História O Mundo dos Mortos - Amor Doce - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Iris, Kentin, Kim, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Personagens Originais, Priya, Rosalya, Violette
Tags Alexy, Amor Doce, Anime, Armin, Castiel, Dragões, Fantasmas, Kentin, Lysandre, Nathaniel, Seres Misticos, Seres Mitológicos
Exibições 66
Palavras 838
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Harem, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Estou trazendo mais um Capítulo diário. O que será que vai acontecer?

Capítulo 7 - O Véu protetor foi ... afetado?!


Domingo, Ônibus, 3:50 PM

-- Moça? Moça! Moça acorde!

Eu ouço a voz de um desconhecido. Onde eu estou? 

-- Huh? - Digo abrindo meus olhos, aparentemente depois de tirar uma boa soneca.

-- Graças a Deus a senhorita está viva. O ônibus ja chegou na estação e a senhorita continua aqui. - Diz o estranho, provavelmente mostorista desse veículo.

-- Mil perdões senhor. Não vi o tempo passar e acabei adormecendo. - Me levanto e pego a minha bolsa. - Estamos na estação certo? - Ele acena sim com a cabeça - Que horas são? 

-- 3:51 agora moça. - Ele fala olhando para o relógio no pulso.

-- Eu fiquei 2 horas dentro desse ônibus??? - Pergunto espantada.

-- Sim. Sugiro que va embora o mais rápido possível. Uma caminha daqui até....

-- Tokyo Sky - Digo completando.

-- Uma caminha até Tokyo Sky demoraria uns 50 minutos! Vai esperar esse ônibus partir?

-- Não obrigada. Se tem uma coisa que eu não gosto de fazer é andar por muito tempo em veículos.

-- Então vai demorar quase 1 hora andando??

-- Não senhor. Eu posso muito bem ir voando. Ou posso me teleportar. - Digo, dando um aceno de "até mais" - Nós vemos por ai "moço".

E assim me teleporto bem diante dos seus olhos. E voltei novamente para a entrada do Shopping. Uma caminhada daqui até em casa demora uns 20 minutos. Bem melhor. Mas se eu fosse voando chegaria em uns 5. Nah. Ja gastei muita energia com o teleporte. O melhor é ir a pé.

Domingo, Tokyo Sky, 4:05 PM

Estava quase chegando em casa. Faltava uns 10 minutos e minha energia havia se recuperado. Podia ir voando, o quando quase o fiz,  senti que havia alguém me observando, mas essa presença era me familiar de alguma forma. Aparentemente, notando que eu sabia de sua existência ali, algo ou alguém imeditamente foi embora, ou simplesmente ocultou sua alma.

Decidi ignorar e ir pra casa. Se minha tia chegasse la e visse que estava fora, estaria frita. Teria um turbilhão de perguntas pra responder. E estava cansada demais pra isso. 

Domingo, Quarto de Kiberi, 6:20 PM

Estava deitada na minha cama, com minha roupa de casa, que no caso era um vestidinho até o joelho branco e solto, e minha tia ja havia chegado um pouco depois de mim. Estava encarando o teto pensando nos acontecimentos de hoje. Estava tudo tão bagunçado. 

-- Kiberi! Desça aqui rápido.

Ouço minha tia me chamando, da sala onde estava assistindo Jornal Mortífero  ( Belo nome não? ) e me pergunto o que ela queria e o porque de ela me chamar de forma tão apressada.

Com muita preguiça simplesmente dou um teleporte pra la, me esparramando do outro lado do sofa-cama em que minha tia estava.

-- Que é? - Pergunto com desânimo.

-- Veja essa reportagem.

Repórter: Nós fomos avisados de que danos ao véu do mundo dos Submundanos recebeu graves danos mágicos e por isso, o risco de seu desaparecimento é enorme. Quem ou o que será que causou tamanho ato de gravíssima consequência? 

Jornalista ao lado: Provavelmente alguém que não saiba o erro que estava cometendo. Sem esse véu, o submundo e o mundo dos humanos é exposto ao perigo. Ele é o "amuleto" sagrado que nos separa do mundo do que éramos antes.

Olha para aquela reportagem embasbacada, não acreditando no que ouvia e via. Minha tia estava olhando para a TV com um rosto preocupado. E assim a reportagem continua.

Repórter: Nós conversamos com um dos maiores Magos ja existentes sobre a terrível situação. E aqui nós temos sua resposta.

Nesse momento um dos magos mais respeitados, Aismall, aparece na tela dizendo:

Aismall: Não sei o que pode ter acontecido ou quem foi que fez isso, mas posso garantir que deve possuir grande quantidade de poder mágico, pois são poucos os que conseguem chegar perto da barreira, muito menos os que conseguem afeta-la. Eu por exemplo, causaria simplesmente 1 de dano ao "HP" do véu. Temo, que dessa vez não a esperanças. Tudo o que podemos tentar fazer e juntar jovens com grande capacidade de poder mágico e treina-los para tentarem impedir a barreira, o véu  que protege esse mundo, de perder sua existência.

Continuava olhando fixamente para a TV, com a sombrancelha arqueada: O que ele quis dizer com isso?

Jornalista ao lado: Depois de o prefeito ouvir essa declaração de Aismall, ele resolveu tomar uma decisão. Todos os jovens de 16 a 25 anos devem ir ao congresso no dia 17/08 para passar pelo teste de capacidade mágica e se tornar um dos defensores do nosso mundo.

-- O QUE? - Eu e minha tia falamos em Uníssono.

Isso é só daqui a um mês exato! E eu e meus amigos somos obrigados a fazer esse teste!

--Tia o que nós- Ela me corta com um gesto pedindo silêncio.

-- Você deve aproveitar a sua vida normalmente até la. E se for aceita, deverá aceitar o seu destino 

 


Notas Finais


Se eu escrevi pouco sinto muito, se escrevi bastante ok~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...