. Não posso mais esconder a verdade. Não por mim, mas por alguém muito mais importante, a pessoa mais importante da minha vida.

- Do que você tá falando? Que verdade? Que pessoa? – perguntei confuso e até um pouco enciumado. Ele me chamou aqui pra falar de um namorado?

- Sasuke. Ele é a pessoa mais importante da minha vida. Aquele dia que eu fui até o Juizado, eu fui por causa dele. Eu queria, ou melhor, eu quero tirar a guarda dele do meu pai. – ele falou e as coisas começaram a fazer sentido. Ele estava falando do irmão.

- Você quer tirar a guarda do seu irmão do seu pai? Itachi isso é um pouco... – comecei a falar, mas ele me interrompeu.

- Não Deidara. Eu não quero tirar a guarda do meu irmão do meu pai... eu quero tirar a guarda do meu filho do meu pai. – ele falou e eu arregalei os olhos e entreabri a boca em surpresa. Itachi tem um filho?

- V-você... tem um filho? – falei, ainda surpreso e ele fechou os olhos e respirou fundo, abrindo os olhos novamente, antes de continuar e o que ele falou em seguida me deixou ainda mais chocado.

- Não Deidara, eu não tenho um filho... nós temos um filho. Nós dois, eu e você. – ele falou e eu fiquei paralisado, com os olhos arregalados. Não conseguia respirar direito e me senti tonto.

- C-como é? – falei e ele respirou fundo novamente e continuou.

- No dia em que você me levou para aquele lugar e me usou, eu engravidei. Sou um ômega você sabe e você não usou nenhum tipo de proteção. – ele falou e eu senti lágrimas se acumularem nos meus olhos, que piscavam sem parar – Quando eu descobri, meu pai me tirou da escola e me mandou pra fazenda da família, pra que ninguém descobrisse e eu fiquei lá até o dia em que o meu filho nasceu e quando ele nasceu, o meu pai o tirou de mim, dizendo que iria criá-lo como seu filho e que eu não seria nada mais que o irmão mais velho. Eu tentei convencê-lo, implorei pra que ele não fizesse isso, mas ele não me ouviu, levou o meu filho e me mandou pra um colégio interno, bem longe de Konoha, onde eu fiquei até os 18 anos. E quando eu saí de lá, tentei voltar, mas o meu pai não permitiu. Só semana passada é que eu consegui voltar, com a ajuda dos meus amigos, Nagato, Yahiko, Konan e o Kisame, que tá lá fazendo companhia pro Sasuke. – ele falou e eu não pude mais conter as lágrimas, que agora caíam sem cessar e ele também estava chorando. Coloquei as mãos no rosto e passei para os meus cabelos, bagunçando-os. Levantei do banco e me abaixei na frente dele e fiquei de joelhos e ele me olhava com os olhos arregalados.

- Itachi, me perdoa. Por favor, me perdoa. Eu fui um completo idiota com você. Eu nunca devia ter feito o que eu fiz. Eu me arrependi. Todos esses anos, eu me corroi de culpa. Tudo o que eu queria era te pedir perdão, mas eu pensava que você tava morto, seu pai me disse que você havia morrido. Se eu soubesse de tudo isso, tinha ido atrás de você, nem que fosse do outro lado do mundo. Eu te amo. Sempre te amei e continuo te amando. – falei e as lágrimas dele se intensificaram.

- Achei que você tivesse nojo de mim. – ele falou e eu neguei com a cabeça.

- Nunca. Eu nunca tive nojo de você. Eu sentia nojo era de mim mesmo por ter feito tudo o que eu fiz. Por dar mais importância pros meus falsos amigos e minha imagem do que pra você, o amor da minha vida. – falei e ele virou o rosto, limpando-o, tentando conter as lágrimas, porém sem sucesso – Eu sei que deve ser muito difícil pra você me falar essas coisas e que eu não tenho direito de te pedir perdão, mas mesmo assim, eu peço que você me perdoe.

- Isso não tem importância agora. O importante agora é o Sasuke. O nosso filho. – ele falou entre lágrimas, me pedindo pra levantar e eu levantei e sentei novamente ao seu lado – Tem mais uma coisa que eu tenho que te falar. O motivo pelo qual eu preciso tirar a guarda do Sasuke do meu pai. Deidara... meu pai maltrata o Sasuke. Ele fala coisas horríveis pro Sasuke e... ele o agride. – ele falou e eu arregalei os olhos mais uma vez.

- O quê? – falei chocado e irritado com o que tinha ouvido.

- É o que você ouviu. Meu pai bate no Sasuke, no nosso filho. E hoje ele... ele o machucou muito e ele teve que ser internado. – ele falou, as lágrimas voltando a cair novamente e eu me levantei irritado, andando de um lado pro outro, bagunçando meus cabelos, tentando conter a raiva.

- Dei, se acalma. – Nagato falou e eu o olhei ainda irritado.

- Como eu vou me acalmar? Esse desgraçado primeiro mente, dizendo que o Itachi tá morto e me impedindo de procurá-lo e agora bate no meu filho? Eu vou matar esse desgraçado. – falei com raiva e meu primo me segurou pelos ombros, olhando nos meus olhos.

- Se acalma e não faz besteira. Nós te procuramos porque precisamos da sua ajuda. Você precisa manter a calma e pensar com clareza pra poder ajudar o seu filho. – Nagato falou e eu assenti, tentando me conter e voltei a me sentar no banco com o Itachi, que me fitava, sério.

- O que exatamente você quer de mim Itachi? – perguntei e ele olhou fundo nos meus olhos.

- Quero que você me ajude com o processo de guarda que eu vou entrar contra o meu pai. Preciso que você me oriente. – ele falou e eu assenti.

- Claro. Com certeza. – falei e ele desviou os olhos e logo me olhou novamente.

- E tem mais uma coisa. Meu pai me ameaçou. Ele disse que se eu fizesse qualquer coisa, quem pagaria seria o Sasuke e que ele sumiria no mundo com o meu filho. Por isso esse processo tem que ser sigiloso Deidara. Meu pai só pode ficar sabendo quando eu conseguir tirar o Sasuke de perto dele. Nem que seja o sequestrando. – ele falou e eu neguei com a cabeça.

- Não Itachi, você não pode fazer isso. Se fizer, seu pai vai poder usar isso contra você. – falei e ele suspirou – Mas olha... você disse que o Sasuke tá internado... – falei e ele assentiu – Então, ele vai demorar provavelmente alguns dias pra ser liberado. – falei e ele assentiu novamente – Ok, eu vou entrar então com um pedido urgente de custódia pra tirá-lo do seu pai e depois nós entramos com o pedido de guarda total.

- Certo. Você quer conhecê-lo? – ele me perguntou e eu não consegui evitar sorrir.

- Claro. É o que eu mais quero. Achei que você não iria querer que eu me aproximasse dele. - falei e ele negou com a cabeça.

- Eu não tenho esse direito, você é o pai dele, não vou fazer com você o que meu pai fez comigo. – ele falou e levantou, me dizendo para segui-lo e nós entramos novamente no hospital, até que chegamos em frente a um quarto e ele me olhou e respirou fundo, abrindo a porta e entrando e eu entrei logo atrás dele e quando olhei vi um homem alto, sentado em uma cadeira e um menino moreno, extremamente parecido com o Itachi, porém muito machucado e de olhos fechados, dormindo.

- Ele tá sedado. Não vai acordar tão cedo. – Itachi falou e eu me aproximei da cama e senti meus olhos arderem e lágrimas caírem e sorri, olhando para aquele menino, pequeno, frágil e tão ferido e logo percebi que ele é um ômega. Até nisso ele é parecido com o Itachi. Sorri com esse pensamento e passei minhas mãos em seus cabelos, afagando-os e me abaixei, dando um beijo em sua testa, acariciando seu rosto em seguida.

- Oi Sasuke. Você não me conhece e eu também não te conheço, mas eu quero muito. Quero muito conhecer você, ficar perto de você. Quero ser o seu pai, um de verdade, não um monstro que te machuca, se você me permitir é claro. Eu não vou deixar ninguém te machucar nunca mais, viu? Meu filho. – falei, dando outro beijo nele e ele se remexeu na cama, porém não acordou. Ele é tão lindo. Tanto quanto o Itachi. Olhei pra ele e ele chorava, abraçado àquela garota, amiga dele e eu suspirei. Eu o machuquei tanto, o fiz sofrer tanto. Mas agora as coisas vão ser diferentes. Nós vamos tirar a guarda do Sasuke daquele Uchiha desgraçado e ele vai poder ser feliz junto do filho e quem sabe com o tempo ele não possa me perdoar e nós possamos ser uma família finalmente.


Notas Finais


É isso.
Eu não resisti a postar esse capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...