História O Nerd da Escola - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Clichê Amorzinho, Sasusaku
Visualizações 178
Palavras 2.315
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 12 - Doze


Fanfic / Fanfiction O Nerd da Escola - Capítulo 12 - Doze

Sasuke saiu da escola, sozinho naquele dia, agradeceu a Deus por isso, não que não gostasse da Yuno, ela era uma pessoa legal, mas ele queria muito fica sozinho. Queria pode pensar melhor, e na verdade queria muito pensar numa maneira boa de chegar a Sakura e falar o que sentia, ele não podia ser mais covarde.

 

No caminho para sua casa, teve uma surpresa que ele não sabia se chamava de boa, ou de ruim. Seu irmão tinha voltado, e ele sabia antes mesmo de sair do carro, os fotógrafos e a multidão de fã estavam na portaria do condomínio em que moravam. Isso o irritou de imediato. Quando chegou a casa, Itachi estava ali, jogado no sofá, com a boca cheia de pipoca, Sasuke sorriu de canto.

 

— Chegou! Que eu saiba você sai mais ou menos 15hs da tarde, e quase 17hr, por onde andou hein...? Safadinho arranjou uma pepeca. — Itachi levantou zoando o irmão. — Eu sabia! Você tem o mesmo sangue que eu.

 

— “Minha Vida Não Seria Tão Perfeita Se Você Não Existisse” Bisbilhoteiro, quando foi que eu te dei permissão para mexer nas minhas coisas? — Sasuke empurrou o irmão, e foi em busca da pipoca.

 

— A qual é? Seus diários estavam jogados na cama, passei os olhos, vi a frase e bum, botei essa em uma música. — Explicou se aproximando do irmão. — Não fica triste, sei que você queria exclusividade para a gata que você escreveu, mas devo dizer que meninas hoje em dia, não vão querer ler um caderno cheio de poemas, parece que é gay.

 

— Legal! — Sasuke encheu a boca lembrando-se de Sakura perguntando isso a ele, que idiotice. Sasuke parecia realmente uma mulher, mas aquele era o jeito dele, e não iria mudar. — Sou tão gay que você me copiou, dá próxima vez diz: Ei Sasuke vou pega aqui esse seu verso, para fazer uma música de sucesso ok, é quase nada.

 

— Vai cry?

 

— Qual é? Você pegou algo que era meu... — Ele resmungou. — Mas tudo bem. Gostei da música, afinal eu quero 30% do que você ganhar por ela. Acho justo.

 

— Palhaço. Você odeia minhas músicas.

 

— Mas essa eu ajudei a fazer, então eu tenho que curte. — Ele levantou. — Quase não entro em casa, suas fãs são loucas.

 

— Que isso. Eu te dou umas, você precisa de fãs.

 

— Não preciso não. — Sasuke falou subindo as escadas. — Eu só quero de uma. Apenas uma. E ela não parece sua fã.

 

— Só uma apenas uma... Cara você podia ser um poeta. — Gritou pegando uma caneta e papel. — E é claro que ela é minha fã. Quem em sã consciência, não seria fã da minha pessoa?

 

— Idiota. — Resmungou entrando no quarto.

 

.

.

 

Na casa de Sakura a mesma olhava a internet, procurava alguma coisa para se distrair, estava nervosa com tudo que acontecia. Sasori e sua proposta indecente fazia a Haruno ter arrepios somente em imaginar a tocando. Não tinha nojo, nem algo que levasse a pensar nisso. Só não queria.

 

Sua virgindade era algo importante para si. Podia não ser para outras meninas e meninas que se agarravam por ai com qualquer um, mas para Sakura, era algo divino que queria perde somente com a pessoa que amava, e que amasse da mesma força.

 

No começo, achou que Sasori era essa pessoa maravilhosa, e hoje, ela via que ele não chegava nem perto de ser um cavalheiro igual à Sasuke... Sakura olhou para frente. A menção do nome do nerd a abalou novamente. O brilho no olhar dele naquela noite nunca saia dos seus pensamentos. A beleza que ele mostrou somente para ela era completamente, divina.

 

Seus pensamentos só foram cortados com uma batida na porta do seu quarto, ela fechou o notebook em cima da cama e sentou na mesma, ajeitou os cabelos e levantou para abrir. Era sua mãe com um sorriso nos lábios.

 

— Oi, que foi? — Perguntou suspirando e com um sorriso no rosto.

 

— Vim te pergunta se pode convidar seu namorado para jantar conosco amanhã? — Ela perguntou sorrindo. Sakura fingiu um sorriso.

 

— Claro.

 

— Ótimo, é que seu pai e ele não trocam muitas palavras, sem falar que Sasori é filho de um antigo amigo do seu pai. Vocês combinam.

 

— É, cominamos. — Sussurrou meio tristonha, e sua mãe percebeu, mas não comentou nada.

 

.

.

 

Sasuke naquela noite passou por momentos difíceis, pois escreveu mais algumas coisas, e desenhou o rosto de Sakura para a capa do caderno de poemas que ele guardava. Poderiam até chamá-lo de Gay, mas ele se sentia simplesmente apaixonado. Um covarde apaixonado.

 

Sorriu com o resultado, pois ficará lindo, afinal, o rosto de Sakura ficava lindo em qualquer lugar. Sasuke queria muito manter aquele sorriso tímido no rosto dela, logo se lembrou da aula que teve com a rosada. Sakura estava desanimada, algo no seu coração a atormentava.

 

Até tentou saber o que era, pois estava curioso, ver Sakura sem seu sorriso iluminador era algo que ele não estava acostumado. E vê-la daquele jeito o deixou triste. Triste até demais para ficar calado, por isso perguntou se ela precisava de alguma coisa, mesmo temendo a morte, ele tinha que perguntar. Por que ver a pessoa que você mais ama no mundo triste, é o mesmo que se sentir perdido.

 

Sasuke queria ser o porto seguro da Haruno, queria dizer a ela, que qualquer problema que a mesma tivesse ela poderia contar com ele, pois ele era tudo que ela necessitava, ele a ajudaria com tudo, tonaria seus dias felizes, manteria o sorriso carinhoso que ela tinha nos lábios, mantê-la-ia sempre feliz.

 

— Olha só! Até que fim o rosto da menina para quem você tanto escreve apareceu. — Itachi interrompeu seus minutos de sossego. — Se você desenhou de acordo como realmente é. Ela é linda, devia chegar junto.

 

— Não é fácil. — Ele levantou folheando o caderno. — Tem alguns problemas pelo caminho, mas acho que todos podem ser resolvidos se o problema maior e, pior, for dilacerado.

 

— E qual é o maior problema? — Itachi se deitou na cama.

 

— O namorado. — Sasuke suspirou. — Ela tem um namorado babaca, que a trata tão... Mal. — Sasuke olhou pela janela vendo algumas mulheres montarem barracas com o nome de Itachi em cima. — Ele é um completo babaca.

 

— Sempre o outro é o babaca, mas escuta o que eu digo. — Itachi foi até o irmão visualizando o esquema lá fora. — Homem nenhum é melhor do que você, se você ama essa menina mesmo, vai em frente seu fresco, ou quer perde a pepeca?

 

— Itachi sai do meu quarto, pelo amor de Deus. — Sasuke passou as mãos pelo rosto, Itachi sorriu tocando seus dois dedos na testa do irmão que riu em seguida. — Apesar de você dá conselhos idiotas, eu amo você.

 

— Tá! E eu vou dormi lá fora com aquelas meninas. — Falou sarcástico. 

 

Itachi saiu logo em seguida, “eu te amo mesmo seu babaca” — Pensou o Uchiha mais novo, Itachi poderia ser o mais irmão mais babaca no mundo, mas ele o amava, e ouvi-lo naquele tom de...

 

— Mas que porra é essa? — Lá estava Itachi caminhando pela rua, chegou perto das meninas que montavam as barracas e se jogou dentro de uma. — Babaca, seu babaca.

 

Sasuke sorriu de canto, nem o próprio irmão duvidava de seu amor por ele, então Sakura não devia duvidar de seu amor por ela. Sasuke tinha que dá um jeito de se declarar para Sakura! Urgentemente.

 

.

.

 

Na manhã seguinte, Sasuke se olhava no espelho, ele tinha que falar a Sakura tudo que sentia, seu peito estava doendo por dentro. Sakura estava triste com alguma coisa, e ele queria ajudar, queria que ela soubesse que podia contar com ele, e para que tudo isso acontecesse ele precisava virar homem o suficiente para dizer o que queria.

 

Ele se olhava no espelho, estava vestindo com uma blusa de mangas compridas, branca. Com uma calça preta e seu tênis não muito popular. Estava lindo de morrer, mas não era com isso que o Uchiha estava preocupado. Ele precisava treinar para falar com Sakura, se passasse mais um dia sem ela, talvez ele mesmo não aguentasse mais.

 

Ele respirou profundamente, olhou-se no espelho novamente, sorriu sendo sedutor, e depois desanimou. Pensou em se aproximar de Sakura e dizer o que sentia, na frente de todos? É né, o pior que poderia acontecer e ela te chamar de gay, e dizer que não se importa.  — Aí! — Sasuke resmungou, acho que isso o machucaria não? Talvez falasse quando ela fosse para a aula, bom seria legal, falaria o que tinha para falar, nada poderia o impedir.

 

De repente— a porta do banheiro é aberta, e lá estava Itachi Uchiha em pessoa, ele olhou o irmão mais novo dos pés à cabeça e depois balançou a cabeça negando algo.

 

— Pra onde você vai? — Perguntou.

 

— Que pergunta idiota. — Sasuke saiu do banheiro passando por ele. — Estou indo para a escola.

 

— Fala sério Uchiha Sasuke, como você vai para a escola com essa roupa de mocinha, esse tênis de gay, as pessoas lá devem achar que você é gay né? No mínimo. — Sasuke parou no momento, deixou sua bolsa de lado e virou para o irmão. — Não falei.

 

— O que tem de errado com minha roupa? Porra, eu não vou andar igual a um... Sei lá o que, eu não sou vocês.

 

— Claro que não, nós somos homens. —Replicou, Sasuke suspirou. — Não é todo dia que eu estou aqui, então hoje, você não vai como se fosse gay. Hoje você vai como homem.

 

— Me poupe. — Sasuke nem terminou de falar, Itachi o pegou pelo pescoço saindo porta a fora — Itachi seu merda...

 

— Para de reclamar, deve ser por isso que a menina nunca olha pra você, parece um nerd, se dúvida, você é gay, e o nerd da escola, só pode. — Itachi ia bufando. — Como meu irmão, o irmão de Itachi Uchiha, um canto famoso, anda que nem um veado por e? Eu não estou acreditando que nós temos o mesmo sangue, você devia pegar uma mulher diferente todo santo dia. — Itachi entrou em seu quarto altamente organizado e soltou o irmão para ir em direção ao guarda-roupa. — Você tem sangue Uchiha, você não pode ser tolo.

 

— Para de me ofender. — Sasuke ajeitou a camisa. — Eu não quero sair por aí pegando ninguém, sou apaixonado por uma garota apenas, e só quero se for ela.

 

— E você a quer dessa forma? Essa menina que você gosta deve ser popular, e esse jeito de gay nunca irá conquistá-la. — Sasuke se calou, mesmo querendo muito bater no irmão, Itachi estava certo. — Vamos ver. Pega essa blusa aí. — Jogou em uma blusa negra em cima de Sasuke, era ela meio aberta na frente deixando um pouco do peito amostrar, Sasuke fez uma careta.

 

— Não vou usar isso. — Falou jogando a blusa para longe.

 

— Por quê?

 

— É indecente. Fala sério, me deixar em paz. — Itachi estreitou os olhos, e se aproximou do moreno mais novo, puxou a camisa branca para cima bagunçando os cabelos recém-arrumados e jogou a camisa longe. — Itachi?

 

— Para de ser gay, vesti logo. — Mandou. Sasuke a vestiu com raiva, mas vestiu. O que ficou perfeita no poeta, Itachi sorriu com orgulho, até limpou uma lagrima que fingiu cair. — Você ficou tão bonito, o meu Deus, eles crescem tão rápido.

 

— Vai se dana. — Sasuke saiu do quarto bufando, ele já estava atrasado, não trocaria de blusa, mas vestiria o sobretudo dentro do carro e o fecharia até o pescoço.

 

.

.

 

Na escola, Sakura chegou sendo acompanhada pelos olhares de todos, sempre fora assim, hoje Sakura estava deslumbrante, tinha acordado feliz naquela quinta-feira, e nada, mais nadinha mesmo poderia mudar aquele status.

 

Quando entrou na escola avistou Yuno logo de primeira, ela estava conversando com uma amiga, e quando seu olhar cruzou com o da rosada, saiu até faísca. E o pior de encarar e sentir ódio de uma pessoa sem saber o motivo, era ter raiva de uma pessoa por que tinha um motivo que tinha nome e sobrenome, e um olhar maravilhoso, braços firmes e também uma inteligência acima de todas e também...

 

— Sakura — A rosada deu um pulo saindo de seus pensamentos ela virou-se encontrando Sasori, logo se sentiu pequena diante dele, as palavras do ruivo rodearam sua mente, ela arfou.

 

— Sasori, por favor...

 

— Calma tudo bem. — Ele falou tão gentil que Sakura firmou-se no outro pé sem saber o que falar. — Quero te fazer um convite.

 

O timbre de voz de Sasori era tão calmo e sedutor que Sakura nem sabia se aquele mesmo homem a sua frente tentou agarrá-la no outro dia, e havia ameaçado a mesma.

 

— Um convite? — Perguntou desconfiada e cruzou os braços.

 

— Sim um convite. — Sasori aproximou-se de Sakura agarrando-a pela cintura e beijou seu nariz, arrancando uma risada da rosada. — Vamos ao cinema essa sexta?

 

— Cinema?

 

— Sim, você me disse que tinha um filme essa semana, um filme para casais, pensei que poderíamos assistir.

 

Sakura sentiu seu coração explodir de felicidade, de repente toda a tensão que estava do outro dia sumiu, seu Sasori tinha voltado, o encantador, galanteador, e o amor de sua vida, tinha voltado, ela o agarrou enchendo-o de beijos, e ele sorriu junto a ela.

 

— Cinema! — Ela se afastou. — Mas, você ser só nós dois?

 

— Claro, do jeito que você gosta gata. — Disse, e por fim, capturou os lábios rosados dela, beijando-a com carinho, Sakura se derreteu ainda mais, teve saudade daquele beijo.

 

Quando se separaram ficaram algum tempo grudados, as testas estavam coladas, as respirações ofegantes, Sakura sorriu feliz, estava nos braços do namorado que amava, logo deu um selinho no ruivo, e mais um sorriso largo.

 

— Eu te amo. — Sussurrou para o ruivo.

 

Talvez se ela tivesse dando apenas mais um beijo no ruivo, teria doído muito menos que um “eu te amo” no coração de Sasuke, que visualizava aquela cena bem a sua frente. Nem tinha entrado na escola, e já tinha se desanimado.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...