História O Nascer de Konoha - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Ino Yamanaka, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno
Tags Naruhina, Naruto, Nejiten, Romance, Saiino, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 25
Palavras 2.710
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meu amores

Eu sei que demorei demais, perdoem-me por isso. Mas finalmente voltei com capítulo novo. Aleluia XD

Aviso já, que o capítulo está cheio de emoções fortes.

Enjoy :*

Capítulo 41 - Reconciliação e Arrependimento - Saiino


Fanfic / Fanfiction O Nascer de Konoha - Capítulo 41 - Reconciliação e Arrependimento - Saiino

- Eu sei. Não estou orgulhoso disso Ino. Só quero que me dês uma oportunidade para concertar as coisas – conseguia ver a incredulidade nos olhos dela, mas ele iria mudar isso – Eu quero estar contigo. Eu faço qualquer coisa para ficar contigo. É só pedires.

- Claro – disse de forma firme, embora o seu coração aquecesse com as palavras dele, e as suas pernas ficassem bambas. Mas não ia derreter-se aos pés dele… Não tão facilmente - E se o meu pai, descobrir o que se passa e resolver ordenar-te para te afastares, o que é que vais fazer?

 

- Se for esse o caso – disse calmamente – Eu iria fazer de tudo, para o rei mudar de ideias – e antes que Ino o interrompesse, continuou – Mas se ainda assim o teu pai ordenasse que eu me afastasse, eu não ia fazer isso, simplesmente porque eu não sou capaz de me manter afastado de ti, e ver que essa é a causa do teu sofrimento. Eu só me afastaria se tu me pedisses e se eu acreditasse que isso era o que tu realmente precisavas e querias.

- Irias contra uma ordem direta do meu pai… O rei? – disse Ino com a testa franzida, enquanto Sai confirmava com a cabeça. Tentava descobrir se ele estava mesmo a ser sincero, ou a dizer apenas o que ela queria ouvir. Afinal na última discussão que tiveram ele dissera o oposto.

- Eu quero ficar contigo, nem que para isso tenha que cometer a loucura de te pedir para fugires comigo – Ino apenas arregalou os olhos com o que ele dissera - Ninguém nos encontraria – assegurou.

- Mudaste de ideias demasiado rápido – disse ainda processando o que ele acabara de dizer. Não sabia se teria coragem de deixar todos para trás, os seus irmãos, o pai, mas surpreendeu-se ao compreender que, se essa fosse a única opção, não hesitaria em ir com ele.

- Não – disse Sai - Eu só não sabia que ia ser tão difícil estar longe de ti durante tanto tempo – continuou enquanto colocava uma madeixa, que se soltara do carrapito de Ino, para trás da orelha dela, fazendo um carinho no rosto dela em seguida - Não ia ser capaz de me manter afastado mesmo que eu quisesse… - e desta vez acariciou o braço de Ino do ombro até à sua mão, brincando um pouco com os dedos dela.

- Eu… - disse Ino. Sentia-se derreter a cada carinho dele.

- Não vale a pena pensar muito sobre isso – disse quase num sussurro, enquanto com uma mão a puxava levemente pela cintura aproximando-a, e com a outra segurando o seu rosto – Nós não vamos ficar separados por causa do teu pai – amava senti-la amolecer perto dele.

- Não? – sussurrou Ino confusa com a proximidade. A única coisa que conseguia pensar era que não estava assim perto dele há muito tempo.

- Eu já falei com o rei – e essas palavras despertaram Ino do transe.

- O quê? – disse afastando-se o máximo que podia, mas não indo muito longe, pois ele segurava-a firmemente pela cintura.

- É. Estranhamente o assunto surgiu – disse sorrindo com a expressão confusa dela.

- Surgiu… O que é que tu disseste? O que é que ele disse?

- Muito resumidamente, eu disse que queria estar contigo e… o teu pai disse, que se tu quisesses o mesmo, quando tudo terminasse, daria o consentimento dele para que ficássemos juntos – viu-a interiorizar a informação.

- Vocês conversaram sobre isso… - disse enquanto a sua mente ainda vagueava - Eu avisei - disse com mais firmeza enquanto voltava a si - Eu disse que a linhagem não importava.

- Tinhas razão – disse e beijou a testa dela – Tinhas toda a razão.

- Eu não acredito que tu falaste com o meu pai – disse incrédula - Depois da nossa discussão eu não imaginei que tu tivesses coragem para isso.

- Ora muito obrigada – disse Sai, mas ambos riram logo de seguida. No entanto a descontração durou pouco, pois Ino voltou a fica séria.

- Eu não sei o que pensar. A única coisa que continua a passar pela minha cabeça, é “E se só estiveres a dizer isso da boca para fora?”, “E se por qualquer outra razão tu te resolveres afastar outra vez? Se discutirmos e fores embora?” – abanou com a cabeça e afastou-se um pouco mais. Estava confusa.

- Se o que eu disse fosse da boca pra fora eu não tinha falado com o teu pai – disse Sai. Queria que qualquer dúvida ficasse esclarecida - E claro que vamos discutir, isso é normal, mas eu não me vou afastar de ti nunca mais, porque simplesmente eu não sou capaz de estar longe. Estes dias foram o inferno para mim – disse e viu-a acenar como se se tivesse passado o mesmo com ela - Eu quero estar bem contigo Ino, eu não suporto o facto de estarmos chateados.

- Eu não sei Sai. Eu pensei que… Que o que quer que existisse entre nós tinha acabado. E se isso volta a acontecer… - Sai não a deixou terminar, abraçou-a apertado até senti-la abraça-lo de volta.

- Claro que não. Nada disto vai voltar a acontecer. – disse Sai e afastou-a apenas para faze-la olha-lo nos olhos - Eu… - Respirou fundo. Era hora de dizer, já não existia razão alguma para não dizer as palavrinhas. Olhou-a nos olhos e as palavras saíram com mais facilidade do que estava à espera  – Eu amo-te Ino – e nesse momento viu-a arregalar os olhos e o sorriso, de que tanto sentira falta, surgir no rosto dela - E no que depender de mim, o que existe entre nós está só a começar. Eu não quero que duvides disso nunca mais.

- Eu também te amo… Sai, eu… - disse com voz embargada. Não estava à espera de nada daquilo. Queria chorar, dançar, gritar, mas estar ali nos braços dele era melhor do que qualquer uma das alternativas.

- Shhh – disse e apertou-a mais contra si. Não precisava de ouvir mais nada, de ter mais nada, agora que a tinha a ela. Ino apenas sorriu e apertou-o novamente com todas as suas forças enquanto Sai lhe acariciava os cabelos desfazendo, pouco a pouco, o penteado dela.

- Tenho uma surpresa para ti – disse Sai passado alguns minutos.

- Para mim? Porquê? – disse Ino, agora já mais calma, desencostando a face do peito dele, apenas para olhá-lo.

- Porque estávamos chateados e eu queria ter a certeza que me perdoavas.

- Supostamente não devias admitir isso – disse ela sorrindo.

- É – disse Sai e encolheu os ombros.

- E o que é? – perguntou Ino quando Sai a levava para fora do jardim.

- Não vou estragar a surpresa antes de tempo. Só digo que está ali dentro – disse apontando para o que em tempos fora uma estufa, que agora se encontrava muito degradada.

Durante os últimos, meses aquele fora um dos lugares onde passara várias horas com Ino.

Ela gostaria de reconstruir aquele lugar do zero, mas não tinham tempo nem meios para isso. Ainda assim Ino tinha feito tudo o que podia para melhora-la, e o edifício abandonado tornara-se decente, embora ainda se notasse que a estufa não tinha o esplendor que tivera outrora.

E uma particularidade, de que Ino não tinha conhecimento, era que escondida no seu interior, existia uma passagem para o subterrâneo da base, que Sai usava frequentemente.

- É aquilo? – disse Ino, apontando para uma caixa eu nuca vira perto da mesa onde costumava trabalhar.

- Abre para descobrir – disse Sai, e Ino nem pensou duas vezes, abriu o presente sem qualquer cerimónia. E assim que se deparou com o que estava no seu interior, os seus olhos encheram-se de água.

Com todo o cuidado Ino retirou um vaso cheio de água com duas flores de lotús, uma vermelha e uma amarela.

- As flores de lótus – começou Ino com a voz rouca pelo choro contido -  Têm significados diferentes para cada cor...

- Amarelo é a cor do sol, da energia, da felicidade do luxo, associada com a parte intelectual da mente e a expressão de nossos pensamentos. A vermelha simboliza amor, compaixão, paixão - completou Sai.

- Tu realmente ouviste o que eu estava a dizer – disse Ino e Sai confirmou com a cabeça. Várias vezes Ino dizia que o que sentia mais falta no jardim eram algumas flores de lotús como as que existiam no castelo. O rei mandara plantar no lago do castelo várias flores destas em ocasiões especiais. Vermelhas, no dia em que pedira a falecida rainha em casamento, azuis no nascimento de Naruto e amarelas e rosa no nascimento das gêmeas.

- E eu sei que sentes a falta do teu jardim do castelo, isso vai deixar-te um pouco mais próxima de casa – disse Sai quando Ino olhava emocionada para as plantas.

- Como é que elas sobreviveram à viagem? – perguntou a loira.

- É eu também estava com medo disso, por isso – retirou um pequeno envelope do bolso de dentro do casaco entregando-o a Ino.

- Sementes? – tentou adivinhar pela textura do envelope.

- Sim são das tuas flores. E prometeram-me que os lótus nasceriam amarelas e vermelhas.

- Muito específico... – disse Ino quase num sussurro.

- O meu presente não são apenas as flores, mas principalmente o significado delas – disse Sai acariciando o rosto dela – O meu coração é teu princesa. Eu só quero que sejas feliz.

Ino apenas acenou, incapaz de dizer qualquer palavra, e quando os lábios se tocaram Ino soube que a sua felicidade estava ali perante ela.

***

Enquanto isso Tenten passava por outra zona do jardim, onde esperava não encontrar Ino. Não queria interromper nada no reencontro da amiga com Sai, e torcia para que ambos se entendessem. Sabia que os dois seriam mais felizes juntos, bastava olhá-los para entender isso.

No entanto, algo estranho chamou a sua atenção. Neji e Sakura estavam sozinhos e sentados num dos muitos bancos de jardim a conversar. À partida seguiria o seu caminho, mas alguma coisa a fez aproximar sorrateiramente para ouvir a conversa.

***

Poucos minutos antes de Tenten passar pelo lugar, Neji estava sozinho sentado no jardim, enquanto ganhava coragem para por em prática o plano que delineara nos últimos dias.

Uma parte de si não queria estar ali, nem fazer o que planeara, mas Neji esforçava-se por enterrar esses pensamentos e voltar ao que se convencera ser certo.

Nesse momento Sakura passou no mesmo local, e assustou-se em ver Neji ali. Nos últimos tempos, uma vez que não tinha nenhum momento a sós com Tobi na biblioteca, ambos começarem a encontrar-se às escondidas na floresta perto do jardim para terem alguma privacidade. Não esperava encontrar Neji, a meio da sua pequena fuga.

- Sakura – disse Neji – Eu gostava de falar contigo, pode ser? – não estava à espera que a rosada passasse naquele local naquele momento, mas levou isso como um sinal de que o certo era colocar o seu plano em prática.

- Claro – respondeu Sakura não querendo deixar que Neji percebesse para onde ia. No entanto não queria deixar Tobi à espera.

- Eu já queria falar contigo a sós há algum tempo, mas nunca surgiu a oportunidade... – começou a medo.

- Mesmo? Alguma coisa importante? – Sakura inocentemente achava que ele queria perguntar sobre a sua amiga.

- Sim. Eu vou ser muito direto Sakura. Nos temos ficado bem próximos ultimamente e da minha parte sinto que começa a existir algo mais, por isso gostaria que a nossa relação se tornasse algo mais. Queria perguntar se aceitarias que eu começasse a cortejar-te e te pedisse em namoro…

Sakura ficou muda e boquiaberta com aquela afirmação, não estava nada à espera daquilo.

- Imaginei que fosse o mais acertado falar contigo antes de qualquer outra pessoa, e ser o mais direto possível. Claro que não terei problemas em falar com o teu pai assim que surgir a oportunidade, ou com o Naruto que é o representante....

- Pára Neji! – disse Sakura interrompendo-o – Eu não estava nada à espera disto – disse quase para si mesma – Sim nós estamos mais próximos, mas somos apenas amigos, e eu não sinto mais nada por ti para além de amizade.

Neji já esperava esta resposta, mas antes de poder responder, Sakura continuou a falar.

- E eu não entendo de onde vem esta conversa. Eu pensava que gostavas da Tenten – Ao ouvir isto Neji arregalou os olhos. Não estava à espera de ser confrontado com a verdade que enterrara bem fundo no seu coração - Na verdade eu pensava que o que sentias pela Tenten era mais do que gostar… - reafirmou a rosada.

- Não sei onde foste buscar uma coisa dessas - disse calmamente, mas por dentro estava em pânico ao ver os seus pensamentos saírem da boca de Sakura – Eu e a Tenten podemos ter treinado juntos, mas foi apenas isso.

- Ahh Neji, nem tentes dizer que eram apenas treinos, porque não era. Toda a gente via e ainda vê os olhares que vocês trocam constantemente. Há muito mais do que apenas treinos entre vocês.

- Isso é uma grande equívoco – disse Neji, já não tão seguro – Eu nunca me interessaria por uma mulher como a Tenten. Ela seria sem dúvida uma excelente colega de batalha, a quem confiaria a minha retaguarda, mas nada mais que isso. A maneira como se veste e como age… ela não é… delicada. Temo dizer que o comportamento dela nem é a de uma mulher e sim de um soldado. E é assim que a vejo, um companheiro de armas - disse não acreditando numa única palavra que saíra da sua boca.

Nesse momento nenhum dos dois viu, a morena afastar-se cautelosamente, sem fazer barulho, após ouvir toda a conversa.

- Neji – disse Sakura levantando-se – Tu tens direito à tua opinião, mas fica a saber que estás completamente errado. Eu acho que nem tu acreditas nessas mentiras que acabaste de dizer – Sakura mal conseguia controlar a sua fúria por ouvir aquilo da sua amiga – De qualquer forma, somos apenas amigos. Quer dizer depois desta conversa provavelmente nem isso. Por isso é melhor encerrar isto por aqui antes que ambos digamos algo que nos venhamos a arrepender. Tem uma boa tarde – disse e saiu dali a passos rápidos.

Neji ficou sozinho no banco a pensar que para ele era tarde demais. Arrependia-se de tudo o que acabara de dizer.

***

(Pouco antes…)

Tenten assim que ouviu as palavras de Neji, saiu dali. Sentia todo o seu corpo tremer e os seus olhos encher de água. Mas recusou-se a deixar cair qualquer lágrima que fosse. Correu para a sala de treino e começou a socar o primeiro boneco que viu, mal se dando conta que aos poucos o destruíra, fazendo com que a parte de cima do corpo caísse no chão. Mas ela nem se preocupou com isso, apenas retirou a sua adaga e começou a atacar novamente o boneco, esfaqueando-o sucessivamente no peito. Os seus olhos continuaram a aguentar todas as lágrimas acumuladas, isso só fazia os seus olhos doer, mas mesmo assim não anulava a dor de ouvir constantemente as palavras de Neji dentro da sua cabeça como um disco riscado.

Isso fê-la gritar e atacar o boneco ainda com mais raiva.

Tudo aquilo em que começara a creditar nos últimos dias era mentira. Não existia nada especial entre eles.

Pouco a pouco, parou o que estava a fazer, mantendo-se sentada sem reação a olhar para a parede em frente, mas sem ver as múltiplas armas que se encontravam lá expostas.

A sua garganta doía pelas lágrimas que não derramara, a sua respiração estava entrecortada pelo esforço, e não era capaz de parar de tremer. Forçou-se a controlar o que sentia e a parar a dor que sentia literalmente em por todo o seu corpo.

Não queria sentir nada por isso era isso que ia acontecer.

“Não quero sentir nada. Não quero sentir nada. Não quero sentir nada.”, repetia dentro da sua mente como que em transe, Substituindo lentamente as palavras de Neji, por aquelas.

Não soube quanto tempo esteve parada a encarar a parede, só soube que quando terminou o seu corpo já não termia. E já não sentia nada.


Notas Finais


Link da foto de capa
http://www.muitochique.com/wp-content/uploads/2016/04/L%C3%B3tus-Vermelha-865x576.jpg

Informação sobre o significado da flor de lotús
http://www.japaoemfoco.com/significado-das-cores-das-flores-de-lotus/


Este fim partiu o meu coração :(
Mas já estou ansiosa para escrever o próximo capítulo

Comentem e favoritem a fic meus amores.
Beijos e até ao próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...