História O Menino da Casa ao Lado - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Mistério, Shortfic, Sobrenatural, Suspense, Terror, Violencia
Exibições 12
Palavras 849
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Espero que curtam esse capítulo tanto quanto eu curti <3

Boa leitura!

Capítulo 5 - Chapter V


Greenville, New Hampshire

 

14 de Julho de 2015

 

Os primeiros raios de sol entravam pela abertura da janela do quarto de Alissa, iluminando e aquecendo o lugar. Ela pensou em Ivie e no quanto a conversa de dois dias atrás ainda a intrigava. Lembrou de seus pais e de como sentia saudades dos dois. Lembrou também de Oliver, seu irmão mais velho, e por mais que dissesse para si mesma que não, ele também fazia falta. Por fim, lembrou de Cory. Aquele garotinho estranho, porém amigável, não oferecia qualquer risco. Então por que Ivie não gostou de sua presença? Tudo apontava para uma possível discussão entre ela e os pais do menino. A verdade é que se fosse essa a razão de tudo, Cory não devia ter nada a ver com isso.

Após alguns minutos deitada e criando coragem para se levantar, Alissa enfim o fez. Realizou suas atividades matinais e desceu para tomar café. Logo, pensou em ligar para os pais. Eles não se falavam há 1 semana. Então a jovem buscou seu celular e discou o número de sua casa em Boston. A primeira tentativa foi interrompida pelo sinal de ocupado. Na segunda vez, obteve sucesso.

 

- Alô? – perguntou Katlyn

- Oi, mãe. Que saudades! Como você está?

- Minha filha! Estou bem e morrendo de saudades. E você? Tem aproveitado seus dias aí?

- Sim! Minha tia já me levou para conhecer um pouco de Greenville. É uma localidade muito pequena e não há muito o que fazer por aqui. Também fiz amizade com um menininho que conheci.

- É mesmo? Que legal! Como ele se chama? – perguntou Katlyn com empolgação

- Cory. Ele é vizinho de tia Ivie. Ainda não conheci outras crianças além dele. Provavelmente a maioria está fora. Mas até que gostei dele. Cory é um menino meio estranho, confesso, mas amigável.

- Estranho como?

- Retraído. Muito na dele. Enfim, o jeito dele é diferente dos meninos que normalmente vemos por aí. Não que isso seja algo ruim...

- E esse menino é mesmo confiável? – Katlyn, por algum motivo, desconfiava

- Não sei. Eu achei, mas não posso dizer o mesmo de tia Ivie.

- Por que não?

- Ah... É uma longa história. Conto quando voltar, ok?

- Ok, minha filha. Seu pai está mandando um grande beijo.

- Obrigada. Diga que mandei outro e que estou com saudades.

- Tudo bem. Mande lembranças à minha irmã, certo?

- Certo. – sorriu a menina

 

As duas enfim se despediram e encerraram a ligação. Logo em seguida, Ivie chega pela porta dos fundos se equilibrando com algumas sacolas nas mãos. Alissa prontamente ajuda sua tia e pega algumas das compras para leva-las até a cozinha.

 

- Obrigada, docinho. Bom dia. – Ivie sorria e abraçava sua sobrinha

- Por nada, tia. Bom dia. Minha mãe mandou um beijo.

- Ah, ela ligou?

- Não. Eu liguei para ela agorinha mesmo.

- Certo. Obrigada, meu amor.

 

Alissa sobe novamente para o seu quarto e com o notebook em mãos, tenta se conectar à internet. Vendo que não obteria sucesso, já que o sinal naquele lugar era muito fraco, desistiu e pegou um livro em sua mochila. Antes de viajar, a jovem havia começado a ler ‘’O Menino do Pijama Listrado’’. Alissa então abriu o livro na página 114 e retomou sua leitura.

Não muito tempo depois, ela foi invadida por uma estranha sensação. Sentiu que estava sendo observada, mas por quem? Alissa estava sozinha em seu quarto, com a porta fechada, e ninguém poderia entrar ali sem que ela visse alguma aproximação.

Subitamente a menina se levanta e vai para a janela. Ao olhar para baixo, Alissa se assusta com a presença de Cory logo abaixo, encarando-a com um sorriso afetado em seu rosto. Ela tenta sair dali, desviar o olhar e fechar as cortinas, mas não consegue. Há algo maior que ela impedindo-a de se mover ou falar, deixando-a totalmente paralisada. Um pânico crescente a dominava por completo, confundindo seus sentidos e enfraquecendo seus músculos. A temperatura, que antes era agradável, caiu brusca e repentinamente. Pelo canto do olho, Alissa teve a impressão de ver sombras se movendo sorrateiramente pelo quarto, mas a jovem não tinha a menor condição de sequer mover a cabeça para os lados. A sensação de estar sendo observada aumentou, e por um momento Alissa chegou a acreditar que havia alguém em seu quarto, sussurrando coisas incompreensíveis atrás de si. Enquanto tentava afastar os inúmeros pensamentos ruins que insistiam em invadir sua mente, sentiu o toque de longos dedos frios e magros em seu ombro. Tentou gritar por socorro, mas sua garganta estava fechada, impedindo a saída de qualquer som.

Após alguns longos minutos que pareceram uma eternidade, Alissa enfim recobrou o controle de si e fechou as cortinas. A jovem olhou para os lados, assustada. Tudo estava em sua mais perfeita normalidade, como se nada de estranho tivesse acontecido momentos atrás. Ela não entendia o que ocorreu ali e preferiu não tomar conhecimento. Acreditando que assim seria melhor, decidiu que Ivie jamais saberia do acontecido. Estaria Alissa ficando louca?


Notas Finais


Só digo uma coisa: agora a situação vai esquentar haha :v
E aí, gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...