História O Meu Melhor Erro - Capítulo 40


Escrita por: ~ e ~Letticia13

Postado
Categorias Justin Bieber, Luan Santana
Personagens Justin Bieber, Luan Santana, Personagens Originais
Visualizações 109
Palavras 1.410
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Luta, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii ❤🌚

Volteiiii

Boa leitura! ❤

Capítulo 40 - Eu só não queria que você morresse!


Fanfic / Fanfiction O Meu Melhor Erro - Capítulo 40 - Eu só não queria que você morresse!

Luan

Acordei por volta das 07:00 da manhã e fui direto para o hospital.

Pra falar a verdade eu não queria nem ter saído de lá, mas como me falaram que eu não poderia falar e nem ficar no mesmo quarto que ela, eu resolvi ir pra casa. Além do mais, dois dias consecutivos dormindo em um hospital não é algo muito atraente pra mim.

Passei a noite inteira pensando no que eu estava prestes a fazer e eu sei que é o certo, mas mesmo assim não consigo fingir que está tudo bem e que eu vou ficar feliz. Porque eu não vou.

Enquanto minha mente me diz que isso é algo necessário e o mais honesto da minha parte, o meu coração burro e egoísta que só ele, me pede pra lutar por o amor que sinto por ela... mas se eu a amo não devia querer que ela ficasse bem e...viva? 

Seria pedir muito que ela ficasse bem e viva  ao meu lado?

Cheguei no hospital e parei meu carro no estacionamento enquanto tentava lembrar do que havia pensado para falar pra ela ontem antes de dormir. Passei um bom tempo ensaiando pra tentar parecer o mais convincente possível quando tivesse que encará-la.

Suspirei pesado e desci do carro adentrando o hospital.

Passei pela sala de espera e a recepcionista me liberou para ir até o quarto que Letícia estava agora, sem ter aquelas janelas de vidro. Segui pelo o corredor e respirei fundo antes de girar a maçaneta e entrar.

E lá estava ela sentada na cama.

Para a minha surpresa já estava acordada e me lançou um sorriso tão lindo que me deixou fora de órbita. Eu definitivamente não me lembro de mais nada que eu tinha em mente daquela porta pra fora. 

Caminhei a passos lentos até ela e lhe lancei um meio sorriso. Eu não conseguia sorrir abertamente pra ela, quando estou prestes a fazer o que eu tenho que fazer.

Luan: Oi. - Disse perto da cama, mas não a toquei ou fiz menção de fazer isso. - Tá tudo bem? - Perguntei ganhando tempo.

Letícia: Meu ombro tá doendo um pouco, mas... - Começou a falar, mas eu a cortei antes de qualquer coisa.

Luan: Claro que tá doendo, você levou um tiro. - Disse seco e ela me olhou arqueando as sobrancelhas. 

Letícia: Eu sei disso Luan, eu não sou burra. - Falou parecendo ofendida e eu ri sarcástico. 

Luan: Não é burra? - Arqueei as sobrancelhas fingindo surpresa. - Você se JOGOU na frente de um tiro! Isso é sua definição de inteligente? - Questionei sério. - Porque pra mim, não passa de uma grande idiotice!

Letícia: Luan! - Me repreendeu magoada. - Por que você tá falando assim comigo? 

Luan: Assim como Letícia?! - Perguntei fingindo que estava sendo eu mesmo. - Eu tô apenas falando a verdade! O que você fez foi coisa de gente BURRA!

Letícia me olhou negando com a cabeça como se não acreditasse no que estava escutando.

Letícia: Você é um idiota. - Me olhou de um jeito que me deu um aperto no peito, mas eu fiz questão de ignorar isso e continuei com meu papel de grande covarde do ano.

Luan: VOCÊ que é! - Afirmei a olhando no fundo de seus olhos. - O que você fez ontem foi a maior burrice que eu já vi alguém fazer na minha vida. - Ri sarcástico. - Você por acaso é louca ou algo parecido? Porque, francamente...uma pessoa em sã consciência não faria aquilo!

Letícia: Cala a boca Luan! - Pediu com os olhos marejados e eu amoleci por dentro.

Eu sabia exatamente o queria dizer pra ela, só esqueci que seria mais difícil se eu tivesse que olhar pra esses olhos dela quando tivesse que pronunciar tais palavras.

Letícia: Você é um ogro! - Falou com lágrimas rolando no rosto. - Eu não sei por que você tá falando assim comigo eu só fiz aquilo porque...

Luan: POR QUE?! - Berrei a encarando. - POR QUE VOCÊ FEZ AQUILO LETÍCIA?! VOCÊ PODERIA ESTÁ MORTA AGORA! VOCÊ FAZ IDEIA DO QUE SIGNIFICA ISSO?! 

Letícia: Eu só não queria que você morresse! - Falou óbvia. 

Luan: E você acha que eu queria que VOCÊ morresse?! - Perguntei sério e ela abaixou a cabeça encarando suas mãos. - O que você fez foi burrice...e você sabe disso.

Letícia: Não, eu não sei! - Rebateu voltando a me encarar. - Eu fiz o que eu fiz porque eu te amo! Mesmo você sendo esse idiota que não merece a porra desse amor...eu FIZ isso e FARIA de novo se fosse preciso! EU NÃO ME ARREPENDO DISSO PORQUE FOI POR CAUSA DISSO QUE VOCÊ ESTÁ AQUI COMIGO...MESMO QUE SEJA PRA ME CHAMAR DE BURRA...IDIOTA... E TUDO MAIS QUE VOCÊ ACHE SOBRE MIM! - Berrou com lágrimas caindo de seus olhos e molhando seu rosto que já estava vermelho pelo nervosismo dela. - EU NÃO ME IMPORTO SE VOCÊ ACHA QUE O QUE EU FIZ FOI BURRICE LUAN! EU SEI PORQUÊ EU FIZ E ISSO É O SUFICIENTE PRA MIM! 

Luan: O QUE VOCÊ QUER?! - Berrei no mesmo tom que ela. - QUE EU TE DER PARABÉNS E DIGA QUE O FEZ FOI LINDO?! - Ri sarcástico. - OU VOCÊ QUER QUE EU TE AGRADEÇA?! É ISSO? ENTÃO TUDO BEM, MUITO OBRIGADO LETÍCIA! VALEU MESMO POR TER TOMADO ESSE TIRO POR MIM, FOI ALGO REALMENTE GENEROSO DA SUA PARTE! - Sorri nervoso. - MAS NÃO DEIXA DE SER UMA COISA SEM SENTIDO PRA MIM! - Afirmei a olhando em seus olhos completamente decepcionados. - Eu não faria o mesmo por você. - Menti tentando parecer o mais convincente possível e vi seu rosto se entristecer mais ainda.

Letícia: EU NÃO QUERO O SEU MUITO OBRIGADO LUAN! EU NÃO QUERO MAIS NADA DE VOCÊ! NÃO ESTOU PEDINDO QUE LEVE UM TIRO POR MIM! ESSE TIPO DE COISA NÃO SE PEDE... A GENTE FAZ QUANDO POR LIVRE E ESPONTÂNEA VONTADE! QUANDO A GENTE ACHA QUE VALE A PENA. MAS NÃO SE PREOCUPE...NÃO VAI VOLTAR A ACONTECER! EU TE GARANTO! - Afirmou secando as lágrimas rispisamente. - VOCÊ NÃO CONSEGUE LHE DAR COM DEMONSTRAÇÃO DE AMOR, É ISSO? TUDO BEM, VOCÊ QUER QUE EU TE ODEI? VOCÊ CONSEGUIU: EU TE ODEIO! ODEIO ESSE SEU MALDITO JEITO DE SÓ ME FAZER SOFRER! EU DESISTO DE TENTAR TE CONVENCER QUE EU TE AMO! - Engoliu em seco. - Eu simplesmente desisto de você. - Completou me olhando seriamente e eu senti todos os pelos do meu corpo se arrepiarem em resposta.

Luan: Ótimo. - Disse com indiferença. - Assim que você sair do hospital, você vai sair da minha casa e volta pra sua. - Falei calmo me afastando dela, que assentiu contendo o choro e respirou fundo jogando seu corpo para trás até tocar as costas no colchão. - Eu vou embora agora, você fica de alta as 15:00 horas, eu passo pra te buscar. - Disse com a mão na maçaneta.

 Letícia: Não precisa se preocupar mais comigo, eu já roubei bastante tempo da sua vida. - Respondeu seca sem me olhar. - Eu dou meu jeito. - Fitou a televisão que passava algum desenho chato. - Adeus, Luan. - Falou com a voz embargada.

Luan: Adeus, Letícia. - Disse e tratei de sair daquele quarto antes que eu desistisse de tudo e a agarrasse para não largar nunca mais.

Enquanto eu fazia o percurso de volta para o meu carro eu só conseguia pensar que essa provavelmente seria a última vez que eu veria ela. E isso só fazia meu peito enchar ainda mais dentro do peito.

Cheguei em meu carro e joguei minha cabeça no banco, enquanto tentava me convencer que isso era a melhor escolha da minha vida. Eu estava a mantendo protegida agora, e é isso que importa, certo?

Eu a amo e estou a deixando livre pra ser feliz...mesmo que seja sem mim.

Me desculpe...me desculpe por ter sido tão covarde ao ponto de te machucar ao invés de te encarar e dizer que tudo isso é só porque eu te amo tanto que morreria se algo como isso te acontecesse de novo. Eu prefiro que você me odei do que saber que você iria sofrer por alguém tão fodido quanto eu.

Me desculpe, Letícia. 

Mesmo que eu nunca seja capaz de te dizer isso pessoalmente... isso é pro seu bem e está doendo mais em mim do que em você. Acredite. 

Senti uma lágrima molhar meu rosto e  a limpei rapidamente, enquanto ligava o carro e parti dali o mais rápido possível.


Notas Finais


*_*,


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...