História O melhor de mim (Imagine Jin) - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Hope, Hoseok, J-hope, Jimin, Jin Seokin, Jungkook, Kook, Namjoon, Rapmosnter, Suga, Taehyung, Yoongi
Exibições 185
Palavras 2.238
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


O capitulo ta bad...
Espero que não me matem.
Foto para não ficar vazio Kkkk

Capítulo 13 - Ameaças e verdades


Fanfic / Fanfiction O melhor de mim (Imagine Jin) - Capítulo 13 - Ameaças e verdades

Os três estavam ali dentro daquela sala, Melody interpretou uma empresária rica prestes a acabar com uma pobretona de dorama, Caterine encarnou sua melhor mascara de garota ousada, elas sabiam desafiar e sabiam brigar, algo comum entre elas, além do motivo que as unia naquele combate de olhares raivosos, Seokjin, que o próprio encarava ambas vendo o fogo nos olhos delas. O maior ali não gostava desse tipo de coisa, já Caterine…

Melody cruzou os braços e Caterine também, se encaram durante certo tempo, Jin estava com medo do que podia acontecer, ele conhecia a ex-namorada, sabia que ela não deixa ciúmes baratos, e sim ela estava ardendo de ciúme.

— Melody, você…

— Quer que eu te explique como funciona um beijo? — Caterine questiona impassível e calma.

Os olhares mesmos raivosos estavam calmos, os de ambas as meninas.

— Caterine. — Jin repreende, mas por que repreender Caterine? Ela fez uma questão simples, era isso que Cate pensava após ter seu nome exclamado. — Melody, não pense coisas por conta de um beijo. — Como assim não pense coisas? Caterine não havia entendido aquilo que tinha acabado de ouvir, Seokjin ia ignorar tudo acontecido?

— Quero conversar a sós com a Caterine, oppa. Nos dê licença, por favor, sim? — por que tão calma? Jin se questionava, Melody explode quando está com ciúmes, embora que com Caterine ela tenha se mostrado mais racional.

— Não acho boa ideia deixar vocês aqui sozinhas, pode trazer riscos a escola.

— Quero apenas conversar, garoto por mim que não farei nada contra ela. — Melody desce suas mãos e segura-as na altura de seu ventre.

— Eu não garanto por mim. — agora sim que não vou. Jin se dizia. — mas prometo me controlar.

— Não. — o maior insiste.

— Vai Jin. — falam ambas em uníssono e ambas sorriem com a coincidência, um sorriso cínico.

— Está bem. — ele sai, indo para sua sala de aulas curriculares. Encontra Hoseok e senta-se ao seu lado.

— O que quer falar? — Caterine começa.

— Se afaste do Jin, ele é meu. — diz cruzando os braços novamente.

— Sério? Não vi seu nome nele. — Melody sorri e olha para o lado.

— Mas ele é, não quero vocês dois juntos, podemos até estar separados, mas é temporário. Logo ele voltará para mim.

— Será? — Cate descruza os braços. Quem vê a cena sente o cinismo delas, apenas um detalhe, Melody é cínica, porém Cate é apenas boa atriz, no fundo ela está odiando aquelas palavras, que estão de certa forma convencendo-a.

— Será não, vai acontecer. E pare de correr atrás dele, vocês está apenas fazendo papel de vagabunda, o Jin nunca te dará os mesmos sentimentos que ele me deu, e ainda me dá. — eu? Vagabunda? Eu poderia falar a verdade, que sei que mesmo com o Jin, ela deu o número dela para Jackson, que por culpa dela tive que pagar cem wons a aquele idiota, mas deixe-se passar, posso usar depois.

Na sala onde Jin estava, se passava tudo, risadas gritos finos, brincadeiras, e até mesmo som saindo dos fones de Hoseok, porém o menor não podia deixar de notar que seu hyung estava muito pensativo, indo até sua banca perguntou:

— Yah, hyung você está bem? A propósito, por que chegou em cima da hora hoje? Sempre chega cedo e hoje não foi assim. — ele se tornou atencioso na resposta,

— Eu… me atrasei. Dormi demais. — Hoseok lhe encarava esperando a verdade, Seokjin nunca se atrasava.

— Dormiu demais? Dormiu na casa do hyung Yoongi?

— Não, e também não foi na da Melody. — Yoongi fala se sentando ao lado de Hoseok.

— Onde foi? — Hoseok pergunta perplexo, os menores ali sabiam que Seokjin e Melody dormiam juntos, foi sobre a confissão que aceitaram ser usados como laranjas. Seokjin encara ambos ali e fala sem som a palavra Caterine. — O quê? Como assim?

— Eu sei… — deita a cabeça na mesa e logo levanta. — nunca me atrasei quando dormia na casa da Melody, ou quando estava com ela, e com a Cate eu dormi tão bem que nem consegui acordar.

Os mais novos se entre olham e começam a rir.

— Yaah, por que estão rindo? Huh? Isso é engraçado?

— A senhorita ocidental fez o senhor certinho se atrasar depois de uma tórrida noite, é claro que é engraçado, se com o amor da sua vida você nunca se atrasa, é engraçado ver que as coisas estão mudando. — Yoongi responde enquanto Hoseok ainda rir baixo.

— Aigoo. — empurra o casaco em Yoongi.

[…]

Os pensamentos de Caterine iam além do que ela vivia naquela sala.

— Apenas me responda isso, Melody. — dá três passos a frente, ficando em uma distância segura de Melody. — se ele é seu, por qual motivo você tem medo que eu me aproxime?

— Eu não tenho medo.

— Mesmo? Pois me obrigar a se afastar é sinal que te medo que eu te roube ele.

— Você? Claro que não, a minha ligação com Seokjin é bem maior que beijos, ele se agrada do que eu faço… Enquanto você…— enquanto eu faço ele dormir na minha cama e se atrasar pra chegar na escola. Eu deveria falar isso. Pensa.— bem, eu já avisei, se afaste dele, você não quer ser conhecido como a outra quer? — se afasta e vai par aporta.

— Fiquei sabendo que você conheceu o Jackson, você escolhe bem, um cara bonito e agradável. Mas e o Seokjin, ele sabe da sua amizade com ele? — ela para, até parece estar tensa, mas logo se recompõe.

— Qual seu relacionamento com Jackson? Vocês parecem íntimos no refeitório. — pergunta virando-se para Caterine novamente.

— E isso te importa?

— Sim, pois assim saberei onde te atacar caso não me ouça. — Caterine deixa uma ruga se formar, Melody sorri e sai maldosa, Caterine urra de raiva socando a mesa ao seu lado. Precisava ir pegar sua bolsa que havia ficado na quadra, mas quando sai da sala se depara com Jackson, ele trazia a bolsa dela junto, pegou e entrou novamente na sala, bufando…

— O que houve? — Jackson entra e segue-a até uma banca perto da janela. Caterine joga sua bolsa por cima da carteira e senta irada, que odio dessa vadia de quinta.

— Aquela desgraçada da Melody… — esconde o roste entre as mãos, Jackson se senta ao seu lado e lhe encara.

— O que ela fez? — pergunta abrindo a mochila dela e encontra um bolinho. Pega e começa a comer. Caterine encara a mesa.

— Ela me viu beijando o Jin, você tinha que ver, ela disse coisas totalmente verdadeiras, porém não vou acreditar, afinal ele e eu dormimos juntos, pode parecer ridículo, e é, mas ela estava apenas tentando articular coisas para dizer a seguinte frase, eu quero o dinheiro dele. Ela pensa que não veem o que ela faz? Olha para todos os garotos e fica babando neles, mas quando o Seokjin aparece ela simplesmente muda. Até o Yoongi que deveria dar total apoio ao relacionamento deles não liga muito para ela… E ela ainda me diz que eu estou fazendo papel de vagabunda? Ora essa… — o sinal toca e Jackson termina de comer, os alunos estão entrando e um dos primeiros é o Seokjin, acompanhado de seus dongsaengs Yoongi e Hoseok.

— Passo na sua casa e você me explica tudo amanhã. — amassa a embalagem do bolinho pondo de volta na bolsa dela, o que estressa totalmente Caterine.

— Você não liga não é? Veio aqui sabendo que eu tinha bolo e veio comer ele para depois me deixar chateada e ir embora, não é? — Seokjin encara aquela cena, apenas para ver se reconhece algum hematoma em Caterine.

— Não desconta em mim. E realmente, não estou nem ai. — ele é sério, na verdade Jackson realmente não queria ouvir nenhuma reclamação.

— Se não se importa, por que perguntou? — pergunta baixo.

— Por educação. Até depois senhora estressada. — Caterine dá de ombros olhando para o estacionamento do outro lado da janela, Jackson bagunça seu cabelo e se vai. Não demora muito e Caterine percebe alguém lhe olhar, procura o observador e encontra Jin os dois se encaram até veem que o professor está dentro da sala. Por que tão lindo?

— Quero toda a programação do festival, quero que sejam feitos por Seokjin e Caterine, escolhi ambos pois um tem prática de sobre e outro está iniciando. — o professor fala, Caterine escutou aquilo e soltou uma risada, mas sem deixar ela ser alta. Seokjin não entendeu a risada. Parece tão pervertido… Seokjin iniciou sua vida sexual cedo, já eu…

— Para quando professor? — Caterine pergunta, seria desta vez.

— Amanhã. — ambos assenti. Caterine manda no final das aulas uma mensagem para Seokjin.

Vá até minha casa para terminar o relatório, tenho boa parte escrita, falta apenas organizar.

Seokjin foi, e lá estava ele novamente, na casa que há horas tinha tido belos momentos de prazer, porém dessa vez era encarado por Maísa.

— Quem disse que ele é? — pergunta na cozinha.

— Um colega da classe de artes, você pode nos deixar a sós? — Cate dizia.

— Cuidado. — falavam em português ate o momento de Maísa pronunciar: — Até. — ela sai.

— Está tudo pronto, como disse só falta transcrever. — ele assenti, pega o notebook e põe sobre as pernas já que estava no sofá. — não quer que eu faça isso? — ele nega. — okay. — durante certo tempo, ambos estavam calados, um silêncio desconfortável e muito chato, Caterine não entendia o porque e não queria entender, queria apenas que acabasse. Se levantou e foi até a cozinha, pegou uma pequena xícara e preencheu de soju logo depois bebendo, horrível, porém gostei.

— Terminei. — Seokjin falou. — Pera, falta a parte de artes plásticas… aigoo. — Caterine voltou da cozinha trazendo consigo dois copos cheios de suco de uva. — obrigada. — finalmente ele havia falado.

— Eu termino. — pega o notebook dele e põe na mesinha de centro.

— Vai terminar a tempo da aula amanhã certo? — Jin pergunta receoso.

— Claro. — fitou seus olhos, sentada ao seu lado de pernas dobradas. Seokjin estava se sentindo meio incomodado com aquela situação. Terminou de beber o suco e colocou o copo vazio na mesa de centro.

— Bem, acho melhor eu ir para… — não deu tempo para que ele terminasse a frase, a menor sentou em seu colo e beijou seus labios, Caterine sentia-se bem fazendo aquilo, o sabor da boca de Jin junto com o suco de uva era perfeito. Seokjin segurou em sua cintura e apertou, logo a sensação boa e hospitaleira acolheu Caterine.

Suas bocas juntas, as línguas em uma guerra uma contra a outra, Seokjin joga-a no sofá deitando entre suas pernas e por cima do corpo de Caterine. Eles sentem aquela necessidade de estarem juntos novamente… igual à noite passada.

— Não… espera Cate. — Seokjin fala se separando de seu corpo, levanta-se e fica em pé. — não posso mais fazer isso.

— O que? Por quê? — Jin anda para trás do sofá.

— Porque… porque eu voltei com a Melody. — fala, deixando Caterine abalada com aquilo…

— Por que? Por que fez isso? — se levanta ficando do outro lado do sofá.

— Ora, porque eu a amo. — um som de chuva começa… aquela chuva que caia lá fora não igualava a que arriscava cair de dentro da Caterine. Os dois se encaram e então Caterine se pronuncia:

— Você não a amava ontem a noite. — grita para ele.

— Quem disse? — franziu o cenho, ondeia quando duvidam do seu amor.

— Seus atos, seus pedidos, seus sussurros, seu corpo inteiro Jin. Você não amava enquanto explorava cada parte do meu corpo. — a sorte daquela briga era que Maísa dormia, e seu sono é pesado, não escutaria a discussão. — como pôde voltar com ela depois de ontem a noite?

— O que quer que eu diga? Que me apaixonei por você depois de uma transa? — sim… Caterine sabia que não ouviria isso, mas eles reatarem assim…

— Então quer dizer que aquilo não significou nada?

— Bem… — Jin não queria dizer o que realmente sentiu com aquela transa.

— Seu idiota. — se aproxima de Jin e desferi socos em seu peito. — como pôde Seokjin, como pôde?

— O que você esperava? Eu sou homem e precisava me satisfazer. — grita. Afasta Caterine de seu corpo fazendo ela parar. — você estava lá e eu cedi sem pensar nas consequências…

Eu fui usada apenas para satisfazer o corpo dele? Eu cedi minha virgindade para ouvir isso? Não que seja conservadora, mas agora eu simplesmente me arrependo… Por que doí tanto? Oh Deus… queima tanto meu peito, mas por quê?

— Você me usou? — perguntou sentindo a garganta fechar e os olhos molharem.

— Desculpa. — Caterine se afasta totalmente e vai até a porta.

— Sai. — Seokjin sabe que se tentar não vai conseguir que ela se acalme. Ele pega as chaves do carro e sai da casa dela, Caterine bate com força a porta e vai para o sofá. Seokjin não se incomodou com a chuva que molhava seu corpo, apenas observou um pouco a porta até que ouviu sons de vidro quebrando. Pensou em ir até a casa, mas, com certeza, era apenas Caterine extravasando sua raiva, e sim era realmente isso. A menina pegou com força e raiva os dois copos usados para servir suco e os atirou no chão.

O que você esperava? Eu sou homem e precisava me satisfazer.

Aquela frase se repetia em sua cabeça. Como fui idiota, idiota, idiota.

Abriu a porta e não via mais carro algum, calçou os sapatos e saiu de casa, andando na rua, sem ter uma direção certa, chovendo muito, tanto fora quanto dentro dela e sem casaco, arriscando pega ruma pneumonia.

Com a frase repetindo.

O que você esperava? Eu sou homem e precisava me satisfazer.


Notas Finais


Abaixem as armas... Paz okay?
Até o próximo, comentem se gostaram.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...