História O Mar da Morte. - Capítulo 7


Escrita por: ~ e ~MordenNoctis

Postado
Categorias As Provações de Apolo (The Trials of Apollo), Mitologia Grega, Mitologia Romena, Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Annabeth Chase, Apollo, Ares, Artemis, Atena, Calipso, Clarisse La Rue, Cronos, Dionísio, Frank Zhang, Gleeson Hedge, Grover Underwood, Hades, Hazel Levesque, Hefesto, Hera (Juno), Hermes, Íris, Jason Grace, Júniper, Leo Valdez, Meg McCaffrey, Nico di Angelo, Percy Jackson, Perséfone, Personagens Originais, Piper Mclean, Poseidon, Quíron, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Sally Jackson, Thalia Grace, Tyson, Will Solace, Zeus
Tags Alternativo, Amizade, Drama, Escolar, Grega, Livros, Magia, Magica, Mitologia, Romana, Romance, Universo, Violencia
Visualizações 14
Palavras 1.252
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá :3
Mowerk aqui!
Boa leitura meus cheiros <3

Capítulo 7 - O Acampamento "Em Chamas."


POV Percy

Enquanto Maryllin ia na direção de seu carro, Alyssa me chamou para conversar, sua expressão não estava nem um pouco boa e seu estado também:

- Deuses! O que aconteceu com você? - digo, correndo em sua direção e tocando seu rosto todo arranhado e machucado.

- Maryllin está pior, e pare de me tocar. - resmungou, eu retirei minhas mãos de seu rosto rapidamente, do jeito que ela é, iria arrancar minhas mãos. - Obrigada.

- E então? O que quer me dizer? - digo, um tanto curioso.

- Não fique tão feliz assim. Não é algo normal e muito menos bom. - disse, cruzando os braços e chutando o chão. - Por onde eu começo? Deixe-me ver. Okay... preste atenção, certo? - concordei com a cabeça. Ela respira fundo antes de começar a falar. - E-eu e Mary... somos meio que, é... iguais, podemos dizer.

A olho, meramente... certo, muito confuso:

- Você não está colaborando sendo lerdo desse modo! - indagou-se. Soltei um '' desculpe '' baixinho. - Apenas, somos a mesma pessoa, porém de famílias diferentes. Podemos dizer que nosso futuro e nosso passado estão ligados, agora vamos. Eu tinha que desabafar isso com alguém.

POV Alyssa

Chegamos no carro e Maryllin estava comendo uma coxinha. Legal:

- É sério isso? - digo, ela nos olha imediatamente. Percy segura sua risada atrás de mim, dou uma cotovelada nele. 

- AI! Qual o seu problema? - resmungou, massageando a região das costelas. 

- Eu não sou livre para comer o que eu quero não? Se sentem aí atrás logo! - disse Mary, colocando o resto da coxinha na boca e ligando o carro.

Solto um longo suspiro quando Percy  puxa meu braço para me '' obrigar '' a entrar no carro. Eu não tinha outra escolha mesmo:

- Agora Aly, você vai me dizer quem é esse Lucas aí que você fica pensando na aula de matemática. - comentou Mary.

Eu vou matar essa garota:

- Se você me matar, eu te mato.

- Como você é chata! - digo, rolando os olhos. - Lucas é meu melhor amigo, feliz?

- Melhor amigo, hein? - disse Percy, pegando uma coxinha do pacote e enfiando na boca. - Você não me engana irmã, confexe que extá dando unx pegach nele, ele é um cara bonito. - continua, com a boca cheia.

- Como ele é? -  perguntou Maryllin. - E Percy, mastiga tudo primeiro.

- Tire os olhos, é apenas meu! E você fica comentando sobre um tal de...

- Cale a boca! NÃO NA FRENTE DO PERCY. - implorou quando me viu abrindo a boca para dizer o nome da pessoa

- Huuum. Quer dizer que nossas semideusas iguais estão apaixonadas? - comentou meu irmão, levantando a mão para pegar mais uma coxinha.

- Tira sua mão daí! São todas minhas, ava. - gritou Mary, pegando a sacola rapidamente.

Dou um longo suspiro, afim de não rir, porém, claramente isso é impossível com ALGUÉM LENDO MEUS PENSAMENTOS, NÃO É?

- Desculpe, juro que não leio mais eles. É que a tentação é mais forte. - desculpou-se Mary, dando um sorriso amarelo.

Percy estava emburrado no seu canto, um grande bico em seus lábios e os olhos semicerrados:

- Qual é, garoto do mar, coloque um sorriso nesses lábios. - digo, puxando suas bochechas.

- Aly! Me solta! - disse, tirando minhas mãos de sua bochecha com um movimento brusco.

Maryllin pigarreia na frente do carro, nos apontando uma luz estranha que se formava no fim da rua:

- Pare o caro, agora. - digo, ela me obedece. - Vamos.

Abro a porta do carro e saio correndo, nem dando a chance de Percy reclamar. Maryllin vem atrás de mim, com sua espada nas mãos:

- O que foi, estrela do mar? - disse. Rio mentalmente de seu apelido idiota. Um sorriso escapa de meus lábios. - Olha só! Você sabe rir!

A olho mortalmente e puxo minha espada, que estava guardada em minhas costas. Aceno para Percy com a cabeça e ele vem em nossa direção. A luz se distancia mais e mais:

- Eu sinto que devemos pegá-la. - dizemos eu e Mary. 

- Agora eu entendo o por que de vocês serem iguais. Vamos, se não quiserem perder essa coisa brilhante aí. 

Decidimos nos dividir. Percy iria ao Norte, eu para o Sul e Mary para o Leste.

Corro rapidamente na direção que tenho que ir, tento minimizar meu barulho, porém não sou tão profissional assim. Alguns mortais que veem através da névoa podem me ver com a espada, não seria uma cena muito reconfortante.

'' Ei, é você? Percy está aqui comigo, conseguimos pegar a luz, a prendemos num potinho que achei debaixo duma árvore, venha aqui, perto do parque, rápido! ''

Certo, agora podemos fazer telepatia.

Corro para o leste, na tentativa de chegar lá o mais rápido o possível, contudo, como eu já disse, hoje o universo não colabora comigo. Tropeço num tronco de uma árvore e caio de cara no chão.

Que vergonha.

Vários mortais me olham por alguns segundos, logo, felizmente, voltam a fazer o que estavam fazendo.

Me levanto e limpo a terra que sujou minha roupa, e continuo a correr numa velocidade que nem sabia que era capaz.

Vejo um Percy acenando para mim enquanto uma Maryllin impaciente observa o potinho brilhante:

- Até que enfim chegou! - comentou meu irmão, me dando um tapinha nas costas. Eu estou muito ofegante nesse exato momento.

- Essa luz não faz nada, entendeu, tipo, nada mesm...

- É, Maryllin... - digo, chamando a atenção dela e de Percy ao notar uma silhueta se formar no potinho.

- Quíron! - disse Percy, extremamente feliz. - O que o senhor faz aqui?

O centauro está muito sério, até demais, algo errado aconteceu:

- Semideuses, eu preciso que vocês venham para cá, nesse exato momento, algo grave acabou de acontecer.

Nos entreolhamos, com os olhos arregalados. Eu acertei na mosca, porém não é hora de comemorar.

***

Percy chamou Blackjack, para eu e ele montarmos, enquanto Maryllin iria voando mesmo. 

Avistamos o Acampamento no céu, fomos em sua direção. Parecia que ele estava sem cor, como se estivesse perdido sua essência alegre. 

Franzo minha testa ao ver Quíron conversando com... quem é aquele? 

Era um homem alto e magrelo, cabelos negros e olhos cinzas, não o conheço.

Descemos do pégaso ao chegarmos no Acampamento, Maryllin parece exausta. Lhe lanço um sorriso reconfortante, a mesma retribui.

Quando o centauro nos vê, para de conversar imediatamente com o magricela:

- Crianças, venham, rapidamente.

Quíron nos guiou para a sala aonde fazíamos as refeições, eu ainda não decorei o nome de tudo, não fico muito no Acampamento Meio-Sangue.

Vários semideuses nos encararam, principalmente eu e Maryllin, cochichando algo. Confesso que estou com um pouco de medo:

- Por favor, não surtem.

Ele abriu uma cortinha, havia vários semideuses cabisbaixos e outros curiosos. Quando pude ver o que estava ali, meu coração gelou, fiquei paralisada. Com os olhos arregalados, apenas sentindo minha respiração.

Kamira, a minha pégaso, estava toda ensaguentada no chão.

Corro em sua direção, sentindo as lágrimas em meus olhos, eu não posso chorar, não agora.

Um barulho de explosão ecoa pelo local, e vários gritos de socorro e ajuda podem ser ouvidos de longe.

Olho, meramente confusa, para Percy e Maryllin, que estavam sendo rodeados por uma aura branca, olho para mim e vejo que o mesmo acontece comigo?

 

 

 

 

O que raios está acontecendo?


Notas Finais


AHSAHSHAHSHA
mano, Morden melhor pessoa, vocês tem que ver a ideia que ela teve.
Até o próximo capitulo <3
Comentem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...