História O Melhor Amigo do Meu Irmão-ABO Universe. - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~VorazOhFodao

Postado
Categorias Block B
Personagens B-Bomb, Jaehyo, Kyung, P.O., Personagens Originais, Taeil, U-Kwon, Zico
Tags Taepyo, Ubomb, Zikyung
Exibições 81
Palavras 2.606
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Dois.


Fanfic / Fanfiction O Melhor Amigo do Meu Irmão-ABO Universe. - Capítulo 3 - Dois.

O silêncio cortante do ambiente me dava calafrios. Olhava para o rosto de Ukwon, que fitava a brecha no esconderijo sem nem piscar, com um revolver na mão. Respirei pesado e tentei processar algumas coisas. De onde ele tirou aquele revolver?

Barulhos na escada me fez olhar ainda mais para o meu cunhado, que mantinha a arma nas mãos, pronto para atirar em quem quer que fosse aparecer. Barulho de passos pesados e despreocupados ecoavam pelo cômodo onde estávamos nos escondendo. Minha respiração era silenciosa e contida. Nem parecia que meu cunhado respirava de tão estático e alerta que ele estava. 

Um cheiro diferente estava no quarto, indicando que não era nem meu irmão ali e nem seu melhor amigo. Engoli seco, quando o toque de um celular ecoou por todo o cômodo. A melodia alegre e alta, fazia meu coração saltar e uma vontade e gritar se aglomerava em minha garganta. Eu queria gritá-lo para atender logo, gritar para que ele saísse dali e nos deixasse em paz.

"Alô?"-Uma voz grossa e penetrante diz a palavra, de maneira calma. Um arrepio percorreu a minha espinha.

"Cadê o Coelho Branco? Já está com ele?"-Uma outra voz, afetada pela ligação fala.

"Ele fugiu... O cheiro dele está impregnado aqui, a janela está aberta e..."-Ele não consegue terminar sua fala, um disparo é ouvido e meu coração salta ainda mais.

"O que está acontecendo ai seu idiota?"

Mais um uivo, e esse estava mais longe. Engulo seco, quando escuto barulho de que esse alguém estivesse revirando o quarto. 

"Um lúpus está ajudando ele... Fugiram para a floresta"-A voz fala bem perto do guarda roupas. 

"O que você está esperando? Vai atrás dele!"

"Ok chefe."-A voz fala e tudo fica em silêncio.

Ukwon e eu ficamos ali nos olhando por tanto tempo que eu já estava começando a ficar cansado e nervoso. Meu medo era o homem nos encontrar e fazer algum mal à ele. Kwon é bom demais para sofrer. Já eu, ele poderia me levar para onde quisesse, contanto que não machucasse ninguém...

-Já podem sair daí.-Uma voz bem grossa e baixa fala, batendo duas vezes no guarda roupas.

Ukwon suspira aliviado e abre a portinha, saindo e me estendendo a mão, me ajudando a sair daquele pequeno lugar. Já fora do guarda roupas, vejo minha mala revirada, a cama onde eu dormi estava da mesma maneira. Jihoon estava olhando a floresta, pela janela escancarada. A cortina dançava de acordo com o vento. O cheiro de rosas vermelhas estava impregnado no local.

-É bem fácil enganar esses imbecis.-O alfa fala e Ukwon bufa, parecendo desconfortável.

-Quanto tempo a gente tem?-Ukwon pergunta e o alfa dá de ombros.

-A gente achava que tinha 3 dias de vantagem, mas parece que temos agora alguns minutos ou segundos...-Pyo fala e eu encaro os dois, só observando e escutando a conversa.

-Vamos, não temos tanto tempo assim.-Ukwon fala me olhando. Assinto e me viro para arrumar minhas malas.

-Não mexa em nada.-Pyo fala e eu me viro, olhando ele tirar uma rosa vermelha do bolso. Pousando-a com cuidado sobre o apoio da janela.

-Venha Taeil... A gente compra roupas no caminho.-Ukwon fala e me puxa pela mão. Enquanto saia do quarto, observava Pyo de costas para mim, encarando a floresta.

Yukwon me leva para o porão, me colocando dentro de um furgão de coloração escura. Começo a me sentir em meio a um livro de ação, onde os bandidos estão atrás da donzela, mas o mocinho, não vai deixar... Vai protegê-la até o fim.

Me sento no estofado do automóvel e Ukwon senta-se ao meu lado. Pego em sua mão e sinto ele apertar a minha fortemente. Analiso seu rosto e ele estava com a aparência nervosa. Sorrio calmo e ele me sorri de volta, mas eu sabia que ele estava nervoso.

-O lúpus que o homem estava se referindo é o Minhyukie, não é?-Pergunto baixinho e ele assente com a cabeça.

-Seu irmão vai voltar... Confia em mim, ele sempre volta.-Ele me diz, como se estivesse tentando me convencer de uma coisa que ele mesmo estava em dúvida, apertando a minha mão.

O melhor amigo do meu irmão entra no carro, no banco do motorista. Ele liga o carro e abre uma espécie de portão, começando a dirigir com rapidez. Pyo dirigia o carro, colocando tanta velocidade que eu sentia que estava voando. A estrada estava escura e o carro estava com o farol baixo, não dando a visão clara de onde estávamos indo. Me sentia com medo e adrenalina. Nunca na minha vida imaginei que passaria por isso. Eu imaginava que minha vida seria calma e chata, vivendo de satisfazer um alfa e criar filhotes que foram feitos sem amor. 

Rio internamente com a reviravolta que a minha vida deu e sinto que Jihoon desacelerou o carro. Vi o clarão de um posto de gasolina e olhei pela pequena janela da parte traseira do local. Vendo dois lobos e um homem de terno, com uma mala pequena ao seu lado. Franzo o cenho e Jihoon para em frente a uma bomba do posto, desligando o automóvel. 

Ele desce do carro e Ukwon abre a porta traseira, descendo também. Eu continuo ali, olhando pela janela. Ukwon levava consigo um lençol branco e cobriu o lobo de pelagem escura, que voltou a forma normal e mostrou meu irmão. O outro lobo era de pelagem bem clara, quase branca, e estava ao lado do homem loiro de terno. Que me pegou os encarando e me sorriu. Sinto meu rosto queimar por ser pego bisbilhotando e abaixo a cabeça com rapidez.

-Olá! Eu sou o Kyung!-Uma voz alegre e energética fala bem do meu lado, me fazendo dar um pulo e colocar a mão na boca.

-O-oi... Eu sou...-Começo, mas sou interrompido pelo loiro de terno que me sorria.

-Você é Lee Taeil...-Ele me completa e eu sorrio assentindo. Estava começando a ficar com medo.

-Lee Taeil! Esse garoto vale ouro!-Um outro loiro chega falando.

-Cala a boca Zico!-Kyung fala e eu olho para o "Zico", e no mesmo instante fecho os olhos e tapo o rosto com as mãos.

O homem estava completamente nu, bagunçando os cabelos e sorrindo. Escuto risadas e um pedido de desculpas. Meu coração iria sair pela boca, estava mais nervoso e envergonhado do que pensei que um dia ficaria. Meu rosto estava quente, estava com uma vontade imensa de me enfiar numa caixa e nunca mais sair.

Seguimos viagem e o homem loiro estava vestido agora, no banco da frente, junto à Kyung. Minhyuk estava ao lado de Ukwon, bem em minha frente e Pyo estava do meu lado, brincando com uma faca pequena. O ambiente era silencioso e eu me sentia menos tenso que deveria estar. Pyo cutucou meu ombro e eu olhei-o, vendo-o sorrir enigmático para mim e apontar para meu irmão e meu cunhado.

Me viro e vejo os dois dormindo quase caindo em cima um do outro. Começo a rir da cena e Pyo me acompanha de maneira baixa, meu irmão estava com a boca aberta, quase babando, e meu cunhado está todo jogado e bagunçado em cima do marido. Era a cena mais fofa e mais engraçada de se ver.

Paramos num hotel de estrada. Kyung e Zico desceram. Eu e Jihoon ficamos em silêncio, olhando para o nada. As nossas respirações estavam sincronizadas e calmas. Jihoon transparecia uma calma e segurança, me contagiando em sua áurea rica de conforto e felicidade contida. Me viro lentamente e encaro seu peril mais uma vez naquele dia maluco. Ele olhava para a parede da van tranquilo. Ele realmente parecia ser uma pessoa tranquila, calma, feliz, alegre. Me senti mal mais uma vez por ter tratado-o tão mal na infância. Ele era incrível... Só que eu nunca tive a chance de realmente ver isso.

-Jihoon...-Chamo e ele me olha com atenção.-Sério, me desculpa mesmo por aquele dia...-Falo devagar e temeroso, olhando em seus olhos calmos e firmes.

-Eu já te desculpei...-Respondeu-me baixo.-Eu meio que te entendo agora... A gente não pode ficar com alguém que não ama.-Ele fala e olha para frente, fitando meu irmão e seu marido. Fiz o mesmo e suspirei. 

-Eu queria te agradecer por não me odiar e estar me ajudando... Junto dos outros, é claro... Eu realmente sou muito grato.-Falo e ele ri soprado, apertando minha mão de maneira rápida, soltando-a no banco logo em seguida. Meu corpo todo se arrepiou com nosso contato. Mesmo rápido, senti como se algo estivesse acontecido com meu corpo, ele se arrepiou e se aqueceu. Foi estranho... Mágico...

-Agradeça a Ukwon e Kyung... Depois a Minhyuk e Zico... Não me agradeça. Eu só vim para protegê-los, eles vieram para te proteger...-Ele falou e eu o olhei novamente, vendo sua face inexpressiva.

-Eu irei agradecê-los... Obrigada por protegê-los...-Falo e ele me olha, sorrindo e me dando a visão de seu lindo rosto com um lindo sorriso desenhado em seus lábios e uma expressão fofa neles presentes.

-É o que os amigos fazem... Proteger e todos os outros tipos de coisas loucas...-Ele fala e coça a nuca. Sorrio de volta para ele e a porta traseira da van se abre, revelando um Kyung nos olhando.

-Vamos, conseguimos dois quartos.-Ele diz e Pyo se levanta, dando dois tapinhas no ombro de meu irmão, que acordou e nos olhou.

Kyung me encaminhou para um quarto pequeno, com uma cama de casal e duas poltronas. O cômodo era escuro, mas muito bem organizado. No cômodo tinha uma porta que deduzi ser o banheiro. Minhyuk entrou junto conosco, com Ukwon e seu colo, dormindo. Ajudei meu irmão a colocar o marido confortavelmente na cama e sai do cômodo junto de Kyung.

Já fora, o ômega me olha e me sorri, abraçando-me apertado e segurando minhas mãos. Retribuía tudo sem entender muito do que estava acontecendo. Arrumo meus óculos no rosto quando nos separamos e ele me sorri mais uma vez.

-Eu nem sei o que te dizer...-Ele sussurra e eu sorrio.-Mas aconteça o que acontecer, nós vamos te ajudar... Vamos mesmo!-Ele fala e eu assinto. 

-Obrigada...-Sussurro de volta e abraço seu corpo. Não sei porquê, mas eu sentia muita vontade de abraçar alguém. Sentia vontade de me sentir incluso à algo...

-Você vai pegar Taeil germes Kyungie...-A voz do melhor amigo do meu irmão se fez presente e Kyung riu, separando-se de mim.

Encarei o alfa, que estava com uma bandeja cheia de comida na mão, nos olhando com a expressão debochada. Faço um bico e Kyung ri, apertando minhas bochechas.

-Ainda com essa cisma com o nosso pequeno?-Kyung fala e me abraça pelos ombros.

-Cuidado... Se os germes dele passar para você, você vai encolher e ficar assim... Todo fofo e bonitinho...-Ele fala e meu rosto queima instantaneamente.

-Meu Deus! Pyo Jihoon! Você acabou de falar que Lee Taeil é fofo e bonitinho?-Kyung fala e ri.

-Cala a boca seu retardado!-Pyo fala e o outro lhe dá a língua.-Falei mesmo... Estou mentindo? Acho que não.-Ele termina e eu abaixo minha cabeça, realmente muito envergonhado.

Kyung e Pyo continuam uma discussão boba e eu fico ali, parado, em pé, mais vermelho que um tomate... É sério... Vida... Por que?

-Com licença...-Falo baixo e volto para o quarto onde meu irmão e Ukwon estavam. Abro a porta cautelosamente e vejo meu irmão sentado na cama, Ukwon estava acordado, com a cabeça em seu colo. Eles conversavam alguma coisa que eu resolvi não ouvir.

Andei em passos rápidos e me sentei na poltrona, olhando para o chão. Sentindo-me estranho. Um tempo passa e meu irmão continuava a conversar com o marido, e desta vez, falavam sobre alguma coisa relacionada a pintar o cabelo de azul... Ou coisa parecida.

A porta se abriu de novo mas eu não tive coragem e nem forças para olhar quem era. E também a conduta de um ômega fugia disso... Na verdade, fugia de várias coisas que fiz e deixei de fazer hoje. Como por exemplo, pintar as unhas e hidratar os lábios...

-Taeil germes... Você tá fazendo cosplay de decoração de ambiente é?-A voz grossa e brincalhona de Jihoon disse, fazendo meu cunhado rir.

-Você deve amar muito meu irmão cara! Puta que pariu...-Meu irmão fala quando eu levanto a cabeça, olhando para Pyo sentado na cama com os dois, dividindo toda aquela comida.

-Vem Taeilie... Deve estar com fome...-Ukwon diz, me indicando para me juntar a eles.

Me levanto e sento na ponta da cama, pego um sanduíche e começo a comer devagar, silenciosamente. Enquanto os outros conversavam. Termino meu lanche e me levanto, agradecendo pela comida. Ando até o banheiro e lavo minha boca, dando falta de uma escova de dentes. Respiro frustrado e sinto vontade de tomar um banho, mas nem roupas eu tenho mais. Me olho no espelho e vejo a pior versão de mim possível. Cabelo desarrumado, rosto cansado e parcialmente sujo. 

Tiro meus óculos e lavo meu rosto, tentando parecer mais apresentável e "normal". Nem minhas maquiagens estavam comigo mais... Suspirei secando meu rosto e colocando novamente meus óculos. Saio do banheiro e o melhor amigo do meu irmão está parado em frente o mesmo. Ele me analisa e coloca a mão no bolso, tirando uma escova de dentes e um creme dental de dentro mesmo, me estendendo em seguida.

-Vai escovar esses dentes... Não quero correr o risco de você conter mais germes que o normal...-Ele fala e ri com a cara de desgosto que eu lhe devolvo. Mas eu não nego o "presente".

-Obrigado.-Falo e olho meu irmão que agora fazia carinhos no cabelo do marido.-Minhyuk, eu não tenho mais roupas... Eu quero tomar um banho...-Falo e inflo as bochechas.

Meu irmão me olha e pega o celular. Ele digita algumas coisas e me olha mais uma vez. Sorri para mim e aponta para a pequena mesinha que estava ao meu lado.

-Pega uma toalha ai e toma um banho, Kyung já está trazendo uma roupa sua que eu peguei antes de ir para a floresta.-Diz e eu assinto, pegando a primeira toalha da pilha e entrando no banheiro.

-Não tranca a porta... Pode acontecer qualquer coisa...-O melhor amigo do meu irmão fala baixinho, quando eu fechava o objeto de madeira. Assenti e fiz como o pedido.

Agora sim. Apliquei o creme dental na escova e escovei meus dentes alegre. Depois, tirei meu óculos e minha boina, colocando-os cuidadosamente sobre a pia. Tiro em seguida minhas roupas, dobrando-as cuidadosamente e colocando sobre o vaso sanitário com a tampa baixada. Ando até o chuveiro e ligo o mesmo, deixando a água morna cair em meu corpo e lavar todas as impurezas.

Fico ali curtindo a água, lavando meu corpo e me relaxando. Meus pensamentos vem e me fazem titubear. Meus pais faleceram... E eu nem tive a chance de os ver... Na verdade, eu nem me lembrava mais de seus rostos. Nem fazia a ideia de como eles estavam. E eu estava fugindo... Estava fugindo de meu noivo... Estou perdido em meio à um tiroteio e me sinto cada vez mais zonzo. Sinto-me frágil, como se eu necessitasse de alguém para cuidar de mim... Quero voltar a viver a minha antiga vida... Quero voltar para o colégio e nunca mais sair de lá... nunca mais.

-Realmente... Você não deve ter germes...-A voz do melhor amigo do meu irmão sussurra perto demais de mim. Quando penso em gritar, sua mão vai à minha boca, impedindo-me.-Não quer acordar seu irmão, quer?-Neguei com a cabeça.-Eu só queria te avisar que as roupas limpas estão na pia e as sujas eu vou levar para lavar...-Ele diz e eu assinto.-E a propósito... Bela bunda.


Notas Finais


Reviso logo mais.~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...