História O moleque do hyung. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Lay, Sehun, Suho
Tags Hyung, Kyungsoo, Oh Sehun, Sehun, Sehun!bottom, Sesoo, Soo!top, Soohun
Visualizações 138
Palavras 1.165
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu iria esperar mais uns dias pra postar, aquele aguardo de feedback na fanfic pra ver se ela vinga. Mas me senti deveras orgulhosa de ter feito não só uma pwp satisfatória, como também fiz um extra fluffy. Eu sou >terrível< pra fluffy, mas muito ruim mesmo, então me sinto quebrando uma barreira por ter conseguido fazer isso e ter terminado a fanfic, já que sempre perco a inspiração.

Enfim, como eu irei viajar amanhã, vou deixar esse agradinho para esses docinhos que deram os primeiros 20 favoritos da fanfic EM MENOS DE 24 HORAS. Parece pouquíssimo, mas pra um perfil que é só mais um em um milhão, eu estou feliz.

Cheers, aproveitem.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Capítulo 2 - Extra: Sou o seu hyung e ele é meu moleque.


                                               





 

Havia passado uma semana desde que acordei com o rosto enfiado na nuca de Sehun, inspirando seu cheirinho de pêra, gravando-o em minha memória olfativa.
 

Fora uma semana difícil. Enquanto ele estava de férias, eu e Junmyeon nos esgoelávamos pra alcançar as notas na faculdade. Não sei como cheguei vivo e lúcido ao sábado.


    O fato relevante dessa jornada era que eu não havia tocado em seu nome um momento sequer. Não, eu não havia "comido e jogado o resto fora". O problema era que as únicas pessoas pra quem eu perguntaria seriam seu irmão ou seu cunhado, o segundo tendo que perguntar ao primeiro por notícias, porém é de se concordar que isso deixa um clima esquisito, mesmo que fôssemos amigos – ou principalmente por isso.. Não tive tempo de ir à casa de Junmyeon nessa semana, mal pregava os olhos, não podia me dar esse luxo.


    Agora, finalmente livre e com um bom tempo de descanso de fim de ano, eu arrumava minha bolsa para passar uns dias no apartamento do meu amigo, onde teria também a presença de Chanyeol e Yixing na bagunça. Quando cheguei lá, só fui entrando e jogando a mochila no canto, como sempre fazia; todos estavam entretidos demais pra notar minha chegada, até que proferi um alto "boa noite" na sala.


    Os olhos de Sehun vieram direto aos meus e o sorriso que antes direcionava a Yixing, que lhe dava colo e carinho, logo se transformou numa carranca e se escondeu no pescoço do chinês.
    Eu sabia que ele poderia ter ficado chateado, mas fingir que eu não estava ali era infantil demais até para Sehun.

 


    Junmyeon tocou em meu braço e pediu ajuda pra pegar as pizzas na cozinha, mas eu sabia ser um pretexto para conversarmos.

 


— Sabe que ele está magoado, não sabe? — seu tom não era acusatório, Junmyeon era tranquilo e sensato.

 


— Sei, mas o que eu podia fazer?

 


— Soo, você foi embora no outro dia e sequer o acordou pra se despedir.

 


— Tivemos uma noite e tanto, não queria atrapalhar o descanso dele uma segunda vez. — como eu havia dito, Junmyeon não se incomodava com a vida sexual do irmão.

 


— Isso não se faz, Soo. Ao menos o procurasse, nem que fosse por mensagem. Sei que tivemos uma semana cheia de trabalhos, é mais fácil pra mim ver o Jongin por estudarmos no mesmo prédio, mas não torna menos difícil pra Sehun o fato de ter ficado ainda mais distante de você. Ele se sentiu usado.


— Qual é? Eu nunca faria isso! Muito menos com ele! Sabe que adoro esse moleque.

 


— Sabemos, mas também sabemos o que são sentimentos conturbados. Sehun é só um adolescente, sabe que a ingenuidade dele não é um mero fetiche. O coração dele é puro e apaixonadinho. Converse com ele, sim?

 


— Você tem toda a razão... Céus, não queria deixar meu menino assim. Pede pra ele vir aqui, hm?

 


— Sei que vai cuidar bem do meu irmão. Não suportava mais o embuste do Baekhyun o atormentando. — opa, é o quê?

 


— Como assim? Aquele cachorro o procurou?

 


— Sehun não te contou? Baekhyun o perseguiu por todo canto, não se conformava com o término. Dizia que estava arrependido e que foram apenas uns beijos com o primo, Jongdae, numa noite de bebedeira. Meu irmão quase caiu, até você aparecer. Ele veio aqui ontem e Sehun passou um bom tempo conversando com ele.

 


Jesus, eu ia perder meu menino! Caralho, Kyungsoo, como você é estúpido. Não podia ter usado a merda do celular? Porra, Sehun não podia voltar praquele trombadinha de classe média, não depois do que lhe fez. Sehun era meu e ninguém mais o tomaria de mim.

 


Depois que Junmyeon levou duas caixas de pizza, Sehun apareceu, estacando na porta ao surpreender meu olhar perdido.

 


— Myeonnie me pediu pra levar o refri…

 


— Hunnie, vem aqui, senta no colo do hyung.

 


    Se fossem outras circunstâncias, ele viria correndo, mas agora hesitava, atendendo a meu chamado com relutância e sentando na pontinha da minha perna. O abracei e puxei mais pra perto, beijando sua bochecha quente e corada.

 


— Em primeiro lugar, me perdoe, sim? O hyung foi um babaca em não se despedir e não dar sinal por essa semana. Eu me atolei em trabalhos da faculdade, mas estava confuso. Foi tudo muito intenso naquela noite e tive medo de agir diferente comigo, ou do seu irmão não aprovar.

 


— Mas o Myeonnie te adora, hyung.  — o biquinho que ele fazia já tremia, aquela grande criança estava perto de chorar e isso me partia o coração. Eu realmente me odiaria se fizesse meu moleque chorar.

 


— Eu sei, meu anjo, mas o medo nos torna irracionais. E também, eu não sabia como agir. Não sabia se você queria algo, se deveria me aprofundar nisso ou seria casual, afinal, você é mais novo que eu e tem um coração de criança. — suspirei fraco, vendo o biquinho tremer de novo no rosto coberto pela franja negra que passava de seus olhos. Ajeitei seus cabelos atrás das orelhas e prossegui. — O hyung gosta de você, não quero perder você pra alguém como o Baekhyun. Mesmo que não queira mais ficar comigo, não volte pra ele, hm? Ele não te merece, brincou com seu coração pra ter seu corpo. Você é lindo, meigo, amoroso, muito gostoso e adorável. Você pode ter quem quiser, mas escolhe alguém bom para si.

 


— Hyung, shh... Eu quero você. — ele colocou as mãos em meu rosto e sorriu enquanto fitava meus olhos, me levando a corresponder o sorriso. — Baekkie, quer dizer, Baekhyun me procurou e conversei com ele. Eu fiquei muito magoado, por muito tempo, e disse que não posso confiar nele se ele se entrega ao descontrole da bebida. Eu sei que ele faria aquilo estando sóbrio também, não posso confiar em alguém assim. Mas eu confio em você, Soo hyung. Eu fiquei chateado por não ter me procurado e coloquei na cabeça que era por tanto trabalho da faculdade, eu vi o desespero do meu irmão, mas eu esperei e esperei por uma mensagem, uma ligação, ao menos que perguntasse por mim. Aí... Eu achei que me achasse novo demais pra sentir algo por mim, fiquei tentando não pensar nisso, pensar em você, mas era difícil. Parecia que quando eu deitava, tinha seu cheirinho no travesseiro e-

 


Ele já estava falando demais, não pude mais esperar. Meus lábios clamavam pelos de Sehun e os tomei para mim, o surpreendendo até. O beijei com paixão e ternura também, acariciando seu rosto quente durante o ósculo, sentindo como ele relaxa aos poucos. Soltei-o com selinhos lentos e molhados, me encantando mais uma vez com os lábios bonitos naquele sorriso apertadinho.

 


— É claro que tenho sentimentos por você. É o meu moleque, não é?

 


— Sou sim, o seu moleque, hyung.

 


— Bom menino. — roubei-lhe mais um selar, o abraçando apertado pra matar toda aquela saudade do seu cheirinho de pêra.

 


— Hyung?


— Hm?


— Você também é só meu hyung, não é?


— Só seu hyung, moleque. Só seu.

 

 

 

 


Notas Finais


Espero que aproveitem, tenham um ótimo feriado e fim de semana, curtam a vida! É isso, beijinhos.

chu~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...