História O melhor de mim (Imagine Jin) - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Hope, Hoseok, J-hope, Jimin, Jin Seokin, Jungkook, Kook, Namjoon, Rapmosnter, Suga, Taehyung, Yoongi
Exibições 169
Palavras 2.114
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Esse capitulo foi bem bosta mesmo... mas os livros tem isso as vezes.

EU SOU PÉSSIMA EM ESCOLHER TITULO DE CAPITULO... por tanto me perdoem.

Capítulo 14 - Afaste-se


Fanfic / Fanfiction O melhor de mim (Imagine Jin) - Capítulo 14 - Afaste-se

Seokjin estava pensativo, eu dei mancada cara, sim ele havia dado mancada, porém não podia evitar, pois no fundo ele sabia que seria assim.

— No que está pensando meu amor? — Melody fala indo sentar-se no seu colo.

— No festival. — desvia do beijo que ela daria em sua boca, Jin tentava se concentrar na TV.

— Mentira, você está pensando naquela vadizinha da Caterine. — se joga na cama cruzando os braços

— Não chame-a assim, Melody. Que saco. — olha irritada para Jin e se levanta de forma brusca, para em pé e cruza ao braços, então fala:

— Aquela promessa de não falar com ela ainda está valendo, nem falar nem ver. Você me prometeu, lembra?

— Aguente firme, eu preciso planejar o festival com ela, confie em mim.

— Eu devo?

— Deve, seus ataques de ciúmes estão se tornando cada vez mais insuportáveis Melody, mais um desses, mais uma vez terminando. E será de vez… — a feição de Melody suaviza, ela se acalma e desiste de separá-los por enquanto.

— Só durante o festival. — senta-se novamente e o beijo. Seokjin assenti e ambos inciam seus toques, mas aquela noite não seria quente para eles…

Jackson estava assistindo uma novela da qual gostava, bebia despreocupadamente seu suco de laranja e comia alguma pipoca agridoce do mercado, quando ouviu batidas em sua porta, batidas fortes e insistentes não demorou para ouvir também frases.

— Oppa, abre, por favor, eu preciso conversar. — ouviu uma foz embargada. — Jackson oppa, abre… — mais batidas fortes, Jackson podia jurar que estava usando os dois braços para bater, quem será? — oppa. — já não havia mais batidas apenas soluços, era choro… Caterine? Se levantou e foi até a porta, quando abriu viu sua dongsaeng totalmente molhada e tremendo pelo frio.

— Cate? O que faz aqui? E nessa chuva? — puxou-a pelos braços e fez ela entrar.

— Oppa… eu… — ela não consegue terminar, suas lágrimas não deixam… por que estou chorando? Eu nem gosto dele mesmo.

— Espera, vem para meu quarto. — Jackson a puxa escadas a cima, chega ao seu quarto. — vem tomar um banho antes de falar. — Caterine não contesta, sabe que agora está com alguém que gosta dela. Jackson levou-a para o banheiro da casa, entra com ela e tira sua roupa.

Algo bom do relacionamento deles era a intimidade sem pensamentos pervertidos, Jackson certa vez pegou Caterine se trocando e ele realmente não sentiu nada por ela, a não ser nojo de irmão, o mesmo valia para ela, Jackson era o motivo de Cate gostar da Coreia do sul, a amizade deles foi rápida, mas verdadeira e dura até agora.

Tirou a blusa e a calça da menina, tirou o sapato e mandou-a que tomasse banho, entregou um roupão a ela e saiu do banheiro. Forçada pelo frio que sentia, entrou debaixo da água quente do chuveiro, suas lágrimas cessaram, ela forçou que cessassem, não posso chorar.

— Está melhor? — Jackson pergunta quando Caterine entra em seu quarto, ela assenti. — se vista, vou esperar la na sala. — vai para porta e abre-a.

— Oppa… — chama o mais velho.

— Oi? — encara o rosto choroso da pequena ali na frente.

— Faz ramem para mim. — pede

— Está bem. — fala indo para cozinha. Depois de quase pronto o ramem, ouvi os paços de Caterine se aproximar, ela vestiu uma calça de moletom dele, além de um casaco também, trouxe consigo a toalha enrolada nos cabelos, entra na cozinha e se senta em uma das cadeiras da mesa. — sem enrolação, pode falar.

— Perdi minha virgindade com o Jin. — fala encarando a panela que Jackson traz.

— Isso eu já sei. — faz careta, ele não gostou dela ter feito isso.

— No dia seguinte ele voltou com a Melody. — Jackson olha-a enquanto mastiga o macarrão. Caterine pega um garfo e enrola uma boa porção de macarrão nela. — perguntei o por que dele ter feito isso, então ele falou que a amava. — mastigou e pegou mais macarrão.

— Mas isso você sabia. — diz roubando a panela dela e pegando mais, ambos dividiam a mesma panela de ramem.

— Ele a amava? Por que dormiu comigo então? — relembra.

— Bem… — deixa o hashi na mesa.

— Porque ele é homem e precisa se satisfazer. — Caterine encara seu amigo, que olha-a começando a entender — foi o que ele respondeu quando perguntei. — uma ruga se formou entre as sobrancelhas de Jackson, que filho da puta. Caterine estava impassível com tudo aquilo. — não sei o que fazer Jackson.

— Ele é um idiota, não faça nada, aquela garota vai fazer por você. — Cate larga o garfo na mesa e abaixa a cabeça puxando seus cabelos para trás.

— Não oppa, a idiota sou eu… — lágrimas caem de seus olhos novamente, Cate se sentia frágil, talvez ela realmente sentisse algo por Seokjin, a fala dele, o corpo, os toques… ele foi o primeiro e isso ajuda também…

— Gosta dele? — pergunta deixando de comer e abraçando sua dongsaeng.

— Talvez. — encara ele.

— O que posso fazer para te ajudar? — pergunta depois de ouvir seu choro acalmar.

— Nada, não é como se pudesse terminar com o namoro deles e fazer com que… — para de falar, pois o que quer não será lhe dado. — eu preciso voltar pra casa…

— Durma aqui, você pode chorar se quiser. Embora eu odeie te ver assim. — Jackson estava mal por ela, e ele sabia o que podia fazer por sua amiga… e eu farei.

— Tenho um trabalho para terminar. Não quero ir para escola amanhã oppa…

— Suba para meu quarto, tem sorvete na geladeira, se quiser pode pegar, sei que mulher adora comer doce quando está triste. Em relação ao trabalho: vou pegar o seu notebook e aviso a Maísa sobre você dormir aqui.

— Por que ele fez isso Jackson? — Jackson estava em pé o tempo todo. Uma coisa que ele realmente odiava era ver sua amiga triste, sempre podia fazia ela se alegrar… Eu vou matar aquele cara. Pensou.

— Porque ele queria prazer, ele respondeu. Acha que se ele sentisse algo por você ele teria voltado com aquela garota? Se ele sente algo por você, com certeza, a família dele obriga-o a ficar com ela, mas ele mesmo falou que ama-a e foi apenas uma satisfação. Você foi burra ao ter deixado as coisas rolarem tão fácil assim, sei que ele não te obrigou, então você deveria ter pensado nas consequências. Não se culpe por nada como da última vez, muito menos exija algo dele. Homens não gostam disso. Me espere.

— Você é duro, mas é verdadeiro. — ela o encara, feliz por tê-lo de seu lado.

— Por isso somos amigos. — aquele clima estava parecido com animes de drama com mortes, mas era daquilo que Caterine precisava, de um apoio arrogante. — me espere, sim?

— Sim oppa.

Jackson saiu.

E Caterine ficou ali, refletindo sobre o que ele tinha dito…

Ele não quis sozinho, não posso esperar nada do Seokjin agora, eu deveria mesmo saber as consequências, assim como o próprio havia me dito.

Na casa de Seokjin as coisas não iam bem…

— Hyung, como pôde fazer isso com a menina? — Hoseok perguntava pasmo. — você sempre pensou antes de fazer algo, eu sei que seu namoro com a Melody é longo, dois anos é muita coisa, mas… Ficar com a Caterine e depois dar qualquer desculpa a ela não é papel de homem.

— Hoseok! — repreende a falta de respeito, questão de idade.

— Perdão hyung, mas esse não é você. — disse bebendo água.

— Eu sei… — bagunça o cabelo se sentando do sofá da sala. — eu sei que posso ter machucado ela, e isso é super: errado, mas o que posso fazer? Assim como ela eu fui levado pela vontade e emoção do momento.

— Então quer dizer que se a Melody te trair pela vontade e emoção do momento tudo bem, pois é compreensível? — alfineta, um ponto que doí em Jin.

— Yah, ela não seria capaz. — Hoseok assenti com deboche.

— Vou ligar para o Namjoon. — diz pegando o celular.

— Para quê? — pergunta sem saber o envolvimento dele nesse assunto.

— Quero comprar as peças de pano da peça, ele é bom na escolha de tecido.

— Okay…

— Devo assumir seus comandos relacionados a ornamentação da quadra? — Seokjin o olha pidão. — por que gosta tanto dessa Melody, hyung?

— Hoseok, amor não se explica. — o que Hoseok queria ouvir era um não sei, pois assim ele entenderia… Hoseok era contra esse namoro de seu hyung com a Melody, o motivo? Melody podia ser tudo, menos uma mulher digna do Seokjin… Por quê?

Ela é rodada.

— Quando eu terminar o ensino médio meus pais anunciarão nosso noivado, Namjoon, você e o Yoongi sabem mais do que ninguém que eu simplesmente amo ela desde o fundamental. Não vou deixar ela por conta de uma noite com outra garota.

Hoseok encara Seokjin surpreso, ele está enfeitiçado ou o quê? Ignora as palavras do hyung temporariamente e alegra-se quando sua ligação é atendida.

— Alô Namjoon hyung? — sai da sala voltando para cozinha levanto o copo com água.

Aquela discussão estava encerrada, dali Hoseok não tiraria nada, apenas mais surpresas sobre o amor do seu hyung por Melody… Ele vai se ferrar nessa.

Caterine já havia comido quase metade do sorvete, isso causou duas fortes dores em seu nariz, aquelas famosas congelações de cérebro que ocorrem quando comemos algo muito gelado de uma só vez, quando Jackson chegasse, a mataria.

— Que sono… por que ele está demorando tanto?

— Voltei. — Jackson diz abrindo a porta do quarto e olhando para Caterine, ela está jogada na cama com o pote de sorvete agarrado ao braço. — você é mesmo uma mulher hein?

— Não enche.

Caterine terminou seu relatório, e fez um pedido a Jackson: entregue para aquele idiota e diga que ele é um idiota. Mas Jackson realmente faria isso…

No dia seguinte, sabendo que Caterine não iria para escola, Jackson foi até a sala de Seokjin, quando entrou bateu os olhos em Melody que estava sentada ao seu lado, a menina ficou um tanto tensa…

— Caterine mandou isso. — joga o trabalho impresso sobre a mesa de Jin, isso causa uma pequena irritação em Seokjin e uma total confusão em Namjoon que assiste de longe. — e mandou um recado também.

— Qual? — Melody pergunta, já começando a se irritar pela manhã, apenas com a pronuncia do nome de Cate.

— Você quer saber qual foi Seokjin? — Jackson ignora Melody totalmente. Seokjin assenti. — Mande aquele idiota entregar o trabalho ao professor no começo da aula, e diga também que ele é um idiota. Então em nome da Caterine eu digo: você é um idiota. E em meu nome eu digo: me acompanhe.

Jackson sai da sala, em seguida é acompanhado por Seokjin, ambos param no corredor, ele está se esvaziando aos poucos.

— O que quer? — o maior pergunta.

— Se afaste dela. Se fizer ela chorar de novo eu juro que conto o que você fez com ela a sua linda Melody. Não quero que chegue perto dela. — o tom de Jackson faz Seokjin se irritar muito, tomando pose de alguém rude.

— Primeiro: nunca se aproxime da Melody, segundo: quem é você para me mandar se afastar de alguém? É o protetor dela?

— Sim, sou irmão dela, e odeio ver a minha dongsaeng chorando por um idiota como você.

— Ela chorou? — Jin não esperava ouvir aquilo. Jackson olha para o lado ignorando aquela pergunta.

— Você parece ser uma pessoa legal sunbae, seu único defeito… é a Melody. — aquilo irritou Seokjin, por que raios todos são contra eu e Melody juntos?

— Você nunca amou não é? Não entende, então não julgo seu pensamento… Lamento ter machucado sua amiga, mas ela já deveria saber disso, nada posso fazer, agora se me dá licença.

Seokjin sai e volta para sala, deixando Jackson relembrando o que alguém já aprontou com Caterine a um tempo atrás…

Esse Seokjin…

Caterine já estava em sua casa, porém com problemas funcionais em seu corpo, a gripe que lhe pegou foi forte, bem que Jack avisou que aquilo tinha sido loucura. Seu pai estava, por milagre, em casa e lendo um jornal virtual do Brasil…

Em seu celular apareceu a foto de algo lindo…

— Eu preciso dela. — se levantou da cama e foi até seu pai. — pai compra pra mim? — mostra a foto da tal coisa para ele, Caterine sabia que ele não compraria mesmo que passasse todo o momento da beira da morte pedindo.

— Está bem, quer ir hoje? — ou não..

— O que? — abaixou o celular e olhou assustada para seu pai, espirrou e enxugou a lágrima de quando gripa.

— Faz três anos que me pede uma dessas, posso comprar esse modelo se quiser. Você tem sido tão boa com a Maísa… merece. — seu pai sorri.

— Vamos agora!

— Onde vão? — Maísa pergunta nas escadas

— Compras. — grita fino e sai para o quarto indo se vestir, seu pai sorri e Maísa boia…

Finalmente eu vou ter uma… 


Notas Finais


No próximo conto o que foi que ela ganhou.

EU AMO QUANDO VOCÊS COMENTAM CARA kKKKK
Super feliz com o aumento de cometários vey.
Omma ama vocês ❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...