História O Melhor Amigo Do Meu Namorado - Capítulo 42


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Adolescente, Bangtan Boys, Bts, Bts Antes Da Fama, Drama, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjon, Romance, Suga, Traição, Vhope
Exibições 175
Palavras 1.249
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 42 - Melhor que qualquer outra


Todos se sentaram à mesa, menos eu e o Jack que ficamos de colocar a comida na mesa. Estamos na cozinha pegando as tigelas.

Jack: Mia...

Eu: Oi?

Jack: O que você acha do passado do Jeon?

Eu: Como assim?

Jack: É que... Nem ele nem o Luck tem passados muito... Bons?

Fico observando ele falar.

Jack: E isso acaba complicando nossa relação sabe?!

Faço que sim com a cabeça.

Eu: Eu entendo, mas no meu caso é do Jungkook, nem eu nem ele temos passados muito "bons"... Então não podemos nos julgar e isso acaba nos unindo ainda mais...

Jack: Você tem razão...

Eu: O fato de vocês serem de mundos diferentes te incomoda?

Jack: Não é exatamente isso. É que eu sinto que as vezes não consigo entende-lo. Que isso nos separa. Que o mantém longe de mim e das crianças. Eu queria poder está sempre ao lado dele, o ajudando a passar por coisas que o fazem mau. Mas sinto que ele sofre sozinho para não me machucar. Eu também não sei se seria capaz de aguentar certas coisas. Sempre fui um garotinho mimado pela família, ele passou por coisa que, para mim, são inimagináveis de uma pessoa passar sem pensar na morte. Eu queria poder fazer parte do mesmo mundo que ele nem que isso custasse a minha vida, mas agora temos filhos e eu não posso chegar a esse ponto. Me sinto inútil perto dele- fico sem saber o que falar diante suas palavras.

Vejo uma única lágrimas descer pelo seu olhar triste e oprimido.

Ele te ama por você ser quem é Jack... Talvez se você fizesse parte desse "mundo" as coisas não seriam as mesmas...

Penso em pronunciar aquelas palavras, mas, antes que eu mova os meus lábio, ele enxuga a lágrima e se retira da cozinha com bandejas e tigelas na mão. Pego mais algumas coisas e o sigo. Sentamos a mesa um a frente do outro, vejo aquela feição triste desaparecer e um sorriso se formar em seu rosto. Eu deveria estar mais aliviada com o seu sorriso, mas eu vejo em seus olhos que aquilo era uma completa farsa.

...

Já estão todos bêbados. Lucca e Jack deitados no chão abraçados e de olhos fechados. A Emma está ocupando um sofá inteiro, com uma de suas pernas jogada no encosto dele, também dormindo. Eu estou deitada em uma das poltronas, minhas costas se apóiam em um de seus braços e as minhas pernas no outro. Minha visão esta embaçada, mas vejo vários copos vazios pelo chão e um deles está virado no tapete branco, cercado por uma mancha roxa.

Vinho. O Jack vai matar alguém amanhã... É bom saber que não vai ser eu... Ou vai? Fui eu quem derrubou? Eu não sei...

Levanto uma de minhas mãos e começo a analisa-la passar pela luz, que vinha da lâmpada no teto.

Feliz Natal gente... Foi bom estar com vocês hoje...

Giro para o lado e acabo caindo no chão fazendo um barulho estrondoso.

Aí... Meu corpo dói.

Olho para a Emma no sofá, a vejo gemer e pegar uma das almofadas e colocar sobre o rosto.

Eu não vou dormir aqui em baixo não. Vou para o quarto.

Levanto do chão, vou até o interruptor e apago a luz. A casa se torna completamente escura.

Eu não vejo nada.

Procuro pelo interruptor novamente, mas não o encontro.

Vou assim mesmo então.

Ando pelo local me apoiando nas paredes. Até que eu não encontro, mas nada onde me apoiar e vou andando as cegas.

A escada é para esse lado, certo?

Vou andando de modo aleatório, quando acabo me esbarrando com algo e vou direto com a testa na parede.

Aish!

Dou alguns passos para trás e me esbarro e algo um pouco mais macio.

O que é isso?

Me viro e começo a apalpar o que quer que estivesse atrás de mim.

Tem cabelos, é bem alto, parece mais um boneco... Eu não lembro de ter visto nenhum boneco quando cheguei.

Sinto onde talvez seja o peito do suposto boneco. Seu tórax se move, como se ele estivesse respirando.

Fud*u! Que porr* é essa? É mecânico?

Eu estava com um pouco de medo, quando sinto um ar quente ir de encontro ao meu ombro.

Eu: Ahh!- um grito ecoa da minha garganta e eu dou um passo para trás.

Calma. Cadê o Jungkook? Eu não acredito que é ele!

Ao me afastar da figura, acabo tropeçando em algo e início uma queda livre de costas. Mãos passam pelas minhas costas e me impedem de chegar ao chão.

***: Buh!- ele fala próximo ao meu ouvido, depois de um tempo me segurado.

Sinto meu coração parar por alguns segundos. Tento gritar, mas ele tapa a minha boca, abafando a minha voz. Ele começa a rir e quando abro meus olhos, que havia fechado durante a queda, esperando o impacto, eles já haviam se acostumado com a pouca luminosidade e eu vejo o rosto do Jungkook.

Eu: Quer me matar do coração avisa!- falo dando um tapa em seu peito, que acaba saindo fraco, pois sinto meu corpo mole.

Jungkook: Se eu avisa-se você não morreria do coração- ele diz entre risadinhas baixas- Você devia ter visto a sua cara.

Eu: Você que vai ter que ver a sua cara quando eu amassar ela!- assim que termino a frase ele deposita um beijo em meus lábios.

Jungkook: Você é perfeita para mim até quando está bravinha, sabia?- seu olhar calmo e apaixonado me deixa levemente envergonhada.

Eu: Você só está falando isso para que eu não brigue com você.

Jungkook: Não, eu só estou falando a verdade- sua voz está calma- Eu quero que você seja minha para sempre Mia. Eu quero te ter pela eternidade em meus braços. Eu quero ser o único a te tocar, a te beijar. Eu quero ser o único na sua vida- sinto meu coração acelerar e minhas bochechas queimarem junto com ele.

Eu: E-eu...- por um instante minha garganta trava e eu não consigo pronunciar nenhuma palavra se quer.

Sinto meu corpo ser erguido e me vejo em seu colo, enquanto ele sobe as pequenas escadas. Entramos em um dos quartos e ele me põe sobre a cama, de forma delicada.

Jungkook: Você me quer Mia? Se quiser você só tem que pedir. Eu serei seu- ele fala olhando nos meu olhos- somente seu, eu prometo, até os meus últimos dias de vida. Eu serei seu e nunca pensarei em nenhuma outra mulher. Você me terá por completo em suas mãos.

Meu peito queima.

O que está acontecendo? Eu posso não saber, mas eu com certeza o quero.

Eu: Eu te... Eu não sei ao certo o que eu sinto Jungkook, muita coisa aconteceu e eu não sei se sinto o mesmo que você, mas eu quero muito você só para mim. Eu quero que você me ame. Eu quero que você me segure em seus braços e nunca me solte. Eu não quero ninguém além de você.

Jungkook: Então eu serei seu e te farei minha- ele sela nossos lábios de forma calma e os esquenta rapidamente.

Toque
Suas mãos e lábios tomam conta do meu corpo por inteiro.

Fogo
Nosso corações ardem e nossos corpos fervem.

União
Agora somos um só.

Amor e Paixão
Sentimentos transbordam de nós.

Loucura
Queremos um ao outro loucamente independente do que venha a acontecer.

Prazer
É a palavra que descreve essa noite melhor que qualquer outra.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...