História O Nascer do Sol - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Arthur Weasley, Bellatrix Lestrange, Dino Thomas, Dolores Umbridge, Draco Malfoy, Fred Weasley, Fred Weasley Ii, Gina Weasley, Gui Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Lilá Brown, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Pansy Parkinson, Parvati Patil, Percy Weasley, Ronald Weasley, Simas Finnigan, Sirius Black, Theodore Nott, Tom Riddle Sr., Viktor Krum
Tags Dramione, Harmione
Exibições 73
Palavras 2.081
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hiiiii, tá qui capítulo narrado só pelo Harry bjs. Acabou as lembranças do passado, próximo vai ser só do futuro agora.

Capítulo 13 - Eu


Fanfic / Fanfiction O Nascer do Sol - Capítulo 13 - Eu

Pov Harry

 2 anos antes. 

Papai simplesmente estava puto. Rodamos a cidade toda que a Belatriz tinha mandado agente ir, atrás de um adubo orgânico especial que não existe. 

Lílian- é melhor voltarmos para Londres. James- como ela nos manda pro meio do nada para NADA. 

Lílian- você se Esqueceu de quem estamos falando? É? 

James- não, não me esqueci mais eu estou. 

Falou ele dando uma bufada  levantando o peito.

 Lílian- eu sei querido, vamos voltar amanhã, porque quando for de tarde já estaremos lá.

 James- pode ser.

 Harry- pode, Pepsi. Falei rindo. 

Lílian- filho não é uma boa hora pra você ficar fazendo hora com a cara do seu pai!. Falou ela me dando um olhar brabo. 

 Harry- tô só brincando, tem como agente ir a uma sorveteria? Estava louco pra ir tomar um sorvete.

 Lílian- só se seu pai aceitar ir.

 Pronto, talvez ele não fosse mesmo. Nunca brinque com a cara do seu pai, quando ele estiver com raiva. Mas para minha surpresa: 

James- vamos, é vamos comprar muita besteira com o dinheiro daquela megera. Lílian- claro que não, você está louco por acaso?

 James- foi só uma ideia, calma. 

Mamãe olhou pra ele com uma cara de desconfiança.

 Andamos um pouco pela rua até encontrar uma sorveteria. lembrei de Hermione. Quando éramos menores Cláudia ou Minha mãe sempre leva va agente para a praça unicórnio, aí você pensa unicórnio? Mas porque unicórnio?. Hermione apelidou. 

Ela disse que tinha visto, em meio as árvores. Ou ela estava com muito sono, ou estava zoando com a minha cara, só pode.

 Lembrei me do seu cheiro de morango ao ver o sorvete, e lembrei -me do seu sorvete Preferido: chocolate, nunca havia visto uma pessoa que comesse tanto chocolate, não sei ainda como ela não ficou diabética. 

Voltamos para o hotel, e eu dormi pensando nela. Acordei com minha mãe me sacudindo levemente. 

Lílian- filho acorda, nós temos que pegar o ônibus cedo. 

Fui ao banheiro lavei meu rosto, escovei meus dentes, e tomei um banho. 

Mamãe pagou o hotel e fomos para a rodoviária Depois de algumas horas ( décadas), o ônibus finalmente chegou.. Mamãe se sentou ao meu lado, e papai em outra poltrona. Boto o fone de ouvido, e fico escutando música. Até agora, não entendo porque Rony e Gina pararam de falar com migo e a mione, eles eram nossos melhores amigos. Luna, Gina e mione viviam juntas Não entendo o que aconteceu, agora eu estou mais próximo do Neville, ele é bem legal mais o pessoal acha ele meio estranho, isso é mentira ele é e muito normal. Quero muito chegar em casa, falar com Hermione.

 Harry- finalmente. 

Falei chegando perto da entrada dos fundos do jardim. 

Harry- pelo menos a viagem não foi perdida.

 James- se você tá falando do sorvete Harry Thiago Potter ele não conta então a viagem foi perdida sim. 

Lílian- James não começa.

 James- que saber eu vou lá. 

 Ele falou isso é foi apressando os passos para a entrada da mansão.

 Lílian- aí meu deus, filho coloca as malas dentro de casa, eu vou atrás do seu pai antes que ele faça uma besteira.

 Falou ela correndo ao longe para acompanhar o passo do pai. Coloco as malas dentro de casa. Saio para fora, quando vejo meu pai vindo correndo o mais rápido possível, nunca havia visto ele correr tanto, estava com lágrimas nos olhos, o que aconteceu? Ele entrou dentro de casa como um raio.

 Harry- pai! O que foi? 

James- aaaaaa hhhhheeee.

 Ele não conseguia dizer nada suas mãos tremiam enquanto desesperadamente procurava alguma coisa dentro da mala. Eu estava ficando louco.

 Harry- PAI O QUE ACONTECEU? Falei virando ele de frente para me. 

James- A HERMIONE!... Ele não conseguiu terminar a frase. 

James- VOCÊ TA com seu celular AI? Falou ele apressadamente.

 Harry- O QUE ACONTECEU COM ELA? Falei gritando, é entregando o celular pra ele. Não ia esperar mais tempo, saí de casa correndo pela grama até não poder mais cheguei na porta que dava acesso a mansão e entrei com tudo, corria muito o que tinha acontecido com ela. Infelizmente a minha resposta veio eu não queria que ela estivesse chegado. Me a joelhei ao lado de minha mãe. As lágrimas já banhavam meu rosto e a única coisa que eu pensei foi que não podia perde-la. Minha mãe estava passando a mão pelo meu ombro tentando me conforta. Eu não conseguia, simplesmente não.

 Harry- tttemmos qque vira-la, eeuu lllevoo ella. 

Falei já estendendo a mão para vira-la. Lílian- NÃO. 

Ela puxou minha mão rapidamente. Lílian- não pode toca-la Harry. Poddde aggraaavar a ssituação. 

Depois de 10 minutos que pareceram mil séculos. A ambulância chegou. Eles mandaram agente se afastar dela é puseram- na Na maca, eu mamãe e meu pai fomos na ambulância. Mamãe chorava nos ombros do meu pai. Eles tentavam estancar o sangue dela ela tinha perdido muito sangue.

 - qual foi a causa do acidente? Perguntou um dos socorristas.

 Lílian- não sabemos quando chegamos em casa ela ja estava assim, ela deve ter caído da escada por que ela tava perto de lá. Mamãe falou tão rápido que quase não acompanhei.

 - mas tinha vidro onde ela Caío? Lílian- não, não tinha.

 - ela perdeu muito sangue pela perna, parece que está desidratada, e a um pouco de pressão no pescoço. 

Falou o socorrista. O que eu vou fazer o que eu vou fazer. Não podia fazer nada só escutava o som daquela cirene parecia que nunca chegavamos naquele hospital, ela estava morrendo e eu não podia fazer nada. 

- a pressão está baixando, checa os batimentos.

 - tão diminuindo.

 -Injeta adrenalina. 

Falaram os socorristas e imediatamente um deles pegou uma seringa. Mas antes que ele consegui -se injetar, ouso um barulho na máquina.

 - parou. 

Minha mãe chorava mais alto do que qualquer coisa é eu acompanhava. Eles rasgaram sua blusa. Injetaram uma injeção, e estavam passando um gel, vi então eles pegarem duas coisas de ferro e botarem em cima de seu peito, seu corpo se movia na maca. Passaram se minutos e ela não voltava até que em umas das tentativas, ela voltou. Chegamos no hospital com sua maca correndo. 

- me da o quadro. 

 Falou uma mulher que estava correndo com agente atrás da maca. 

- ossos locomotores fraturados, perda de muito sangue é parada cardíaca. 

Falou o enfermeiro. Então ele entrou numa porta que não tinha a alavanca, só entrava e ela batia sozinha, ea mulher parou na frente da gente nos impedindo de passar.

 - desculpem mas não podem passar dessa ala, vocês são os parentes?

 Lílian- sim. - ok eu trago notícias, qualquer coisa, Podem esperar na recepção. Voltamos para a recepção e eu ficava em pé não conseguia me sentar. 

Lílian- filho, se sente. 

Seu Rosto estava tão vermelho como seu cabelo, eo meu também devia está, pois ainda fungava por causa do choro. 

Lílian- eu, vou no banheiro, aproveito e ligo pra Cláudia ela aínda deve estar no hotel. Me sentei ao lado do meu pai. 

 Harry- você acha que foi ela? 

James- Belatriz?, Ela é uma megera mais. 

Ele parou de falar, olhando para o chão. Harry- pode ter certeza ela seria capaz de tentar matar Hermione.

 James- se foi ela vai fazer muito sentido os machucados da Hermione.

 James- fique calmo filho vai dar tudo certo. Falou ele me abraçando. Se passaram alguns minutos até mamãe voltar. 

Lílian- eu ja liguei pra ela.

 James- e como ela ficou? 

Lílian- acho que ela vai ficar que nem agente. Falou ela se sentando. 

Harry- olha ali, não é a médica que tava com agente. Falei imediatamente me levantando com os meus pais, até chegar no batente da recepção. 

Lílian- moça você tem alguma notícia da moça que entro um pouco mais cedo? 

- eu tenho mais não são muito boas. Nessa hora meu coração apertou.

 - ela já está na sala de cirurgia, ela já teve 2 parada cardíacas, que agora somando da 3. 

Lílian- O meu deus!. 

Falou ela comessando a chorar de novo.

 -Me desculpem mais e só isso por enquanto.

 Então a médica foi embora. Amanheceu, eu não consegui fechar os olhos, só se fosse para pedir que ela ficasse bem. nada mais fazia sentido. 

James- A médica! Eu fui lá o mais rápido que eu pude. Mas só eu fui. 

Harry- doutora é então? Alguma notícia? 

- sim, felizmente ela já saio da cirurgia só que ela agora está na UTI. 

Harry- podemos vê lá?

 - não podem entrar na sala mais, podem ver ela pelo vidro.

 Harry- você poderia nos levar até lá? 

- claro, mais tem que ser rápido. 

Harry- ok.

 Andei de volta as cadeiras verde de ferro onde meus pais estavam. 

Harry- ela tá instável, mas podemos ve-la pelo vidro.

 Falei com o pouco de ânimo que ainda restava.

 Lílian- graças a deus. 

 Falou ela me abraçando. 

 Harry- vamos, temos que ser rápidos. Seguimos a médica, viramos muitos corredores até chegar na UTI de vidro. A avistamos, queriamos ultrapassar aquela sala e abraça-la mais não dava, parecia que dormia. 

Lílian- quando ela vai acordar? 

- não sabemos dizer, ela está em coma, mais acreditamos que ele seja temporário. 

Lílian- mais está tudo bem no seu corpo?. 

- nós fizemos uma cirurgia de reconstrução, mais ainda não sabemos se ela vai dar resultados, estamos esperando os exames, tenho que ir, qualquer avanço eu procuro vocês. 

James- obrigado. 

A médica foi embora e nos ficamos olhando o vidro. Depois de algumas horas, Cláudia chegou parecia tão acabada quanto agente.

 Cláudia- como ela está? 

Lílian- ela melhorou muito, mais ainda está instável. 

Cláudia- porque isso foi acontecer com a minha Menina. Soluçava ela. Então mamãe de um abraço nela.

 James- ela vai se recuperar, eu tenho certeza.

 Harry- eu também. 

Passaram -se dois dias e agente ia lá sempre, Belatriz nem dava as caras na mansão, nojenta estou com vontade de mata- lá tenho certeza que foi ela. Até que ela apareceu com seu típico ar nojento de sempre. Tinha acabado para Cláudia ela estava indo lá. Enquanto virava as costas eu ia atrás dela mais papai me segurou.

 James- o que você vai fazer? 

Harry- vou perguntar se foi ela que vez isso, e se ela falar que foi, vai se arrepender de ter Nascido.

 James- você não vai fazer isso. 

Harry- você não está vendo o que ela FEZ! A minha última palavra foi essa, ele estava louco como assim? Ela merecia estar morta. 

James- se você está pensando em dá uma surra nela está errado, bater nela não vai fazer Hermione ficar melhor.

 James- vamos entrega-la para a polícia, isso eo certo a se fazer.

 Dois meses depois Hermione acordou, estava tão feliz eu não sei explicar. Mas a Belatriz ser entregue para a polícia, nada aconteceu mamãe disse para agente esquecer isso, como ela pode!?. Ela teve uma conversa com Cláudia, e disse pra gente esquecer isso. Não entendo. Depois de algumas semanas, Hermione finalmente voltou para casa, eu ia todos os dias para visita-la no hospital leva-va algumas flores, ela parecia bem melhor Ela é Cláudia se mudaram lá pra casa Espero que tudo melhore.

 2 anos depois

 Acordo-me, percebo que ainda é noite, mas o barulho que me acordou aínda continua. E vem do quarto de Hermione levanto me é abro a porta do meu quarto, ainda sonolento, dou poucos passos pelo corredor,e abro a porta do quarto de Hermione. Acertei, era mais uns dos seus pesadelos. Subo na cama e a vejo se remechendo um pouco e dizendo algumas palavras como: por favor, eu não queria. Sacudo-a um pouco para que ela acorde.

 Harry- Hermione, Hermione, acorda. 

Ela começou a abrir os olhos, muito devagar até notar que aquilo era um sonho. Harry- você disse que nunca mais tinha tido pesadelos. 

Hermione- não tive mais, mas agora sim. 

Ela falou como se eu acreditasse nela, tá bom vô fingir que acredito.

 Harry- com o que você sonhou? Hermione- nada demais. 

Harry- boa noite. 

Falei me a levantando e indo direto para a porta.

 Hermione- Harry! Harry- o que foi? Hermione- você poderia dormi comigo? 

Isso quebrava tantas regras, não posso fazer isso. 

Hermione- por favor. 

 Ela estava fazendo aquela cara. Não resisti.

Harry- ok, tudo bem, mais se a Grifinoria perde pontos a culpa é sua. Ela apenas riu E, eu me deitei ao seu lado. É ela dormiu abraçada a me. e foi assim que eu também dormi.      


Notas Finais


Bjs...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...