História O nascer do sol - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Akamaru, Anko Mitarashi, Asuma Sarutobi, Chouji Akimichi, Deidara, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Guren, Hanabi Hyuuga, Hashirama Senju, Hidan, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Iruka Umino, Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Izuna Uchiha, Jiraiya, Juugo, Kabuto, Kaguya Ootsutsuki, Kakashi Hatake, Kakuzu, Karin, Kiba Inuzuka, Kisame Hoshigaki, Kizashi Haruno, Konan, Kurenai Yuuhi, Kushina Uzumaki, Madara Uchiha, Maito Gai, Mebuki Haruno, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Morino Idate, Nagato, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Pain, Rin Nohara, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Shisui Uchiha, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Gaaino, Naruhina, Naruto, Romance, Sasusaku, Sobrenatural
Visualizações 14
Palavras 1.630
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Gente sei que estou beeeem atrasada com a fic mas minha vida está bem corrida, estou indo a psicóloga semanalmente e estudando para o Enem e a feira de ciências da escola.

Bom sem mais enrolação um capitulo novinho! Espero que gostem

Capítulo 5 - Convergência


Fanfic / Fanfiction O nascer do sol - Capítulo 5 - Convergência

Sakura pv'on

Ao olhar o ser em minha frente fiquei extremamente envergonhada! Ele era lindo, um corpo- que descaradamente eu examinei minuciosamante- avaliei, sem querer obviamente. Seus cabelos faziam contraste com o rosto pálido.

- Há ... é. .. - não sabia o que dizer a situação ficava cada vez mais embaraçosa. -é você poderia bom me soltar? .

- mi desculpe - ele abriu um sorriso não se importando em demonstra-se desconforto com o que acabara de acontece. - bom sou Sai e você devi ser Sakura certo? A Senhora Chiyo mi pediu para receber a senhorita mais vejo que cheguei um pouco atrasado - Sai colocou uma mão na cabeça bagunçando os fios de cabelos escuros.

- sim sou eu - abri um sorriso forçado, mesmo sabendo que estou falando com um total desconhecido, correndo o risco dele ser um psicopata ou um perseguidor, mais se ele diz que Chiyo o mandou não há o que temer. Não é como se ela fosse mandar um sociopara, certo? Certo!. - a eu mi adiantei, e cheguei mais cedo que o combinado! Eu ia avistar mais o celular descarregou no caminho para cá.

- Entendo, vai precisar de ajuda com algo? -ele mi olhava avaliativo o que gerava um grande desconforto de minha parte.

- Não precisa eu só vou pegar ás malas e só. - falei passando pof ele que mi seguiu até o carro.

- Pode deixa eu levo para você pode está pesado demais. - e dizendo isso tirou três malas grandes onde com tinha minhas roupas e uma de sapatos. De certa forma eram bem pesadas só que ele não fazia muito esforço para pega-lás, o que era estranho. -já deixei todas no seu quarto agora é só você arrumar.

Um sorriso estampava outra vez sua face.

fazia exatamente duas semanas que morava na cidade, infelizmente não tive chances de realmente conhece-lá, minha rotina tinha se limitado a ir ao hospital Central (e único da cidade) e uma cafeteria na esquina do meu novo local de trabalho.

Neste momento arrumava-me para fazer um tour pela pacata região. Ah ia me esquecendo! O Sai desde aquele fatídico dia tem ido sempre me visitar.

Tornamos bons amigos no decorrer desses dias. Leves risadas me escaparam ao lembrar do dia em que descaradamente perguntei sobre sua sexualidade!

~ Flashback on ~

O dia estava frio e era fim de tarde eu e Sai estávamos no sofá conversando quando uma curiosidade bateu!

Pigarriei limpando a garganta vulgo tentando criar coragem!

A pergunta era constrangedora!

- Sai é gay? - sim fui bem direta.

Ele bebia seu chocolate quente quando pergunte-lhe o que o fez se engasgar. Dei batidas devagar em suas costas para ajudar e quando finalmente este não tocia mais virou para minha pessoa é disse. ..

- Isso é pergunta que se faça cabeça de algodão doce ?! - o idiota me apelidou disso três dias depois de nos conhecermos! vê se pode. - já está na minha hora! Se cuida anã.

E assim partiu sem me dá uma resposta!

~ Flashback off ~

Termineir de pentear os cabelos deixando-ó solto, vestia um vestido azul com pequenas flores em rosa e amarela de alsinhas, um salto bege e uma bolsa pequena marrom.

O tempo pela janela estava se fechando dando parecer que embreve um temporal cairia, mais nada poderia da errado né?! Era só um rápido passeio, voltaria antes de escurecer!

Pôquer fui abrir minha maldita boca? Porque não fiquei em casa mesmo?

Estava no meio de um temporal e o carro não queria pegar. Lá fora o sol escondido estava pelas nuvens escuras, não passava uma só alma viva pela estrada.

Abri a porta do carro e fui andando até o capô. Não em tendia de carro e tudo indicava que ninguém apareceria.

Quando decidi volta para dentro do veículo fui arrebatada por uma sensação desconhecida!

Sentia como se a florestas ao meu redor chama-se. Uma necessidade de encontrar algo apossou-se do meu coração e mente. Sem muito pensar entrei na floresta sendo guiada pela sensação.

Parei em frente a uma cachoeira não muito depois a sensação de está sendo observada pôr alguém se faz presente. Viro devagar e deparo com olhos tão profundos que parecem enxergar minha alma, perco o fôlego, meu coração acelera.

Hipnotizada por seus olhos ônix deixo me levar vendo o ser se aproximar. Quando estamos frente a frente apenas sentimentos nós separa.

Seus olhos não deixam os meus nem por um segundo. Seu rosto aproxima-se lento do meu, seu hálito de menta sopra em meus lábios e então sinto seu gosto em minha boca...

Uma explosão de sensações me preenchia. Sua língua pedia passagem, está, concedida facilmente, uma batalha era travada entre nossas elas. Essa sem um vencedor.

Seu braço esquerdo apertava-me contra si, de forma possessiva.

O torpor nublada minha mente e raciocínio deixando impossível tomar quais quer atitudes. Entretanto duvido que tivesse capacidade de impedi-ló! Tudo parecia tão certo.

A urgência, necessidade do beijo afoito, avassalador. Poderíamos ser comparados à dois amantes que tempos não se viam.

Ele diminuía a voracidade em que me tomava em seus braços, porém, não deixando de ser menos intenso. Desejoso. Colando nossas testas enquanto respiravamos ofegantemente em busca de oxigênio. Abri meus olhos vendo os seus fitarem me, era difícil não perder a noção do tempo ou espaço quando pressa em seu mar negro que tornava-se seus orbes.

- vo-você... - Esforçava-me para dizer umas míseras palavras, fracassando no processo. Elas me fugiam.

Um riso anasalado elê deu, parecia de certa forma estar feliz.

Uma voz parece estourar a bolha invisível que isolava-nos do resto do mundo.

- Sasuke. - Alguém gritava. O homem a minha frente resmungou algo incompreensível.

Ao olhar para o lado pude vê um outro homem de aparentemente a mesma idade que a minha, loiro, olhos azuis e pele pouco bronzeada. O constrangimento em sua face é explícita, séria cômico se não fosse tão embaraçoso.

O ponto era, eu estavá toda molhada, com o carro sem querer pegar, e no meio da floresta aos beijos com um completo estranho - que de certa forma me fazia sentir segurança e trazia paz. - e outra pessoa aparece sei lá de onde é nos vê!

- Aaaah... é bem, desculpe não queria interromper. Volto outra hora okay? ! - diz com a mão atrás da cabeça. Vira-se para ir embora e depois volta a nos encarar - quer dizer.... affs Sasuke precisamos de você! A situação está complicada. - fala seriamente.

- Tudo bem! Vá na frente, vou leva-lá em segurança para casa. - E assim o loiro se vai.

O homem agora nomeado de Sasuke olha-me com certa devoção o que deixa-me desconcertada.

- Vamos...?

- Sakura - respondo prontamente - mais eu vim de comitir meu carro e ele deu problema, o deixei no meio da estrada....

- Não se preocupe, mandarei alguém vir pegá e levar pro concerto ainda hoje.

E assim fui guiada por ele em direção onde estava um carro preto. Abriu a porta do carona pra mim e depois acomodado no outro lado começou a dirigir.

Estava tão perdida em pensamentos que só despertei quando o carro parou em frente a residência onde morava.

- Como você. ...

- Cidade pequena. Toda sabem que Chyio vendeu essa casa para uma pessoa de fora .

Um silêncio restauro-se no lugar, ás várias palavras que vinham ficavam pressas na garganta.

- Sei que não nos conhecemos, mas eu poderia te ver mais tarde? - perguntou com o rosto virado, dava para se perceber um leve rubor em suas bochechas que tirou um risada minha.

- Claro, acho que precisamos conversar, certo?!

- Sim, muito.

Assim o observei desaparecer na estrada.

Tenho a impressão de que muitas coisas virão apartidários de agora.

~♥~

Sentia-se estranha.

Não sabia qual o motivo de está caminhando em plena madrugada entre a relva. Algo a chamava copiosamente em um sussurro, quanto mais andava ficava mas forte a tal voz que soava tão familiar.

Ao chegar no local de onde vinha o chamado, uma casa antiga, lembrando a um casarão do século XVIII erguia-se. Sua fachada gasta e puida pelo tempo.

Adentrou sem hesita.

Por mas que soubesse o que fazia, era como se não domina-se seu próprio corpo. Um mero fantoche naquele exato momento.

- Venha. .. - Disse a mesma voz de outrora. - venha. - Repetia sucessivamente em sua cabeça.

Andando pela casa, parou ao lado da escada que levava no segundo andar. Pondo a mão em um lugar específico, um brilho dourado surgiu. Dando paços para trás, um alçapão fora aberto.

- Isso criança venha até mim. Soou outra vez tenebrosa.

Descendo encontrou um quarto em bom estado. Uma cama de colchas negras, uma escrivaninha onde um livro estava aberto. Caminhando até o mesmo perceberá se tratar de diário e não livro. Escrito em uma caligrafia perfeitamente caprichada.

16 de Agosto de 1830

Já não sei o que fazer! Tudo está saindo do controle, eles vão ser ressuscitados, se isso acontece temo pelo caus que se alastrara.

Sei que tenho poder para acabar com eles antes de ressuscita-lós, mais isso causará a morte da Guren...

Eu não posso perde-lá também!

Só há um forma de impedir isso, entretanto o pro será alto!

Que Hidra esteja comigo e com todos...

A portadora logo virá e com ela espero que a paz reine. ...

O que aquilo queria dizer? !

Um barulho desconhecido a fez entrar em alerta.

Tudo aconteceu em milésimos de segundos. ...

Em um momento estava pronta para gritar e no outro seu corpo encontrava-se ao chão dando seu último arfar.

Em seus últimos suspiros e a visão embaçada, avistou a sombra de alguém a sua frente.

Continua. ....


Notas Finais


Então o que acharam? espero que tenham gostado e já estou trabalhando no novo cap.
bjs meus lindos arcanjos até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...