História O Manicômio de Upshur - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Calvin Harris, Charlie Puth, Demi Lovato, Fifth Harmony, Justin Bieber, Outlast, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Troye Sivan
Personagens Calvin Harris, Camila Cabello, Charlie Puth, Demi Lovato, Justin Bieber, Lauren Jauregui, O Walrider, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Troye Sivan
Tags Calvin Harris, Camila Cabello, Charlie Puth, Demi Lovato, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Outlast, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Troye Sivan
Exibições 25
Palavras 907
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Lírica, Mistério, Policial, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Quero deixar claro que foi BASEADA em Outlast, sugestão dada por @LinkinParkGirl
Não conheço muito sobre, mas estarei lendo no decorrer sobre.
Boa Leitura, Aprecie

Capítulo 1 - Prologo


Fanfic / Fanfiction O Manicômio de Upshur - Capítulo 1 - Prologo

Quando éramos jornalista....

 Quando éramos jornalistas as coisas eram fáceis. Vivemos em um tempo, onde após a terceira guerra as pessoas preferiam retroceder em alguns costumes, em sua maioria fizeram desta maneira, mas outros ainda escondem suas tecnologias perigosas e de um passado futurista a catastrófico. Estamos no ano de 2245, vivemos com fundamentos do século XIX. Roupas, costumes, um modo cortes de agir. Uma vida simples e pacifica. Para um jornalista, era até que não muito bom, era monótono, e não havia grandes emoções, O jornal simples, impresso em suas maquinas do passado, mas de um passado onde “impressoras” nem eram populares. As copiadoras, como voltamos a chama-las, são lentas e de pouco funcionamento.

Para falta de entender, sou Troye Sivan, jornalista autônomo, em conjunto com meu colega Calvin Harris. Tenho 25 anos, já Harris tem 32. Um homem casado, com sua adorável esposa Angélica, com qual tem um adorável filho Louis.

Tudo começou quando eu e Calvin recebemos a visita de uma dama em nosso escritório, a mulher de cabelos longos e escuros, e olhos claros, trajava um vestido bege de gola e mangas compridas. Um chapéu com véus, combinando com seu vestido. Ela não se nomeou a princípio.

- Soube que estão trás de notícias mais... – Ela fez uma pausa pensando em uma palavra. – Com mais ação? – Nós apenas a fitamos. – Pois bem, tenho informações sobre um lugar.

- Que lugar. – Harris estava curioso.

- O Manicômio de Upshur.

- O que tem ele. – Disse eu, querendo mais informações.

- Dizem que lá vem sendo feitas experiências ilegais, com equipamentos ilegais.

- Equipamentos ilegais, de qual tipo? – Harris voltou a perguntar.

- Maquinas do passado, perigosas. – A jovem disse seria e com certo tom de preocupação na voz.

 - Mas por que diabos deveríamos acreditar em você?! – Eu falei. Ela me fitou indignada por ter duvidado das suas palavras. Ela suspirou e permitiu se sentar.

- Quando era criança, minha mãe ficou viúva, ela casou se com o um Sr. Cabello. Gomez Cabello, ele também era viúvo, e tinha duas filhas gêmeas. Selena e Camila, ambas eram mais velhas do que eu, eram duas garotas peculiares, muito por sinal. Em alguns anos, seus comportamentos passaram a ser..... Psicóticos, meu padrasto as levou Manicômio Upshur. Elas tinham 15 anos, nos primeiros dois anos recebíamos cartas dos médicos e as vezes delas. Mas depois de um tempo paramos de recebe-las. Sr. Cabello foi atrás e descobriu que não havia mais o Manicômio. Ele adoeceu em seguida, vindo a falecer em menos de dois anos. – Ele deixou nos pensar um pouco sobre a história. – Recentemente ouvi boatos do lugar, e queria muito saber de minhas irmãs, tenho muito apresso a elas.

- Você vai dizer seu nome? – Harris perguntou.

- Não, pretendo continuar no anonimato, vou continuar lhe enviar mais informações sobre o lugar, por meio de cartas, seria gratificante que exponham esse lugar. E não a pessoas melhores do que dois jornalistas buscando aventura para fazer tal.

Durante dois meses recebemos suas cartas bem detalhadas sobre informações, era incrível o que a jovem estava fazendo. Harris falou com a esposa, e então partimos....

Nesse momento, eu me arrependo profundamente. Desde que entrei nesse lugar, tudo se tonou um inferno. Neste momento eu estou no pior dos momentos....

Sabe se que quando estamos para morrer, vemos nossas vidas diante de nossos olhos, o que eu vi foi a raiva que sinto nesse momento da minha informante.... Aqui estas eu, debilitado, ferido. Calvin até tentou ajudar, mas fomos surpreendidos. No começo estava contando quantas balas perfuraram meu corpo, mas me perdi há uns dois segundos. Agora sei que estou no chão, a vista a ficar escura. Então tudo és preto e tudo que ouço é “Agora você é o hospedeiro”

 

A dor que sinto durante os tiros que levei não chegam nem perto da dor que sinto em minha mente.... Eu sei que uma batalha mental eu irei perder, pois a dor eu já não posso suportar, tudo que me resta e deixar me ser consumido por ele. Mas antes irei descrever um pouco da sensação de ser o hospedeiro de criatura tão psicótica.

 

Já sentiu uma dor de cabeça? Claro, doeu, mas passou após certo tempo, imagine agora ela continua, uma dor que parece que seu cérebro está batendo nas paredes de seu crânio. Latejando intensamente lá dentro. Como se seu cérebro estivesse para explodir... A confusão mental, e o esforço para se manter são. É de mais.... Sabe quando você está tentando se concentrar, mas não consegue? Imagine isso com um forte dor de cabeça. Você sente enlouquecer, os seus ouvidos tinirem, você sabe que há alguém em sua mente. Eu sei que me esforcei demais, um esforço desperdiçado, em vão. Por que ele é mais forte, já debilitado sofrido mentalmente pelos horrores visto aqui, era fato de deste ponto eu não venceria. Perderia minha mente, eu deixaria ele consumir me, apenas para ter a paz em minha cabeça, egoísta. Pois agora. Em mim há uma pessoa, que não se importa em matar.

E para grande felicidade dele, há a vontade crescente de vingança presente em meu âmago. Tenho total certeza de que isso será um excelente combustível.

Resta me agora em meus segundos restantes de consciência unicamente minha, torcer para que eu não consiga sair daqui de dentro, após ser consumido. Pois Lauren Jauregui, minha informante, talvez nunca mais verá a luz do sol.

“Adeus”


Notas Finais


Obrigado por ler, e deixe me saber o que achou.
Provavelmente estarei postando um cap novo todos os sábados.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...