História O Mundo das Sombras o universo conspira contra mim - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Assassinos Em Série, Aventuras, Corridas Ilegais, Drogas, Fantasia, Lesbicas, Lobos, Magia, Mundo Alternativo, Romance, Sobrenatural, Yuri
Exibições 17
Palavras 2.676
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, FemmeSlash, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


olha quem resolveu aparecer aki ?
isso mesmo
EEUUU
espero que não tenha demorado muito
ignorem os erros ok ?
obrigado por lerem
se puderem comentem e favoritam por favor
bom, o cara na capa e Aikawa Ayumu e a mulher e Emylle Brooky

Capítulo 17 - Aikawa Ayumu and Emylle Brooky


Fanfic / Fanfiction O Mundo das Sombras o universo conspira contra mim - Capítulo 17 - Aikawa Ayumu and Emylle Brooky

~ Pov Asha on ~

 

~ flash back on ~

 

 

- eu já disse !! ele e meu filho !!! – falava minha mãe desesperada ela estava suada, chorando, com medo, com muito medo, medo deles me tirarem dela...e eu ? eu estava atrás dela me escondendo dos chefes de uma vila em que minha mãe implorava por abrigo...

- senhora !!! deixe nos cuidar da criança !!! da pra ver pelos olhos do menino que não é seu !!! o que faz uma bruxa de tão alta classe querer ficar com uma criança ?? esta no auge da juventude....seus poderes estão evoluindo...seu corpo../ - interrompido por um tapa de minha mãe, no rosto, o homem se calou, aqui, os bruxos são divididos por classes, da pra percebe sua classe porque em um de seus olhos ah um pentagrama com símbolos em volta, dentro na pupila...isso mostra que alem de controla todos os elementos da natureza, ela também pode invocar demônios, curar ou ate ressuscitar mortos, ela e muito poderosa.

- preste muita atenção. Ele e meu filho ! não vão tocar as mãos nele !! ele e diferente de mim !! mas mesmo assim e meu filho !!!! ENTENDERAM ??? – falou autoritária. Todos calaram se e eu tremi as pernas porque ela me dava medo quando sentia raiva, e era isso que emanava dela neste momento, pura raiva...todo o medo e desespero avia ido embora a poucos instantes. Desde que nasci minha mãe vem tentando desesperadamente me criar....cuidar de mim...meu pai teve que ir embora, a alcateia dele estava em perigo e ele não pode ficar com minha mãe. Minha mãe e uma bruxa...ela e filha de uma família rica de bruxos elementares de alta classe, ela fugiu da família pra viver com meu pai...mas quando as coisas apertaram e eu nasci todos os lobos ficaram sabendo sobre um alfa que teve um filho que nasceu com olhos vermelhos...e pela segurança da minha mãe e minha, meu pai teve que fugir, e ajudar sua alcateia....minha mãe tem cabelos pretos ondulados nas pontas e liso na raiz, seus olhos são pretos feito a noite, sua pele e quase pálida de tão branca, e seu sorriso e lindo....eu ? eu sou loiro, tenho olhos azuis esverdiados minha pele e bronzeada mas não deixa de ser branca....todos acham que minha mãe me adotou, quando tocam no assunto de cadê meu pai, ela inventa uma historia e acaba fugindo...isso machuca muito ela...sempre e assim...ela sempre finge estar bem, estar feliz, mas eu sinto sua tristeza...

- sim senhora Brooky...entendemos- falou um homem aparecendo entre os outros, a voz dele era rouca e nojenta, ele tinha um sorriso nojento no rosto. Vi ele se aproximar dela, meu coração acelerou. Meus olhos queimaram, senti eles tomando a cor vermelha, todo meu corpo latejava e queimava, me sentia uma bomba...e estava prestes a explodir em cima dele...

- asha...acalme se..- sussurrou minha mãe segurando meu ombro enquanto encarava o homem

- então...quer ficar ? sabe que somos caçadores...crueis...senhorita Brooky – falou o homem com a voz cheia de desdém, senti minhas unhas latejarem, meus dedos estão tremendo, aperto o vestido branco e longo que minha mãe esta usando com as garras perfurando e rasgando minha pele, fecho os olhos com lagrimas no mesmo

- ma...mamãe....- reclamo e ela se vira pra mim se agachando e beijando minha bochecha

- vai ficar tudo bem – sussurra ela e me pega no colo

- senhor...- eu senti uma pontada de nojo em sua voz -eu sei que precisa de uma bruxa...alem disso sei que seus homens voltam da batalha contra os Fei totalmente acabados ou ate mortos, eu posso ajuda lós a se recuperarem mil vezes  mais rápido e faze lós ficarem fortes para outra batalha...o senhor sabe que precisa de mim...- falou minha mãe convicta, os Fei são uma raça de seres das trevas, seres sem consciência e sem emoções que matam por prazer, eles são mágicos e a maior parte deles ficam nesse lado do pais

- eh...vc me convenceu Brooky...pode ficar com sua criança, devo lhe informa que aqui não só matamos  os Fei, matamos tudo que entrastes a nosso caminho...principalmente lobisomens. – falou o homem, aquilo me fez querer vomitar, arregalei os olhos olhando na direção de minha mãe, ela só sorri pra mim e adentrou na vila...

Passamos muito tempo la, eu tinha cinco anos quando chegamos, agora estou com sete e treino junto com os filhos dos caçadores, minha mãe se da bem com todo mundo, sinto que a sombra de meu pai não a perturba tanto quanto antes.

- ei garoto...pode fazer um favor pra mim ? – sussurrou um homem alto com uma capa grande com capus que cobria seu rosto, ele estava com as mãos nos bolsos e atrás de uma arvore. Ouvi ele com minha super audição e consegui encontrar ele em meio as arvores da floresta, engoli em seco e andei ate ele, senti um cheiro aconchegante e familiar...

- que...quem e você ? – perguntei parando em sua frente e olhando em seus profundos olhos verdes.

- eu....meu nome e Aikawa Ayumu. E você e meu filho ookami Aikawa asha – falou o homem sorridente com os olhos se tornando vermelhos, senti meus lábios se contorcerem pra baixo e meus olhos arregalaram, meu olhos encheram de lagrimas e sai correndo

- AAAAAAHHHH MAAAAAMÃÃÃÃEEEEE !!!! – eu so sabia gritar e correr na direção da cabana de minha mãe, ela apareceu na porta e me olhou com a sobrancelha erguida, pulei em seu colo chorando feito menininha

- o que foi meu bebe ?? – falou minha mãe com uma voz doce acariciando meus cabelos

- te...te...te-tem u..um-um ho-homem na..na floresta di-di-dizendo ser o papai !!! – esperniava e chorava com o coração a mil

- qu...que ? – senti e ouvi o coração de minha mãe acelerar e parar, sua voz ficou baixa do nada e ela ficou mais pálida do que já é

- e...bem...desculpe a demora querida....- falou o mesmo homem que falou comigo, com um sorriso enorme no rosto e os olhos brilhando, ele balançava e coçava o cabelo loiro enquanto sorria pra gente

- ay...ay...ayumo...?? – a voz dela novamente ficou quase inaudível e tremula.

- sim emy...sou eu...- agora seu sorriso enorme que mostrava suas covinhas e dentes regulares se transformou em um sorriso de tristeza

- SEU VAGABUNDO !!! POR ONDE DIABOS ANDOU !!! COMO VC PODE APARECER AQUI DO NADA ??? EM ??? – por incrível que pareça eu não me assustei com a bipolaridade da minha mãe, eu já estava acostumado, e o homem que se dizia meu pai, soltou uma risada feliz ? eu acho...e do nada como sempre, um trovão chocou o céu e um raio caiu do lado do homem, sorte que a cabana de minha mãe era afastada do restos das casas, e todos estariam agora no festival de comida que estava tendo na feira de alimentação.

- amor, acalme se !! vc não quer me matar não e ? – falou o homem com um tom nervoso na voz, e um sorriso no rosto.

- quero !! quero estrangular vc !! ayumu !! pq me deixou por esse tempo ?? – e la estava ela chorando com as bochechas coradas, limpei suas lagrimas olhando pra ela e pra ele confuso

- vc sabe que eu não quis emy...sabe que sempre te amei...eu nunca quis te deixar – se aproximou ele, ela deu um tapa em sua mão fazendo a mesma se afasta de mim

- emy ? – franziu a testa fazendo bico, eu não conseguir não rir dos dois.

- mama !! para de se segurar e beija logo ele !! – sorrir pra ela e ela me olhou sorrindo

- eh...ele merece um agrado por ter voltado pra gente...- chegou perto do homem e o beijou com carinho, consegui ver um sorriso se forma nos lábios dos dois e uma lagrima cair dos olhos do meu pai.

 

~ flash back off ~

 

Caramba como o tempo nesse mundo e diferente !!! nossa !! eu nunca pensei que uma semana fosse passar tão rápido na minha vida !!

Eh...oi, eu sou Ookami Aikawa asha e sou um lobisomem...eh...bem vocês já devem saber que tenho 19 anos e que sou filho de um alfa, e que tenho olhos vermelhos desde que nasci...desde que nasci eu venho fugindo e correndo perigo por conta destes olhos, vários lobisomens tentaram me matar por ter inveja do meu poder, da minha força, dos meus olhos, eu nuca quis ter estes olhos.

Já faz três semanas que estou aqui...nesse mundo...diferente. sem magia, sem duas luas ou dois sol..sim...no meu mundo tinha duas luas e dois sol. Eu tenho que explicar isso direito, bom...tudo começou quando dois deuses fizeram seus mundos para criarem seus filhos ou animais...um mundo de luz e um de trevas, ai em um belo dia, um anjo se aproximou do portal  que levava pro mundo das trevas, ela viu um demônio, um demônio triste que exalava morte, ela atravessou  portal e ficou com o demônio, o fez se apaixonar por ela, e conheceu seu mundo, na verdade o mundo das trevas não era nada um mundo sombrio onde so avia morte, como o mundo da luz não era so um mundo feliz com arco iris saindo de uma fonte, no mundo do demonio, tinha felicidade, tinha seres bons, e no mundo do anjo tinha seres ruins e avia muita tristeza, os dois perceberam que não adiantava de nada os mundos serem separados e que todos poderiam ser felizes em um mundo só, então eles resolveram conversa com os deuses, mas os deuses se odiavam, e resolveram mata los, quando a familia de cada um soube sobre a morte de seus filhos, se juntaram e acabaram destruindo os deuses, resolveram unir forças e juntar os dos mundos, e deram a esse mundo o nome de librevile.

Bom como em cada mundo tinha seu tempo, juntando os dois o tempo ficou mais lento a magia ficou duplicada, e o mundo foi obviamente dividido de novo, so que dessa vez, foi entre países, países com raças, tinha quatro países, o país dos seres puros, o país do seres de alta classe, o país dos Fae que era o contrario dos Fei e sobreviviam de magia e mana e o país dos Fei

A vila onde morei ficava em uma floresta que era a fronteira do pais dos Fai com o dos Fei.

O dia tinha 48 horas, as semanas tinham 14 dias, os meses tinham 40 dias, e os anos tinha 14 meses. E...eu tenho 7.150.080 anos nesse outro mundo...e muito numero gente..por libra !

Bom...desde que cheguei aqui. Meu nivel de magia esta baixíssimo...não consigo voltar a forma humana...e nem falar com elas...elas vem tomando conta de mim por um bom tempo. Eu vi a Isis chorar, vi a Annie sorrir pra mim enquanto estava triste, senti o clima pesado aqui...as duas se amam mas a annie tem um rancor enorme pela Isis...tenho pena delas...sei que isso e horrível, e um sentimento horrível, mas eu sinto, sinto e não posso fazer nada por elas. Eu tentei animar a Isis, eu brinquei com ela. Mas hoje ela chegou em casa totalmente acabada, não tenho ideia do que aconteceu, mas isso deixou ela com os pés na cova se que me entende.

Poxa...aqui estou eu de novo parado divagando pensando na branca dos olhos azuis...ela ate parece com minha mãe...ela e bipolar e me da medo as vezes...seus olhos são tão lindos...adoraria abraçar ela....beijar ela...beijar todos os cantos possíveis de seu corpo....

“ Qui merda eu to pensando ??? aahh !! “

Já faz algumas horas desde que a Annie saiu..não consegui me segurar, tive que sair. Agora estou no meio do mesmo bosque que estive quando fui “ mandando “ pra este mundo, estou caminhando pela neve fria e fofa. Devo admitir que não e o mesmo, mas o cheiro do ar aqui e aconchegante. Não cheira a morte, ou a guerras, ou a inimigo...o cheiro e de...cerejeira...e amora...e terra...neve...lagoa...perai. lagoa ?

Abro os olhos e deixo os mesmos se tornarem vermelhos, me concentro usando todos os meus sentidos de uma só vez. O faro, a audição, a visão, o tato. Tudo sincronizado. “ achei !! “ penso e começo a correr distribuindo o peso de meu corpo pelas patas. Corro por cerca de 50 quilômetros e chego numa lagoa de águas cristalinas perto de uma caverna. Sinto uma grande fonte de mana e magia percorrer todo aquele local, eu sentia minhas forças retomadas, respirei com força e vontade tomando fôlego, todo o meu ser se relaxou e eu pude pela primeira vez nessas semanas voltar a forma humana.

Olhei pras minhas mãos, olhei pros meus pés, olhei pro meu corpo, sorrir radiante sentindo minhas covinhas aparecerem, meu coração queimava por dentro, me sentia feliz...

Pulei na lagoa, pude sentir a água fria se chocar contra minha pele quente, senti todos meus músculos relaxarem, fechei os olhos e pude descansar, fiquei na lagoa pelo resto da noite, sai da mesma no amanhecer e me deitei num gramado embaixo de uma arvore, apoiei as mãos embaixo da cabeça e dormi. Eu merecia aquilo. Depois de tudo. Eu merecia dormi. Depois de ver minha mãe morrendo...eu merecia sonhar com aqueles olhos mais escuros e brilhantes que o céu.

 

[...]

Ao acorda pude perceber que já era de tarde. Como eu disse o tempo aqui passa muito rápido...o sol estava se pondo, o céu estava de cor alaranjado e lindo, a água estava em uma coloração avermelhada. Abri a boca quando vi aquela perfeição. Era lindo e mágico...magia...no final, também existe magia nesse mundo. Eu precisava trazer Annie pra Ca...ela iria amar !!

- ora ora....olha o que temos aqui...ei !! quem e vc ?? – escutei uma voz vindo de trás de mim, aquele cheiro me deu nojo, lembrei na hora do cheiro dos homens que estavam dentro da cabana. Lembrei da Annie chorando e gritando, imagens dela sendo violada tomaram conta da minha mente. Não me aguentei e sem ao menos ver quem era, já estava em cima do cara que dirigiu a voz a mim, enfiei minhas garras em sua garganta encarando seus olhos, eu sentia meu coração acelerar. O prazer tomou conta de mim, não conseguir evitar uma risada, continuei a dilacerar a garganta do homem enquanto ria. Comecei a depositar minhas garras em seu peito com brutalidade perfurando e dilacerando a carne. Senti meus dentes ficarem pontudos e logo tinha presas enormes no local. Joguei a cabeça pra trás uivando e encarando uma lua gigante e amarela no céu que estava totalmente escuro e sem estrelas.

Do nada percebi o que avia feito. Senti meu corpo fraqueja. Cai de joelhos no chão. Eu tinha matado um homem inocente...eu...

- o...o...oque eu fiz....que merda eu fiz....- sentia meus olhos lacrimejando

- pq eu fiz isso....eu...eu...- me sentia atordoado. Olhei pras garras, do nada fiquei com nojo de mim mesmo, senti ânsia de vomito, corri pro lago e comecei a esfregar minhas mãos umas nas outras, tentei lavar as garras. A água ficou com uma coloração avermelhada. Arregalei os olhos e fiz os mesmos ficarem vermelhos. Soltei um suspiro relaxando os ombros e os músculos quando vi que ainda estavam vermelhos, o homem não era inocente...se fosse meu olhos perderiam o brilho e a cor vermelha...

Olhei meu reflexo na água. Eu não usava roupas, só avia um colar preso a meu pescoço, ele tinha uma presa, uma presa de lobisomem. A presa do meu avo. Pai do meu pai, ele avia me dado no meu aniversario de 18 anos.

Segurei a presa entre os dedos e me permiti chorar.

[...]

Não sei quanto tempo eu passei ali. Mas meu corpo se recusava a sair do local. Estava nas margens da lagoa olhando meu reflexo na mesma. olho pro céu e vejo que não tinha lua...vejo que estava prestes a amanhecer. Eu ainda não me acostumei com tudo...acho que já se passou um ou dois dias que estou aqui...

 

 

~Pov asha off ~


Notas Finais


espero que tenham gostado pessoa
comentem por favor
logo logo estou de volta com mais
bay bay pessoinhas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...