História O Livro do Tempo - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Cana Alberona, Carla (Charle), Elfman Strauss, Erza Scarlet, Evergreen, Freed Justine, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Happy, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Makarov Dreyar, Mirajane Strauss, Nashi Dragneel, Natsu Dragneel, Nikora "Plue", Pantherlily, Personagens Originais, Wendy Marvell
Tags Erza, Fairy Tail, Filhos, Gajeel, Gale, Gray, Gruvia, Jellal, Jerza, Juvia, Levy, Lucy, Magia, Miraxus, Nalu, Natsu, Romance, Tempo
Visualizações 39
Palavras 3.066
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá!
Recomendo que leiam as notas finais do capítulo anterior.
Foto de capa do capítulo com Nalu, porque quero colocar um casal diferente em cada capítulo!
Espero que gostem!
Boa Leitura!
Yume.
LER NOTAS FINAIS.

Capítulo 2 - Capítulo I


Fanfic / Fanfiction O Livro do Tempo - Capítulo 2 - Capítulo I

CAPÍTULO I

            Todos na guilda estavam estáticos, o ar estava pesado com a tensão ali presente. O mestre desceu até ficar próximos dos jovens, encarou o rosto de cada um, para logo depois notar a marca bem visível em seus corpos, um brasão orgulhosamente apresentado por todos.

            - Quem de vocês pode me explicar o que aconteceu?

            As crianças se encararam, até que por fim Ellen tomou a frente, limpou a garganta e respirou fundo – Hoje mais cedo estávamos no depósito, quando encontramos esse livro, mas antes que pudéssemos descobrir o que era o mestre nos descobriu e repreendeu – Ela suspirou encarando a mãe, Erza a analisava dos pés à cabeça com o cenho franzido – De madrugada voltamos lá e então o procuramos, Reik leu uma das páginas e quando percebemos havíamos acordado no mesmo depósito, mas em outra era.

            Makarov permaneceu sério, encarou o livro em mãos – Vocês têm consciência do que fizeram?

            - Besteira – Jay falou do fundo, recebeu um cutucão de Hanna que o encarou brava.

            - Ok, vamos por partes – Erza falou, os braços cruzados e a expressão confusa demonstravam um pouco do desconforto que a ruiva sentia – Vocês são do futuro – Todos acenaram – São da Fairy Tail – Novamente um sinal positivo – Agora vamos organizar as coisas – Respirou fundo e fechou os olhos por alguns segundos – Vocês são filhos de alguns aqui, certo? – Outra confirmação – Quem é quem aqui?

            Jay levantou a mão – Jay Fullbuster – Gray arregalou os olhos – Esses são meus irmãos, Rin e Sylvia Fullbuster, caso não tenham notado, são gêmeos – Ele sorriu amarelo – E caso também não tenham notado, somos filhos dos dois ali – Apontou para onde Gray e Juvia estavam, ambos se encararam, Juvia estava tão assustada quanto o mago, que apenas piscou e ficou imóvel.

            - Ok... – Erza controlou a tremura nas pernas – Quem é o próximo?

            - Nash e Hanna Dragneel – Nash puxou a irmã pelo braço – Natsu e Lucy – Encarou os dois e piscou.

            - O que?! – Lucy gritou encarando Natsu, o Dragon Slayer estava com o rosto completamente vermelho, e olhava para o nada, com a expressão vazia.

            - Sem escândalos por enquanto – Erza continuou séria – Vamos lá... E vocês?

            - Nora Drayer – A loira levantou a mão displicente – Eu também tenho um irmão – Encarou Mirajane e sorriu maliciosa – Eu sei que nessa época você e o papai já tinham um caso pelos cantos – Piscou para a albina que arregalou os olhos e corou rapidamente, recendo alguns olhares surpresos, principalmente de Elffman.

            - Gavin Redfox – Revirou os olhos e transcreveu no ar “Gajeel e Levy”, fazendo a azulada ficar tão vermelha que parecia querer explodir – Também tenho uma irmã, mas ela é casada com o bundão irmão dela – Apontou para Nora que deu de ombros e mostrou a língua.

            - Vocês dois! – Erza aproximou-se dos ruivos, a expressão tão sombria quanto suas suspeitas – Quem é o pai?

            Reik não pode evitar o riso – Quem mais mamãe? – Ergueu uma sobrancelha, Ellen bateu com a mão na testa.

            - Ótimo Reik... – Sem que a ruiva terminasse a frase, Erza caiu dura no chão.

{...}

            Entre gritos e muito barulho, Erza abriu os olhos, uma piscada... duas... três. A visão borrada foi substituída por um rosto alvo, grandes olhos castanhos e uma cabeleira quase tão vermelha quanto a sua.

            - Não foi um sonho – A primeira fala da ruiva foi seguida de um suspiro sôfrego. Em um salto a maga levantou, encarando tudo ao redor.

            Mira e Laxus discutiam a plenos pulmões com a loirinha mais nova, era possível sentir a pressão vinda daquele lado, os raios do Dragon Slayer brilhavam em suas mãos, Mirajane estava com os olhos vermelhos em fúria, até mesmo o mestre estava no meio, gesticulando e com o rosto rubro.

            Gray tentava acalmar Juvia que estava desmaiada com um sorriso maior que o rosto, os três adolescentes os rodeavam, discutindo entre si, enquanto a garota preocupava-se em também tentar acordar a azulada.

            Natsu ria alto com o loiro, que até onde Erza sabia, era seu primogênito, Lucy parecia desconfortável observando os dois, ao seu lado uma rosada a encarava dos pés à cabeça, cuidando cada mínimo detalhe.

            Gajeel segurava Levy pelos ombros, os dois encaravam o garoto de cabelos verdes como se fosse de outro planeta, seria engraçado, se não fosse trágico.

            E por fim, o casal de ruivos que estavam ao seu lado, o garoto parecia disperso com o caos ao redor e observava com os olhos cansados cada “família” resolver seus assuntos a seu próprio modo.

            - Está melhor mamãe? – A garota perguntou tocando seu braço.

            - Eu... – A encarou, viu seus próprios olhos refletidos nos da menina – Eu... Não me chame assim... é... desculpe, esqueci o seu nome.

            - Ellen, mas pode me chamar de Ellie – Ela sorriu doce – Eu entendo que isso deve ser um choque, também estou bastante assustada, mas eu acredito que agora o mais importante é nos focarmos em como resolver essa bagunça.

            Erza acenou debilmente com a cabeça – Você é bastante responsável... Ellie.

            - Escuto bastante isso.

            - Escuta também que é muito chata – Reik passou o braço pelo ombro da irmã e lhe deu um beijo na bochecha esquerda, fazendo a mesma esquivar-se – Como se sente? – Encarou Erza que acenou rapidamente com a cabeça, logo sentindo as bochechas esquentarem, não conseguia encarar muito os olhos e rosto do rapaz, a mesma marca característica de Jellal estava evidente em seu olho direito, isso a trazia muitas lembranças, que a ruiva não queria remoer agora.

            - Vamos organizar essa zona – Endireitou a postura e limpou a garganta, fechou os olhos em um longo suspiro e foi até o ponto mais alto da guilda – Escutem aqui idiotas! – Gritou o mais alto que pode, fazendo com que todos, imediatamente parassem, até mesmo de respirar – Estão todos muito exaltados – Encarou séria o mestre, que arregalou os olhos e desviou o olhar resmungando – Precisamos de ordem para pensar como resolver isso – Ficou em silêncio por alguns segundos, nem mesmo a Titânia sabia como deveria colocar os pingos nos i’s daquela situação, percebendo o desconcerto da mãe, Ellen foi até aonde a maga se encontrava.

            - Por que não esfriamos a cabeça antes de pensar em qualquer coisa? – Sugeriu encarando os amigos que acenaram e encararam os pais – Vamos fazer assim – Encarou a mãe – Você poderia organizá-los para que todos fiquem acomodados enquanto tentamos voltar para casa? – Erza concordou séria e encarou todos, pensando um pouco.

            - Lucy, fique com a... – Encarou a rosada ao lado da loira – Ela mesmo! – Lucy engoliu em seco e sorriu amarelo para garota que a encarava – Natsu fica com o loirinho esquentado – Nash riu e tocou o punho direito com o pai e Happy – Juvia com Sylvia – O nome de alguns dos jovens a ruiva conseguia, mesmo que poucos – Gray toma conta dos outros dois – Gray encarou desconfiado os rapazes que aproximaram-se de si – Gajeel com Gavin e por fim, Mira com Nora – As duplas e trios estavam próximas, sendo possível notar ainda mais a semelhança entre tais.

            - E nós? – Reik perguntou a assustando – Vamos ficar com você?

            - É... Você não pode ir ao dormitório feminino – Erza cruzou os braços – Natsu! – O rosado a encarou assustado.

            - Sim Erza!

            - Você também fica com ele – O Dragão concordou rapidamente – E Ellie pode ir comigo – As duas trocaram um breve olhar, a mais nova sorriu e concordou – Ok, amanhã nos encontramos aqui novamente para discutirmos como resolver isso – Suspirou e todos concordaram, gerando um suave burburinho que foi aumentando aos poucos – Levy! – A pequena piscou algumas vezes até entrar novamente em órbita e prestar atenção ao chamado – Veja com Freed o que conseguem tirar do livro – O mago de runas que estava em um canto da guilda concordou indo em direção a azulada.

            Aos poucos cada qual foi para sua respectiva estadia, a guilda foi ficando vazia, até que sobrassem apenas os que sempre tardavam a ir embora por estarem bêbados demais para irem a qualquer lugar. Assim a noite chegou em Magnólia, os grilos começaram a cricrilar e as cigarras cantavam para o calor.

{...}

Lucy’s House

            Um silêncio tão desconfortável quanto a situação pairava entre “mãe e filha”. Lucy abriu espaço para Hanna entrar no pequeno apartamento, a rosada observava tudo ao redor, os olhos curiosos varriam cada pequeno detalhe.

            - Você pode ficar na minha cama – Lucy sorriu o mais sincera que conseguia, era, no mínimo estranho, encarar alguém que futuramente seria sua filha... com Natsu!

            - E você dorme aonde?

            - No sofá – A loira suspirou – Quando o Natsu invade minha casa, o que é bem seguido, eu costumo dormir ali.

            Hanna riu – Como vocês demoraram tanto tempo para ficarem juntos?

            Lucy ficou séria – Não é tão simples – Ela desviou o olhar e focou em mudar um pouco o assunto – Que idade você tem?

            - Fiz dezesseis, mês passado.

            - Ok, e o seu irmão?

            - O Nash completa dezenove daqui quinze dias – Hanna sentou na cama e aumentou o sorriso – Você está toda empolgada em fazer uma festa.

            Lucy não pode evitar arregalar os olhos – De que ano vocês vieram mesmo?

            - X817.

            A loira pensou um pouco. Apenas seis anos, a contar de agora, até que Nash nascesse. Um suspiro longo e pesado foi solto pela maga estelar. O que seis anos ainda teriam a lhe mostrar?

            - Hã... A quantos anos estou... ca... casada com o Natsu? – A pergunta que inquietava a loira desde que soubera dos futuros filhos.

            - Vinte anos – Hanna aproximou-se da mãe e lhe pegou as mãos – Vocês fizeram uma viagem no último aniversário de casamento, uma segunda lua de mel – A menina riu alto – Papai colocou fogo em metade de Hargeon, isso apenas no segundo dia.

            Lucy não pode evitar sorrir – É realmente a cara do Natsu fazer algo assim.

            - O pior não foi isso...

            Pelas próximas horas, até a madrugada, as duas envolveram-se em conversas dos mais variados assuntos. Para Hanna era divertido conversar com a mãe desse modo, sendo que a mesma tinha um pouco mais que sua própria idade e parecia entender seus dilemas juvenis com mais facilidade do que sua mãe com seus quarenta anos. Já Lucy surpreendia-se em como a garota podia ter tanto em comum consigo e mesmo assim ter traços e detalhes que lembram Natsu como a um espelho.

            O que mãe e filha não percebiam, era que a cada palavra trocada, informação compartilhada e lembrança explorada, um pouco do tempo era gradativamente mudado. Os segundos, minutos e horas estavam sendo alterados, o futuro já não dependia tanto do acaso, mas sim de uma linha que estava sendo desenhada sobre o vazio.

{...}

Juvia’s House

            Juvia estava em êxtase. Saber que em breve teria três lindos filhos com seu amado Gray-Sama, era algo além da compreensão. Ela e Sylvia foram o caminho todo conversando, a menina lembrava tanto Juvia quando mais nova, porém, sem os problemas com a constante tristeza que a mulher água sempre sentiu.

            - Juvia mora na Fairy Hills, mesmo não tendo um quarto muito grande, acho que Sylvia-san vai ficar confortável enquanto estiver aqui – A azulada sorriu para a mais nova e abriu a porta do quarto.

            Sylvia não pode evitar deixar o queixo cair ao ver a quantidade de referências a seu pai. Quadros, almofadas, toalhas, diversos bonecos de todos os tamanhos e formatos, cobertores e todo tipo de tapeçaria que um quarto poderia ter, ostentavam figuras de Gray. A azulada olhou para Juvia que sorria orgulhosa encarando toda a decoração.

            - Agora eu meio que entendo quando o papai fala que você o perseguia.

            Juvia a encarou em dúvida – Isso não é perseguição, Juvia apenas ama tanto o Gray-Sama que quer vê-lo a todas as horas do dia – A maga colocou as mãos no rosto em clara de expressão de mais um devaneio.

            Sylvia riu – É estranho ver você o chamar de Gray-Sama – Juvia piscou várias vezes, confusa.

            - Como Juvia o chama?

            - Apenas de Gray, ou querido, mas isso é raro – A mais nova riu – Quer dizer, quando fica nervosa ou irritada acaba escapando um –Sama no meio.

            - Oh... Juvia chama o Gray-Sama apenas de Gray! – E novamente a expressão perdida\apaixonada voltou ao rosto da mulher.

            - Você é engraçada agora.

            - Juvia não é engraçada no futuro?

            - Sim, bastante, mas é diferente, eu sinto como se estivesse conversando com alguém da minha idade e não minha mãe.

            - Que idade você tem Sylvia-san?

            - Pode me chamar só de Sy – A garota sorriu e a outra acenou concordando – Dezesseis.

            Juvia arregalou os olhos – Juvia tem dezenove.

            - Foram realmente vinte e cinco anos que voltamos – Sylvia suspirou – Você e o papai já não estavam morando juntos a essa altura?

            Juvia desviou o olhar – Ficamos uns seis meses morando juntos, mas agora que voltamos para Magnólia, Gray-sama voltou para a cabana nas montanhas e Juvia para a Fairy Hills.

            - Ah sim... Papai contava essa história quando eu e Rin éramos crianças.

            - Que idade Jay-san tem?

            - Vinte e Dois – Juvia sentiu as bochechas ficarem vermelhas. Vinte e dois anos! Isso queria dizer que ela e Gray teriam um filho dentro de pouco mais de dois anos.

            - A quanto tempo estou casada?

            - Vinte e um anos – Juvia arregalou os olhos – Papai sempre foi inseguro e pelo que sei, vocês dois brigaram feio depois que o Jay nasceu.

            - Juvia brigou com Gray-Sama?

            - Sim, algo sobre papai continuar sendo um idiota – Sylvia riu – Você sempre fica irritada quando toca no assunto.

            Juvia sorriu com carinho – Você tem um lindo sorriso.

            As duas olharam-se cumplices, nada além de uma linda relação entre mãe filha. Diferente de uma simples casa nos arredores de Magnólia, onde uma albina discutia veementemente com uma garota loira de olhos cor de fogo e um temperamento tão explosivo quanto o poderoso dragão de raios.

Mirajane’s House

            - Como pode fazer isso irmã? – Elffman gritou para a irmã do meio, estava extremamente confuso e frustrado com tudo.

            - Calado Elffman! – Mira estava histérica. De uma hora para outra, seu até então caso as escuras com Laxus, havia dado milagrosos frutos, cujo um deles estava agora em sua frente, reclamando e gritando sobre ter pais malucos e uma família desiquilibrada.

            - Vocês são todos idiotas! – Nora soltou em um grito. Laxus a encarou furioso, os nervos do mago estavam à flor da pele, a pouca paciência que possuía extinguiu-se muitos gritos atrás.

            - Já chega! – Lisanna que até então só observara, prostrou-se frente a todos, os fazendo ficarem, momentaneamente, calados – Vocês nem mesmo estão se escutando! Por que não param um pouco e tentam contar, cada um, a sua versão – Todos acenaram contrariados – Mira-nee, quer começar? – Encarou a irmã que concordou.

            Mirajane suspirou e fechou os olhos por breves segundos, para só então encarar o irmão mais velho – Desculpe Elffman, eu e Laxus temos nos encontrado as escondidas a alguns meses, ficamos com medo de contar para todos, as coisas pareciam ir muito bem, não precisávamos de um escândalo.

            Elffman permanecia carrancudo – Você me decepcionou Mira – A albina apenas abaixou a cabeça em concordância e arrependimento – Mas não vou condená-la, não tenho muita autoridade para falar sobre relacionamentos as escondidas – Um leve rubor passou pelo rosto do brutamontes – Só espero que não mantenhamos mais segredos nessa família – Encarou as irmãs que concordaram.

            Laxus levantou, apesar da pose, era possível ver algumas gotas de suor escorrerem pelo pescoço do Dragon Slayer – Eu também gostaria de me desculpar, não me parece apropriado manter isso assim – Encarou Mira que sorriu sem jeito – Não vejo motivo para adiar as coisas assim – Encarou Nora que desviou o olhar e bufou – Já vimos que realmente vamos ficar juntos, então, porque não oficializamos tudo o mais rápido possível? – Mirajane arregalou os olhos.

            - Você por acaso está me pedindo em casamento?

            - Não vejo porque não – A expressão incrédula da albina, fez Nora rir.

            -  Você deve estar quase engravidando do Raiden a essa altura, então não existe motivo para negar mamãe – A loira sorriu zombeteira ao ver Mira arregalar ainda mais os olhos azuis.

            - Grávida?

            - Talvez ainda não esteja, mas o Raiden tem vinte e quatro anos, o que significa que a essa altura do campeonato, vocês dois tem se divertido bastante – A loira riu alto, fazendo com que Mirajane enrubescesse de tal modo, que a possibilidade da albina desmaiar, era alta. Laxus trincou o maxilar e cerrou os punhos.

            - Você é realmente insuportável garota!

            Nora revirou os olhos – Aprendi com o melhor – Isso foi o suficiente para que a casa voltasse novamente ao caos de antes. Lisanna suspirou derrotada e encarou os familiares gritarem, xingarem, se debaterem e terem seus ataques.

            No outro dia, logo cedo, Levy e Freed estavam concentrados sobre o livro mágico, os dois trocavam ideias que para leigos era impossível o entendimento.

            - Isso está em uma língua bastante antiga, apenas algumas citações estão no nosso idioma – A azulada suspirou retirando os óculos – Isso vai demorar um pouco mais do que eu esperava – Suspirou cansada e colocou a cabeça sobre os braços.

            - Eu posso ajudar – Levy abriu os olhos e encarou o garoto parado próximo a mesa, os cabelos verde-escuros estavam um tanto bagunçados e os olhos penetrantes do rapaz, lembravam Gajeel – Você me ensinou muita coisa sobre línguas antigas e também sobre técnicas para decifrar alguns códigos.

            A baixinha estava em choque, apenas piscou o encarando, mas sem emitir nenhum som, até que Freed tomou a frente – Vai ser de grande ajuda garoto, não estamos entendendo muita coisa desse dialeto – Lhe entregou algumas folhas com runas e caracteres da língua.

            Gavin começou a ler tudo, bastante concentrado – É uma língua usada apenas em algumas tribos antigas, onde magos do tempo comunicavam-se por meio de códigos e siglas – Encarou Levy que arregalou os olhos – Você me ensinou sobre isso no ano passado – O garoto sorriu – Quer dizer, para mim foi no ano passado, hoje, seria daqui uns vinte e quatro anos.

            - O-ok – A azulada tentou concentrar-se novamente e ignorou toda confusão em sua volta.

            Os três magos começaram a decifrar o livro por inteiro, por horas discordando em algumas partes, discutindo outras traduções em outras. Logo, Levy engoliu em seco, encarando Gavin.

            - Vocês precisam voltar o mais rápido possível – O mais novo leu as páginas que a mãe segurava.

            - Já é tarde demais!


Notas Finais


Olá pessoal!
Espero que tenham gostado. Qualquer dúvida, estou a disposição.
Vocês devem ter notado que não descrevi o que aconteceu com cada um assim que foram para casa, coloquei apenas alguns personagens, achei que ficaria massante, mas se quiserem, faço um capítulo extra contando cada detalhe.
Bom, acho que é isso. Obrigada!
Beijos!
Yume.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...