História O lobo e a chapeuzinho vermelho - Second Season - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amanda Seyfried, Justin Bieber
Personagens Amanda Seyfried, Personagens Originais
Tags Chapeuzinho Vermelho, Lobo Mau
Exibições 157
Palavras 1.592
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá meninas voltei!! Vocês todas sabem que eu demorei 5 meses por que estava sem criatividade e também estava postando outra fanfic que chegou no fim a pouco tempo. Não estou só com essa fanfic em andamento, tem outra no Wattpad, deixarei o link nas notas finais. Irei fazer um pequeno resume aqui da fanfic até agora, para quem esqueceu e não precisar voltar alguns capítulos para saber do que se trata.
RESUMO: Chapeuzinho e Justin estão passando por uns problemas relacionado ao eclipse. Justin acabou atacando o vilarejo quando estava acontecendo uma festa e matou uma pessoa. Eclipse está quase chagando então ele começou a ficar descontrolado, Jazzy foi na casa de Chapeuzinho e falou para eles irem para casa dela e de Dylan, por que ela teria ajuda de Dylan cado as coisas piorasse, então eles foram. Na mesma noite Justin acabou se transformando de novo e ficou preso no porão com Jazzy e então depois Chapeuzinho vai busca-lo no porão e assim encontra sua mãe.
Tenham uma boa leitura.

Capítulo 7 - Verdades


—Capítulo 6—

Não acreditava que estava vendo minha mãe na minha frente. Ela tinha um sorriso enorme no rosto, veio em minha direção ignorando o Justin que estava do meu lado, onde eu estava o ajudando a se manter em pé.

—Minha filha — me abraço— Tem noção de como eu te procurei? — Me olhou— Por onde andou? Por que fugiu? — Olhou para o Justin— O que está fazendo com ele?

—Olha... mãe. Eu não devo satisfação para a senhora, não mais.  Se por favor poder sair da frente eu preciso entrar com Justin.

Falei o mais educadamente que eu podia. Minha mãe não era uma má pessoa, mas sei de sua obsessão de me encontrar, e agora que meu achou nem quero ver o que ela será capaz de fazer.

—Qual o seu problema chapeuzinho? — Disse seria. Mas ignorei passando por ela indo em direção da casa— Ei estou falando com você.

—Por favor me deixar levar o Justin para dentro, já conversamos — respondi seria.

Não esperei a resposta dela e subi as escadas com Justin. Dylan apareceu na porta ajudando o Justin entrar.

—Obrigada Dylan — sorri— Irei conversar com a minha mãe, já entro.

—Está bem — assentiu entrando para dentro de casa com Justin.

O Justin realmente estava mal. Nenhum momento falou nada, eu o conheço muito bem e sei que ele falaria alguma coisa para minha mãe.

—Quem me contar onde esteve todo esse tempo e com ele? — Perguntou seria.

—Eu estava longe daqui — respirei fundo— E Justin é meu marido.

Ela abriu a boca me olhando assustada.

—Marido? — Assenti— Meu deus chapeuzinho fugiu com um moleque para se casar?

—Se você esqueceu fugi por que estava gravida e vovó me chutou de casa para morar com você, que estava me forçando a ir embora daqui — respondi seria.

—E onde está o bebê?

—Está bem — tentei não mostrar nenhuma reação, apenas encarava seria— Agora vai sair correndo para a vovó e falar onde estou e me força a ir embora?

—Chapeuzinho você tem que vim falar com a vovó.

—Eu não quero falar com ela, não quero falar com ninguém. Será que pode deixar eu viver minha vida, eu tenho uma família para cuidar agora — virei as costas para entrar.

—Dessa vez nós te achamos, não tem mais como se esconder — falou.

—Não estou mais me escondendo. Só me deixem em paz está bem.

—O que deu em você para estar falando assim comigo?

—E você ainda pergunta? Esqueceu quando queria me levar a força para morar você? E vovó me chutando para fora por que estava gravida? Ficaram obcecadas atrás de mim, em vez de me deixarem em paz — gesticulei com a mão.

—Achamos que estava morta — alterou a voz.

—Olha para mim — apontei para mim mesma— Eu estou bem, só quero viver minha vida em paz agora pode ser?

—Está bem — deu um passo para trás— Mas eu não sou a vilã.

Não respondi nada apenas abri a porta entrando.

Respirei fundo seguindo para o quarto onde estava com Justin. Sorri assim que vi Justin olhando para a Sky que ainda dormia profundamente do seu lado. Ele me olhou e tentou abrir um pequeno sorriso, ele parecia melhor.

—Está se sentindo melhor? — Perguntei me aproximando da cama onde me sentei do outro lado de Sky, deixando ela no meio de nós dois.

—Sim! — Olhou para a Sky e depois para mim— O que sua mãe queria? Te levar embora de novo?

—Nem eu sei o que ela veio fazer aqui — suspirei— Ela queria que eu fosse falar com a vovó, mas deixei bem claro que não queria falar com ela e mais ninguém.

—Ela sabe agora onde você — fez uma pequena pausa— Tenho medo que ela te leve embora e acabe deixando nós dois — olhou para a Sky.

—Nunca! Nem nos seus sonhos Bieber — ri baixo.

—Gosto quando me chama de Bieber — sorriu de lado— Principalmente em outras ocasiões.

—É claro que gosta — revirei os olhos.

—Chapeuzinho o eclipse está previsto para amanhã — suspirou— Estarei bem longe daqui. O que você viu hoje não é nada comparado no que vai acontecer amanhã.

—Só volte bem para casa — segurei sua mão— Eu e Sky vamos estar te esperando.

—Eu amo vocês duas. Irei parti amanhã cedo, quero que fique o Dylan, qualquer coisa se sua mãe voltar ou vovó vão para casa — passou a mão em meu rosto— Assim que tudo acabar eu volto, eu prometo.

—Já é uma despedida?

—Só uma despedida de algumas horas — sorriu de lado.

—Eu te amo — lhe beijei tomando cuidado com Sky em nosso meio.

—Eu também amo — respondeu assim que paramos o beijo.

Me ajeitei na cama e Sky que estava ficando atravessada. Segurei a mão do Justin que sorriu para mim e eu retribui fechando os olhos e rezando para que passasse rápido o dia e a noite de amanhã.

POV Liza

Mesma noite — 09h:45min P.M

Caminhava pela floresta com lampião em mãos aluminando meu caminho. Devia estar em casa é claro, mas quero encontrar minha filha o mais rápido possível eu tinha que saber se ela estava bem. Escutei o uivo do lobo me fazendo se encostar na arvore mais próxima com a respiração acelerada.

Ele está próximo.

Olhei para os lados assustada e apaguei a vela dentro do lampião deixando tudo escuro. Não escutava nada em minha volta, tudo estava bem silencioso. Comecei a andar e percebi que estava próximo da casa da Jazzy.

Franzi a testa e percebi que o som do lobo veio dessa direção. Estava pronta para ir na casa da Jazzy e falar com ela, mas fui surpreendida com a Chapeuzinho carregando alguém que logo reconheci, era o Justin.

—Chapeuzinho — sorri.

Não acreditava que finalmente tinha a encontrado. Senti um alivio enorme sair do meu corpo, era tão bom ver que ela estava viva e muito bem. Única coisa que eu não entendia era sua atitude, ela ainda estava magoada com o passado e tudo isso era culpa da vovó, a maior parte era dela.

Minha filha não me queria por perto. Eu talvez posso ter exagerado querendo que ela fosse embora comigo, mas eu estava tão feliz por ter encontrado de volta, por vê-la de novo, que eu só pensava dela ir embora comigo. Mas daí veio a bomba que ela estava gravida e vovó deu a loca a botando para fora e isso levou ela a fugir de casa.

Tudo culpa daquela velha.

Voltei para casa chateada e com raiva com encontro que tive com minha filha. Não era isso que eu queria, não era esse encontro que eu queria.

Abri a porta da casa encontrando vovó como sempre tricotando, com raiva tirei aquela merda de suas mãos a deixando assustada.

—É tudo culpa sua — gritei apontando o dedo para seu rosto— Agora Chapeuzinho está braba comigo e nem quer mais olhar para minha cara.

—Você falou com ela — se levantou de sua poltrona.

—Eu a encontrei sozinha sem sua ajuda, mas adivinha — sorri debochada— Ela não quer mais me ver, ela quer que eu a deixe em paz.

—Achou mesmo que ela ia te receber de mãos abertas depois de tudo.

—Isso tudo é culpa sua — gritei— Você a expulso de casa gravida e isso fez ela ir embora, longe de mim.

—Esqueceu que você queria que ela fosse embora com você? Estava forçando ela a ir embora, eu só dei um empurrão.

—Você queria jogar ela gravida para cima de mim. Admita que você não queria arcar com a responsabilidade, teria que cuidar dela e do bebê também, por que com certeza estava pensando que o homem que ela ficou gravida não irei cuidar dela, mas adivinha os dois agora são casados.

—Você só pode estar louca — riu debochada.

—Admita — gritei.

—E se for verdade? Do que adianta agora?

—Você irá se explicar com ela! Com certeza ela irá querer uma explicação do por que você ter expulsado ela de casa.

—Não vou dizer que não queria que ela tivesse o filho.

—Você iria falar para ela aborta? — Perguntei espantada.

—Sim! Como você mesmo disse. Eu não queria arca com a responsabilidade de cuidar dela e de um bebê, seria muito para mim.  

—Você é ridícula — fiz cara de nojo— Não sei como eu posso ser sua filha.

—Eu também não queria ter você — confessou— Mas eu não queria morrer sozinha então eu tive e sabia que daria uma sobrinha ou sobrinho, mas não esperava que você abandonasse comigo e fosse embora. No começo queria te dar uns belos tapas, mas daí Chapeuzinho mostrou ser uma boa menina e me conquistou.

—Você é monstro, me dá nojo — sai de sua frente indo em direção do antigo quarto de Chapeuzinho, era onde eu estava dormindo.

—Onde ela está? — Perguntou vovó entrando no quarto.

—Acha mesmo que irei te dizer? — Sorri de lado— Vai sonhando.

—Antes era nos duas procurando juntas, agora não quer nem em contar.

—Depois de tudo que eu escutei — suspirei— Nem pensar.

—Você não tem esse direito, ela é minha neta.

—Ela é minha filha — gritei de volta— Se for para se desculpar e explicar para ela, eu falo onde ela está caso ao contrário não irei dizer.

Ela ficou um tempo calada, mas logo falou.

—Tudo bem. Vou contar a ela tudo.

—Não acredito em você! Agora se poder me dar licença.

—Você está na minha casa. Se quiser você se retire.

Não disse nada apenas fui em direção do banheiro fechando a porta em seguida.

—Vovó é a vilã e eu não eu — disse a mim mesma.


Notas Finais


O que acharam? Espero que tenham gostado, eu sei que pode estar pequeno, mas não queria jogar tudo que tenho em mente nesse capítulo. Então creio que não irei demorar para atualizar de novo.
Genteeeee eu fiquei bem feliz por ter pessoas que veio me cobrar capítulo novo, vieram até no instagram, eu realmente fiquei bem feliz serio, isso mostrar que vocês gostam da fanfic e querem mais. Obrigada a todos serião, e vejo vocês logo não se preocupe que não deixarei mais vocês esperando meses por um capítulo novo.
FANFIC NOVA NO WATTPAD:
https://www.wattpad.com/story/80373329-family-voorhees
https://www.wattpad.com/story/80373329-family-voorhees
https://www.wattpad.com/story/80373329-family-voorhees
https://www.wattpad.com/story/80373329-family-voorhees
https://www.wattpad.com/story/80373329-family-voorhees
https://www.wattpad.com/story/80373329-family-voorhees


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...