História O namorado da minha melhor amiga - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Luan Santana
Tags Fanfic, Luan Santana, Romance
Exibições 127
Palavras 1.811
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura amores 📖💕

Capítulo 33 - Saidinha para a balada


Fanfic / Fanfiction O namorado da minha melhor amiga - Capítulo 33 - Saidinha para a balada

" Só queria ter o seu abraço

Pra ver se eu disfarço

Essa falta de você

Poder tocar, sentir o gosto dos seus lábios

Entrar no compasso, que o seu coração bater” – Jorge e Mateus

 

                        [...]

 

Os dias se passavam e a saudades da Mari apertavam mais a cada dia que se passava, conheci várias mulheres e não vou mentir que peguei várias também mas nenhuma me fez esquecer Mari e nenhuma me fará esquecê-la. A verdade é que ninguém é como ela, ninguém me completa e me satisfaz como ela, não digo só de sexo e sim em companhia, estou completamente exausto dessas mulheres muito bonitas e gostosas mas que são completamente sem conteúdo ou maturidade, esse deve ser o motivo de eu ser completamente apaixonado por Mariana, além de linda e gostosa, ela é completamente madura aos 20 anos, o que é impressionante pois já conheçi mulheres com quase 30 que não tinham um por cento da maturidade que Mariana tem.

- Eita Mariana vea – Rober me tirou dos meus pensamentos e eu ri

- Cala essa boca Rober – Joguei meu boné nele

- A gente tá de volta há algumas semanas boi aproveita para conversar com ela – Rober disse e eu assenti

- Mas é claro boi não vejo a hora de voltar para São Paulo cara – Eu disse e ele riu

- Me diz o que essa garota tem – Ele me olhou e eu ri

- O que ela tem? – Cocei o queixo e sorri – Ela é linda, marrenta, cheia de personalidade, madura, muito gostosa – Eu disse e Rober riu

- Isso eu já sei – Ele disse e eu o encarei

- Respeita minha morena Rober – Eu disse e ele riu

- Ex morena – Ele disse e eu ri

- Continua sendo minha – Eu disse e ele assentiu

- Aí sim Boi, gostei de ver – Ele disse e eu ri

 

 

P.O.V Mariana

E incrível como os dias estão passando rápido e o sentimento que sinto por Luan não diminui, na verdade parece que só aumenta a cada dia que se passa, a saudade dele, do seu toque, do seu carinho está me dilacerando por dentro, sinto falta até das nossas briguinhas bobas e por motivos tolos, e claro sinto falta de como nos reconciliávamos depois dessas briguinhas bobas.

Desde que terminei com Luan não fiquei com mais ninguém, mesmo com o meu maravilhoso chefe e o gato do primo da minha melhor amiga ambos dando em cima de mim não acho justo ficar com nenhum deles querendo sentir o toque dos lábios de Luan. Não sei que feitiço ele jogou em mim mas seja lá que feitiço foi preciso acabar se uma vez com ele.

O fato de a volta de Luan a São Paulo está próxima me causava arrepios, não consigo me controlar quando estou com ele, e só de imaginar que ficarei frente a frente com ele daqui algumas semanas sinto meu coração disparar e o meu corpo implorar pelo  seu toque novamente.

- Mari? – Enrico me chamou e eu sorri de canto

- Entra – Eu disse e ele entrou se sentando 

– Tá tudo bem? – Perguntou e eu assenti

- Tá tudo muito bem – Eu ri – É você tá bem? – Perguntei e ele assentiu

- Sim aliás é bom te ver sorrindo – Ele disse e eu sorri

- Enrico posso te fazer uma pergunta? – Ele me olhou e assentiu enquanto eu criava coragem - Naquele dia que você tentou me beijar – Eu disse e vi ela sorri de canto – Foi impulso ou você já sentia algo por mim? – Perguntei e corei logo depois, que diabos de pergunta é essa que eu fiz?

- Mariana a verdade é que desde o dia em que você colocou os pés em minha sala me interessei por você – Ele disse e eu fiquei envergonhada – Vou confessar que te achei muito linda e atraente mas o que mais me cativou em você foi sua Inteligência e personalidade sabe porque? – Ele perguntou e eu o olhei

- Não – Respondi e ele coçou a nuca extremamente sexy

- Porque percebi que você não era apenas um restinho bonito – Ele disse e eu sorri de canto enquanto observava o Deus gregos que era interessado em mim, se meu coração não pertencesse a Luan Rafael com certeza ele iria pertencer a Enrico.

 

(...)

Depois de um longo dia de trabalho estava voltando para minha casa, hoje era sexta feira e como não trabalho no final de semana iria aproveitar para dar uma saidinha com Luciana.

- Vamos para a balada – Ela cruzou os braços e eu a olhei séria

- Não gosto de frequentar esses tipos de locais Luciana – Eu a olhei e ela sorriu

- Mari vamos aproveitar sua vida de solteira amiga – Ela falou batendo palminhas e eu ri

- Luciana que tal um barzinho? – Perguntei e ela negou com a cabeça – Odeio baladas – Eu falei brava e ele fez cara de tédio

- E porque odeia baladas? – Perguntou e ri

- Porque só tem mulher oferecida e homem mulherengo – Eu disse e ela riu

- Não generalize amiga, tem as pessoas que vão apenas para se divertir que no caso somos nós – Ela falou e eu bufei

- Luciana você sempre me deixa de vela, vai arranjar algum homem e me deixar lá com cara de pamonha dançando sozinha – Eu disse e ela riu me fazendo rir também

- Arranjo um homem pra você também – Ela disse e eu ri

- O problema é exatamente esse não quero arranjar um homem nem tão cedo – Eu disse me levantando do sofá e indo para a o quarto

- Mariana você acha mesmo que nesse tempo Luan não está pegando ninguém? – Ela perguntou e eu a olhei

- O que Luan tem a ver com isso? – Perguntei e ela riu

- Ele está se divertindo amiga e você também pode – Ela disse e eu parei para pensar, realmente eu posso me divertir ao menos uma vez na vida

- Tabom, me convenceu – Eu disse e ela me olhou incrédula

- Não tá brincando comigo? – Perguntou e eu a olhei

- Porque eu estaria? – Perguntei e ela riu

 

(...)

Depois de horas e horas estávamos prontas (foto) e saímos de casa indo para a tal balada que eu não faria a mínima idéia de onde era. Luciana dirigia seu carro enquanto eu ligava a rádio.

- Que droga! – Exclamei e ela me olhou sem entender – Essa música é do Luan até nas rádios ele me persegue – Eu disse brava desligando a rádio enquanto ela ria

- Estamos chegando e é hoje que você esquece o Luanzin – Ela disse e eu ri pelo modo que ela falou

- Impossível – Sussurrei para mim mesma, no fundo eu sabia que estava sendo totalmente imatura ao achar que bebidas e homens me fizessem esquecer de Luan

- O que você disse? – Ela perguntou e eu a olhei sorrindo

- Nada – Eu disse por fim e ela assentiu

Chegamos na balada e logo na entrada vi vários homens muito gatos que fitaram a mim e a Luciana assim que entramos, Luciana sorriu e mexeu no cabelo jogando charme a eles enquanto eu revirei os olhos, onde eu estava com a cabeça quando decidi  vim para esse lugar?

- Olá meninas – Um deles nos cumprimentou sorrindo para mim e Luciana me catucou com um sorrindo malicioso nos lábios

- Olá – Falamos em uníssono e ele sorriu

- Tudo bom com vocês? – Ele perguntou eu ri, esses caras sempre tem o mesmo papo? Até parece que eles se importam com o nosso bem estar

 

- Estamos sim e você? – Luciana perguntou educada enquanto me olhava negativamente

- Ficaria melhor se você me acompanhasse até ali loirinha – Ele disse descaradamente e Luciana sorriu

- Vamos lá então – Ela disse e deu uma piscadela para mim enquanto saiu com o homem, então é tão fácil assim ficar com alguém em uma balada? Cruz credo

- Af agora estou sozinha – Eu sussurrei e senti alguém se aproximar de mim

- Posso te acompanhar – Ouvi uma voz rouca da qual eu bem conhecia e me virei surpresa

- Enrico? – Perguntei e ele sorriu – Não sabia que você frequentava esses locais – Eu disse e ele riu

- Digo o mesmo a você – Ele disse sarcástico e eu ri

- Estou acompanhando uma amiga – Eu expliquei e ele riu

- Estava só de passagem mas aí te vi – Ele disse e eu sorri – Quer beber algo? – Perguntou e eu assenti

Caminhamos até o barman que era um gato e ele sorriu simpático.

- O que vão querer? – Perguntou e eu olhei para Enrico

- Duas vodkas por favor – Ele pediu sorrindo de lado e logo o barman voltou com as bebidas – Não vai beber? – Enrico perguntou e seu o olhei

- Nunca bebi vodka antes – Eu sussurrei para ele que me olhou incrédulo

- Tá de brincadeira – Ele disse e sorriu – Você vai gostar experimenta – Ele disse e eu assenti pegando o pequeno copo e dando um pequeno gole enquanto o olhava – E então? - Perguntou e eu sorri

- E muito gostoso – Eu disse e ele  sorriu – Vamos dançar? - Perguntei e ele assentiu meio receoso

Fomos para a pista e enquanto dançávamos Enrico buscava mais bebidas e de meio pro fim nem me lembrava quantos copos ou bebidas eu havia bebido, só sabia que estava tonta e ria pelos cotovelos enquanto Enrico dançava comigo.

- Quero ir pra casa – Eu falei embaralhada e Enrico riu

- Você está bêbada? - Perguntou e eu ri

- Bêbada não que exagero – Eu disse saindo de perto dele e indo até o bar cambaleando

- Moço me dá mais um desse aqui – Mostrei o copo para o bar barman e Enrico negou com a cabeça para ele – Eu quero beber deixa de ser estraga prazeres – Eu disse e ele riu

- Para de ser marrenta e vem aqui comigo – Ele me puxou pelo braço e me levou para fora da balada

- Porque me tirou de lá? - Perguntei colocando as mais na cintura e ele riu

- Você precisa  tomar um ar – Ele disse rindo de mim e eu cruzei os braços

- Posso saber qual é o motivo da graça? – Perguntei e ele riu ainda mais

- Nada marrentinha – Ele disse e eu o encarei, esse homem e muito lindo Meu Deus – Já bebeu demais não quero te ver passando mal – Ele disse coçando o queixo e eu sorri

- Eu sei o que pode me melhorar – Eu disse e ele me olhou sem entender

- O que? – Ele perguntou inocente e eu sorri me aproximando dele

- Você começar essa sua boca com algo útil – Eu disse e o agarrei colando nossos lábios num beijo cheio de malícia, suas mãos foram até minha nuca aprofundando o beijo enquanto eu explorava cada centímetro da sua boca.


Notas Finais


Teve beijo deles SIIIIIM ❤ E se reclamar vai ter de novo haha 💕
Até amanhã amores 💘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...