História O Melhor Amigo do Noivo - L3ddy - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Christian Figueiredo, Felipe Castanhari, Felipe Z. "Felps", Gabriela "Gabbie" Fadel, Gustavo Stockler (Nomegusta), Júlio Cocielo, Kéfera Buchmann, Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Maria Júlia Trindade, Mauro Nakada, Rafael "CellBit" Lange
Personagens Christian Figueiredo, Gabriela "Gabbie" Fadel, Gustavo Stockler, Kéfera Buchmann, Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Maria Júlia Trindade, Mauro Nakada
Tags Gay, Kabbie, L3ddy, Larry, Lemon, Mauris, Menções Larry, Romance Gay
Visualizações 175
Palavras 1.322
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Quem é vivo sempre aparece, não e mesmo?
Espero que tenham uma ótima leitura

Capítulo 4 - Um Beijo Inesperado


  Chris e Mauro se encontravam na sala de estar, bebendo um pouco, jogando alguns jogos em alta e lançamentos. Era sagrado todo jogo lançando, eles jogavam juntos. Aquele momento, era apenas deles.

O jogo era de futebol, o jogo mais clichê. Mas não deixava de ser divertido, apenas por ter a companhia um do outro. O clima na sala, era completamente agradável, curtindo a presença do amigo.

Chris se sentia nervoso, ele tentava disfarça ao máximo sua situação ao lado do Mauro, que tinha um poder enorme sobre Chris, mas nem sabia. O moreno se segurava para não agarrar seu amigo, quando o via sorriso, como seu sorriso era lindo.

Se sentia assim com seu amigo constantemente, já tinha aprendido a se controlar ao lado do mesmo, é isso que ele acha. Era incrivelmente impossível se controlar com o cacheado, sem manter o contato físico desejado.

Sua atenção estava direcionada totalmente ao cacheado que jogava concentrado ao seu lado, seus dedos se mexiam freneticamente, seus olhos se mexiam seguindo o jogador que contia a bola, seus dentes mordiam seu lábio inferior, alguns cachos caíam em seu rosto. Chris não aguentava mais, seu amigo atraia sua atenção sem ao menos fazer nada.

Sem perceber, Mauro havia ganhado dele 3 vezes.

— Chris, você esta bem? — Disse sorrindo, Chris suspirou ao ver aquele sorriso direcionado a ele.

— Estou bem sim, por quê a pergunta? — Disse se acomodando no sofá.

— É que você sem perceber, eu ganhei 3 vezes de você. — Disse em meio a algumas risadas, fazendo seus olhos se fecharam um pouco. Como podia ser tão fofo? Chris se perguntava isso constantemente.

— Estava um pouco distraído. — Disse dando um sorriso consolador.

— O que estava pensando? — Disse Mauro curioso.

— A-an nada demais. — O nervosismo tomou conta do Chris, fazendo-o gaguejar, ele se xingava por isso.

— Hum, sei. O que você anda escondendo em?

— Você não cansa de fazer perguntas, não?

— Chris, não se responde uma pergunta com outra. — Disse com seus braços cruzados e sua sobrancelha arqueada, olhando-o desafiador.

— Pare de ser tão curioso, Mauro.

— Você sabe que eu sempre consigo, o que eu quero, não sabe? — Mordeu os lábios, lançando um sorriso convencido. Mauro, não tinha noção do quanto deixava Chris louco.

— Acho que dessa vez, será diferente. Sabe por quê? — Disse Chris se aproximando do mesmo, sussurando no seu ouvido.

Eles sempre tinham estes joguinhos, mas nunca passou de nada, apenas provocações. Que deixavam Mauro em um pensamento bem confuso, ele não podia negar que gostava de qualquer coisa vinda do moreno, principalmente as provocações que rolavam, entre eles.

Mauro começava a jogar e Chris também sabia exatamente como jogar.

— Você nunca saberá. — Soltou dando um sorriso sapeca.

— Você vai mesmo me deixar sem saber.

Mauro era uma poça de dúvidas, principalmente em questão da sua sexualidade. Por quê sentir desejo pelo seu amigo, não é nada normal!

— Definitivamente não.

— Tudo bem, nem queria saber. — Lançou um olhar convencido.

— Finalmente! Agora vamos continuar o jogo, por quê dessa vez eu irei ganhar. — Disse em meio a risadas irônicas, ganhando um sorriso do cacheado que achava graça das risadas do seu amigo.

— Você que acha.

É mais uma partida de futebol, começava. Mauro a todo momento tentava atrapalhar seu amigo, tentando pegar seu controle e até as vezes derrubando Chris do sofá. A partida estava disputada, o cacheado tentava de todas as formas atrapalhar o moreno que apenas ria.

A partida acabou ficando empatada, por muito pouco Chris não havia ganhado. No último minuto, ele controlava seu jogador, até o gol. Mas antes sentiu um impacto, sim, Mauro o empurrou, fazendo-o perder o gol da virada.

— É, uma pena que ninguém tenha ganhado! — Disse Mauro, soltando algumas risadas juntas com sua fala.

— É, uma pena que certas pessoas, só conseguem ganhar roubando e nem conseguem mesmo assim. — Soltou um olhar convencido ao cacheado, que sorriu da ousadia do seu amigo.

— Ah Chris, não me provoque.

— Vai fazer, o quê?...Me empurrar de novo. — Disse irônico.

— Você esta muito ousado, hoje.

— Olha quem fala, e um anjinho perto das pessoas. Mas dentro de quatro paredes é.....Prefiro nem comentar. — Disse Chris, fazendo Mauro gargalhar ao comentário feito dele. Aquilo tinha um pouco de verdade.

— Que absurdo, pare de especular mentiras sobre mim. — Disse se fingindo ofendido.

— Cadê aquele Mauro fofinho e inocente de minutos atrás? — Disse Chris rindo, indo em direção a sua cozinha. Indo até a geladeira a procurá de uma cerveja.

— Eu estou aqui. — Disse sorrindo, assim que Chris chegou. Seus olhinhos se fecharam ao sorrir, ali estava o Mauro inocente e fofo.

— Quer? — Disse estendendo uma lata de cerveja em direção ao cacheado.

— Sim. — Tomou a cerveja da mão do moreno, logo a abrindo e tomando em seguida, sentindo o gosto amargo passando pela sua garganta.

Alguns cervejas eram tomadas, deixando-os levemente alcoolizados. Deixando eles mais animados, o álcool passando pelas correntes sanguíneas dos garotos. Chris lutava mentalmente pela vontade de juntar seus lábios os do seu amigo.

A cerveja parecia controlar, todas as suas ações, atitudes e principalmente suas vontades. Enquanto seu amigo, assistia algumas coisas aleatórias na TV e bebendo um pouco, Chris se controlava ao seu lado, ele não aguentava mais. Sua vontade precisava ser saciada, naquela hora ele não ligava para as consequências.

Olhou para seu amigo, respirando fundo e pensando no que estava prestes a fazer. Passou a língua pelos seus lábios, e foi indo em direção ao Mauro, pegou no braço do seu amigo que o olhou curioso e com suas sombrancelhas arqueadas.

— O que foi, Chris? — Mauro se sentia submisso naquele momento, o olhar de Chris para si era intimidador.

Sua mão partiu para o queixo do cacheado, que parecia assustado pelos toques repentinos do seu amigo, apenas ignorou. Olhou no fundo dos olhos do Mauro, mas brilhantes que nunca.

Engoliu em seco, colocando sua mão do cintura do mesmo, trazendo-o mais para si. Ganhando mais um olhar assustado do Mauro, que não reagia, Chris pensou em desistir e pedir desculpas colocando a culpa na bebida. Mas, ele queria isso, ele desejava ter o cacheado.

As mãos do cacheado foram para a nuca do mesmo, Chris abriu seus olhos de imediato de surpresa, mais logo seus lábios se curvaram em um sorriso. Seus rostos estavam cada vez mais perto, seus olhos estavam grudados nos lábios do Mauro.

O tocar de lábios finalmente aconteceu, não haviam línguas. Mas Chris logo pediu passagem que foi cedida rapidamente, suas bocas se encaixavam perfeitamente, suas línguas se moviam igualmente. Borboletas faziam a festa no estômago do Chris, como um verdadeiro carnaval.

O beijo foi terminado por Mauro assustado, ele estava mesmo beijando seu melhor amigo? Ele havia gostado. E ele queria mais.

Chris estava com seu rosto completo de culpa e arrependimento, com a reação do seu amigo. Ele estava a sua frente com seus olhos assustados...Com um pouco de confusão.

— E-eu tenho que ir. — Disse se levantando do sofá, dando passos rápidos até a porta. — Me desculpa. — Saiu de lá, sem ouvir a resposta do seu amigo.

Deixando um Chris frustrado, de cabeça abaixo e seus dedos afogados em seus cabelos, mas era claro que seu melhor amigo. Não gostasse do moreno, como ele gostava do cacheado. Ele se sentia tão idiota, ele não devia ter feito aquilo.

O que ele faria?

Colocaria a culpa na bebida.

O que seria da amizade deles?

O que aconteceria daqui para frente?

Eram tantas perguntas que não seriam respondidas, apenas o tempo podia responde-las ou Chris iria atrás da respostas delas. É ele sabia, onde encontrar Mauro.

Ele não podia perder seu amigo por uma burrada dele. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado
Comentem para me incentivar e desculpem os erros que sempre passam despercebidos

Um beijo se você quiser


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...