História O Namorado Da Minha Irmã - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Ambre, Castiel, Lysandre, Rosalya
Tags Amor Doce, Castiel
Visualizações 262
Palavras 2.244
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, pessoal! Como estão?
Bom, vocês não tem noção de como foi bom escrever essa capítulo! Eu amei escrêve-lo e espero que também amem lê-lo!

Capítulo 29 - Capítulo 29


– Tudo começou bem antes de eu conhecer a Vyck oficialmente... Na verdade, começou com três semanas de namoro...

Castiel começou a contar:

– Com três semanas de namoro escutei uma conversa entre alguns “amigos” meus, na verdade, era um garoto chamado Dake que estava se vangloriando por ter aparentemente “passado a noite com a namorada do trouxa”, logo que cheguei a conversa parou subitamente...

Olhei para meus pais e vi que a incredulidade em seus rostos diminuía e dava lugar a certa... Vergonha, talvez?

Ambre começou a ficar branca quando o nome de Dakota foi mencionado.

– Na outra semana escutei a mesma conversa, porém agora quem dizia a mesma frase era outro garoto, o Scott... – Castiel começou a ficar vermelho e deduzi que estava se irritando. – Até então eu não havia cogitado a opção de o trouxa ser eu, mas havia ficado desconfiado que eles falavam de algum conhecido...

Ambre estava agora ficando desesperada com a possibilidade de ser desmascarada em frente aos nossos pais.

– Mas como você pode ter certeza que eles falavam de nós se nenhum nome foi dito? – Ela disse alto mostrando sua apreensão.

– Porque, Ambre, nessa mesma semana eu discuti com Scott... – Ambre ficou definitivamente sem falas. – E ele disse, ou melhor, ele JOGOU na minha cara que eu era um corno manso e que metade de todos os garotos da nossa turma já havia dormido com você! Inclusive enquanto namorávamos! – Ele terminou gritando com ela.

Ela se encolhia com cada grito que ele dava.

– E como você sabia que eles diziam a verdade? – Ela perguntou mostrando claramente sua apreensão.

Castiel sorriu divertido.

– Por que depois de alguns dias eu VI você se agarrando com o Scott, no mesmo dia em que você disse que estava doente e que ficaria em casa! – Terminou zangado.

Ambre engoliu seco e começou a suar frio.

Pela primeira vez depois da declaração olhei para os meus pais... O que eu vi me surpreendeu profundamente!

Eles tinham em suas expressões um misto de vergonha, incredulidade, aceitação e aparentavam estarem muito zangados e irritados.

Minha irmã aparentemente viu o mesmo, pois logo tentava se justificar:

– Papai, mamãe... Eu não...

– Fique quieta, Ambre! – Minha mãe interrompeu-a zangada.

– Mas eu...

– Não me escutou, Ambre? – Ela disse furiosa. – FIQUE QUIETA! – Terminou dizendo alto.

Eu nunca havia visto minha mãe daquele jeito! Nunca mesmo!

– Agora termine, Castiel... – Ela disse abaixando o tom de voz. – Quero saber como essa história chegou a vocês dois! – Ela disse apontando para mim e para ele.

Ele olhou para mim num momento de apoio e eu acenei levemente a cabeça para ele, entregando-lhe um leve sorriso.

– Bom... – Ele continuou. – Eu ia terminar com sua filha, mas ela chegou me dizendo que havia organizado uma festa para me apresentar a sua família e que a sua família já sabia disso; eu não queria me passar pelo aproveitador e muito menos tinha a intenção de envergonha-la, apesar dos pesares, então decidi adiar essa separação... – E então completou olhando exclusivamente para mim. – Mas desde então jurei para mim mesmo que nunca mais iria tocar na sua irmã e cumpri essa promessa.

Foi inevitável não sorrir com isso. Ele sorriu de volta e se aproximou para me dar um selinho, mas escutamos um pigarro vindo de meu pai e paramos.

– Hãn... Bom... – Castiel continuou envergonhado. – Foi nessa festa que eu conheci a Vyck... – Ele olhou para mim com algo diferente nos olhos, o que fez meu coração saltar no peito. – Eu não sei até hoje o motivo, mas eu me senti atraído por ela de uma forma que eu nunca senti por ninguém antes... – Eu sorria boba. – E, antes de saber que ela era irmã da Ambre, fui atrás dela e, mesmo não querendo eu não resisti e... - Ele sorriu de forma apaixonada. – E beijei-a.

– Nós nos beijamos! – Corrigi-o.

Ele sorriu para mim com essa correção.

– Então você me traiu no dia da nossa festa com a minha irmã? – Ambre perguntou agora com raiva.

Revirei os olhos e disse:

– E quem é você para vir falar de traição aqui, Ambre?

– Olha, Vyttoria, cala a sua bo...

– Ambre! – Agora foi a vez de meu pai. – Você não ouviu o que a sua mãe disse?

Ela ficou quieta, mas não parou de me fitar com ódio.

– Continuem... – Ele disse.

– Bom, a Vyck descobriu depois que eu tinha namorada e que era a sua irmã, e assim tentou me afastar dela; mas eu não deixava, eu não sabia o porquê, mas não queria me afastar dela... Assim, decidi prolongar esse namoro, mas apenas pra ficar perto dela... – Eu acariciei sua mão que estava unida a minha com o meu dedão. – Eu admito que não fiz certo, mas eu não pensava, só agia! E cada dia as coisas ficavam mais insustentáveis, eram as provocações, as cobranças da Ambre, os sermões do Lysandre... – Lysandre sorriu orgulhoso de si. – Até que decidi finalmente terminar com a Ambre depois de descobrir que estava apaixonado pela Vyttoria e... Bom, depois de um mal entendido eu finalmente me acertei com a Vyck e coloquei tudo em pratos limpos...

Ele terminou de forma resumida, devo dizer bem resumida!

Meu pai suspirou como se estivesse cansado e minha mãe me olhou.

– E você, Vyttoria? – Perguntou séria.

Eu suspirei e comecei a contar a minha parte nos fatos.

– Eu fiquei com Castiel naquela primeira noite... E gostei dele de uma forma estranha, pois só havia conversado com ele uma única vez; ao saber que ele era o namorado da Ambre tentei evita-lo, mas não resistia as provocações e nem a própria presença dele... Admiti depois de muito tempo que o amava, mas havia decidido não fazer nada, porque eu respeitava a minha irmã apesar de tudo...

– É, percebo o seu respeito! – Ambre disse.

Minha mãe apenas lançou-lhe um olhar e ela ficou mais uma vez quieta.

– Bom, mas eu escutei uma conversa dela com a Charllote onde ela admitia que traia o Castiel com um tal de Scott... – Ambre me olhou com ódio. – E foi ai que decidi lutar pelo Castiel... – Olhei-o e ele sorriu para mim. – Com a ajuda da Rosalya... – Rosa me olhou orgulhosa por não ter esquecido dela. – Eu comecei a provocá-lo fingindo que saia com o Matthew... Que na verdade é gay...

– GAY? – Perguntaram meu pai, Lysandre e Ambre ao mesmo tempo.

Eu tentei controlar uma risada.

– Sim, gay! – Afirmei.

– Infelizmente... – Escutei Rosa murmurando e controlei um riso.

– Era o Castiel o garoto para quem você queria fazer ciúmes? – Mamãe perguntou surpresa.

Acenei com vergonha.

– Cara, ela te trocou por um gay! – Lys caçoou de Castiel.

– Cala a boca, Lysandre! – Castiel disse bravo pela brincadeira.

– C-Continue, Vyttoria... – Meu pai disse ainda surpreso.

– Bom, a provocação surtiu efeito, mas eu decidi que era hora de encarar tudo de frente e me declarar para o Castiel, porém eu não cheguei a fazê-lo, pois ouve um mal entendido... – Olhei-o e rimos lembrando do ataque de ciúmes dele ontem a noite quando me escutou falando com o Matt. – Mas no fim tudo deu certo... – Terminei sorrindo e voltando a olhar meus pais que ainda não haviam melhorado as expressões. – Ok, talvez nem tanto! – Falei baixo depois disso.

Meus pais suspiraram juntos, assimilando todas as informações que haviam recebido...

– É muita coisa pra uma manhã de domingo... – Admitiu meu pai cansado.

Realmente... Muita coisa!

Depois de algum tempo e alguns sussurros entre meus pais minha mãe disse:

– Querido... – Minha mãe começou olhando para meu pai. – Acho que nós dois chegamos a mesma conclusão, certo?

Papai acenou com a cabeça.

– Olha, Castiel... – Papai começou e senti Castiel enrijecendo. – Estamos profundamente decepcionados com você! – Castiel abaixou a cabeça. – Você sabe que o que fez foi errado, mesmo que Ambre também tenha errado de uma forma muito pior que a sua... – Ambre encarou-o perplexa e eu também, é impressão minha ou ele está admitindo pela primeira vez na vida que ela não presta? – Saiba que um erro nunca compensa um outro... Nada se constrói assim! – Ele suspirou mais calmo. – A nossa confiança em você foi quase que totalmente destruída...

Castiel suspirou também, de forma triste.

– Eu entendo perfeitamente!

– Meu marido ainda não terminou, Castiel... – Mamãe disse com certo brilho nos olhos.

Eu fiquei confusa com isso, mas, assim como Castiel, esperei o resto do discurso.

– Mas... Aparentemente Vyck ama você... – Ele disse me olhando com um leve sorriso, eu sorri junto sentindo uma esperança vagando no ar. – E você também a ama aparentemente, você a faz feliz... Bom, é melhor que seja isso mesmo porque se você pisar na bola mais uma vez com essa família não iremos te dar outra chance! – Ele terminou agora sorrindo abertamente.

Eu sorri junto de Castiel com a alegria explodindo no meu peito...

– Isso quer dizer que... – Comecei, mas mamãe me interrompeu agora sorrindo também.

– Isso quer dizer que daremos uma única chance a vocês dois... – Eu não me aguentei e corri em direção a eles abraçando-os, eles me seguraram quando pulei e riram. - Mas só uma! – Ela riu. – Aliás, dona Vyttoria, você também não agiu de forma correta! Fique esperta conosco, só fazemos isso porque aparentemente vocês se amam!

Eu sorria como uma boba, e logo senti lagrimas no meu rosto! Deus! Finalmente! Finalmente poderíamos agir como pessoa normais que se amam e que querem ficar juntos, e ficaremos juntos na frente de todos, sem esconder nada! NADA!

– Obrigada! Obrigada! Eu amo vocês! – Disse deixando uma lágrima escapar.

– Obrigado! – Castiel disse apertando a mão de ambos. – Obrigado mesmo! – Ele sorria de orelha a orelha. – E eu prometo que se algum dia fizer algo contra a Vyck me punirei eu mesmo por isso!

Eles concordaram.

– O QUE? – Ambre agora gritava. – VOCÊS IRÃO DEIXÁ-LOS FICAREM JUNTOS? ASSIM? DEPOIS DE TUDO O QUE FIZERAM COMIGO?

– Será que ela é surda ou o que? – Escutei Rosalya comentando sarcasticamente com Lysandre que riu do comentário.

Eu me segurei para não rir também...

– AMBRE... – Minha mãe gritou. – TENHA MAIS RESPEITO COMIGO E COM O SEU PAI! VOCÊ NÃO TEM DIREITO ALGUM DE FALAR NESSE TOM CONOSCO!

Todos na sala nos calamos subitamente

– Mamãe... – Ambre começou assustada.

– Não me venha com “mamãe” agora, Ambre! – Continuou diminuindo o tom, mas ainda muito brava. – Eu e seu pai teremos uma conversinha a sós com você agora!

– Mas... – Ela tentou.

– Sem mais nem menos... – Agora foi meu pai. – Não sei aonde erramos com você, mas acho que já fechamos os olhos demais para o que você faz... São as festas, as compras, as irresponsabilidades, mas agora chegou ao limite, Ambre... Ao limite!

– Exatamente! – Minha mãe completou. – A partir de agora as coisas irão ser de uma forma diferente... Se você não assimilou antes a educação que demos, irá assimila-la agora... Seja por bem ou por mau!

Ambre estava boquiaberta.

– Vamos para o seu quarto! Agora! – Papai disse mostrando-a as escadas.

Ela bufou irritada e as subiu junto de meus pais que estava logo atrás... Alguns segundos depois escutamos a porta do quarto dela fechando violentamente.

– Isso é que é manhã agitada! – Escutamos Lys falando e rimos. – É sempre assim aqui, Vyttoria?

Eu ri enquanto Castiel me abraçava por trás e depositava um beijo em minha cabeça.

– Me chame de Vyck... – Disse sorrindo. – E não! Não são não!

Ele fez uma cara de pesar.

– Olha o que você faz com essa família Castiel! – Ele disse caçoando.

Castiel riu.

– Cala a boca, Lys...

Olhei para Rosalya que estava quieta e vi uma lagrima escorrendo por seu rosto.

– Rosa? – Perguntei incrédula e confusa.

Ela fungou.

– Ah, Vyck... Desculpa, eu não aguentei... Eu nem acredito que vocês finalmente ficarão juntos. – E assim veio correndo em nossa direção para logo depois pular em cima de mim, sorte que Castiel estava atrás de mim e nos segurou.

Todos rimos com isso.

– Não precisa chorar Rosalya! – Eu disse consolando-a. – É algo bom, estão sorria!

Ela riu com isso.

– Mas ainda quero ser a madrinha... – Disse animada.

– Hey, se tiver casamento quero ser o padrinho! – Lysandre disse entrando no clima.

Castiel e eu nos olhamos rindo dos dois.

Ficamos nos encarando até que, inconscientemente, havíamos nos aproximado um do outro. Eu olhei fundo naqueles olhos e mais uma vez me perdi... Ele se aproximou e colou nossos lábios num beijo singelo que eu não demorei em aprofundar... Mas antes que as coisas ficassem quentes escutamos:

– Que nojo! Arrumem um quarto vocês dois! – Rosa e Lys diziam juntos.

Castiel e eu nos separamos e rimos ao mesmo tempo em que revirávamos os olhos.

– Se bem que não deve ter sobrado muito do quarto da Vyck não é? – Rosalya falou com um sorrisinho malicioso.

Eu fiquei vermelha na hora.

– Oloco, Castiel... Já chegou mostrando ao que veio! – Agora fora Lysandre que entrou na brincadeira com Rosa...

Castiel riu.

– Cala a boca, Lys! A nossa vida sexual só diz a respeito a nós dois... – Castiel disse com a piadinha de Lysandre.

– Então existe uma vida sexual? – Rosalya perguntou nada descarada.

– ROSALYA! – Bradei extremamente envergonhada.

– E você achou, querida Rosalya, que com o Castiel na história não haveria vida sexual? – Lys disse fazendo piada.

– LYSANDRE! – Agora fora a vez de Castiel.

Os dois riram de nós.

– Ok, Rosa e Lys juntos... Má ideia! Péssima ideia! – Comentei com Castiel.

– Concordo plenamente! – Castiel disse.

Ambos reviraram os olhos, mas não pararam as provocações, mesmo porque Castiel e eu novamente esquecemos o mundo e nos concentramos nas sensações que tínhamos quando nossas bocas estavam juntas! Finalmente juntas para quem quisesse ver!

Ele finalmente era todo meu e eu finalmente era toda dele!


Notas Finais


E ai, gostaram? Kkkkkkkkkkkkkk'
Essa Rosalya e esse Lysandre realmente não podem ficar juntos!
Agora, vamos às notícias não tão boas... Acho que teremos mais um capítulo só! (Dois no máximo do máximo...)
Ahh, vou chorar... Ok, se controla Albuquerque!
Enfim, estamos chegando ao fim da caminhada e foi muitíssimo bom ter vocês ao meu lado! Agora não adiemos o fim...
Me digam o que acharam!!
Bejão pessoal...
Obs: (TAAAAAAAAAALVEZ EU COMECE UMA NOVA FIC SOBRE O CASTIEL <3, MAS ELA E CONTATA SOBRE TRAFICANTES *---* E ADIVINHEM QUEM SERA UM DELES? *-----* BOM SE ELA REALMENTE FOR SAI ELA SERA CONTATA SOBRE OS TRAFICANTES DA ROCINHA E ALGUNS DO COMPLEXO DO ALEMÃO)
seila eu morro de vontade de morar lá '-' sabiam? conviver com traficantes andando pra cima e pra baixo com fuzis *-* traficantes gatos ainda exijo se não for muito kkkkkkkkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...