História O Namorado do meu Pai . - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Derek Hale, Jackson Whittemore, Lydia Martin, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Peter Hale, Theo Raeken
Tags Comedia, Derek, Família, Jackson, Romance, Sterek, Stiles
Visualizações 314
Palavras 4.300
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Demorei verdade mas a culpa é da estrelas, digo da minha vida que tá bem complicada.
Desculpem por demorar mas espero que gostem do capítulo >.<

Capítulo 25 - Meu destino é te encontrar .


Fanfic / Fanfiction O Namorado do meu Pai . - Capítulo 25 - Meu destino é te encontrar .

 

 

~* Derek Hale.

 

 

A minha vida é uma merda.

 

Sim, isso é oficial.

 

Sentado dentro do meu carro mais de uma hora, com a chuva forte caindo lá fora, enquanto escuto, All by my self da Celine Dion.

 

Parece que cada palavra foi feita para mim.

 

Como eu pude acabar assim.

 

Eu tinha tudo.

 

Uma carreira de modelo, um enteado endiabrado, um noivo perfeito.

 

Ah claro, eu causei o acidente do Jackson e agora ele está inconsciente no Hospital.

 

Quando eu lembro de cada palavra do Stiles, terminando comigo quando soube o que aconteceu.

 

Primeiro assim que cheguei ao Hospital, liguei para ele e mandei ele vir até aqui dizendo que o Jackson tinha sofrido um acidente, falei para ele pegar um táxi é claro que ele ficaria muito nervoso para dirigir.

 

Depois assim que ele chegou aqui, me abraçou firmemente, cheio de carinho e amor, eu retribuí com todo amor do Mundo que sinto.

 

O médico veio logo dar as informações sobre o estado de saúde do loiro.

 

Meu noivo ficou arrasado, nós ficamos esperando por notícias melhores até Stiles finalmente perguntar o que tinha acontecido, então eu tive que contar.

 

Contar a maior cagada que eu já tinha feito em toda a minha vida.

 

É como dizem, o inferno está cheio de boas intenções e foi por causa disso que eu vim parar num verdadeiro inferno, por causa das minhas boas intenções.

 

 

Eu odeio a minha vida.

 

Ou como diz a música…

 

 

All by myself, Don't wanna be, All by myself….

 

 

 

~*Flash back On.

 

 

Depois que o carro bateu no Jackson eu fui correndo até ele, vi uma enorme poça de sangue no chão e meu coração deve ter parado de bater naquele exato momento.

 

 

Logo um bando de populares se aglomerou perto de mim.

 

 

Alguém havia chamado a ambulância, estava tão fora de mim, que minhas pernas tremiam, e eu só conseguia encarar o rosto pálido de Jackson em meio ao sangue.

 

 

Pude ouvir o som da sirene se aproximando ao longe e foi como se meu sangue tivesse parado de bombear.

 

 

Eles saíram do veículo, e começaram a socorrer Jackson, ouvi quando um dos médicos perguntou quem era o responsável por ele, foi quando me lembrei de como respirar e levantei a mão.

 

Pude ir na ambulância, o carro que atropelou Jackson nem prestou socorro e ainda fugiu do local, mas isso não me preocupava, me preocupava que ele não sobrevivesse, que ele ficasse com alguma sequela.

 

Tantas coisas passaram na minha cabeça enquanto a ambulância seguia para o Hospital que foi um alívio quando finalmente chegamos.

 

 

'Ele vai ficar bem'

 

'Faremos todos o possível'.

 

 

Foram as frases que eu gravei dos médicos.

 

Com as mãos tremendo liguei para Stiles e dei a notícia, o resto vocês já sabem, a minha vida acabou no exato momento que ele me perguntou o que tinha acontecido.

 

Nós fomos para a cantina do lugar, a voz dele foi ficando mais alta, e as lágrimas caiam de seus olhos de forma avassaladora.

 

 

 

 

-Chega eu não quero ouvir mais nada.


 

-Stiles por favor, você precisa me ouvir, eu não fiz por querer.


 

-Lógico que fez você por querer, você sabia exatamente o que estava fazendo.


 

-Eu não sabia que as coisas iam tomar essa proporção!


 

Meu coração estava saindo pela boca, estava desesperado.

Não sabia que minha boa intenção ia causar tudo isso, me sentia extremamente culpado.


 

-Você é o culpado pelo que aconteceu com o meu filho.


 

-Stiles, por favor se acalma!.- Pedi.


 

-Eu não vou me acalmar, vai embora daqui.


 

-Não posso te deixar sozinho aqui.


 

-Você não entendeu Derek, pegue suas coisas do apartamento e suma, não quero nunca mais te ver.


 

-Stiles meu amor, você não pode estar falando sério.


 

-Eu nunca falei tão sério em toda a minha vida, acabou Derek.

 

 

 

 

~* Flash Back Off.

 

 

 

 

Fui para o apartamento e peguei todas as minhas coisas, ver aquele lugar que eu chamava de lar, e agora ter que deixar tudo para trás só tornava tudo mais difícil eu não queria ouvir sermões do meu Tio nem ver a cara de cu da Lydia me repreendendo.

 

Foi quando a campainha tocou.

 

 

 

 

Abri a porta e era Matt.

 

 

-O porteiro me deixou subir direto.

 

Ele disse entrando no apartamento.

 

 

-Oi Matt, não é um bom momento.

 

 

-Desculpa incomodar, mas eu preciso falar com o Jackson.

 

 

Vi quando os olhos dele foram direto para uma das minhas malas.

 

 

 

-Ele não está.

 

 

-Você vai viajar?.

 

-Olha eu sei que você gosta do Jackson e que vocês são namorados…

 

 

-Nós brigamos não somos mais namorados, por isso eu vim conversar com ele.

Ele me interrompeu.

 

 

 

-Matt, aconteceu algo grave.

 

 

-O que foi?.

Ele perguntou alarmado.

 

 

-O Jackson foi atropelado, ele está no Hospital.

 

 

Eu vi o garoto ficar branco feito papel na minha frente.

 

Pensei que ele fosse desmaiar.

 

 

 

-Isso é culpa minha, se eu não tivesse terminado com ele, nada disso teria acontecido, ele nunca vai me perdoar.

 

 

 

Ele pareceu ficar fora de si.

 

Eu segurei ele pelos braços o acalmando.

 

 

-Não foi culpa sua, okay, eu tive um problema com ele, a culpa foi minha, por isso estou indo embora, Stiles e eu terminamos, e ele me expulsou do apartamento.

 

 

-Eu sei que você nunca faria mal ao Jackson, Derek.

 

Ele disse com o rosto vermelho e os olhos marejados.

 

 

-Eu nunca faria mal ao Jackson mas acabei fazendo, agora ele está inconsciente no Hospital.

 

 

-Me desculpe não ficar aqui com você mas eu preciso ir vê lo.

 

 

-Tudo bem, vai lá, cuida do Stiles.

 

 

-Pode deixar, boa sorte Derek.

 

 

-Obrigado.

 

 

 

Matt é um bom garoto espero que ele e Jackson se resolvam.

 

Terminei de fazer minhas malas e fui embora deixando a chave com o porteiro.

 

 

Ele tentou arrancar de mim algumas respostas mas eu não disse nada.

 

 

Quando eu dei por mim, estava parado dentro do carro ouvindo músicas depressivas, pensando em como eu tinha destruído minha vida.

 

 

Eu amo o Stiles.

 

E pode parecer mais louco ainda mas eu amo aquele pestinha do Jackson.

 

Bato a mão no volante com força, eu só espero que ele fique bem, por que eu estou destruído.

 

 

Decido ir até a minha casa própria em Beacon Hills, a casa que eu pretendia morar com eles.

 

Pelo menos lá ninguém me acharia, isso até eu comprar uma passagem só de ida para bem longe daqui, eu não pretendo mais atrapalhar a vida do Stiles, vou sumir da vida dele para sempre.

 

 

 

~*Stiles Stilinski.

 

 

 

Eu não podia acreditar no que estava acontecendo comigo.

 

Parecia acordado bem dentro de um pesadelo.

 

Como o Derek pode machucar a pessoa mais importante do Mundo para mim!.

 

 

Quando eu perdi meu pai, eu perdi meu chão.

 

Mas o Jackson me salvou.

 

Eu tirei ele daquele Orfanato, ele me tirou de uma vida triste e depressiva.

 

 

Se acontecer algo de mais grave com ele eu morro, eu não vou aguentar.

 

 

Estava na sala de espera quando vi Matt se aproximar.

 

 

 

-Como você soube?.

 

 

-O Derek me contou, ele está muito mal.

 

 

-Ótimo, é bom que ele está mal, por culpa dele, meu filho sofreu esse maldito acidente.

 

 

-Como o Jackson está?.

Ele me perguntou aflito.

 

 

-Ainda não acordou, e tem vários hematomas pelo corpo.

 

 

-Podia ter sido pior, o Derek não fez por querer.

 

 

-O que foi?.

 

 

-O que?.

 

 

-O Derek te mandou vir aqui limpar a barra dele?.

Disse irritado.

 

 

-Não!. Eu só acho que o Senhor não deveria tomar uma decisão da qual vá se arrepender depois.

 

 

-Matt, isso é entre Derek e eu, por favor não se meta.

 

 

-Eu só quero ficar perto do Jackson, eu amo o seu filho.

 

 

 

Naquele momento vi que estava descontando toda minha raiva no Matt.

 

Ele não tinha culpa.

 

Era com o Derek que eu estava furioso.

 

 

 

 

-Tudo bem Matt, você pode ficar.

 

 

-Obrigado Senhor Stiles.

 

 

-Já disse que não precisa me chamar de Senhor.

 

 

-Tudo bem, obrigado Stiles.

 

 

-O Ethan já sabe?.

 

 

-Não, acho que ninguém além de mim sabe.

 

 

-Eu preciso fazer umas ligações, será que você poderia ficar aqui, caso tenha alguma novidade?.

 

 

-Claro que sim.

 

 

-Obrigado, Matt.

 

 

 

A primeira coisa que eu fiz, foi sair do Hospital, me sentia sufocado ali dentro.

 

Depois chorei, por que o único abraço que poderia me manter firme diante de tudo isso era o Derek.

 

Será que Matt tinha razão e eu havia me precipitado terminando tudo com ele?.

 

Nós somos noivos, eu sei que foi um acidente mas na hora eu fiquei tão furioso.

 

 

Peguei o celular, e coloquei no nome de Derek para ligar, fiquei olhando fixamente para a tela do aparelho, até um pingo de chuva cair sobre a tela, logo a chuva apertou ficando mais forte, e fui para a parte coberta do estacionamento.

 

Liguei para Lydia e contei tudo que tinha acontecido.

 

Ela se ofereceu para vir ficar comigo, mas eu pedi que ela não viesse, queria ficar sozinho com meus pensamentos.

 

 

Só pedi que ele fosse até a Igreja rezar pelo Jackson, como boa amiga que era, ela disse que atenderia meu pedido.

 

 

Depois que desliguei.

 

Respirei fundo e voltei para a sala de espera, mas não vi Matt, ele deve ter se cansado de esperar ou então foi para a cantina, mas era melhor assim, eu só queria ficar sozinho.

 

 

 

Onde quer que meu pai esteja e eu sei que ele vai cuidar do Jackson e traze lo de volta para mim.

 

 

 

 

 

~*Ethan.

 

 

 

Eu estava no trabalho quando meu celular tocou, o número era restrito, pensei que poderia ser algum telemarketing chato para me cobrar a conta de internet que já tinha vencido a alguns dias.

 

 

 

-Alô.

 

 

-Ethan?.

 

 

-O próprio.

 

 

-Aqui é o Matt.

 

 

-Tchau.

 

 

Eu já ia desligar.

 

 

 

-Não desliga idiota!.

Ele disse irritadinho.

 

 

-O que houve?.

 

 

-O Jackson sofreu um acidente e está internado no Hospital.

 

 

-Como foi isso, ele está bem?.

 

 

Meu coração foi esmagado naquele momento.

 

 

-Calma, ele vai ficar bem.

 

 

-Por que você está me avisando?.

 

 

-Por que eu sei que ele também é importante para você e o Jackson gostaria de te ver lá quando acordar.

 

 

Eu me senti um completo moleque.

 

Enquanto me gabava por Matt ter ficado amiguinho do Derek e isso irritar Jackson, ele teve uma atitude muito nobre comigo, me avisando sobre o acidente.

 

No lugar dele eu não faria isso.

 

 

-Obrigado por me avisar, quando eu sair do trabalho vou passar aí.

 

 

-Tudo bem, agora eu tenho que desligar.

 

 

-Matt.

 

 

-O que?.

 

 

-Obrigado.

 

 

-Tchau Ethan.

 

 

E quando ele desligou, o resto do meu dia foi uma droga, eu não conseguia me concentrar, o meu trabalho foi uma droga, pedi para o meu chefe me liberar mais cedo, mas ele não deixou.

 

Quase que eu liguei o foda se e fui assim mesmo mas precisava do emprego e não podia me dar a esse luxo.

 

 

Eu não conseguia parar de pensar em Jackson.

 

Em como eu queria estar ao seu lado, segurando sua mão, dizendo que tudo ficaria bem.

 

Mas agora tudo que eu tinha em mãos era uma vassoura e um chão para limpar.

 

 

 

 

~*Peter Hale.

 

 

 

-Peter para de chorar, está todo Mundo olhando.

 

 

-Lydia e se a nossa princesinha morrer?.

 

 

-O Jackson não é uma princesa, Peter, ele é um adolescente e o estado dele não é tão grave.

 

 

-Quando eu cruzar com o Derek, eu vou cortar as bolas dele fora e dar aos cachorros para comerem, se bem que nem eles vão querer essa merda.

 

 

-Peter, por favor estamos numa Igreja.

 

 

-Tem razão, desculpe, vamos orar para a recuperação do Jacksonzinho.

 

 

-Em silêncio Peter.

Minha mulher ralhou comigo.

 

 

 

 

 

~POV PETER ON.

 

 

 

Deus.

 

Alguém aí em cima está me escutando?.

 

Anjos celestiais?.

 

 

Por favor, traga o Jacksonzinho, de volta para nós.

 

Eu sei que ele é lindo, loiro, parece um anjo, mas ele é nosso.

 

Não é justo que vocês o levem para junto de vocês.

 

Ele é como um sobrinho para mim.

 

 

Eu prometo me vingar e castrar o Derek como punição, mas no momento eu peço por tudo que é Armani que existe, salvem o Jackson.

 

 

 

~POV PETER Off.

 

 

 

Nós saímos da Igreja e voltamos para o nosso apartamento.

 

Mesmo com a chuva forte deixei Lydia em casa e fui atrás do meu sobrinho, eu tinha que acertar as contas com ele, eu tinha que acha lo, já que ele não atendia minhas ligações e o porteiro já tinha dito que ele havia deixado as chaves do apartamento de Stiles na recepção.

 

No que o Derek estava pensando, e essa história de pai biológico é um absurdo.

 

 

É muita informação para minha cabeça, que por sinal está doendo horrores.

 

Não encontrei meu sobrinho mesmo rodando a Cidade inteira atrás dele.

 

Decidi voltar para casa, precisava tomar uma bebida bem forte e tentar dormir, antes que essa angústia me matasse.

 

 

 

 

 

~*Dia Seguinte.

 

 

 

 

 

 

 

~*Jackson Stilinski.

 

 

 

 

Quando abri meus olhos pude ver os raios de sol invadindo o lugar, minha cabeça doía muito.

 

Meu corpo todo na verdade.

 

Eu estava confuso.

 

Ainda tentando entender o que estava acontecendo, me lembrei de Derek e o estacionamento.

 

E aquela conversa sobre meu pai biológico.

 

Senti meus olhos se encherem de lágrimas, tentei gritar pela dor em meu corpo, mas minha garganta estava seca.

 

 

-Finalmente você acordou!.

 

Olhei para o lado e vi uma enfermeira vindo em minha direção.

 

 

-Água.

 

Consegui dizer com dificuldade, e ela me deu um pouco de água.

 

 

-Você sabe o seu nome?.

Ela me perguntou.

 

 

-Jackson Stilinski.

 

 

-Ótimo, eu vou chamar o Médico de Plantão para ele te ver e falar melhor contigo.

 

 

-Cadê o meu pai?.

 

 

-O seu pai está com dois meninos na sala de espera, não se preocupe logo você será transferido para o quarto e irá vê los.

 

 

 

-Tudo bem.

 

 

Minhas frases eram curtas.

 

Mas parecia um filme em minha cabeça do carro me acertando em cheio.

 

Pena que eu estava desacordado, queria ver a cara de idiota do Derek desesperado.

 

 

Depois que o Médico me encheu de perguntas e conferiu o resultado de alguns exames ele me liberou para um quarto privado.

 

 

Mal o enfermeiro me ajeitou na cama, e meu pai acompanhado de Matt e Ethan, entraram lá em meio as lágrimas, parecia até que eu tinha morrido.

 

 

Estava levando as coisas na brincadeira, mas pelo jeito que eles me olharam a coisa foi séria mesmo.

 

 

 

-Jackson, graças a Deus!.

 

 

 

Meu pai me abraçou tão forte, que meus machucados doeram mais ainda, mas fiquei calado.

 

Eu só pensei no desespero do Derek e fui egoísta sem pensar em como meu pai deve ter ficado.

 

 

Depois de devidamente abraçado pelo meu pai, que foi falar com o Médico, ficou um clima estranho com Matt e Ethan me olhando, como se eu fosse um novo conto da Cinderela.

 

 

-Vocês vão ficar me olhando aí feito dois idiotas.

 

 

-Você está bem mesmo Jackson?.

 

Matt me perguntou ainda de longe.

 

 

-Meu corpo todo tá doendo, mas eu estou bem, por que essa cara de funeral?.

 

 

-Seu acidente foi muito feio, você foi atropelado e ficou inconsciente.

 

 

-Mas eu já estou novinho em folha.

 

Menti.

 

 

-Quer saber foda se.

Ethan disse.

 

Ethan veio correndo até mim depois de soltar um de seus palavrões e me abraçou de um jeito descuidado.

 

Do jeito que andava eu sairia mais machucado desse Hospital, depois de tantos abraços.

 

 

-Eu fiquei com tanto medo, que droga Jackson, nunca mais faz isso comigo.

 

 

-Me desculpe Ethan, prometo nunca mais atropelar um carro com o meu corpo.

 

 

Eu percebi o desconforto do Matt, vendo aquela cena.

 

Tudo bem que nós não eramos mais namorados, mais ainda assim, rolava algo entre nós dois.

 

 

 

 

-Vem cá, cabe mais um nesse abraço.

 

Eu disse sem jeito.

 

Matt, se juntou a nós e aquele foi o melhor abraço triplo que eu poderia ter recebido.

 

 

Nós ficamos assim um bom tempo.

 

 

Até esqueci da dor, por um momento.

 

 

Meu pai voltou para o quarto e sorriu fraco, ele estava triste.

 

Matt e Ethan se afastaram mas permaneceram perto de mim.

 

Foi aí que eu me dei conta que falta alguém nesse quarto.

 

 

 

O Halebobo.

 

 

 

-Onde está o Derek?.

 

Perguntei.

 

 

Vi a expressão de todos mudar na mesma hora.

 

 

Por um momento pensei que ele tivesse sido atropelado também.

 

 

-Ele foi embora.

 

Matt disse já que ninguém disse nada por um longo minuto.

 

 

-Como assim embora, aquele idiota, não veio me ver?.

 

 

-Matt, é melhor deixar esse assunto para depois.

 

 

-Ele vai saber uma hora ou outra.

 

 

-Do que vocês estão falando?.

Aquilo já estava me irritando.

 

 

-Eu terminei com o Derek.

 

Meu pai finalmente disparou.

 

 

-O QUE!.

 

Minha garganta doeu, quando eu berrei.

 

 

Afinal, por que eu berrei?.

 

 

 

-Filho, fica calmo.

 

 

-Eu estou calmo.

 

Mentira, eu estava nervoso.

 

 

-Ele causou o seu acidente.

 

 

-Não foi culpa dele!.

 

Na verdade tinha, mas saber que o Derek não faria mais parte de nossas vidas me deixou mal.

 

E nem eu estava entendendo o por que.

 

Era para eu estar feliz, dando pulo de felicidades.

 

 

 

-Ele não tinha o direito de contar sobre o Parrish.

 

 

-Então ele disse a verdade, meu pai biológico apareceu, e você decidiu fazer segredo.

 

 

-Eu ia te contar.

 

 

-Quando!

 

 

-Eu estava com medo Jackson.

 

 

-O Derek não tem culpa você tem.

 

 

Meu pai e os garotos me olharam incrédulos.

 

Sim, eu estava defendendo o Derek.

 

Ele não tinha culpa.

 

Me deixava alucinado a dor que estava sentindo pelo meu corpo e o fato de saber que eu tenho outro pai realmente.

 

 

-Filho, eu só quis te proteger.

 

 

-Você mentiu para mim, o Derek foi leal a mim, e me contou a verdade, não culpe ele por ter coragem.

 

 

-Isso não importa mais eu mandei ele ir embora do apartamento e terminei com ele.

 

 

-Isso não está certo.

 

 

-Jackson chega, você não pode se exaltar.

 

 

De repente minha cabeça parecia que ia explodir, eu não conseguia mais pensar.

 

Meu corpo doía tanto, que parecia ter sido moído.

 

 

Eu estava passando mal.

 

 

 

-Chama a enfermeira Matt, ele está passando mal.

 

 

-Já estou indo.

 

 

E de repente as vozes foram ficando longe e eu apaguei.

 

 

 

~*Derek Hale.

 

 

Eu paguei a enfermeira que estava cuidando do Jackson para me avisar assim que ele acordasse.

 

Hoje mais cedo ela me ligou e disse que ele já estava bem.

 

Meu Tio também me ligou uma centena de vezes, mas estava fugindo dele.

 

 

Já estava me sentindo uma merda, não precisava que ele reforçasse isso.

 

Minhas malas estavam no mesmo lugar, na sala, havia comprado passagens só de ida para outro Estado.

 

 

Seria melhor assim.

 

Amanhã eu iria embora, eu queria ver Jackson pela última vez, e lhe dizer Adeus, falar com Stiles e lhe dar um último beijo, mas ao invés disso me tranquei no meu quarto e apenas chorei.

 

 

 

 

~*Dia Seguinte.

 

 

 

 

 

 

~*Jackson Stilinski.

 

 

 

 

Já havia tomado café da manhã e meu pai tinha passado bem cedo para falar comigo, ele precisava ir trabalhar.

 

Matt faltou o Colégio para ficar comigo, e Ethan também.

 

 

 

-Já descobriu o que te pedi Matt?.

 

 

-O Derek viaja hoje no voo das 11:00 horas.

 

 

Assim que meu pai saiu, pedi para Matt descobrir onde o Derek tinha se metido, ele tinha que resolver as coisas com meu pai, antes que isso fosse longe demais.

 

 

Matt tinha dinheiro e com dinheiro ele tinha bons contatos.

 

 

 

-Nós vamos até lá impedir esse idiota de fazer a maior burrice da vida dele.

Eu disse me levantando com dificuldade da cama.

 

 

-Jackson você ainda não teve alta, e você está todo machucado.

Matt disse num tom de reprovação.

 

 

-Sua bunda está aparecendo.

Ethan verbalizou num tom zombeteiro.

 

 

 

-Não olha para bunda do meu namorado.

 

 

-Eu olho para onde eu quiser!.

 

 

-Chega vocês dois, nós vamos naquele aeroporto.

 

 

-Como você pretende sair daqui?.

Ethan me perguntou sério.

 

 

-Com as suas roupas.

 

 

-Eu não vou deixar você por sua vida em risco de novo Jackson.

 

 

-Matt por favor, eu preciso da ajuda de vocês dois, preciso salvar o noivado do meu pai, se eu não fizer nada o Derek vai embora pra sempre.

 

 

 

-E se você passar mal de novo?.

Matt insistiu.

 

 

-Eu não vou passar mal, seu motorista leva e traz a gente, sem problemas.

 

 

-E eu onde entro nisso.

 

 

-Tira a roupa Ethan.

 

 

-Eu não vou tirar minhas roupas.

 

 

-Caralho, dá para vocês me ajudarem, ou eu juro por Deus, que faço boquete num enfermeiro para sair daqui.

 

 

E como se a palavra bo-que-te fosse mágica.

 

Ethan ficou só de cuecas

 

 

Eu vesti suas roupas e ele vestiu a minha roupa de Hospital.

 

Não serviram como uma luva mas era melhor do que nada.

 

 

 

 

-Agora você deita aí, 11:00 horas é o horário de almoço da enfermeira e 12:30 é a hora do meu almoço, se tudo der certo eu já vou ter voltado.

 

 

-O que eu não faço por você Jackson Stilinski.

Ethan disse se deitando no meu lugar.

 

 

 

Fui até ele, e lhe dei um selinho rápido.

 

 

-Obrigado.- Matt, me fuzilou.- Vamos Matt, antes que você me mate com seu olhar.

 

 

 

Nos saímos do Hospital tranquilamente, um enfermeiro passou por nós e olhou para dentro do quarto, mas como viu um paciente deitado, foi embora direto.

 

Me senti aliviado quando finalmente deixei o Hospital.

 

O plano tinha que dar certo.

 

Eu tinha que trazer o Derek de volta, custe o que custasse.

 

 

No carro Matt ficou de cara amarrada o caminho inteiro.

 

 

-Você não está ajudando.

 

 

-O que você queria, você deu um beijo nele na minha frente.

 

 

-Não foi um beijo, foi um selinho.

 

 

-Dá no mesmo.

 

 

-O que foi você quer um também?.

 

O provoquei.

 

 

 

-Jackson não brinque com os meus sentimentos.

 

 

-Olha Matt, foi você que terminou comigo.

 

 

-Por que você beijou o Ethan, enquanto era meu namorado.

 

 

-Era você que eu amava.

 

 

-It wasn't love, it wasn't love, It was a perfect illusion.- Ele cantou para mim.- É isso que você tem para me dizer?.

 

 

 

-Matt no momento eu não sei se é amor o que eu sinto por você ou pelo Ethan, mas o que importa é salvar a vida do meu pai, ele não pode viver sem o Derek.

 

 

-Você está fugindo do assunto.

 

 

-Por favor me dá um tempo, minha cabeça está cheia.

 

 

 

-Meninos chegamos.

 

 

O motorista avisou.

 

 

Matt me ajudou a sair do carro.

 

 

Nos sabíamos qual era o voo do Derek, mas não sabíamos onde ele embarcaria.

 

Fomos pedir informações para uma funcionária.

 

Ela nos mostrou onde ficava o embarque para o lugar que nós falamos.

 

 

 

-Já estão chamando, é melhor vocês se apressarem.

 

Ela disse.

 

 

 

Correr.

 

Essa não era a melhor coisa para se fazer quando se é atropelado.

 

Meu corpo todo doía.

 

Eu queria chorar.

 

Por que não me deram remédios para dor naquele Hospital.

 

 

Me sentia aquelas grávidas prontas para parir, que ficavam pedindo para o Médico, para pararem com a dor do parto.

 

Matt estava ao meu lado, mas no desespero acabei me desencontrando dele.

 

Ao longe pude ver, o cabelo, a barba mal feita de Derek.

 

 

 

-DEREK!

 

Berrei.

 

 

Mas ele não ouviu.

 

Ele já estava passando quase pela porta de embarque quando eu o chamei de novo.

 

 

 

-DEREK!.

 

Dessa vez ele ouviu e ficou parado me olhando com aquela cara de idiota.

 

 

 

-O que você está fazendo aqui Jackson, era para você estar no Hospital!.

Ele disse me repreendendo.

 

 

-Derek você não pode fazer isso.

 

 

-Jackson você tem que voltar para Hospital.

 

 

-Derek não adianta, eu tentei impedi lo mas ele disse que tinha que falar com você.

 

Matt disse assim que me encontrou.

 

 

 

-Matt leva ele de novo para o Hospital, eu não posso perder o meu voo.

 

 

 

Eu estava começando a ver tudo ficando preto.

 

Por que Derek, não me escutava, por que ele mal olhava em meus olhos.

 

 

As vozes foram ficando distantes novamente, mas eu não podia desmaiar, eu precisava impedi lo.

 

 

 

-Derek, olha para mim, seu idiota!.

 

 

Berrei.

 

 

A funcionária do aeroporto chamou a segurança mas eu não me incomodei.

 

Algumas pessoas olhavam para mim e meu estado deplorável.

 

Mal me aguentava em pé.

 

Essa corrida me matou e agora parece que as palavras são como o vento, eu abro a boca e não sai nada.

 

 

 

 

-Jackson me escuta, eu estraguei tudo para sempre com o Stiles, ele nunca vai me perdoar, acabou, eu causei o seu acidente, contei sobre seu pai biológico, fiz merda após merda, agradeço você ter vindo até aqui, você realmente ama seu pai.

 

 

-Derek, eu não ligo para nada disso, sei que no início fiz de tudo para te ver bem longe do meu pai. Mas as coisas mudaram.

 

 

-Jackson você está pálido, não foi uma boa ideia vocês terem vindo até aqui, Matt leva ele embora.

 

 

-Jackson vamos embora.

Matt insistiu.

 

 

-Droga Derek, você não vai descansar se eu não disser com todas as palavras, não é mesmo, você quer que eu diga essa droga aqui na frente de todo Mundo.

 

 

-Vocês não podem ficar aqui, estão atrapalhando a passagem.

Dois seguranças apareceram do nosso lado nada amigáveis.

 

 

-Eles já estão indo embora.

 

Derek se adiantou.

 

 

-Derek, o que eu estou tentando dizer seu idiota, é que eu te amo.

Berrei.

 

 

 

Todos no aeroporto me olharam, Derek e Matt, me olharam como se tivesse visto o Et de Varginha.

 

 

 

Os olhos de Derek me fitavam confuso.

 

 

-Eu te amo Derek, demorou mais finalmente eu percebi, quero que você seja me padrasto, embora ache essa palavra muito feia, quero que você seja meu outro pai, volta comigo, você e o meu pai, são a melhor família que eu poderia querer, por favor, vamos recomeçar do zero, veem comigo, pai.

 

 

 

Ele estava com os olhos marejados, Derek abriu a boca, mas a única coisa que eu ouvi foi o barulho do meu corpo indo ao solo.

 

Novamente eu havia desmaiado.

 

E o pior.

 

Sem saber se Derek tinha partido para sempre de nossas vidas.

 

 

 

~*Continua ….


Notas Finais


Cake by the ocean, tô viciada nessa música.
Isso não tem nada haver com o que eu vou perguntar, só quis deixar isso registrado mesmo kkkk
Coitado do Jackson, será que todo esse sacrifício foi á toa?.
E quem o nosso loiro ama?.
Irá Peter castrar Derek?

Irá a autora atualizar novamente rápido dessa vez?.

Essa e outras perguntas no próximo capítulo.

Beijos na pontinha do nariz, mentira odeio beijo no nariz, fica cheirando a baba kkkk
Beijo no coração <3.

Nem sei mais o que eu estou escrevendo deve ser minha cabeça doendo >.<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...