História O irmão do meu melhor amigo - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 179
Palavras 1.056
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Me desculpem pelo capítulo bosta...


Boa leitura!

Capítulo 37 - Atelefobia!


Tentei ir pra cima dele mas os moleques me seguraram, sentia as veias do meu pescoço saltando de tanto que eu estava nervoso.

  - ME SOLTA, ME SOLTA PORRA! - tentei me soltar mas Gustavo e Matheus não deixaram. 

  - Qual é o seu problema? - o filho da puta perguntou com a mão no nariz. 

  - Qual o meu problema? - ri sem humor. - Você realmente está perguntando isso? 

  - Guilherme, você não tem que se intrometer nisso, é problema meu e da Lu...- aproveitei que os caras se distraíram e interrompi Lucas com um soco na boca. 

  - Guilherme mano, que porra é essa? - esbravejou João. 

  - Pergunta pra esse lixo aí! - encarei Lucas com nojo. 

  - Ele tá ficando louco, eu não fiz nada! - se fez de coitado. 

  - Não fez nada? Não fez nada? - perguntei incrédulo. - Você apostou a virgindade da minha irmã seu filho da puta!

  - O QUÊ? - João o encarou incrédulo. 

  - Ah claro, ela tinha que ir chorar para o irmãozinho dela...- debochou Lucas. 

  - Como você pôde? - perguntou João o encarando com nojo. 

  
      

                             P.O.V Lucas


    
Estava ciente que mais dia ou menos dia esse momento ia chegar, e obviamente que Guilherme e os amiguinhos dela iam querer me dar uma surra. 

  - Calem a merda da boca, vocês fazem pior, comem as minas e depois tratam elas como se fossem lixo. - disse com raiva. 

  - E você ia fazer o quê? Pedir ela em namoro? - perguntou João com ironia. 

  - Não ia pedi-lá em namoro, mas pelo menos ela iria perder a virgindade dela com um cara que ela conhece...- dei de ombros. - E tenho certeza que eu iria dar mais prazer a ela do que todos esses viadinhos que sonham comê-la. - disse encarando Gustavo, ele e Guilherme tentaram vir pra cima de mim mas os caras o impediram. 

  - Você me dá repulsas! - disparou Rafael. 

 - Falou o que sabia da história inteira e ainda ficava me cobrando e zombando da minha cara porque eu ainda não tinha tirado o bagaço dela...- cantarolei. 

  - Antes de saber quem era ela de verdade, antes de perceber o quão incrível ela é! - defendeu-se me fazendo revirar os olhos. 

  - Nenhuma menina merece isso, sendo incrível ou não, nenhuma merece isso! - disse Guilherme

  - Sujo falando do mal lavado, nenhuma menina merece ser tratada do jeito que você trata Melissa e eu não estou falando nada! - retruquei. 

  - Não tente desviar o assunto! - rosnou ele. 

  - Seis por meia dúzia queridão...- disse como se fosse óbvio. 

  - CHEGA! - e lá estava ela, com a pele pálida e a voz chorosa, seus cabelos balançavam por causa do vento, e seus olhos brilhavam tanto quanto cristais pelo fato de ter lágrimas acumuladas. 

  - Luiza...- balbuciei. 

  - Vamos embora Guilherme! - disse ela sem me olhar. 

  - Vai na frente que eu já vou indo. - disse ele. 

  - Vamos embora Guilherme! - repetiu ignorando o que ele tinha dito. 

  - Eu já estou in...- ela o interrompeu. 

  - Por favor! - pediu em forma de súplica. 

  - Tudo bem! Fica longe da minha irmã! - apontou o dedo em minha direção e logo em seguida foi na direção de Luiza. 

  - A Amanda está te esperando lá em casa João! - disse ela antes de se virar e ir embora. Suspirei pesado e me virei para ir para o vestiário. 


     
                      P.O.V Luiza


  - O que estava fazendo lá? - perguntou Guilherme em quanto caminhávamos de volta pra casa. 

  - Melissa me ligou dizendo que você ia arrumar confusão com Lucas! - respondi sem olhá-lo. 

   - Ela o quê? - perguntou incrédulo parando de andar. - Essa garota é ridícula! - balançou a cabeça negativamente. 

  - Sendo ridícula ou não ela é mãe do seu filho, e quase perdeu o mesmo por causa de um showzinho ridículo de vocês dois! - voltei a andar. 

  - É, ela disse que foi parar no médico. - comentou ele. 

  - E você? 

  - Eu o quê? - perguntou confuso. 

  - Não ficou preocupado? 

  - Você mais do que ninguém sabe que eu não acredito que essa criança seja filho meu, então não me importo. - deu de ombros. 

  - É só uma criança! - rebati. 

  - Não, é só um empecilho! - disse ele amargo me fazendo respirar pesado e ficar quieta pelo resto do caminho. 



    
      Subi para o meu quarto e me joguei na cama, fiquei encarando o teto e flashes começaram a vir em minha cabeça, com certeza aqueles palavras de Lucas me atingiram e não foi pouco, pelo menos mais do que deveria...

   
 Eu não sei dizer
O que aconteceu
O que me prendeu a ti

Já tentei me convencer
Que o melhor era não ver você
E fugir, mas
Talvez seja o teu cabelo
Bagunçado e sem jeito
Ou o jeito que, me hipnotiza
Com a tua voz, faz meu dia melhor
Como sempre...

Mas quando tu se vai
Arranca um pedaço de mim
Leva no bolso; 
Por isso garoto
Se for pra ir
Então que vá...

Não brinca de ficar, porque eu não sei brincar
Ou eu entro pra ganhar
Ou eu nem entro no jogo
Mas como eu tenho, azar no amor
Talvez eu tenho sorte no jogo
Mas... Só talvez



                    P.O.V Lucas


  
Entrei em meu quarto e tomei um susto assim que vi Brenda deitada em minha cama. 

  - O que está fazendo aqui? - perguntei enquanto tirava a blusa. 

  - O que aconteceu com você? - se levantou da cama e veio em minha direção, tentou tocar meu rosto mas eu desviei. 

  - Nada que te interesse, como entrou aqui? - saí de perto dela. 

  - Foi por culpa dela não foi? Foi por culpa daquela puta! - exclamou raivosa. 

  - O que você está falando garota? - perguntei confuso. 

  - Não se faça Lucas, você sabe muito bem de quem eu estou falando...- bufei irritado. 

  - Não fala assim dela! - rosnei com raiva. 

  - Será que você não percebe? Ela só te faz mal Lucas, todos os seus amigos vão virar a cara pra você por conta daquela putinha. - disse ela venenosa. 

  - Cala sua boca! - disse com raiva. 

  - Estou mentindo? - encarou-me debochada.

 


Notas Finais


HMMM, o que será que Brenda está fazendo ali hein????


Comentem please...


Melissa mais uma vez atacou.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...