História O Lado Bom De Um Lobo › Chapeuzinho Vermelho - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~xl8xl8

Postado
Categorias Chapeuzinho Vermelho
Personagens Chapeuzinho Vermelho, Lobo Mau, O Caçador, Personagens Originais, Vovó (Granny)
Tags Ação, Amorproíbido, Aventura, Drama(tragédia), Horror, Luta, Magia, Mistério, Tortura
Visualizações 389
Palavras 2.518
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá a todos os leitores, eu escrevi essa fanfic pois me deu inspiração ao saber sobre a história da Chapeuzinho Vermelho que me deixou curiosa então eu comecei a escrever essa fanfic para mostrar a vocês, para o mundo sobre esse tema que quis escrever com muito carinho. Então espero que gostem e sejam muito bem vindos.

Capítulo 1 - Além Da Floresta


Fanfic / Fanfiction O Lado Bom De Um Lobo › Chapeuzinho Vermelho - Capítulo 1 - Além Da Floresta

P O V ' S    A N N E

-Tim, Tim, Tim...

Ouvir o som da minha caixa de música me faz pensar como a vida é linda, pena que ela dura pouco tempo. Olho para o relógio e vejo que é hora de ir a minha escola, a professora disse que vamos acampar em uma floresta então minha vó preparou minha mochila, o melhor séria eu ir logo...

-Toc-Toc... Querida posso entrar?

-Pode. - ela entra*

-Então está pronta?

-Sim, estou... - falo olhando para minha caixa de música.

-Quer Levar?

-O que...?

-A caixa de música. - ela olha para ela.

-Sim, mas a senhora não vai ficar chateada?

-Não, foi um presente de sua mãe então o leve com você, querida.

-Ok! - falo sorrindo.

-Então, quer que eu te leve?

-Ah, não precisa, eu sei me cuidar, eu não quero atrapalhar a senhora.

-Você nunca ira me atrapalhar Chapeuzinho Vermelho, mas já que você insiste...só tenha cuidado, ok?

-Ok.

Eu dou um forte abraço nela e nó descemos as escadas indo para a sala, eu pego minha mochila que está na sala e coloco a caixinha de música dentro da mochila, depois eu aceno para minha vó e saio de casa, vou até a parada de ônibus que não muito longe, quando eu chego começa a chover, acho que vai ter uma tempestade, corro para o ponto de ônibus e me sento que logo solto um suspiro, este dia vai ser difícil com essa tempestade...acho que eu deveria não ir para esse passei, de repente um garoto loiro chega todo encharcado e senta um pouco longe de mim olhando para o chão, parece que eu não sou a única a que, enquando o ônibus escolar não chega eu pego minha caixa de música e começo a toca- lá o som era leve e suave me fazia relaxar fazendo com que eu esquece-se do mundo, eu adorava aquela sensação e foi aquilo que me fez seguir em frente, depois de alguns minutos o ônibus chega e eu guardo minha caixa e me levanto, quando o ônibus para eu olho para o lado e vejo que o garoto não estava mais lá, o motorista abre a porta e eu entro...

-Bem-Vinda Anne! Você pode se sentar ao lado de...Samantha. - ela aponta para uma menina ruiva de tranças com óculos que está acenando para mim.

Eu vou em sua direção sentando ao seu lado, bom eu a nunca vi na escola eu acho que ela é uma aluna nova, eu faltei ontem e acho que perdi assuntos importantes, escuto meninas atrás de nós cochichando sobre alguma coisa que eu não quero saber, bem, vamos deixar isso para lá...

-...o-oi meu nome é S-samantha... - Ela diz timidamente olhando para mim, ela é fofa.

-Sou Anne. - Digo com o melhor sorriso que pude.

-Prazer em conhece- lá! - Epa parece estar meio nervosa...

-O prazer é todo meu!

Ela sorri, parece ser tímida e bondosa, e também parece que essa viajem vai ser longa...

-Crianças! Hoje a viajem vai demorar um pouco por causa da tempestade então usem os lençois que estão dentro da caixa que Gabriela está distribuindo com a ajuda de Isabela pois vai ficar um poucou frio até lá mais não se preocupem pois estamos seguras aqui dentro com nosso melhor motorista! - Ela grita pois a tempestade está a fazer muito barulho por isso ela gritou para a gente ouvir melhor.

-E por acaso você trouxe quantos lençois? - Fala o irmão da nossa  querida professora, parece que ele também vai para o acampamento com a gente.

-Bem, deixa eu ver...3. - Ela dá um riso sem jeito.

-Ótimo, você é um exemplo pra sociedade. Sorte que os lençóis que você trouxe são grandes o suficientes para todo mundo. - Ao dizer isso todos nós formamos um grupinho para divirdimos o lençou para ficarmos quentinhos.

-Bom, vamos ter algumas surpresas inesperadas então eu supunho que vocês se segurem bem firme e se precisar de alguma coisa é só me chamar! - Depois de ela falar caí um raio perto de nós que ilumina a o lugar  inteiro ao nosso redor.

-Haaaaa...! - gritam os alunos pelo raio que ocorreu.

-P-professora! - Fala um menino gordinho tremendo de medo, coitado...

-Sim? - Ela o olha.

-Quero ir ao banheiro! - Ele diz se contorcendo todo.

-Bom, eu suponho que você vai ter que segurar um pouco Cláudio, me desculpe. Respire e inspire, a gente vai chegar logo.

Os garotos ficam rindo da cara do Cláudio por ele ser um bebê chorão. Eu queria estar em casa com minha vó mais eu fui forçada a ir para esse tal "passeio" por conta dela, espero que ela esteja bem nesse momento. Alguns  minutos se passam e a maioria das pessoas conseguiram dormir por um milagre mas eu não, eu só olho as árvores passando rapidamente...mais...o que foi aquilo?! Eu vi aquilo mesmo ou foi impressão minha?? Eu juro que vi algum animal grande correndo entre as árvores mas deve ser coisa da minha cabeça...

Algumas Horas Depois...

Depois de horas dentro deste ônibus nós chegamos na floresta, o motorista para o veículo e todos ficam ajitados, tontos e enjuados com essa tempestade e o ônibus que pasou por vários buracos e algumas voltas pois alguém não sabia o lado certo do mapa. Eu olho para a professora a ficar sem jeito quando eu a olhei mais eu desviei o olhar pois algo chamou minha atenção.

-Alunos, vamos ter que passar a noite dentro do ônibus então não saíam, ok? - Enquanto o irmão da professora, Lucas,  falava eu olhei pela janela e vi um luz brilhante e ela dizia: "venha..." repetidamente e isso de algum modo mexeu comigo que deixou confusa e me deu arrepios intensos, o que é isso...? Meu corpo se levanta sozinho como se eu tive- se sonambula...pera! Eu não consigo parar...!

-...? Anne...? - fala Samantha que tenta segurar minha mão mas eu me livro bruscamente, eu realmente não quero fazer isso...por que isto está acontecendo? Eu não entendo...por que não consigo me mecher? Samantha fica confusa enquanto me vê andando até porta do ônibus que se abriu sozinha...estou ficando louca ou isso está mesmo acontecendo?

-Anne? Você vai para onde?! - Antes de ela dizer mais alguma coisa eu sai caminhando até a luz que se afastava deixando uma pequena fumaça para eu a localizar na escuridão, eu estou indo para dentro da floresta, a chuva batia contra mim e eu estou totalmente encharcada...

-Eu vou busca- lá! - Escuto Lucas falar, eu não quero meter ninguém em perigo apenas quero ir pra casa...

-Ok! Alunos fiquem calmos! O meu irmão foi buscar a Anne então não entrem em pânico e permaneçam sentados!...

. . .

Eu entro dentro da floresta e sigo a luz brilhante fazendo zig-zag até que se afasta do ônibus o suficiente e para em um arco de pedra totalmente estranho, eu tento me mover mais uma vez e não consigo...parece que cada vez que eu fasso isso sinto que minhas pernas estão a ficar bambas, eu entro em desespero até que a luz para de se mover e para bem na minha frente depois de alguns segundos começa a se distorcer e se transformou- se em...eu mesma...? Eu fiquei perplexa na hora, eu não estou a entender nada...quem está fazendo isso comigo? Isso não é nada engraçado...neste exato momento eu penso que vou morrer e então várias perguntas surgiram em minha cabeça me deixando louca! Neste momento me senti que eu estava amaldiçoada...

-Finalmente! Eu não me alimento a anos! Agora fique bem paradinha você não vai sentir nadinha. Hahaha! - fala o mostro com uma voz grossa e meio roca que me deu fortes arrepios, eu já li sobre eles antes em um livro na biblioteca e parece que eles se transformam em seu maior medo e meu medo sou eu? Não sabia que eles existiam e não entendo...eu pensava que isso era só uma lenda como outras quaisquer...

Agora ele se preparou e avançou em cima de mim faminto com seus dentes enormes e com baba pingando entre eles louco por sangue e carne então várias memórias vieram em minha mente, momentos bons que eu nunca quero esquecer, fecho meus olhos e lágrimas começaram a escorrer pelo meu rosto fazendo com que meus olhos ficasem doendo de tanta força que eu estou a fazer descontroladamente, o mundo em que eu pertencia iria desaparecer...tudo que eu amei iria embora para sempre e eu também...

-Idiota! Não desista!...

De repente ouço uma voz masculina e um lobo apareceu e pulou bravamente em cima da sombra que estava com minha apârencia só que bem mais horrível e nojenta, eles estão lutando e o sangue do lobo e do monstro está se espalhando por toda a parte mas o sangue do sombra é um sangue preto meio esverdeado e gosmento parece que está vivo...minha visão começa a ficar embasada mas eu consigo ficar de pé ainda, o vento estava a ficar cada vez mais forte e eu estava com um pouco de sangue em minha roupa, meu corpo está ficando fraco e eu estou sentindo tonturas parece que eu estou preste a desmaiar. A única coisa que eu consigo ouvir é os gritos do lobo sentindo dor e os gritos assustadores da sombra em eco nos meus ouvidos. Depois de alguns minutos quando a briga terminou e a sombra que já estava a desaparecer em cinzas e o lobo que estava todo ferido e machucado só agora que eu percebo que seu tamanho é enorme eu nunca vi essa espécie antes, ele vem em minha direção e na hora que eu não conseguia ficar mais em pé meu corpo cai lentamente em suas costas e eu pude sentir o cheiro amargo de sangue que fez com que suja- se mais ainda minha farda, eu estava apavorada com isso mas algo me deixou calma por um tempo. Ele me trouxe para perto do ônibus e logo em seguida me coloca agacha e dá um jeitinho sem me ferir para eu me colocar no chão...ele está olhando para mim com um de seus olhos ferido, depois de alguns segundos ele vai embora mancando e seu sangue deixando uma trilha no chão que disfarça por causa da chuva forte, quando eu estava voltando ao normal Lucas me vê e vem em minha direção correndo todo molhado, ele me levanta e me ajuda a voltar para o ônibus...

-Anne! Nunca mais faça isso! Colocar a sua vida e a dos outros em risco! Quase me mata do coração, você realmente me assustou... - Assim que entramos ela fala preocupada.

-Anne, você está bem?? Não se machucou né? - Fala a professora assustada e aliviada por eu estar de volta e viva.

-Estou sim, não se preucupe. - Falo meio roca e gripada por causa da chuva.

-Como não se preucupar? Olha só, você está até com...s-s-sangue??... - Ela fica surpresa e assustada com a quantidade de sangue em meu corpo que quase desmaia.

Lucas me da uma toalha que estava em umas das caixas perto do motorista para casos de emergência feito este, eu passo a toalha em meu corpo tentando enxugar ao máximo para não morrer de frio, acho que minha gripe vai ficar pior a qualquer momento. Eu me sento do lado da Samantha com a toalha errolada em mim, ela está muito preucupada assim comos todos estão...confusos e muito desconfortáveis.

-Pode falar, Samantha.

-Como você está se sentindo? - Ela está nervosa novamente...

-Confusa.

-C-confusa??

-Sim, do que aconteceu agora.

-É eu também estou com esse sangue que eu não sei se é seu e como você saiu sozinha do ônibus tipo do nada. Ah, não se preocupe eu estou aqui para te apoiar no que precisar! Aliás eu estou também muito c-confusa agora sobre isso tudo qua cavou de acontecer, mas deixando isso de lado...que bom que estás bem! Você é a única amiga e pessoa que falou comigo de modo gentil até agora e eu tenho que te retribuir por isso não vou te perturba...

-Eu também mas não precisa exagerar. - Ela dá um grande sorriso. -Mas vai ter que me obedecer.

-Hahaha! Isso foi uma piada, certo?

-Não. - Quando eu falo isso ela fica abalada e eu solto um pequeno riso.

-Brincadeira! Eu estava só brincando! - Ao falar isso ela me dá um grande abraço forte.

-...S-samantha...e-está m-me sufocando...! - Assim que falo isso ela se desgruda de mim.

-D-desculpe, acho que exagerei! - Eu mostro um sorriso, ela é tão fofa! Assim que termino de me enxugar bem e tirar a maioria do sangue eu tento me aquecer ao máximo mas algo me perdi...

O Lucas está me olhando demais para ser verdade e isso está me deixando desconfortável...ele vem em minha direção e eu não consigo desviar meus olhos dos seus, algo me diz que isso não é bom...

-Anne, eu quero te perguntar uma coisa...esse sangue é seu ou tinha mais alguém lá com você? - O que eu respondo?! Será que eu digo a verdade? Mas ele não vai acreditar...

-F-foi de um animal pequeno que acabou caindo em cima de umas pedras afiadas por causa da chuva e seus raios então eu o peguei e tentei parar o sangramento mais não c-consegui... - Essa é a única desculpas que eu tenho para ele não desconfiar, eu apenas devia esquecer isso...

- Está bem, Eu vou acreditar em você. Mais saiba que nunca mais tente fazer isso outra vez. - Eu afirmo com a cabeça e ele se senta ao lado da professora.

Essa foi por pouco, eu respiro aliviada e só escuto as pessoas falarem baixinho e Samantha tremendo tentando se acalmar...eu realmente não sei mais o que fazer...

. . .

-Alunos! Já que estamos todos aqui e seguros, vocês estão com fome? - Todos disseram que sim e eu não responde nada pois estou sem fome, depois daquilo tudo eu já perdi a fome a muito tempo.

Depois de todos comerem nós fomos dormir, a chuva está fraca agora, que bom! Eu continuo acordada e fico olhando para a janela o lado de fora olhando bem lá no fundo entre uma pequena abertura entre as árvores e digo a mim mesma se eu estou sonhando ou era mesmo real tudo isso, e sabendo que existe coisas escondidas além desta floresta, mas...o que era aquele lobo? Nunca vi ele em nenhum livro na biblioteca, talvez eu não tenha visto em outras ainda. Eu espero agradecer o lobo um dia por ter salvo minha vida se ele não me atacar hihihi, eu pensei que depois de ele matar "a sombra" ía me comer inteira mais não. Agora o que me deixe a flutuar nos meus pensamentos é de quem era aquela voz? Podia ser coisa da minha cabeça pois eu estava muito desespera. Então essas palavras ficaram em minha mente até que depois de alguns segundos eu caiu no sono e adormeço fechando meus olhos lentamente...

 

~ Fim Do Capítulo 1 ~


Notas Finais


Bom, espero que tenham gostado.
E compartilhe para seus amigos para mostrar a eles se eles gostam desse conteúdo que lhes mostro. Obrigada e até o próximo capítulo. ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...