História O lado avessado da Vida - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Ação, Droga, Ficção, Romance, Sexo, Xingamentos
Exibições 9
Palavras 943
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


PODEM ME BATER, EU DEIXO ❤️
Eu tinha excluído a fanfic, porém voltei atrás e comecei a escrever novamente.
Vou continuar escrevendo ela ✨
Enfim, espero que gostem e não me abandonem 💕

Capítulo 10 - Enfim estou em casa


Fanfic / Fanfiction O lado avessado da Vida - Capítulo 10 - Enfim estou em casa

    Chegamos em casa rápido já que não tinha tanto trânsito assim, peguei a chave e abri aporta dando passagem para a América que estava boquiaberta e surpresa ao mesmo tempo. 
    

Peguei a sua bolsa e coloquei ao lado do sofá e voltei para fechar a porta.

— É... Essa é a sua casa, você me convidou para morar aqui tem uns dias. — digo quebrando o silêncio que pairava pelo local.

— É tão linda. — ela diz ainda encantada com tudo.

— Você deve estar cansada, vem eu vou te mostrar onde fica cada cômodo da casa, depois você vai tomar um banho e eu faço um lanche saudável para você. 

    Subimos as escadas, apoiei ela nos meus ombros ajudando ela a subir já que não estava boa o suficiente para fazer esforços, mostrei a ela onde ficava cada cômodo: o meu quarto, o banheiro, uma sala de estudos que estava meio abandonada e por fim o quarto dela, que a mesma disse que não gostou de algumas coisas e que iria mudar assim que pudesse. Depois deixei ela no banheiro, entregando uma toalha e suas roupas e desci para preparar um lanche.
  

 Fiz um suco natural de laranja, e um sanduíche natural apenas com tomate, alface e uma fatia de queijo light que eu tinha comprado. Coloquei tudo em uma bandeja e subi em direção ao seu quarto para esperar ela terminar o banho. Em poucos minutos ela entrou no quarto sorrindo, olhei para ela e a mesma parecia uma bonequinha com aquele baby doll.
    

— É aqui está sua comida, espero que goste. — digo.

— Obrigada. — ela diz sorrindo.

—   Eu vou saindo, qualquer coisa me chama. 

— É... Como é seu nome mesmo? — ela pergunta sem graça.

— Paulo. — digo sorrindo.

— Paulo, fica aqui comigo. — ela sussurrou baixo, mas o suficiente para eu ouvir. — Sabe, eu tô com um pouco de medo.

— Tudo bem princesa, não precisa ter vergonha. — digo e me sento na cadeira da sua penteadeira.

— Obrigada. — ela diz e sorri, um sorriso que poderia me matar a qualquer momento de tão feliz que eu estava, estava transbordando de alegria.

— Não é nada. — digo esperando ela terminar de comer.

    Ela termina de comer e eu sugiro que ela descanse.

— Mas, eu queria saber sobre mim. — ela diz cabisbaixa.

— Amanhã anjo, o médico recomendou que você descansasse e não fizesse esforço. — digo alisando o seu cabelo macio. — Além disso, amanhã você provavelmente  tem visitas.

— Quem? — ela diz alegre.

— A Selena e o Marcelinho. 

— Ah, não me lembro deles.

— Tudo bem, agora vai dormir. — digo.

— Ah, só uma perguntinha? Além dessa. — ela insiste.

— Ok, ok, só uma tá? — digo rindo pela teimosia dela, mesmo com tudo que ocorreu ela não deixava de ser teimosa.

— E a minha família? — ela diz sorrindo.

— É, então... Eu acho melhor você saber disso depois, quando estiver em melhores condições. — digo cabisbaixo.

— Ah, já entendi. — ela sorri fraco — Eu queria poder lembrar de tudo, ou pelo menos parte dela.

— O médico disse que tem possibilidades de você se lembrar de algumas coisas. — dou um sorriso  de lado —  Mas, pra isso você tem que descansar. 

    Digo colocando o edredom sobre ela, aquecendo a mesma que sorri em agradecimento.

— Boa noite! E dorme bem, amanhã tem muita coisa pela frente. — digo beijando a testa dela.

— Boa noite, obrigada e desculpa pelo incomodo. 

— Cuidar de você nunca será um incômodo pra mim, posso fazer isso pelo resto da minha vida. — digo dando um sorriso, agora, verdadeiro.

    Ela corou, ficando sem graça e então eu saí resolvendo deixar ela dormir. Levei a bandeja para a cozinha e lavei a louça que havia ali, em seguida guardando a mesma. Depois fui tomar um banho no intuito de relaxar, e realmente funcionou, vesti uma cueca boxer azul e um short de dormir. Meu celular tocou, olhei o visor que estava escrito " Marcelo ", provavelmente ele queria notícias da América, por fim eu atendi.
    

Depois de um tempo conversando com o Marcelo, combinamos dele, a Selena, o Henry, o Pedro e o Lucas virem almoçar aqui amanhã para conversar um pouco com a América e tentar ajudar ela a se lembrar de algo.
    

Olhei no relógio que marcava 15:39 e resolvi descer para assistir o jogo que já devia estar acabando. 

[...] 
  

 O resto da noite foi tranquila. América acordou, comeu, nós assistimos um pouco de TV e depois fomos dormir novamente. 

[...] 

    Acordei e fiz o café: Suco de laranja, torradas, geleia de morango, pão, queijo e leite. Em seguida fui acordar a América. Subi as escadas, abri a porta e para minha surpresa a América já estava acordada, arrumando a cama da mesma. Sorri automaticamente ao ver aquela cena. 
    

Ela terminou de arrumar e virou-se para mim com um sorriso no rosto.

— Vim te chamar para tomarmos café, mais tarde alguns amigos seu vem aqui te ver. 

— Vamos mesmo, porque eu estou morrendo de fome. — ela diz rindo.

    Descemos a escadas e sentamos na mesa colocando o que cada um desejava comer. Comemos rápido e a América disse que ia procurar alguns livros virtuais para ler e eu fui assistir. 
[...] 
  

 Era meio dia, o almoço já estava pronto e provavelmente todos já estavam chegando. A Meri tinha ido tomar banho e se arrumar e eu colocando os pratos e talheres na mesa. Fiz um almoço normal, já que a América não poderia comer nada gorduroso. 
 

   A campainha tocou e eu fui atender. Todos estavam ali sorridente com presentes nas mãos. Dei passagem para todos entrarem e fechei a porta indo chamar a América. A mesma chegou rapidamente a sala dizendo que tinha se lembrado de algo. 

— Paulo, eu lembrei. EU LEMBREI! — ela grita transbordando de felicidade.


...


Notas Finais


Não hesite em comentar, isso me anima muito ❤️
Provavelmente, irei postar os capítulos no mesmo dia que eu posto os de "Nada como você" ❤️
Kissus da tia Isa ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...