História O meu segurança (imagine Jungkook) - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Bts Jungkook
Visualizações 40
Palavras 1.054
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei com a fic, voltei depois de 84 anos kkkk, tava sem criatividade e até agora tô pensando se esse capítulo tá bom, espero que dêem aquele carinho pra minha baby.
Let's go!

Capítulo 11 - Confissões


Fanfic / Fanfiction O meu segurança (imagine Jungkook) - Capítulo 11 - Confissões



Aquelas palavras ficaram em minha mente por longos segundos, quando eu tinha aceitado o seu pedido? Se é que ele me fez um pedido. Virei meu corpo para o de Taehyung, o mesmo evitava me olhar a todo custo, esperei seus pais saírem para eu o interrogar.


-Por quê disse a eles isso Taehyung? - Perguntei olhando-o fixamente. O príncipe não me respondeu, apenas saiu de perto de mim. 


O que estava acontecendo? Havia algo muito errado com esse coreano. Não fiquei sozinha por muito tempo, até meu segurança chegar. Seu olhar demonstrava tristeza, eu apenas o olhei, me aproximando minimamente do seu corpo.


-Você ouviu? - Eu olhava para todos os lados procurando Kim.


-Ouvi, você está mesmo namorando o príncipe coreano? - Sua voz antes macia, agora ouvia-se áspera.


-Claro que não Jeon! Ele mentiu para seus próprios pais. Não sei o que está acontecendo, estou perdida. - Procurava ar para talvez me acalmar.


-Eu vou pegar uma água para você, fique aqui. - Assenti, concordando com a sua ordem.


Estava completamente aérea quando um braço forte, me puxou para perto, me prendendo a sua frente, assim me empurrando para um corredor deserto, as pessoas estavam tão entretidas com a música, bebidas, que nem ao menos notaram a minha desaparição.

Fui jogada bruscamente contra um sofá, estava totalmente escura aquela sala, só conseguia ouvir vozes, e uma delas era de Kim Taehyung.


-Ela está aqui? - ouvi um barulho de porta ranger.


-Olá Lara! Como vai? Acredito que bem. - As luzes foram acesas, seu rosto ficou exposto. Taehyung permanecia intacto a minha frente. - Nossa, parece que você viu uma assombração, não fique tão surpresa! Vai me dizer que você nunca desconfiou que eu fosse um comunista? 


Eu não me permitia nem piscar os olhos, não queria perder nenhuma imagem que eu possa guardar daquele momento, momento que jamais fora esperado por mim.


-Tenho algumas confissões a fazer á você, bom... Quem mandou matar sua mãe foi eu. Aquela mulher me irritava muito, você não tem noção. Ela queria que eu me casasse com você, acredita nisso? - Tae riu sarcástico.


-Seu imundo! - Gritei o mais alto que pude. Quando tentei me levantar, seus guardas me seguraram.


-E tenho quase certeza de que você queria o mesmo, não é? - O príncipe passou sua mão pela lateral do meu corpo. - Se você não fosse filha do rei da Inglaterra, poderíamos ter uma vida juntos princesa, você é linda, pena que é minha inimiga. 


Não pensei em nada para dizer, somente cuspi em sua cara. Chorando mais que nunca minhas vistas já estavam embaçadas. Vi Taehyung me dar um soco no rosto, quando me dei conta já estava no chão.


-Você é melhor na cama Lara, por mais que não tenha feito nada, senti você a noite toda se mexendo. - Seu sorriso perverso foi dirigido a mim. Eu só sentia náusea.


-Vamos. - O príncipe murmurou para seus comparsas. 


Continuei estirada naquele chão frio, não conseguia pensar em nada. Meu nariz estava sangrando, estava dolorida, tanto por fora quanto por dentro. Demorei longos 30 minutos para sair daquele cômodo, fui ao saguão onde a festa acontecia, não havia ninguém. Poças de sangue estavam preenchendo aquele lugar. Apenas uma pessoa veio em minha mente vendo esse perigo, Jeon Jungkook. Onde ele estava? 

Andei por toda a extremidade daquele ambiente, até encontrar Jeon deitado no chão com seu peito sangrando. 


-Jeon? - Gritei o seu nome, me jogando ao seu lado.


-Está tudo bem Lara, estou com colete, não pegou em cheio. Apenas me ajude a levantar. - Sua voz estava fraca.


Me apoei em um balcão próximo, esticando o meu braço para que Jungkook o segurasse firmemente. Meu segurança levantou, tirando a sua arma do coldre, ficando de prontidão a minha frente. Naquele momento senti medo, não poderia perder Jeon, nunca.


-O que aconteceu Jungkook? - Perguntei baixo.


-Parece que o príncipe não é quem pensávamos, seus guardas atiraram para todos os lados em sinal que os comunistas estão mais fortes. Eles tem o apoio do príncipe, que agora é um comunista. - Jungkook respondeu, me levando até nosso carro do lado de fora da casa. 


-Mas e os pais do Taehyung? - Me sentei no banco do passageiro, ficando ao lado de Jeon.


-Eles ainda não sabem da posição do filho, mas creio que daqui algumas horas eles vão ficar sabendo da decisão de Kim.


-Quando chegarmos na minha casa irei cuidar desse nariz, foi o Kim, não foi? - Jeon me olhou dirigindo rapidamente.


Assenti, vendo Jeon bater com raiva no volante. Chegamos em menos de 20 minutos na casa do meu segurança, sua mãe estava assistindo ao jornal assustada, quando a porta foi batida por Jungkook ela direciou seu olhar para nós.


-Meus filhos, o que aconteceu? - Seu olhar de preocupação era perceptível.


-O príncipe coreano é comunista Omma. - Jeon me puxou pelo braço para sentar no sofá.


Sentei-me ao lado da Omma de Jungkook, ela segurou a minha mão e a beijou, eu a abracei como forma de me recompor e tentar esquecer aquela rasteira de quem eu menos esperava.

Jeon chegou com um kit de primeiros socorros, seus movimentos eram rápidos e precisos.


-Lara, isso vai doer um pouco. Preciso que seja forte, princesa. - Eu apenas assenti com a cabeça, ainda segurando a mão da Omma de Jeon, para tentar me acalmar e diminuir a dor que iria sentir em instantes. - Seu nariz está quebrado, vou limpar e irei precisar por no lugar.


Meu segurança pegou gases, as molhando com álcool, ele me olhou uma última vez como um aviso do que iria fazer, senti o contato do álcool com meu nariz assim que a ardência ficou insuportável, Jeon esfregou o lenço diversas vezes em meu corte. Meus cílios estavam molhados pelas lágrimas que eu lutava para não descer.


-Agora eu vou precisar deslocar, aguente Lara. - Jungkook acariciou meu rosto com o seu polegar.


Jeon calmamente colocou sua mão em meu nariz, que doeu ao seu simples toque, o olhei em sinal de que podia fazer o que deveria. Senti uma dor enorme ao meu nariz ser repuxado ao seu lugar, gritei de dor. 


-Acabou princesa. - Jeon disse me puxando para seus braços me abraçando.


Agora que descobri que Taehyung é um comunista, está na hora de mudar. Preciso organizar tropas, me por em meu lugar e exercer a minha autoridade. Meus pensamentos voltaram ao pai, onde ele está? 


Notas Finais


Eai girls???? O que acharam?
Acho que por essa vcs não esperavam
Beijos floras


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...