História O melhor amigo - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amigo, Amor, Friendzone
Exibições 50
Palavras 1.214
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi gente!
Mais um cap e eu estou muito feliz com a aceitação de vocês com a historia!
Pra uma historia que não seria grande já esta quase nos seus 33 cap.
Espero que gostem! Boa leitura

Capítulo 32 - Juro


Fanfic / Fanfiction O melhor amigo - Capítulo 32 - Juro

-Grávida?- Morgana gritava pelo telefone.

- Descobri hoje.

- Eu saio de Uberlândia faz duas semanas e tu engravidas?

- Pelo visto, mas ai como ta com o meu cunhado bonitão?

- Muito bem ah... eu também to grávida!

- Você sai de Uberlândia faz duas semanas e tu engravidas?- disse imitando sua voz

- Muito engraçado Lu. Mas como cê ta? Digo sua doença.

- Ahh! Estou melhor, juro. Nunca mais vomitei nem tossi sangue.

- De qualquer forma ainda acho que você deveria ir ao médico.

- Eu estou bem Morgana.

- Ok,ok! Tenho que ir, depois conversamos.

- Ok! Beijos.

Estava na cozinha fazendo o café da manha. Nessas duas semanas praticamente tenho morado na casa do Kelvin, ele não queria me deixar sozinha ele já esta desconfiado que estou escondendo algo dele mas...

- Me deixou sozinho Lu.- disse Kelvin me abraçando por trás e beijando meu pescoço.

- Vim fazer o café preguiçoso.

- Panquecas? Ou eu fiz algo muito ruim ou nós temos que conversar

Eles eram tão cúmplices um do outro que sabiam cada pegadinha que poderia haver por trás de um simples prato de panqueca.

- Então precisamos conversar. Eu estou...

- Doente?! Eu sabia. Por que não me contou antes?- disse levantando da mesa e vindo em minha direção.

- Calma. Eu estou grávida, mas também estou doente. E eu não contei porque eu estou com medo- involuntariamente comecei a chorar.

- Hey! Não chora, por favor, eu to aqui com você. Não vou te deixar sozinha nunca.

- Eu to assustada. Não em ser mãe, isso é maravilhoso, mas assustada com a minha doença.

- Pois eu estou mais preocupado em ser pai sabe por quê? – neguei com a cabeça- Por que não vai ser nem a pior doença desse mundo que vai tirar você de mim. Eu juro.

- Eu amo você- disse com a voz embargada pelas lágrimas- não me deixa.

- Nem se você me deixar.

~^~

Essas duas semanas sem o João tem sido maravilhosas. Não que eu não sinta falta do meu irmão não é isso mas ta sendo tão bom acordar todos os dias ver ela a mulher mais linda do mundo do ao meu lado.

Sim era amor aquele sentimento que eu tento neguei e tentei evitar. Tinha medo de magoa-la e agora ela tem meu coração para brincar. Não me importaria de ter meu coração partido por ela pois eu sei que ela iria o montar novamente.

Mas uma coisa me deixava realmente irritado. Ela estava doente e me escondeu isso. Descobri quando ela me pediu pra buscar umas roupas e o seu celular na sua casa e acabei encontrando seus remédios e uma mensagem da Morgana perguntando se ela estava melhor.

O bom da Morgana é que ela não sabe mentir então quando eu liguei perguntando ela não inventou desculpas e simplesmente me falou que nem ela sabia o que Luisa tinha mas sabia que era grave afinal ninguém sai por ai vomitando sangue.

Acordei e ela não estava na cama corri pro banheiro pensando que sei lá estava passando mal mas não ela não estava lá respirei aliviado por ela não esta mal. Mas onde essa mulher se enfiou? Como pude esquecer na cozinha. O lugar favorito dela. Onde tinha comida pode apostar que ela estaria lá.

Cheguei ela estava com uma das minhas blusas e tava no telefone. Não escutei a conversa estava focado de mais naquela deusa de costas pra mim.

- Me deixou sozinho Lu.- disse a abraçando por trás e beijando seu pescoço.

- Vim fazer o café preguiçoso.- disse ela sem virar pra trás

- Panquecas? Ou eu fiz algo muito ruim ou nós temos que conversar.

Ok! Eu estava fodido. Devo ter feito alguma merda muito grande. Panquecas quase nunca é um bom sinal. Sentei na mesa e esperei ela falar.

- Então precisamos conversar. Eu estou...

- Doente?! Eu sabia. Por que não me contou antes?- disse levantando da mesa e indo em sua  direção.

- Calma. Eu estou grávida, mas também estou doente. E eu não contei porque eu estou com medo- ela começou a chorar

Grávida? Eu vou se pai? Uma alegria imensa surgiu mas só de vê-la chorando eu sinto meu coração apertar

- Hey! Não chora, por favor, eu to aqui com você. Não vou te deixar sozinha nunca.

- Eu to assustada. Não em ser mãe, isso é maravilhoso, mas assustada com a minha doença.

- Pois eu estou mais preocupado em ser pai sabe por quê? –ela negou- Por que não vai ser nem a pior doença desse mundo que vai tirar você de mim. Eu juro.

- Eu amo você- disse com a voz embargada pelas lágrimas- não me deixa.

- Nem se você me deixar.

Não era mentira nenhuma. Nunca iria deixa-la novamente. Sei o quanto ela sofreu e com aquele sonho ou premonição ou caralho a quatro que foi passar dois minutos sem ela já me deixa com um nó na garganta.

- Mas agora vamos sair.- disse depois de um longo silencio.

- Aonde vamos?

- No medico. Se você esta doente vamos enfrentar juntos ok?

Fomos ao hospital mais perto de casa demorou uma eternidade para sermos atendidos acho que Luisa roeu todas as unhas de nervosismo

- Luisa Lavinea?

-  Eu.

- O medico esta a sua espera.

Fomos lá. O medico falou muitas coisas das quais eu não me lembro pois so sentia a dor na minha mão que a Lu tanto apertava.

- A senhorita tem Hematêmese. Sim é grava mas nada que faça você correr risco de vida, bom a senhorita já passou dessa fase.

- Como assim fase?

- A doença quando não é bem desenvolvida como é no caso da Luisa não há tanto risco mas ela estivesse alem de vomitando e tossindo estivesse tendo hemorragias ai sim a senhorita teria riscos.

- Eu tenho uma pergunta- disse Lu por fim

- Fique a vontade

- Eu estou grávida essa doença vai atrapalhar alguma coisa na minha gestação.

- Primeiro meus parabéns e segundo não ira atrapalhar só recomendo um descanso maior  e sem estresse ok senhor papai?- disse olhando pra mim

- Sem problemas.

Saímos do hospital rapidamente. Eu odeio hospitais. Almoçamos na casa do tio Jeff e da tia Andreia, Amanda estava lá também. Ultimamente ela estava tão ocupada que nem nos falávamos direito.

Os três ficaram muito felizes quando souberam da gravidez da Lu e surpresos assim como eu da gravidez da Morgana

- Pela primeira vez meu irmão fez algo que preste.

- Deve ter algum incesto nessa historia, sei lá, ele é seu irmão a Morg é irmã da Lu. – disse Amanda

- Mas você ta esquecendo que a Luisa não é nossa filha de sangue- disse tio Jeff- e mesmo se fosse não teria problemas. As duas felizes são o que realmente importam pra mim.

- Eu já vou indo- disse me levantando e pegando Lu que dormia no sofá- tenho que cuidar da minha mulher

- Sua mulher é? Pra quem disse que nunca teria nada com ela o senhor esta todo apaixonadinho- disse Amanda rindo

- Acho que no fundo eu sempre amei ela e pretendo continuar amando por um bom tempo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...