História O nerd da minha vida - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel
Personagens Adriano Ramos, Alícia Gusman, Bibi Smith, Carmen Carrilho, Cirilo Rivera, Daniel Zapata, Davi Rabinovich, Jaime Palillo, Jorge Cavalieri, Kokimoto Mishima, Laura Gianolli, Marcelina Guerra, Margarida Garcia, Maria Joaquina Medsen, Mário Ayala, Paulo Guerra, Valéria Ferreira
Tags Carmem Carrilho, Carrossel, Cirilo Rivera, Ciriquina, Daléria, Davi Rabinovich, Jorge Cavalieri, Kokimoto Mishima, Margarida Garcia, Maria Joaquina Medsen, Nerd, Paulo Guerra, Romance, Valéria Ferreira
Exibições 50
Palavras 1.220
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Leiam as notas finais e espero que gostem!

Capítulo 29 - Capítulo 29


Anteriormente em O nerd da minha vida...

—Tenho que pagar as aulas de Cirilo. 

—Credo, ele vai cobrar de você? —Valéria revira os olhos e gira o corpo em direção ao carro. —Que tipo de garoto ele é?

—Eu não deixaria que ele mudasse de ideia só porque me beijou no corredor. 

—Oh. Meu. Deus! —Valéria se interrompe antes de abrir a porta do carro e olha para mim com os olhos castanhos bem abertos. —Diga que ele te convidou para o Baile de Primavera!

—Convidou desde que eu aceitasse. 

—Ai, isso é ótimo! Nós duas temos companhia para o baile mesmo depois do desastre das eleições, nem acredito! Nem acredito! —Valéria me abraça forte. 

—Só tem um problema. —Hesito. 

—Qual? —Valéria chacoalha os cabelos escuros em incompreensão, franzindo o cenho com uma expressão de estranhamento. 

—Não sei se meus pais me deixarão ir. 

—Como não? 

—Ainda não passei de ano, lembra? —Contorno o carro. 

—Essa não! Vamos para a minha casa, faremos um intensivão de estudos neste final de semana! —Valéria abre a porta do carro decidida e entra. 

—Você vai mesmo me ajudar? —Sento-me ao lado dela e bato a porta, colocando a minha bolsa nas pernas. 

—É pra isso que melhores amigas servem! —Valéria decreta, dando partida no carro.

 

 

A última vez que falei com Cirilo foi depois da aula, antes do final de semana. Ele não retornou minhas mensagens e considerei que talvez estivesse ocupado. Acabei me concentrando nos estudos, o que por um lado foi bom, já que eu preciso mesmo passar de ano… Li o livro A Culpa é das Estrelas que Leah me emprestou (como ninguém me avisou que as frases da capa eram verdadeiras e que eu iria chorar tanto?) e até treinei acrobacias novas para os treinos que acontecem no campeonato de verão. 

Segunda-feira, quando Cirilo não apareceu na aula, fiquei preocupada e tive certeza de que algo muito bizarro havia acontecido. Ele não é de faltar. Só espero que não seja nada com Leah.

Aproximei-me de Kokimoto durante o intervalo. Eu o vi de longe no pátio, sentado sozinho a uma mesa, comendo sanduíche de manteiga de amendoim e tomando uma garrafa de suco de morango, alternando as mãos entre segurar a comida e o videogame portátil. 

—Oi, Koki. —Espalmo as duas mãos na mesa, olhando para meu esmalte rosa pink berrante que combina com meu sapato de salto e as presilhas que coloquei no cabelo ao me arrumar de manhã. 

—Ei! Maria Joaquina! —Kokimoto me lança um sorriso, usando uma camisa xadrez preta e branca com um colete preto; acho que ele está buscando algum estilo com esse figurino, mas lembrei-me do Boy George. —Veio me agradecer o estouro de vendas? 

—Quê? Como assim estouro? 

—Você vendeu todos os sapatos e roupas no leilão, não viu? —Koki limpa a mão na calça jeans de um jeito pavoroso e pega seu celular. Ele digita algumas coisas e me mostra a tela. —Aqui, o dinheiro já foi para sua conta. 

Meus olhos não podem acreditar no que vejo. Um saldo verdinho e gordo. Meu queixo fica rente ao chão. 

—Mas eu nem recebi notificação, como você disse que apareceria no meu celular! —Uau! Eu vendi tudo! Vitória! 

—Devo ter anotado o número errado, sei lá. —Kokimoto dá de ombros e guarda o celular de volta no bolso. Pega o sanduíche e morde. 

—Isso é realmente incrível, Koki! Obrigada! —Abro um sorriso enorme. 

—Se precisar de ajuda para embalar os produtos, me avise —ele comenta com uma bola de comida esticando-lhe a bochecha direita. 

—Você viu Cirilo? 

—Não, não vi —Koki responde largando o sanduíche e pegando o videogame. —Por quê? 

—Ele não esteve presente em nenhuma aula hoje, fiquei preocupada. Cirilo não é muito de faltar…

—Tem razão. Talvez tenha acontecido algo com a irmã. 

—Oh, espero que não! —Meu coração palpita. 

—Se bem que, se fosse algo assim grave, ele avisaria —Koki completa, comprimindo os ombros com desinteresse, mas eu fico ainda mais apreensiva. —Já tentou ligar para ele? 

—Cai na caixa postal. 

—Mensagem? 

—Ele não responde. 

—Ué… Bom —Koki pega o celular do bolso de novo —, vou tentar falar com ele; se eu conseguir, te aviso. 

—Obrigada, Koki. 

—Não tem de quê. 

Encho as bochechas de ar e retorno batendo os saltos por todo o caminho até a cafeteria, onde deixei Valéria. Sento-me na cadeira, murchando como um balão de ar no fim da festa. 

—Ih, o que foi? —Valéria tira o canudo verde-escuro da boca cheia de gloss.

Minha amiga voltou a se arrumar normalmente e, por sorte, aquela mania de desfilar de uniforme de líder de torcida não voltou. É uma nova fase: ela está com uma camiseta preta justinha no corpo e jeans, mas a camiseta tem uma estampa bem nerd com um alien de um filme terrível a que ela me fez assistir no sábado, e eu tive até pesadelos com os monstrinhos nojentos. 

—Koki também não sabe onde Cirilo está —aviso, pendurando a cabeça na mão, segurando minha testa. 

—Hummmm. Ele não sabe ou não quer dizer? —ela se inclina para cochichar. 

—Como assim? —Ergo a cabeça. 

—Você sabe! —Ela joga os olhos de um lado para o outro. —E se Cirilo Rivera estiver evitando você? 

—Evitando? Por que ele me evitaria? Ele me beijou e me chamou para o baile. 

—Duhh, eu sei, mas e se for por vingança? Bem, você sabe, ele pode achar que foi você que jogou café na cara dele aquela vez. —Valéria planta a sementinha da dúvida em mim. 

—Nossa, será que ele acha? —Penso um pouco a respeito. Tá, possivelmente Cirilo acha que fui eu e, a menos que Valéria peça as desculpas que prometeu, não tem como ele saber que não fui a culpada. Balanço a cabeça em negação. —Não, ele não faria algo tão vingativo. Cirilo é muito íntegro. 

—Uau! —Valéria ergue as sobrancelhas e coloca o canudo na boca de novo. Fixo o olhar nela esperando uma explicação. —Já está até defendendo as ações dele; o negócio deve estar sério. 

—Engraçadinha! —Mostro-lhe a língua. —Acho melhor eu passar na casa dele, pode ser algo sério com a irmã. 

—Nesse caso, seria bom você visitá-lo depois da aula. —Valéria larga o copo em cima da mesa e bate palma uma vez. —Agora, deixa eu te contar a maior novidade! 

—O que foi? —Eu me endireito, surpresa com o sorriso enorme que se forma no rosto da minha amiga. —Davi disse algo? 

—Estou me referindo à Carmem Carrilho! Ela me mandou uma mensagem no celular. 

—Que ela queria? 

—Carmem disse que está apoiando você e torcendo pelo seu novo namoro. Ou seja, isso significa que ter terminado com Jorge não foi assim tão ruim, garantiu os votos de Carmem e suas meninas. Quem sabe você até ganhe as eleições? —Valéria vibra com as mãos para cima. —Mal posso esperar para ver a cara da Margarida! 

Ensaio um sorriso tolo para Valéria, não achei nem por um instante que Carmem fosse votar em Margarida já que elas se odeiam. Achei que Carmem ficaria brava e me excluiria do time de cheerleaders ao saber que eu não disputaria mais nada com Margarida. Que bom que isso não aconteceu. 

Durante o resto das aulas tento me concentrar, mas não consigo parar de pensar em Cirilo. Estou realmente preocupada.

 


Notas Finais


Meu Deus do céu! A Maria Joaquina vendeu tudo!!!! Uhul!!!! MAS... O que será que aconteceu com o Cirilo? Porque ele não foi na aula e não atende a Maria Joaquina? Será que aconteceu algo com a Leah ou ele está evitando a Maria Joaquina? O que será que houve? Até o próximo capítulo, beijo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...