História O Lobo Branco - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Abo, Alfa, Beta, Clãs, Eu Sou Muito Desocupada, Imperialismo, Lemon, Lobinhos Se Amando, Mpreg, Ômega, Outra Fanfic Mds, Ravi, Ravioli-chan, Romance, Yaoi
Visualizações 77
Palavras 2.047
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fluffy, Harem, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oie bolitos, tudo bem?? ><
Demorei bastante dessa vez, desculpe 6_6. Eu não vou floodar as notas com o que aconteceu, se algum de vocês quiser saber, eu respondo na MP. Mas resumidamente, eu estava doente (ainda xux).

***A FIC NÃO SERÁ ABANDONADA*** – Estou até considerando uma segunda temporada kkkkk, então paciência bolitos, paciência >~<;

Então, sem mais delongas, boa leitura! ^^/

Capítulo 21 - Vingança: Parte 1


Tsubasa se matinha quieto, absorto do que ocorria ao seu redor. No enorme quarto em que dormia, os servos lhe vestiam um extenso quimono cerimonial, para assim poder receber os líderes dos outros clãs. Mas o alfa parecia alheio a tudo, pensativo demais. A verdade é Tsubasa se sentia tenso naquela noite. A decisão da reunião iria decretar seu destino com Akinori, precisaria medir bem cada palavra que diria.

Os líderes do clã Kaze e do clã Mizu haviam chegado pela manhã e a comitiva do clã Tetsu chegara logo após o almoço, então a reunião aconteceria à noite. Durante a manhã, esbarrara com os curiosos betas do clã Mizu, que levavam as coisas da princesa para seu quarto. Ao contrário do que sua economia inferia, Mizu era um país conhecido pela sua beleza. Mesmo sendo composto em quase cem por cento de pescadores, seus habitantes possuíam os mais ternos traços. Geralmente com tons de cabelo azulados em várias intensidades e olhos variando do castanho, preto ou azul. Os traços tão ternos muitas vezes faziam confusão entre betas e ômegas, que se pareciam bastante. Não fosse pela presença forte, conhecida por mover a água, os alfas também seriam confundidos. Além disso, o clã possuía uma característica muito marcante; por estarem sempre em contato com a água, as orelhas do sentan de um Mizuniano eram caídas, como as de um cachorro, afim de protege-las da água, por isso era fácil identificar alguém daquele país. Tsubasa achou o fato interessante, principalmente os cabelos azuis, que chamavam muita atenção em um ambiente basicamente composto de cores neutras. Mas seguiu caminho, sem se demorar muito ali.

Conheceu o clã Kaze na hora do almoço, quando um garoto, um pouco mais velho que ele, e extremamente rude, se sentou à mesa. Os cabelos cor de areia, quase brancos, eram arrepiados e seus olhos ostentavam um tom prateado. Era Kiryu Misuto, o líder do país do vento. Uma terra que ficava localizado em montanhas e que recebia as mais fortes tempestades e ventos, mesmo no verão. O clã era conhecido por ser ótimo em camuflagem e em escalar, por estarem constantemente subindo e descendo de penhascos íngremes e por terem muita força bruta. Eram grandes musicistas também e os inventores da flauta.

Fora horrível ficar ali sentado, comendo com alguém tão arrogante. Tsubasa sentia nojo toda vez que o jovem líder abria boca para dizer algum insulto aos seus criados. Tivera de reprimir sua presença até o limite, tentando não expor o desejo de matar o idiota à sua frente. Mas conseguira fazê-lo, afinal, por mais que a cada encarada provocadora de Misuto, Tsubasa quase atirasse os hashis em seus olhos. Se houvesse a oportunidade de matar Misuto, queria fazer ele mesmo.

A verdade é que Tsubasa já havia percebido que o líder de Kaze seria difícil. A princesa Suiteki Enkai ele ainda não havia conhecido e o líder de Tetsu, que já era ameaçador mesmo sem nunca ter visto, conhecia ainda menos. Tudo isso era um péssimo contribuinte para o nervosismo do alfa, que naquele momento, não conseguia fazer nada além de acatar o pedido dos servos, que ajustavam seu quimono.

Hoshi abriu a porta timidamente, observando se podia entrar. Tsubasa havia pedido que chamassem o ômega para lhe fazer companhia e ali estava ele. Arrumado com um quimono cerimonial e pintado com as tintas de gala.

Hoshi se aproximou com a permissão de Tsubasa, caminhando calmamente até sua cama e sentando ali, como sempre fazia. A simples presença do ômega no cômodo fazia Tsubasa relaxar um pouco. O aroma suave que o envolvia era um analgésico para todas as preocupações do alfa.

Depois de estar vestido completamente, o príncipe do clã Yoru dispensou os servos, ficando a sós com Hoshi.

 

– Pode me ajudar com isso? – Tsubasa estendeu um pequeno pente, soltando os cabelos de seu coque usual. O ômega sorriu, pondo um banquinho atrás de Tsubasa, pegando o pente e prontamente acatando o pedido. Adorava mexer naqueles cabelos escuros. Era muito raro que o alfa usasse-os soltos, mas também era inegável o quão bonito ficava ao fazê-lo. Tsubasa sempre mergulhava demais em seus deveres, colocando a si próprio em último lugar; por isso não cuidava dos cabelos, não visitava termais com frequência, não se demorava em atividades recreativas, não visitava os teatros com frequência, não saía em caçadas, nada. Constantemente aparecia com olheiras e o semblante cansado. Tudo isso fazia o coração de Hoshi apertar. – Obrigada por ter vindo outra vez, Hoshi. – A voz do alfa preencheu a sala, fazendo o corpo do menor se arrepiar.

 

– Eu sou o seu humilde servo, o que me pedir para fazer, farei. – As pequenas mãos deslizaram pelos fios de Tsubasa, separando cuidadosamente as mexas, arrumando o cabelo negro em um penteado cerimonial. A respiração do alfa saia pesada, como se expirasse toda a sua tensão. O príncipe riu com a afirmação de Hoshi. – Seus ombros estão tensos...

 

– Desculpe, eu estou preocupado com a reunião. Se alguma coisa der errado, a guerra pode começar aqui e agora. – A presença rija de Tsubasa movimentava-se pesadamente, causando um pequeno desconforto ao ômega. Hoshi deixava seu aroma exalar propositalmente, tentando acalmar o príncipe. Pouco a pouco as inspiradas do odor embriagante relaxavam Tsubasa, pontuando a ação quando Hoshi, timidamente, pousou as pequenas mãos sobre seus ombros, iniciando uma massagem.

 

– Vai ficar tudo bem... Chie-sama e Okami-sama estarão guiando suas palavras hoje. – Sorriu gentilmente, vendo o sentan de Tsubasa aparecer lentamente. Ele finalmente havia se deixado levar.

Hoshi o conhecia bem, bem demais. Era para ele que o alfa mostrava suas fraquezas, preocupações e o seu lado frágil; por isso sabia exatamente como acalmar o príncipe. Apesar de parecer uma rocha que nunca desmoronava, era apenas uma criança assustada que tentava desesperadamente fazer tudo ficar bem.

 

– É, tem razão... Eu só preciso me concentrar e deixar meu sentan me guiar. – Tsubasa suspirou ao perceber que o ômega terminara o penteado. Virou calmamente, fitando os olhos amendoados tão negros quanto o céu à noite. Acariciou o pequeno rosto, beijando-lhe a testa. Hoshi enrubesceu com a ação, abaixando o rosto constrangido. O alfa carregou-lhe, lhe descendo do banquinho e dando as costas em direção à porta. – Vamos, está na hora.

 

– S-sim senhor...

 

 

______________________________________________________________________________________

 

Tsubasa marchou em direção ao salão de reuniões, encontrando com seu pai e o reverenciando. Dasuku estava sentado sobre uma cadeira com rodas, já que não suportava mais ficar de pé. Acompanhado do alfa que sempre estava com ele e vestido com um kimono cerimonial assim como todos ali. Após uma breve prece à Chie e Okami, adentraram o salão de reuniões.

Tsubasa marchou pelo recinto, em direção às cadeiras reservadas para sua comitiva. Discretamente fitou os demais presentes ali, cada um em respectivo local.

Kiryu Misuto, o provável instigador da guerra e quem a decretara oficialmente a Yoru foi o primeiro que Tsubasa notou. O alfa havia assumido o clã Kaze há três anos e se mostrara um líder egocêntrico e impulsivo.

O Segundo líder a ser notado era a princesa Suiteki Enkai, uma alfa de seus vinte e poucos anos, um pouco mais velha que Misuto, pertencente ao clã Mizu. Tinha longuíssimos cabelos num tom azulado bem longínquo, seu olhar era sério. Ao seu lado estava sua irmã mais nova, Minamoto, segunda na linhagem do trono.

O último que Tsubasa viu foi Haitani, o grande, enorme e assustador líder de Tetsu. Possuía cabelos prateados compridos e arrepiados, seus olhos eram verdes como uma esmeralda, embelezando o olhar frio que ostentava. Vestia uma armadura de metal, evidenciando ainda mais a abundância do objeto em seu reino. Ao seu lado estava um pequeno gama de seus dezesseis anos, seu sobrinho, Yoji. Os cabelos também acinzentados e os olhos cor de água, mas em comparação com Haitani, o garoto era uma criancinha frágil e infantil. Era extremamente perceptível a diferença de olhar que o alfa lançava para o sobrinho e o olhar que lançava para qualquer outro além dele. Sempre que Yoji pedia sua atenção, era recebido com um semblante afável e paterno, mas quando Haitani voltava a fazer qualquer outra coisa, exibia o olhar frio e ameaçador. Tsubasa franziu o cenho ao perceber aquilo e quis se repreender ao ponderar que era um ponto fraco que poderia ser usado contra o clã Tetsu. Odiava a ideia de um confronto e detestaria ter de guerrear com qualquer outro clã.

Todos se sentaram em seus respectivos lugares, observando a apresentação começar. Era uma tradição que, sempre que um líder visitasse outro, deveria haver uma apresentação formal para entretenimento em algum momento de sua estadia.

Os atores entraram, começando o espetáculo. Interpretavam uma história antiga sobre a deusa do equilíbrio, Chie. Desde o começo de tudo, ela se mantinha afastada de alfas e ômegas por achá-los sem equilíbrio, mas certo dia ela se apaixonou perdidamente por uma ômega, da qual possuía um aroma único e refrescante, tão prazeroso que entorpecia os sentidos da deusa a cada expirada. Mas os anos começaram a passar e sua amada começara a envelhecer.

A música se intensificava nas partes dramáticas, atingindo uma intensidade envolvente no clímax, quando a ômega dera seu último suspiro. Por não ser uma deusa, ela era mortal e por isso o amor de ambas não poderia ser eterno. Chie passara dias entristecida, deprimida, agarrada ao corpo de sua amada e os céus e a terra explodiram em guerras e catástrofes. Sem ausência de justiça e equilíbrio, o mundo entrara em caos. Preocupados com o que acontecia, os deuses se reuniram e, um a um, foram consolar Chie e dar suas condolências. A deusa finalmente teve forças para soltar o corpo de sua amada, descendo de sua casa e a enterrando na terra. Só quando a cerimônia terminara, Chie chorou, a única vez que chorou. Uma chuva forte desabou juntamente com as lágrimas da deusa e ao sentir a água molhá-la, pode sentir a mesma sensação de alívio de quando estava com sua amada ômega. Então Chie decretou, que sempre que chovesse, ao findar o evento, toda o local atingido deveria ter o cheiro de sua amada. É por isso que quando se chove, um odor fresco e agradável toma o ambiente.

 

A música se encerrou e os atores saíram um a um do palco, para que a reunião finalmente começasse. Minutos de silêncio se seguiram e Misuto, o líder do clã Kaze, não fazia questão alguma de disfarçar sua impaciência, olhando para Tsubasa com o semblante fechado. O alfa suspirou, testando a própria paciência.

 

– Boa noite senhores. – Tsubasa cumprimentou, ficando de pé e reverenciando formalmente todos os que ali estavam, que devolveram o cumprimento, tendo exceção de Misuto. Aquele príncipe seria difícil... – Eu agradeço por terem atendido o meu pedido e por terem vindo até aqui. Tenho certeza que é do desejo de todos evitar um derramamento de sangue desnecessário, por este motivo solicitei a reunião, para saber qual o motivo da guerra e se há algo que possa ser feito para evitá-la. – O alfa falava de maneira calma, mas séria, enquanto Hoshi, sentado ao seu lado, deixava seu aroma de pêssego exalar discretamente, ajudando a mantê-lo calmo. Misuto se levantou da cadeira com brutalidade.

 

– Como ousa?! – Ganiu, expandindo a presença de maneira turbulenta. – Você e seu clã não sabem o motivo? Há! É claro que não saberiam... – Misuto bateu as mãos em sua mesa, olhando para os outros líderes, que o fitavam de maneira séria. Tsubasa contraiu as sobrancelhas e olhou para Dasuku, buscando auxílio.

 

– Perdoe a nossa ignorância, Kiryu-sama, mas poderia nos dizer qual a causa? – O alfa que sempre acompanhava Dasuku emitiu as palavras do velho líder.

 

– Ignorância... – Misuto passou as mãos no cabelo nervosamente. – Então deixe eu te lembrar, “Dasuku-sama”. – Ganiu em ironia. – Há cinquenta anos meu povo, o clã Kaze, era um país rico e bem desenvolvido, vivíamos em paz e tínhamos estabilidade financeira... Foi quando, sem provocação alguma, SEU clã nos atacou. Não houve aviso, proposta de paz, NADA!! Seus soldados mataram alfas, betas, ômegas... Mulheres e crianças! Não houve piedade, não houve MOTIVO!! – Misuto berrava, esbaforido, encolerizado, quase subindo na mesa à sua frente. A presença agressiva fervilhava de ódio e as veias pulsavam, alteradas em seu rosto. – Eu não quero dinheiro, território, aliança... Tudo o que eu quero, Dasuku, o grande, é vingança!


Notas Finais


O capítulo terminou meio tenso xux. Eu sei que está pequeno, mas se eu fizesse maior, iria demorar o dobro para postar, preferi jogar logo aqui, para vocês não pensarem que eu morri kkkk.

(Responderei os comentários assim que possível ^^)

É isso bolitos, nos vemos lá embaixo! ^^/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...