História O Nerd da Escola - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Clichê Amorzinho, Sasusaku
Visualizações 153
Palavras 2.562
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Nove


Fanfic / Fanfiction O Nerd da Escola - Capítulo 9 - Nove

Naquela noite, Sakura não conseguiu fechar os olhos e dormi tranquilamente, pensou em cada segundo que passou ao lado de Sasuke, não por gosta, nem nada disso, e sim pelas palavras proferidas dos lábios finos dele. Lábios aqueles, que por alguns segundos, Sakura quis que tocassem os seus, mas em outro, queria ter quebrados os mesmos, quem ele pensava que era para tratá-la daquela forma, e ainda chamo-a de irritante?

 

Deitou sua cabeça no colchão revirando na cama, não conseguia dormi, o olhar de Sasuke vinha a todo o momento que fechava os olhos, o brilho, a paixão que transmitiram para ela naquele pequeno impasse de tempo, ainda fazia efeito naquela noite. Virou na cama ficando de barriga para cima, os cabelos que viu cair por cima do rosto de Sasuke naquele momento, deixavam Sakura louca, porque foi naquele segundo, que ela descobriu o brilho nos olhos do Uchiha, e sua beleza foi mostrada, uma beleza que ela nunca tinha percebido.

 

Voltou-se a virar na cama, e a lua iluminou seu rosto, ela respirou profundamente relaxando o corpo, e mais uma vez, virou na cama, não conseguiria pega no sono. Definitivamente.

 

— Maldito Uchiha! — Reclamou.

 

.

.

 

Já Sasuke, trocava os canais da TV, entediado. Já tinha desistido de tentar dormi. Sakura não saia de seus pensamentos. Nunca tinha saído para ser mais sensato. Mas naquele dia, as lembranças eram mais fortes, Sakura tinha estado por minutos em seus braços, Sasuke sorriu de canto.

 

Sakura estava tão próxima dele que quase ele não conseguia raciocinar, mas ele não podia o perdê-lo, Sakura era uma mulher a ser respeitada, assim como todas as outras, e além do mais, ela tinha um compromisso com um vadio qualquer. Mesmo não querendo admitir, mas Sakura naquele momento era de outro homem, então porque beijar algo que não era seu... Ele passou as mãos pelos cabelos. “Ela não era sua!” Frase destruidora. Mas não seria dita para sempre. Disso ele tinha certeza.

 

Entre canais e outros, ele parou em um, reconhecendo o cantor daquele clipe famoso, seu irmão brilhava naquele momento, ele cantava uma música romântica, romântica demais para o tom de voz que ele usava, mas ainda assim era tão perfeita. Enquanto ouvia atentamente aquela música, Sasuke reconheceu na hora “um verso”, verso aquele que o deixou de boca aberta.

 

— Bisbilhoteiro. — Reclamou trocando novamente de canal, já estava enjoado de ver a cara de seu irmão.

Desligando a TV, ele encarou seu quarto, mas uma noite passaria acordado pensando em Sakura.

 

.

.

 

Ino sentou na cama quase no pulo, apoiou seu corpo sentado com as mãos para trás, e olhou em volta, estava suada, e assustada, olhou para baixo dando de cara com a visão do paraíso, Gaara estava deitado de bruços, ela sorriu, estava belo como um anjo.

 

O telefone voltou a tocar, e só naquele momento, ela percebeu que fora aquele barulho irritante que a vez acordar de seu sono mal dormido, ela colocou as pernas para fora da cama, puxando um pouco o lençol para cobrir os seios, ela o rodou pelo corpo, e buscou o telefone no criado mudo.

 

— Alô? Ino é a Sakura. — Falou baixinho, Ino estreitou os olhos.

 

— Aconteceu alguma coisa, Sakura? — Ino olhou para o relógio, eram quase seis da manhã, para Sakura está ligando aquele momento só podia ter morrido alguém, que ela gostava.

 

— Não, eu só... — Ino esperou ela dizer que precisava da ajuda, sem muita ansiedade, afinal um pedido de ajuda vindo de Sakura seria um milagre. — Estava acordada, então queria saber se você estava também. — Ino bufou.

 

— A claro.

— O que está fazendo?

 

— Bom... — Naquele momento, Ino sentiu um toque das mãos gélidas de Gaara em suas costas, ela o olhou por cima do ombro, ele tinha acordado, ela sorriu de canto o vendo virar o rosto e deitar de novo. — Estou fazendo café... Quer conversar? Precisa de ajuda?

 

Ino não soube o que estava falando, perdeu a noção da vida quando Gaara voltou a olhá-la, sempre com um sorriso sedutor, e um olhar faminto, aquele era seu namorado.

 

— Ajuda? Quem foi que pediu ajudar? Já disse que estava acordada, e queria saber se você também estava, ué somos amigas.

 

— Isso não é motivo, Sakura. — Ino voltou sua atenção para a ligação. — Me deixa adivinhar, você e o Sasori brigaram e você passou a noite acordada?

 

— Eu e o Sasori nunca brigamos, nós dois nos damos muito bem, sabia? — Reclamou mentindo, Ino revirou os olhos. — Quero alguém para falar comigo hoje, você topa?

 

— Claro. Onde e quando? — Gaara aproximou-se de Ino sentando atrás dela, botando-a entre suas pernas, Ino engoliu a seco.

 

Gaara passou as mãos por suas costas, subindo lentamente, chegando aos cabelos loiros, tirou-os de suas costas, colocando-os de lado, deixando seu pescoço revelado. Ele deu um pequeno beijo naquela região, e sorriu, fazendo a menina se arrepiar.

 

— Ás 16hs no shopping.

 

— Porque tão tarde? Não pode ser depois da aula? — Perguntou trêmula, os beijos de Gaara estavam a deixando excitada logo pela manhã.

 

Sakura bufou! Claro que depois da aula era o horário perfeito para todo mundo, porém, Sakura, agora, tinha que está dentro da biblioteca estudando porque realmente ela queria passar na provar do bimestre para pode participar do concurso de rainha, a garota Premium da Primavera.

 

— Hora Ino, eu vou assistir ao treino dos meninos. — Falou de imediato, e ouviu um gemido. — Ino?

 

— O que? Estou aqui, te vejo lá. — Ela desligou o telefone.

 

.

.

 

Sakura encarou o telefone depois de encerrar a ligação, e encarou seu quarto. Olhou para sua cama, e imaginou que naquele momento Ino estava com Gaara deitados, e juntos. Abraçados se amando loucamente como sempre, e de novo, passou uma dor em seu coração inveja do romance da sua amiga. Porque o dela com Sasori não era assim?

 

Claro que ele queria que fosse assim, mas Sakura tinha medo de se entregar para ele do mesmo jeito das amigas. Sentia medo e desconfortável, como perde algo como “aquilo” com uma pessoa assim?

 

Suspirou, olhou para seu celular procurando alguma mensagem de Sasori, ele não tinha ligado naquela noite, nem para saber se ela tinha chegando em casa viva, ou pelo menos para pergunta onde ela se meteu naquela noite. Pois ela saiu sem avisá-lo.

 

Mal terminou o pensamento, e o alerta de mensagem apitou em seu celular, ela voltou a olhá-lo, e viu o nome de Sasori na tela, ela deu um pulo da cama toda animada, não poderia sorrir mais que estava sorrindo naquele segundo, logo abriu a mensagem. “Estou aqui fora, precisamos conversar”. Sakura sorriu correu até a janela e viu o carro de Sasori.

 

Ele estava ali por ela, melhor que mandar mensagens ou ligar, era ele aparecer em pessoa. Logo Sakura pensou no que tinha pensado dele no momento anterior, que idiota era ela, Sasori era o namorado de seus sonhos, não tão perfeito como ela queria, mas era seu namorado, claro que ele se preocuparia com ela.

 

“Estou descendo”. Respondeu quase imediatamente, olhou-se no espelho por alguns segundos, e saiu do quarto. Correu para fora de casa, Sasori estava ali, parado com as mãos no bolso.

 

Logo ela o alcançou, abraçou-o beijando sua boca em seguida, o que não foi correspondida, ela estranhou o fato, soltou sua boca e depois Sasori, meio desanimada, ela fitou o ruivo, percebendo a fúria nos olhos dele.

 

— Onde você se meteu ontem à noite? — Perguntou, sua voz estava carregando de fúria, Sakura engoliu a seco.

 

— Eu sair para tomar um ar, estava entediado.

 

— Fala sério? Eu te levei porque queria te apresentar para uma pessoa e você some. — Sasori gritou com ela, assustando a mesma.

 

Sakura deixou uma lagrima cair, mesmo não tento percebido á hora que começou a chorar. Mas uma vez as atitudes dela estavam erradas. O namorado perfeito a tinha levado para algo importante, e sem ela saber, estragou aquilo. Que espécie de namorada ela era? Só pensava em si mesmo, não pensou nos sentimentos de Sasori, nem no que ele queria.

 

— Desculpe. — Ela pediu de cabeça baixa — Eu não sabia.

 

— Você devia saber. — Reclamou virando as costas.

 

— Espera — Ele parou de andar. — Você também devia me pedir desculpas, eu pensei que sairíamos nós dois. E você me levou para um bar com seus amigos.

 

— Olha aqui — Ele voltou ficando à frente da menina, apontando seu dedo indicado em seu rosto molhado. — Eu queria ter saído com você gata, só nós dois, mas você nunca faz o que eu quero fazer quando estou sozinho com você, sacou? — Sakura engoliu a seco novamente. — Só que ontem, eu queria te apresentar para uma pessoa, e você foi embora, você não é uma boa namorada sabia?

 

— Desculpe, mas eu não gosto de ser ignorada como você fez comigo. — Ela cruzou os braços desviando olhar. — Você também não é um bom namorado.

 

— Ok então — Sasori deu de ombros. — É só a gente dá um tempo. — Falou voltando a caminhar, mas seu braço foi segurando. — Que foi?

 

— Um tempo não. Desculpe-me, eu que sou uma péssima namorada, me perdoe. — O abraçou soluçando. — Me desculpe mesmo, você sabe que eu te amo, não precisamos terminar, nem dá tempo, prometo concerta o que eu errei.

 

— Promete? — Perguntou malicioso, abraçando a menina, passou suas mãos grandes, pela bunda da rosada apertando-a, a mesma deu um pulo, mas continuou no lugar. — Como?

 

— Eu, E-eu...

 

— Eu tenho uma ideia boa. — Ela corou, desfazendo o abraçou o encarou tímida. — Você é ridícula Sakura. — Resmungou ele, virando as costas. — Namoramos há anos. Acho que deveríamos ter avançado há séculos. — Ele entrou no carro.

 

— Você disse que me esperaria. — Sussurrou, Sasori sorriu de canto olhando para frente.

 

— Não morrerei virgem, Sakura. — Ele ligou o carro. — Se eu não puder fazer isso com você eu vou fazer com outra.

 

— Você não pode me trair, você é meu namorado, um namorado de verdade não trai Sasori — Sussurrou para ele. — E eu te amo.

 

— Isso não basta para mim gata, é melhor resolver o que você quer da vida, eu não sou de aço, para te esperar e, muito menos aguentar suas burradas sem ter nada em trocar.

 

Sakura viu o carro do ruivo parti logo em seguida, sem saber o que fazer, Sakura amava aquele homem, e não queria perdê-lo, nem que para isso ela devesse dá o que ele queria.

 

Ela suspirou mais uma vez.

 

 — Que Idiota que eu sou.

 

Murmurou deixando mais lágrimas cair. Voltou para casa encontrando sua mãe na porta, ela estava de braços cruzados, fitando-a séria, Sakura parou na sua frente e terminou de secar seu rosto.

 

— O que houve, entre você e seu namorado? — Ela perguntou, Sakura abaixou um pouco a cabeça e depois levantou sorrindo.

 

— Ele é tão romântico que me faz chorar todas as vezes que fala comigo. — Falou.

 

— Ai meu Deus que lindo. Ele é um cara muito bom para você, não? — Ela disse animada enquanto caminhava para a cozinha. Sakura suspirou e subiu o primeiro degrau da escola.

 

— Sim! Ele é um cara muito bom. — Respondeu subindo as escadas e voltando a chorar.

 

.

.

 

Quando a rosada chegou à escola, ela vasculhou aquele lugar a procura de Sasori, queria falar com ele, não deixaria uma briga boba deixar ambos afastados. Ela era namorada Sasori há anos, e realmente, já deveria se sentir preparada para aquelas coisas, mas não estava. Tinha medo, insegurança. Sasori não lhe passava a segurança que precisava para se entregar, então como ela faria aquilo? Contudo, se não o fizesse, perderia o amor de sua vida, e ela não queria aquilo.

 

Andando pelos corredores, a procura de uma cabeleira ruiva, ela viu Sasuke, ele estava sentado lendo um livro em um dos bancos, mas afastados dos corredores principais, ele parecia muito concentrado. Naquele momento, Sakura sentiu-se brava, lembrou-se das palavras dele da noite anterior, e a raiva lhe subiu pela cabeça, mas ao mesmo tempo, o brilho nos olhos dele naquela mesma noite, a fez arfar pedindo ar, Sasuke era lindo – Irritante e maldoso – Mas acima de tudo, era lindo.

 

Quando ela deu um passo em sua direção, Sakura viu Yuno entrar no corredor, ambas pararam de caminhar. Yuno deu um passo para trás, não podia acreditar que era Sakura que estava ali do outro lado, e mais próxima de Sasuke.

 

Yuno sentiu-se ameaçada ao nível tão alto que seu peito doeu. Certo que ela tinha prometido que ajudaria Sasuke à conquista aquela garota do outro lado, mas não disse quando... Tinha dado umas dicas a ele no outro dia, só que as dicas não eram para Sakura se aproxima, e sim ao contrário.

 

E mesmo assim, ela estava ali, parada, pronta para falar com ele, Yuno mordeu os lábios, olhou para Sasuke que mudou a página que estava lendo sem perceber a confusão que se passava ali. Yuno deu mais um passo para trás, ela deixaria aquela oportunidade para eles. Deu uma última olhada para Sasuke que estava mais lindo que nos outros dias... Ela suspirou, tinha desistido de seu amor... Droga! Quem era ela? Ela não poderia desistir de seu amor, ela olhou para Sakura que a olhava raivosa.

 

Por algum motivo, Sakura odiava aquela menina, e porque ela também estava aqui? Sakura cerrou os punhos, e deu um passo para frente, quando percebeu a aproximação da menina, Yuno sorriu para ela, não de forma gentil, e sim a desafiando.

 

Sakura abriu a boca em perfeito “O” ela não iria ser desafiada por uma garota daquelas, deu mais um passo para frente, fazendo um pequeno barulho com o salto, Sasuke se espantou, Sakura sorriu, ele iria olhá-la primeiro que Yuno.

 

— Sasuke? — O moreno olhou em direção a Yuno, que abriu um sorriso tamanho do mundo, Sakura arregalou os olhos dando um passo para trás, aquilo tinha sido golpe baixo. — Como você está?

 

Sasuke levantou para cumprimentar a amiga, que se jogou em seus braços abraçando-o de repente. Uma olhada por cima do ombro do Uchiha bastou para Sakura morder os lábios ferozmente e bater o pé saindo dali.

 

— Estou bem — Respondeu tirando as mãos da menina de seu pescoço estranhando sua ação repentina. — O que você tem?

 

— Nada — Respondeu olhando para o corredor à frente, Sasuke seguiu seu olhar, e não achou nada de interessante. — Então, alguma novidade?

 

— Várias. — Ele pegou sua bolsa em cima do banco. — Encontrei com ela ontem quando saia de uma livraria. — Yuno o olhou, incrédula. — E bom...

 

— E bom? E bom, o que? — Perguntou desesperada parando a frente do menino. — Você falou com ela Sasuke? Eu disse a você que quando encontrasse com ela na rua era para fingir que não a conhecia.

 

—Eu tentei, mas ela me pediu ajuda, e foi atrás de mim, eu tinha que falar com ela. — Sasuke explicou tudo o que tinha acontecido à morena, ela sorriu com o final, e abraçou o amigo de novo.

 

— Você fez bem, aquela cobra precisa de uma lição, não é você que tem que mudar, ela também precisa, afinal, a malvada aqui é ela não é?

 

Sasuke encarou a menina a sua frente, se ela não tivesse o “Ajudando” ele iria embora naquele momento, não gostava que falassem mal de Sakura na sua frente, mesmo cada palavra sendo verdadeira. Ele voltou a caminhar botando as mãos no bolso, e logo em seguida fora seguido pela morena que agarrou em seu braço. Nem afastá-la ele fez questão, pois não queria olhá-la naquele momento.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...