História O Livro de Contos Eróticos de Lee Taemin - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, SHINee
Tags 2min, Jongtae, Ontae, Taekai, Taekey
Visualizações 91
Palavras 1.166
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoas, eu estava com saudades!
Eu não consigo atualizar essa fanfic com tanta frequência, mas ainda estou motivada a escrevê-la. Não me abandonem, por favor.
Esse capítulo não é como os outros, onde há uma divisão de narradores. É completamente narrado pelo Taemin. Aproveitem.

Capítulo 4 - 4


Depois daquela noite eu decidi me afastar de Kai completamente. O fato dele namorar não o impedia de se encontrar comigo regularmente antes da viagem de Milão e, devo admitir que sair com um cara que namora nunca foi um problema para mim. Mas o namorado dele era Kyungsoo e isso era mesmo um problema e dos grandes. Eu já precisava ter que lidar com o seu temperamento difícil e toda a implicância que ele depositava em mim na escola, não queria ter o desprazer de encontrá-lo durante as minhas saídas noturnas com o seu namoradinho rico. Isto é, se o baixinho descobrisse o nosso caso. Depois de ver aquela foto eu me peguei rezando pelos cantos, pedindo a Deus para que ele nunca descobrisse que eu estava transando com o seu namorado há meses.

Para me afastar de Kai eu tive que usar a pior desculpa possível e ainda assim foi a mais plausível que encontrei, eu disse estar apaixonado. Isso mesmo, Lee Taemin confessou estar gostando seriamente de alguém.  Eu fiz isso porque não poderia dizer que simplesmente estava saindo com outro cara, pois Kai sabia muito bem que eu costumava me relacionar com várias pessoas num curto período de tempo. Não me importo de ser considerado promíscuo, mas ser solteiro tem suas — muitas — vantagens. Eu esperava que Kai fosse compreensível, no mínimo. Mas ele surtou. Como ele costumava ser violento comigo em alguns momentos, fiquei assustado.

Depois daquela transa nós ainda nos encontramos no final de semana seguinte. Eu levei uma semana inteirinha para elaborar aquele plano e então, quando entrei no seu carro na madrugada, falei tudo quase sem respirar. Não queria esperar que ele me levasse à sua casa, pois poderíamos acabar indo para cama como nas outras vezes. Foi difícil, mas eu precisava fazer aquilo.

— Eu não posso mais ver você. — Falei sério, afastando seu rosto do meu, recusando um beijo dele pela primeira vez.

— E por que não? — Kai perguntou, com um sorrisinho cínico. — Vai dizer que já cansou de mim? — Eu já sabia que ele jogaria sujo, estava preparado para aquilo.

— Eu gosto de alguém. — Disse e ele riu. Obviamente, não acreditou em nenhuma palavra. Por mais que eu estivesse me esforçando para representar, aquela frase saiu da minha boca de um modo tão falso que nem eu mesmo acreditei. — É sério, Kai.

— Você sabe que isso não será um problema para nós, não é? 

Droga. Ele sabia que não. 

— Não é porque você trai o seu namoradinho que eu vou fazer o mesmo. — Eu disse e sua expressão fechou.

— Mas você sempre disse que não queria ter um compromisso sério com alguém, que nunca iria namorar de novo...

— Disse. Mas as pessoas mudam.

— Você não mudou nada, Taemin. Esse seu joguinho não vai funcionar comigo. 

— Joguinho? — Dessa vez eu ri. — Por que eu estaria jogando com você? E por que essa insistência toda? Você sabe muito bem que não tínhamos nada sério. Eu só vim falar com você por consideração mesmo, não é como se eu te devesse satisfações. 

— Eu sei que não deve. Mas...

— Você não precisa agir como se estivéssemos rompendo ou algo do tipo. Não era um namoro nem nada. 

— Eu gosto de você, Tae. 

— Não, você gosta é do Kyungsoo. — Rebati. 

— Como você sabe que o meu namorado se chama Kyungsoo? — Ele perguntou e eu tremi. Ele não poderia desconfiar que eu o conhecia ou então eu teria ainda mais problemas.

— Você me disse o nome dele.

— Não, Taemin. — Ele cruzou os braços. Sabia que Kai estava cada vez mais desconfiado. — Eu sempre me certifiquei de nunca dizer o nome dele para você e nem para ninguém. 

— Isso significa que você o trai com mais pessoas? Você é mesmo inacreditável. 

Por mais que aquela situação fosse trágica, eu não coseguia sentir nada por Kyungsoo, nem mesmo pena. Secretamente, eu até estava feliz por saber que a vida íntima dele não era tão boa como eu pensava. Se eu não tivesse tanto medo dele, poderia usar aquela história ao meu favor, mas sou covarde demais para fazer isso. Enfrentar Kyungsoo é algo fora de cogitação. 

— Isso não é importante. — Ele deu de ombros. — O que me intriga é você saber como ele se chama. — Isso tudo é um plano? — Ele começou a se alterar e eu me encolhi instintivamente. — Você pretende me chantagear ou algo assim? 

— Claro que não! — Eu sabia que Kai era um louco paranóico. Pensando por esse lado, ele e Kyungsoo eram perfeitos um para o outro. — Você me disse o nome dele uma vez quando estava bêbado, por isso não se lembra. — Menti. — E você fala tanto do seu namorado que foi impossível esquecer. — Revirei os olhos dramaticamente, só para convencê-lo. — Você disse que ele nunca te dá atenção, que vocês brigam o tempo inteiro e etc. Enfim, posso ir? — Eu não queria ter que pedir, mas também não queria sair correndo para longe dele o mais rápido possível. 

— Você está mesmo apaixonado por alguém e por essa razão vai parar de me ver ou há outro motivo? Se foi pelas vezes que eu machuquei você... Eu já pedi desculpas! — Gritou. — Juro que não faço mais, você sabe que a minha personalidade é mesmo difícil. 

— Nenhum outro motivo. — Mantive a voz firme. — Eu só quero ficar com o cara que eu gosto sem me sentir culpado. 

— E esse cara existe mesmo? Parece mais uma desculpa esfarrapada para se livrar de mim.

— É claro que existe!

— A ideia de ser dispensado por uma putinha como você não deveria me afetar tanto.

— Então trate de esquecer a putinha aqui. — Disse com raiva, apertando os pulsos. Controlei a imensa vontade de socar o rosto dele.

— Quem ele é?

— Não te interessa. 

— Você está mesmo inventando. — Ele debochou, ligando o motor do carro. — Você não quer me dar nem um nome, deve ser porque está mesmo mentindo. Agora chega de gracinhas, vamos para minha casa.

— Não vou a nenhum lugar com você. — Abri a porta do carro, saindo do veículo apressadamente. Kai não tardou de vir atrás atrás mim, puxando-me pelo braço com extrema violência. Ele odiava mesmo ser rejeitado.

— Vamos, vai ser rapidinho. — Seu sorriso malicioso me enojou.

— Não quero mais nada com você, ainda não entendeu?

— Desde quando você recusa sexo? — Perguntou e eu percebi algo que sempre esteve óbvio demais: para Kai, eu não passava de um mero objeto. 

— Desde quando eu passei a não querer mais transar com você, seu babaca prepotente. E se você quer tanto gozar esta noite, contrate uma prostituta, você tem dinheiro o suficiente para isso. Ou melhor, vai procurar o seu próprio macho.

Naquela noite eu aprendi que Kyungsoo não era nenhum pouco violento comparado a Kai.


Notas Finais


Eu sei que as coisas podem ter ficado confusas, mas futuramente irei explicar o que acontece entre Taemin e Kyungsoo, não se preocupem.
Não teve um conto nesse capítulo, não consegui escrever lemon. Acho que vou abandonar a ideia de colocar lemon em todos os capítulos, mesmo a fanfic tendo um nome tão explícito.
Vi que mais algumas pessoas favoritaram recentemente, que tal deixarem um comentário me incentivando? Vamos interagir.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...