História O Nerd da Escola - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Clichê Amorzinho, Sasusaku
Visualizações 161
Palavras 2.174
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Seis


Fanfic / Fanfiction O Nerd da Escola - Capítulo 6 - Seis

Já fora, Sakura saiu de cabeça baixa, alguma coisa estava errada naquele colégio, e ela não sabia o que era. Andou pelos corredores com medo de voltar a ver Sasori com outra mulher, não queria ver aquilo novamente. Com toda certeza que partiria o coração, de novo. Na mesma hora, pensou em Sasori, claro, ela precisava ir vê-lo, há dias que não ia vê-lo treinar, fazia dias que ela não passava um tempo com ele, vai ver, era por isso que ele estava a traindo, Sakura suspirou culpada.

 

— A culpada dele está me traindo, sou eu mesma.

 

Ela suspirou novamente, e sem pensar duas vezes ela foi em direção ao ginásio. Ela se sentia culpada por não ser a namorada perfeita, estava preocupada demais com as aulas extras de Sasuke que nem se preocupava mais com o namorado, dos seus sonhos.

 

Ela entrou no ginásio, e logo ouviu o grito de Sasori, mandando todos para seus lugares, ela andou pela arquibancada procurando um lugar para senta-se. Avistou outras meninas gritando pelos seus namorados, quando finalmente encontrou um lugar, ela sentou-se com elegância que só Sakura Haruno tinha.
 

Prestou atenção nos movimentos do namorado, sempre bem posicionados, e unteis, não era à toa que Sasori era o melhor jogador, o acompanhando com os olhos, ela chegou a um ponto loiro, nas primeiras fileiras, essa passava um batom vermelho enquanto se olhava no espelho de mão.
Sakura sentiu seu sangue ferver, aquela mesma garota estava beijando Sasori no corredor, e com certeza, estaria ali por causa dele.

 

Sakura deu um sorriso de canto, ninguém tomaria Sasori de seus braços, e ela mostraria a todas ali presentes de que realmente Sasori era namorado. Logo buscou em sua bolsa o batom preferido em tom rosa, passou nos lábios deixando-os impecáveis, ajeitou sua roupa e levantou-se.


Andou calmamente chamando atenção de todos em seus assentos, afinal, era Sakura Haruno que estava ali, chegou à primeira fileira com um sorriso no rosto, e caminhou até a loira que ao vê-la parou de passar seu batom puta, — Assim como Sakura afirmou — e ajeitou-se rapidamente.

 

A rosada sentou ao seu lado com um sorriso encantador, jogou os cabelos batendo no rosto da menina e voltou a encarar os jogadores.


— Eles são ótimos não são? — A menina perguntou, sentando-se igual à rosada, Sakura a olhou ainda mais sorridente.

 

— Sim, são maravilhosos. — A rosada ajeitou os cabelos. — Pena que todos já tenham namoradas, acredito que está aqui por causa do seu. — Sakura riu.

 

— Não, não tenho. — Falou rapidamente e arriscou uma olhada para o corpo de Sasori suado e correndo pelo campo. Lembrou-se vagamente da noite quente.

 

— A você não tem? — Sakura virou-se para ela incrédula, a menina fez o mesmo. — Por isso está atrás de um, não? — A garota cruzou os braços olhando-a de cima. — Acredito que aqui você não consegue.

 

— Você que pensa. — A garota disse furiosa. Lembrando-se das palavras de Sasori “Você é mais importe que a rosada, termino com ela essa manhã, e então, nós ficamos juntos”.

 

— Você é que está muito engana, se pensar que aqui um irá te dá bola. — A menina sorriu mordendo a língua para não se gaba por já ter ido para cama com Sasori. — Mas até que você é botinha, talvez você agarre um ou dois, por uma noite. — Sakura levantou-se e ajeitou os cabelos olhando a garota. — Mas sempre eles vão preferir à namorada, é claro. São essas que eles dão realmente importância. — Disse sorrindo vitoriosa a menina ficou séria, sentindo o peso de cada palavra dita.

 

— Sakura! — Ela ouviu a voz que a fazia sentir-se feliz, deu uma piscadela para a menina a sua frente e virou-se encontrado Sasori sem camisa, encostado na grade. — Quanto tempo você não vem me ver amor! — Ela aproximou- se dando um selinho no ruivo.

 

— Não se preocupe. Não vou mais deixar você sozinha, amor. Á partir de agora, virei te ver todos os dias. — Sussurrou o bastante para a garota ouvir.

 

— A, bom saber. — Ele desviou o olhar rapidamente para a menina atrás de Sakura que o olhava com ódio. — A, estava mesmo te procurando.

 

— É? E por quê? — Sakura sorriu.

 

— Quer sair comigo hoje? — Perguntou sedutoramente, Sakura se derreteu enchendo o namorado de beijos.

 

— Claro, claro que sim meu amor... — Murmurou feliz. — Sinto-me feliz, obrigada.

 

— Você disse mais cedo que fazia alguns dias em que a gente não saia, então, vamos hoje.

 

— Claro que sim, eu vou indo então. Preciso me arrumar.

 

— Te pego as sete, não se atrase.

 

— Tudo bem.

 

Disse animada, beijou Sasori e saiu correndo. Sasori e a loira sentada cheia de raiva esperou ela sair do ginásio para se olharem novamente. Dando um sorriso safado ele virou as costas para ir embora.

 

— Ei espera, Sasori. — A loira gritou. O ruivo parou e virou-se para ela. — Porque a chamou para sair? Pensei que você tinha dito que ia terminar com aquela coisa rosa. — Ele sorriu debochando da garota que sentiu seu peito doer. — O-o que é tão engraçado?

 

— Você achar que eu terminaria com ela, por você. — Ele gargalhou, a garota respirou rispidamente antes de pensar nas palavras dele. Eram todas mentirosas. Maldito Sasori.

 

— Você disse que me amava. — Ela abriu os olhos sentindo as lágrimas cair. — Você falou ontem. — Replicou limpando o rosto.

 

— Também disse que você transava bem, né? — Ele virou as costas. — Era mentira, também. — Completou correndo para seu posto.

 

A loira deu um passo para trás e olhou em volta, viu Ino lhe olhar com pena, voltou para o banco pegando sua bolsa e subiu as escadas correndo e magoada, quando pensou que seria amada, popular e respeitada, tudo deu errado. Sasori a tratou como mais uma, somente para satisfazer seus desejos. Maldito homem encantador. Deveria saber a verdade quando notou tão em cima de si. Não notou o quão falso ele era mesmo ouvindo das suas amigas.

.

.

    Depois de Sasuke finalmente criar coragem para sair da biblioteca, ele foi embora, caminhou pelos corredores quase vazios daquele lugar, foi até seu armário, e antes mesmo de terminar de guarda os livros que não precisaria mais aquele dia, sua “Amiga” chegou.

 

— E então! Como foi? — Yuno perguntou empolgada, apesar de doer mais nela, ela tinha que saber. Ela fechou a porta do armário quando chegou e ficou a sua frente. — Você faz o que eu falei?

 

— A claro. — Ele corou olhando-a nos olhos, e logo desviou o olhar começando a andar. – Você tinha razão quando disse que ela veria Sasori com aquela menina no corredor, Sakura realmente chegou arrasada, então eu a abracei — Yuno parou de andar, e consequentemente, Sasuke fez o mesmo. — O que foi?

 

— Você não precisava ser tão rápido. — Avisou. — Ela irá achar que está dando em cima dela. — Disse meio sem jeito.

 

— É isso que eu estou tentando fazer, não é? — Ele segurou o braço da menina, trançando-os e, voltaram a andar. — Mas naquele momento eu não queria exatamente dá em cima dela, ela só precisava de um abraço, e eu resolvi dá. Claro que ela ficou com raiva, e falou que se eu fizesse aquilo de novo, ela iria embora. – Ele sorriu.
 

Yuno concordou meio sem graça, ouvir o garoto que você gostava falar de outra menina era doloroso demais para ela, porém ela escutaria cada palavra se fosse preciso.

 

— Bom, eu tenho que ir para casa, até amanhã — Ele soltou do braço dela, e quando pensou em se afastar ela segurou sua mão. — Que?

 


— Me dá uma carona? — Perguntou meio corada. — Minha irmã está ocupada hoje de novo, e não queria passar à tarde inteira aqui. — Ela sorriu meiga, Sasuke sorriu junto, corado.

 

— C-claro, porque não? – Ele começou a andar, sem notar que a menina segurava sua mão. Ela corou ao perceber Sasuke segurar a sua, achava ela que ele fazia de propósito, mal sabia a mesma que ele ainda não havia percebido.


Sasuke a levou até seu carro abriu a porta do carona para ela, e depois fechou, rodeou seu carro entrou e deu partida.

 

Ao longe, Sakura estava paralisada em frente ao seu carro, prestou atenção em casa detalhe daquele “casal”, notou que Sasuke segurava a mão dela com força. E também que abrirá a porta do carro para ela.

Mordeu os lábios com força, não queria se senti incomodada com aquilo, afinal, eles não tinham nada a ver, mas algo naquele menino, algo naquele casal, a deixava inteiramente raivosa, sem saber por quê.
 

.

.

 

    Em meio a tantas traições, para um lado, e um amor renegado para o outro, estava um casal inseparável. Gaara e Ino eram namorados dês dá 5° serie, e ambos tinham orgulho daquilo, sempre se comparavam aos namoros dos amigos que não completavam nem um ano de namoro e eles já iam para o sétimo.

 

Como todas as namoradas quase presentes, Ino esperava Gaara no ginásio, amava vê-lo correr suado, e abraça-la, odiava o odor que ficava em sua roupa de marca, mas amava sentir seus braços fortes rodearem-na e beijá-la loucamente na frente daquelas meninas.


E como todos os dias, lá vinha ele, veloz, e feliz por vê-la levantar e abrir seus braços, os corpos se colidiram e lá estavam eles, se abraçando, e beijando-se loucamente, mostrando todo seu amor em um único beijo.

 

— Então como eu fui? — Perguntou o ruivo assim que o beijo acabou.

 

— Perfeito como sempre meu amor, você é o melhor. — Ela respondeu abraçando-o de novo — Agora chega, toma um banho que eu quero que você me ajude a encontra uma roupa para mim.
 

— Sério Ino, de novo? — Ele resmungou. Levá-la para fazer as compras ela o Ô.

 

— Sim, afinal, nós vamos sair com seus amigos hoje, quer mesmo que eu escolha minha roupa sozinha? — Ele a olhou de canto. — Depois não reclame.

— Tudo bem, me de quinze minutos.


— Só? Só isso pra você está limpo depois de se jogar nessa lama mil vezes.


— Meia hora?

 

— Isso é muito.


— Eu amo você. — Disse isso, para não dizer outra coisa.


Quarenta minutos depois, eles estavam pelo shopping, Gaara achava entrando ser o único namorado a ajudar sua namorada no shopping, mas gostava daquilo, talvez fosse por isso que havia cultivado aquele namoro, e dando tudo de si para dá valor a namorada maravilhosa que tinha.

 

Mais à frente, Sakura procurava a roupa perfeita para o encontro de á noite, queria está perfeita para Sasori, queria está linda para que ele repasse só nela e em mais nenhuma outra. Ainda procurando sua roupa preferida, ela avistou Gaara e Ino, ambos sorrindo, abraçando-se, beijando-se, felizes. Sakura desanimou total, queria saber por que Sasori não era daquela forma com ela, queria saber por que ele não a tratava daquele jeito, mas ela logo se recompôs, a noite teria um encontro com Sasori, então não havia motivos para chorar.

 

.

.

 

    À noite, Sakura se arrumava intensamente feliz, estava animada por saber que iria se divertir com seu namorado, como no início do namorado dos dois. Sasori no começo, era um homem muito romântico, a levava para todos os lugares, mas de uns tempos para cá, havia mudado bastante.

 

— Hoje, eu só quero aproveitar. — Disse a si mesma toda feliz

 

Sakura tinha comprado um vestido de cor vermelha, ia até os joelhos, com decote comportado, arrumou os cabelos em um rabo de cavalo mal feito, mas ainda assim, estava perfeito, fazia uma maquiagem leve quando ouviu uma buzina, que ela reconheceria em qualquer lugar.


Correu para a janela, e viu Sasori já fora do carro, ela sorriu. Desceu as escadas de sua casa sorridente, animada e orgulhosa pelo namorado que tinha, mal tinha chegando ao andar de baixo quando ouviu a campainha.

 

— Oi amor — Sakura o cumprimentou quando abriu a porta, ele a olhou de cima a baixo e deu um sorriso malicioso.

 

— Não achar que está demais? — Perguntou puxando-a para um beijo. — Não importa, vamos que estamos atrasados.

 

Sasori soltou-a e quando a mesma virou-se para fecha a porta ela ouviu um grito quase irritante.

 

— Vamos logo ruivo, pega logo sua donzela não temos a noite toda. — Sakura virou-se com tudo para visualizar quem gritava daquela forma, logo percebeu que o carro de Sasori estava com mais dois amigos dele.

 

Sakura estranhou e andou um pouco mais rápido para alcançar o ruivo, e  o parou ali mesmo.

 

— O que há? — Ele perguntou.

 

— O que eles fazem aqui? — Perguntou sorrindo para o mesmo.

 

— Eles vão com a gente!


— Por quê? Eu achei que seríamos só nós dois. Como você disse.


— Não. Eu disse que sairíamos juntos, não que íamos só nós dois, eu e você. Estamos nós dois juntos, e eles horas.

 

Explicou como se fosse obvio, Sakura ficou parada por um momento sem acreditar naquelas palavras de Sasori, por um momento pensou em volta para dentro de casa, mas assim, o deixaria zangado.

 

— Vamos Sakura!

 

— Tá — Ela respirou fundo e foi até o carro, sentou no banco da frente para onde foi mandada.

 

— Está uma gata Sakurazinha — Um dos amigos falou ao pé do ouvido dela, Sakura se tremeu por completa, olhou para Sasori pedindo ajuda, mas o mesmo nem a encarou.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...