História O Livro e a Letra (HIATUS) - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Tags Amor Doce
Visualizações 83
Palavras 964
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Capítulo meio longo, hein?
Boa leitura, Bolinhos! <3

Capítulo 22 - Vamos ao escritório


Fanfic / Fanfiction O Livro e a Letra (HIATUS) - Capítulo 22 - Vamos ao escritório

POV. Castiel 


Annie tinha uma voz linda. Enquanto ela cantava, uma paz me consumia de uma forma que não sei explicar. Ela cantava a música em um baixo tom, mas que era gostoso de ouvir. Estava concentrado na pista, mas me surpreendi quando sua voz se calou. Olhei para o lado e lá estava ela, dormindo feito um bebê. Ela estava com seu rosto deitado no cinto de segurança, com uma das bochechas amassada e a outra coberta pelas ondulações de seu cabelo. Eu queria ficar olhando para ela o tempo inteiro, mas assim eu poderia bater o carro e voltei minha atenção à pista novamente, apenas ouvindo a música e a calma respiração de Annie. 

Já passavam das duas da madrugada e ainda estávamos no meio do caminho; estávamos indo para minha casa em outra cidade, lá estaremos seguros. Já havia avisado à meu mordomo - Scott - para dar ordens aos homens. Dake queria nos atacar, e irá. Não sei quando, mas ele irá. Estou com tanto medo de ele machucar Annie... Ah, céus! Ela não sabe de toda a verdade, talvez nem vá saber...

Estava tão imerso em meus pensamentos, que só acordei do "transe" quando Annie se 'espreguiçou ao meu lado. 


- Já estamos chegando? - perguntou ela, coçando seus olhos. 


- Já passamos mais da metade do caminho. 


- Para onde estamos indo? 


- Para minha casa em outra cidade. Lá estaremos seguros, ok? 


- Ok... - ela suspira pesadamente, olhando para baixo e logo depois para a pista. - O que está acontecendo, Castiel? 


- Irei te explicar tudo mais tarde, quando chegarmos. 


- Por que não agora? 


- Você precisa comer e descansar. 


- Eu não sou surda. Posso facilmente lhe ouvir aqui, Castiel. 


- Respostas leves como pedra, hein? 


- Desculpe... Eu só... Argh! 


- Não te culpo; eu também estaria assim. 


Ele afirma com a cabeça, suspirando e olhando para a janela. Ficamos em um silêncio no carro, ouvindo apenas as músicas do aleatório. Annie olhava para cada carro que passava, inerte em pensamentos. Depois de meia hora, eu quebrei o silêncio:


- Chegamos. - eu disse. 


Já eram mais de cinco da manhã quando chegamos. Estávamos em frente ao portão da casa, esperando Scott fazê-lo abrir. Quando os portões se abrem, revelam uma casa de dois andares escondida da cidade. 


POV. Annie. 


Quando os portões se abrem, eu consigo ver uma imensa casa no terreno. Dois andares, un imenso jardim e afastada da cidade: um belo lugar para fugir. 

Castiel dá partida no carro e entramos no terreno, indo em direção à grande casa. Quando paramos em frente à casa, um senhor com uniforme formal estava nos esperando. Eu saio do carro e vou para o lado do Castiel, que pega em minha mão e me leva até o senhor. 


- Scott, essa é a Annie. Annie, esse é o Scott, meu mordomo.


- Mordomo? - eu perguntei, surpresa, o que fez Castiel rir. 


- Dois homens morrem em seu quarto e você está surpresa por eu ter um mordomo? 


- Obrigada por lembrar... 


- Enfim, Scott, leve a Annie para o quarto de hóspedes, por favor. 


- Claro, senhor Collins. - respondeu Scott, pegando minhas coisas que um dos homens havia lhe entregado. - Vamos, senhorita Annie? 


- Ah, claro... - eu olho para Castiel, franzindo a testa: - Mas e você? 


- Eu vou ver você logo. Por ora, descanse, ok? 


- 'Tá... - eu afirmo com a cabeça e sigo Scott, subindo as escadas e entrando na imensa casa. 


Eu olho tudo com um brilho no olhar, pois a casa era realmente linda e grande. Scott sobe uma escada e eu vou logo atrás, chegando em um andar que tem uma segunda sala de estar, jantar e corredores com quartos. Scott abre um deles, sorrindi gentilmente para mim entrar. Eu entro e ele coloca minhas malas em um canto, se dirigindo à mim logo em seguida:


- Imagino que a senhorita está muito cansada, certo? Tome um banho e desça para comer algo. Não se preocupe com o senhor Collins, ele sabe se cuidar. 


Eu sorrio para ele, afirmando com a cabeça e ele logo saí, me deixando sozinha com aquele quarto e pensamentos preocupados.

Eu pego algumas roupas e sigo até o banheiro, me despindo e logo entrando no chuveiro que deixava cair gotas de água quente. Após o banho, visto minha roupas - short jeans, uma blusa fina, um casaco aberto longo e meus all stars - e saio do banheiro. Sendo na cama ao meu lado, escondendo a foto de minha família em um livro. 

Após olhar um ponto fixo, eu ouço o ronco em minha barriga, avisando para abastecer a mesma. Eu desço as escadas, passando pela sala de estar e indo até uma grande cozinha, que tinha uma mesa cheia de comida. Eu vejo Scott colocar um jarro de suco na mesae sorrir para mim, logo abrindo a boca:


- Sente-se, senhorita Annie, deve estar com muita fome, não é? 

- Sim, de fato estou. - eu sorrio para ele, me sentando na mesa. - E o Castiel? 

- Logo ele voltará, senhorita Annie. O sol já apareceu, então ele deve vir ver a senhorita. 

- Me chame de Annie, Scott. 

- Ok, Annie. - ele sorri, me servindo um prato com diversas comidas. - Coma, Annie. 

A minha barriga come, arrancando risos nossos. Eu como tudo e repito, pois realmente estava faminta. Após eu comer, lavei a louça ouvindo Scott pedindo para não fazê-la e me sentei na sala, esperando o ruivo. Após alguns longos minutos, Castiel aparece na porta. 

- Achei que você estaria dormindo. - disse ele.

- Achou que ia se livrar de minhas perguntas assim, tão facilmente? 

- Sinceramente, não. Vamos ao meu escritório, precisamos falar a sós. 


Notas Finais


Opa! Escritório? Será que rola um Marilene? Vocês decidem!
Até os comentários, se tiver! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...