História O Noivo - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Selena Gomez
Personagens Jaxon Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette, Personagens Originais, Selena Gomez
Tags Casamento, Jelena, Justin Bieber, Romance, Selena Gomez, Sexo, Virgindade
Exibições 846
Palavras 5.740
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 28 - Alice


Fanfic / Fanfiction O Noivo - Capítulo 28 - Alice

Justin Point Of View

03 de Fevereiro, 2017, Los Angeles.



Incríveis 8 meses de gravidez, incríveis 8 meses de perturbações, 8 meses ouvindo Selena reclamar de dores pelo corpo, 8 meses tendo que aturar a bipolaridade repentina da minha mulher e calado ainda por cima, pois eu não podia ousar ser grosso ou dizer qualquer coisa que não a agradasse que bastava para a morena começar com seu drama, seus gritos e seus choros incontroláveis.

Aliás, também faz 8 meses que ando sendo tratado basicamente como um objeto sexual dela, por mais que a morena esteja sentindo dores, enjoos cotidianos e um cansaço fora do normal, Selena tira forças sabe-se lá de onde para poder transar e claro eu tenho que fazer sua vontade, ou serei obrigado a presenciar seus escândalos.

Hoje mesmo, após chegar do trabalho e totalmente sem disposição até mesmo para andar, decidi de última hora não voltar para casa, pois eu sabia que ao chegar lá Selena estaria estar me esperando para cumprir com meu "dever" de marido e satisfazê-la sexualmente, o problema é que hoje não dá. Não estou aguentando nem comigo, quanto mais com ela que parece cada dia que passa, ela fica ainda mais pesada.

Meus pais não estavam em casa então optei por ir para o apartamento do Chaz e ficar por lá mesmo, ter uma noite de sono tranquila, porém isso não poderia se concretizar pois ao chegar lá, Hailey, a irmã dele informou-me que o mesmo estava na casa da noiva dele. Até possibilitei a ideia de ficar por ali com Hailey, mas desisti por dois motivos: Se Selena descobrisse iria ver coisas onde não tem e tentaria me matar sem ouvir minhas explicações, e segundo Hailey estava acompanhada de um rapaz e eu não queria atrapalhá-los.

O que acabou me restando foi ir para a casa de Kendall, lugar esse que eu não gostaria nenhum pouco de estar, mas irei. Ou era isso, ou ter que aturar as tentativas insistentes de Selena para transar e eu sentia que se fosse para casa, acabaria brigando com ela por estar sem paciência.

— Justin? — Kendall falou confusa, seu cenho franzido e sua expressão a denunciavam.

— Oi... posso dormir aqui? Prometo não interromper você e o Chaz, mas é que...

— Ok, para de falar e entra. Você fala muito Bieber, nossa! — Disse a morena entediada, puxando-me para dentro da casa. — O que aconteceu? Brigou com a Selena?

— Não, mas vou brigar se ela continuar com esse fogo. — Proferi, irritado sentando-me na poltrona, Kendall seguiu meus movimentos sentando no sofá bege em minha frente. Ela ria do que falei, como se fosse uma piada muito engraçada.

— A Selena sempre teve fogo com você, Jus. Não é lá uma novidade...

— Você também está grávida e por acaso está pedindo sexo toda hora para o Chaz?

— Toda hora não, mas se eu tiver afim irei pedir e na maioria das vezes ele faz. Por que reclama tanto da sua vida sexual? Tem mulheres que ao estarem grávidas não querem saber de sexo.

— Eu gostaria muito que Selena fosse uma dessas grávidas... — Murmurei insatisfeito, a morena em minha frente gargalhou.

— Veio pra cá por estar fugindo dela? — Assenti rapidamente. — E se ela vier pra cá te procurar?

— São nove horas da noite, Selena tem estado preguiçosa demais para sair da cama e vir atrás de mim, Kendall.

— E você se aproveita disso? Como você é mal, Justin! — Disse incrédula, dando um tapa em minha perna, ri esquivando-me de sua mão.

— A sua amiga que má, Kendall. Agora, se não se importa... irei para o quarto de hóspedes, ok? — Informei, ela assentiu e me levantei.

— Sim, mas antes... — Encarei-a curioso e notei que ela parecia nervosa em dizer-me algo. — O Chaz, Justin... ele não estava com você? — Franzi o cenho confuso, a morena suspirou pesadamente.

— Ele não está aqui? — Perguntei intrigado e ela negou. — Passei no apartamento dele e a Hailey disse que ele tinha vindo pra cá. Isso é estranho!

— E ele não atende o celular, já liguei dez vezes e só dá caixa postal. Estou cansada Justin, Alice está agitada e não parece estar com vontade de ficar quieta... - Choramingou, escondendo o rosto entre as mãos e por estar de cabeça baixa, seus cabelos negros acabaram voando para frente.

Aproximei-me dela e toquei carinhosamente em seu cabelo, o acariciando tentando chamar sua atenção. Agachei-me em sua frente e a fiz me encarar, seus olhos brilhavam por lágrimas.

— Fica calma, tá? Eu vou tentar descobrir onde ele está, mas você não pode ficar nervosa... pense na Alice, Kendall. Pensa só na sua filha, esquece aquele idiota! - A morena assentiu e de um modo inesperado, abraçou-me. Com seu corpo colado ao meu, conseguia sentir Alice mexendo-se de forma agitada na barriga de Kendall, perdi as contas de quantas vezes senti a mesma chutar.  —  Vá para o quarto e durma Kendall, vai te ajudar. — Depositei um beijo em sua testa e a ajudei a ficar de pé, assim como subir as escadas.

Se eu estivesse em casa, não deixava que Selena usasse as escadas sozinha. Tinha medo de que qualquer coisa pudesse acontecer com ela, nunca se sabe quando os seus próprios pés resolvem brincar contigo e te fazer cair.

— Boa noite, Kendall. Durma bem! — Desejei-lhe, cobrindo-o com as cobertas. Deixei um demorado beijo em sua bochecha e saí do quarto, deixando a porta entreaberta.

Atravessei o corredor e entrei em um dos quartos de hóspedes, fechei a porta atrás de mim e comecei a retirar minha roupa, me livrando dos meus sapatos, as meias, o paletó cinza e a gravata, ficando apenas com a camisa social preta e a calça. Joguei-me na cama e puxei meu celular do bolso, o desbloqueei tendo em vista várias notificações e todas com o nome da minha esposa.

Resolvi ligar logo para a mesma, antes que ela surtasse mais do que já estava surtada.

— ONDE VOCÊ ESTÁ? — Afastei o aparelho celular da minha orelha ao ouvir seus gritos. Bufei irritado.

— Estou na casa da Kendall, irei dormir por aqui.

— Como é que, é?

— Você não me deu muita escolha né, Selena? Você não me deixa descansar e eu preciso dormir, pois acordo cedo! Deveria me respeitar.

— Você é o único homem que conheço que reclama de sexo.

— Você poderia ser normal!

— Está me chamando de ninfomaníaca?

— Se a carapuça serviu, o que posso fazer?

— Vem pra casa A-G-O-R-A!

— Não. Irei ficar. Até porque cheguei aqui e descobri que Chaz tomou chá de sumiço, ninguém sabe desse infeliz. Kendall estava aqui sozinha!

— E você vai ficar pra fazer companhia? Que lindo. — Debochou. — Se você encostar um dedo na Kendall, corto seu pau fora, Bieber. As provocações dela é só brincadeira, ela não está afim de você e muito menos afim de te dar, então para! Entendeu bem?

— Já estou ciente disso, Selena. E eu nunca faria isso. Deixa de ser louca! Kendall é como uma irmã pra mim, já deixei isso claro para você.

— Você irá dormir na mesma cama que ela?

— Não, princesa... ela está no quarto dela e eu no meu, não precisa se preocupar. Eu te amo e jamais trairia você, pode confiar.

— Desculpa...

— Oi? Não entendi...

— Estou pedindo desculpas por toda hora pedir sexo à você, não faço por mal...

— Eu sei, princesa. Eu sei! E é justamente por isso que estou dormindo fora de casa.

— Esses hormônios estão me deixando louca, Justin.

— Você já é louca desde que nasceu, anjo.

— Filho da puta, vai se foder! — Não aguentei e comecei a rir dela.

— Selena? Princesa? Alô? Droga... — Ela havia desligado na minha cara, revirei os olhos ainda rindo de sua irritação.

"Saiba que é minha louquinha preferida em todo o mundo, Sel. Te amo, minha princesa!" XxX Justin

"Vai a merda e aproveita pra enfiar esse eu te amo no cu, seu veado!" XxX Selena


Ri de sua resposta, balançando a cabeça negativamente. A fragilidade e delicadeza de Selena, me deixavam completamente sensibilizado e emocionado.

"Desculpa, estou nervosa. Também te amo, príncipe. Durma bem!" XxX Selena


"Ah, aliás... a bipolaridade dela também."

Essa gravidez sem dúvidas não tem feito nada bem para ela, essa mulher ficou ainda mais louca e nervosa do que normalmente é. Selena é a louca, mas está conseguindo me enlouquecer também!


¤¤¤


Acordei completamente assustado e atordoado, sentei na cama encarando o quarto escuro, zonzo ainda pelo movimento brusco e por ainda estar sonolento. Tive uma pequena impressão de que havia ouvido meu nome ser gritado em pleno pulmões, porém deveria ser um sonho já toda a mansão estava em um completo silêncio ainda em plena nove horas da manhã.

"Deus, eu estava MUITO atrasado para o trabalho!"

Levantei da cama num pulo indo direto para o banheiro fazer minhas higienes matinais e começar a me arrumar. Estava completamente despido, entrando debaixo do chuveiro com a água forte e quente.

— JUSTIN! JUSTIN! — Era Kendall gritando, sua voz estava abafada por ela estar do lado de fora do banheiro, mas também pelo chuveiro.

— ESTOU TOMANDO BANHO! AGORA NÃO POSSO, KENDALL!

Deixei a água quente e relaxante cair em meu corpo, infiltrar-se em meu cabelo enquanto meus dedos passavam pelo mesmo retirando toda a espuma do shampoo com cheiro de morango, fiz o mesmo processo após passar o condicionador

— JUSTIN!

— Puta que pariu, que mulher chata... — Resmunguei irritado, enquanto passava o sabonete branco redondo pelo meu corpo. — KENDALL EU NÃO POSSO AGORA!

— JUSTIN! PELO O AMOR DE DEUS!

— PARA DE ME CHAMAR, PORRA! — Exclamei aos berros, nervoso. O silêncio reinou e voltei a tomar meu banho em paz, tirando qualquer vestígio que fosse da espuma do sabonete.

Puxei a toalha e a enrolei em minha cintura, saindo de dentro do box de vidro. Encarei meu reflexo no espelho, limpei o vidro pois estava embaçado e puxei a gilete dentro do armário. Passei a loção de barbear na região onde estava minha barba rala, e em seguida passei a gilete, começando a retirar os pelos presentes.

— JUSTIN! — E com esse grito de Kendall, que acabou me assustando, sem querer acabei me cortando e imediatamente o sangue apareceu, em pouca quantidade. O corte era pequeno, mesmo assim ardia.

— Merda...

— JUSTIN! ME AJUDA! A ALICE!

Arregalei os olhos ao ouvir o nome da filha dela, da minha sobrinha. Limpei rapidamente meu rosto e ao correr pelo banheiro para me vestir, acabei escorregando pelo chão estar molhado, bati com a cabeça na parede e não me intimidei com isso, mesmo sentido-a latejar.

Nem terminei de fechar os botões da minha camisa, usada no dia anterior, e saí do banheiro às pressas. Encontrei Kendall deitada na cama, contorcendo-se de dor e senti meu coração apertar ao vê-la daquele jeito, eu a ignorei por pensar que ela estava afim de me perturbar sendo que a morena neste momento entrava em trabalho de perto.

COMO SOU BURRO!

— Justin, me ajuda! Alice vai nascer! — Kendall dizia com a voz fraca, os olhos fechadas e uma expressão contorcida em dor.

Senti nojo ao ver suas pernas ensanguentadas, assim como sua calça azul do pijama.

— Desculpa, por favor... e-eu não sabia.

— Tudo bem, Justin. Só me ajuda, faz parar de doer, por favor...

— Vou te levar pro hospital.

Peguei a morena no colo, não me importando de ficar sujo com o sangue que parecia não parar de sair do meio de suas pernas, mesmo estando com muito nojo daquilo. Desci as escadas com pressa, porém com cuidado e ao chegar no meu carro, desativei o alarme do mesmo e coloquei a morena no banco de trás.

Merda, Kendall vai sujar meu carro com todo esse sangue!

"Foda-se, Justin! É a Alice e ela é mais importante que a bosta de um banco de couro."

Enquanto dirigia para o hospital indicado por Kendall, tentava inúmeras vezes ligar para o Somers, mas ele continuava não atendendo a merda do celular e por isso optei em deixar uma mensagem para ele torcendo, rezando para que esse babaca olhasse o mais rápido possível. Tive receio de avisar Selena de que sua amiga estava entrando em trabalho de parto, fiquei com medo pois ela poderia ficar nervosa e por ela estar na última parte de sua gestação, era perigoso e isso era o bastante para me auto questionar de que: Qual seria a chance dela também ter nossos filhos hoje?

Porém acabei avisando-a sobre o que acontecia e por um momento achei que eu fosse ficar surdo de tantos gritos que Selena deu no auto falante do carro. Fiquei um pouco aliviado ao perceber, pelo retrovisor que Kendall ria, mesmo que levemente, achando graça das coisas que Selena lhe dizia, pedindo para que Jenner ficasse calma.

Saí às pressas do carro e peguei Kendall no colo, e praticamente entrei no hospital correndo enquanto ouvia os murmúrios desesperados de Kendall pedindo para que eu parasse de correr, pois tinha medo de acabassemos caindo, mas não me importei.

Uma senhora já de idade, apareceu misteriosamente em minha frente com uma cadeira de rodas e expliquei o que acontecia. Entramos no elevador, deixando-o nos levar até o andar correto e ao chegarmos no mesmo, alguns profissionais uniformizados nos esperavam com uma maca. Logo Kendall estava deitada na mesma, sendo encaminhada para a sala onde seria realizada o parto.

Sentei em um dos sofás da mediana sala de espera e encostei minha cabeça no estofado fofo do sofá, permitindo-me relaxar e tentar colocar os pensamentos no lugar.

Não conseguia parar de pensar no fato de que dali há um mês seria a Selena no lugar de Kendall, seria a nossa vez de conhecermos nossos filhos e eu estava mais do que ansioso para esse dia chegar. Mas, ao mesmo tempo eu não conseguia deixar de pensar nas dores que minha amiga poderia estar sentindo, não conseguia deixar de ficar preocupado com ela.

— Senhor Bieber? Poderia, por favor,  preencher essa papelada com as informações da paciente para que os médicos possam começar o parto? — O homem de uniformizado, pediu calmamente tocando em meu ombro enquanto entregava-me uma prancheta com uma caneta e apenas concordei, tomando de suas mãos os objetos.

Preenchi todas as informações necessárias e que eu sabia, mas acabei deixando algumas em branco. Logo entreguei para o enfermeiro, ele agradeceu e retirou-se, me deixando sozinho com a recepcionista que mexia em seu computador.

[...]

Fazia um tempo desde que Selena tinha chegado no hospital, primeiro dei um esporro pois ela deveria estar em casa descansando como Carl ordenou, mas depois pedi um abraço pois estava precisando dos braços acolhedores da minha morena.

Deveria ter se passado uma hora desde que Kendall foi encaminhada para a sala onde ocorreria o parto, e desde então ninguém apareceu por aqui para informar se Kendall estava bem ou se Alice teria nascido. Selena estava inquieta e apesar de gostar dela estar ali comigo, me fazendo companhia, ao mesmo ela me irritava por conta de sua inquietação.

A morena teve a brilhante ideia de discutir com a recepcionista daquele aérea da maternidade, sendo que a moça não sabia de nada e realmente não tinha culpa. Selena também não podia ver um médico/enfermeiro passando por ali que ela o questionava, querendo saber do paradeiro da melhor amiga.

— Vou sair invadindo tudo que é canto desse caralho até achar a Kendall. — Selena proferiu, fuzilando a mulher loira, que era uma das médicas do local. A mesma estava conversando animadamente com a moça da recepção, as duas riam e isso acabava irritando a morena ao meu lado, precisei segurá-la para que não avançasse nas duas, já que ela estava há um ponto de fazer isso.

— Dá pra você sossegar, Selena? — Pedi entre os dentes, puxando-a para voltar a sentar-se ao meu lado novamente no sofá. — Ela já falou que não sabe de nada e que não está envolvida no parto, não adianta ficar desse jeito. Você só me deixa mais nervoso agindo desse jeito, então pelo o amor de deus, fique quieta!

Selena bufou alto, cruzando os braços deixando um enorme bico presente em seus lábios enquanto balançava freneticamente um dos pés, demonstrando que estava brava, irritada.

Encarei a porta do elevador automaticamente ao ouvir o barulho que a mesma fez, ao chegar nesse mesmo andar. Levantei rapidamente do meu lugar e em passos firmes, apressados caminhei até o outro lado da sala de espera.

— Onde ela está... ficou maluco?

Chaz questionou-me após ter tido o lado esquerdo do rosto dele, atingindo em cheio pelo meu punho. O soco acabou atingindo o canto de sua boca e no mesmo instante cortou, as pequenas gotas de sangue eram visíveis.

Somers tentou me acertar um soco, porém desviei a tempo antes que ele concluísse seu ato, e rapidamente o segurei pela gola da camisa.

— O que fiz pra você, Justin? Me solta porra!

— Cala boca e me escuta, merda. — Falei autoritário, o segurando com mais força observando sua feição irritada com atenção. Selena estava ao meu lado e também o encarava reprovadora. — Qual o seu problema, Charles? Como pode ter deixado Kendall em um momento que ela mais precisava de você, seu imbecil? — O questionei, empurrando-o para longe.

O corpo do mais velho colidiu contra a parede atrás dele, até tentei avançar em sua direção porém fui impedido por Selena, que se pôs em minha frente.

— Não fiz por mal, Bieber. Saí pra beber na noite passada e acabei esquecendo de ficar com ela. —  O moreno explicou-se, endireitando sua postura enquanto limpava com os dedos mesmo, o pouco sangue contido em sua boca.

— Não fez por mal? Chaz você foi beber com seus amiguinhos, esqueceu que tem uma mulher grávida que precisa de você e de toda sua atenção. Somers você deixou a sua mulher, que você diz amar, passando pelos últimos de gestação, sozinha em casa.

— Eu não fiz por mal, estava precisando relaxar e ela não vinha deixando isso acontecer ultimamente, Justin. — Chaz disse entediado, cerrei os punhos pronto para tentar acertar um soco naquele idiota, porém Selena segurou firmemente em minhas mãos, olhando-me reprovadora.

— E peça merda de um egoísmo teu, Chaz, só Deus sabe o que poderia ter acontecido com a Kendall e a minha sobrinha, caso eu não tivesse passado a noite lá.

— Para de drama, Justin! Porra! Elas estão bem. —  Disse ele irritado, revirando os olhos. Semicerrei os olhos e desvencilhei-me de Selena, caminhando em passos rápidos até Somers.

—  JUSTIN NÃO! PARA! —  Selena gritou desesperada, e ao olhar pelo canto de olho vi o vulto de cabelos negros entrando em um outro corredor.

Não pensei duas vezes antes de lhe acertar um novo soco no rosto, e mais um outro em seguida. Chaz ergueu-se e segurou em meu pescoço, apertando-o em suas mãos, me enforcando enquanto me ofendia com sua voz repleta de raiva.

Somers até conseguiu me acertar um soco no rosto, mas ao tentar novamente a segurança do hospital surgiu do nada e conseguiu separar a briga sem graça que nós tínhamos.

—  Você vai ver o que é drama de verdade se acontecer algo grave com Alice, ou com Kendall, Chaz. Drama vai ser o que irei fazer contigo caso ela não fiquem bem seu, merda! — Falei friamente, fuzilando-o com o olhar e soltei-me dos braços fortes do segurança. Chaz silabou um belo "vai se foder" enquanto era levado para um outro lugar.

— Ele te machucou? —  Selena disse preocupada, acariciando meu rosto e analisando o mesmo, a procura de algum ferimento.

—  Jamais... ele bate igual mulher. Nenhum arranhão neste belo rosto, princesa! — Brinquei, a morena riu e me abraçou, repousando a cabeça em meu peitoral.

[...]


Cinco horas gastas nessa merda de hospital e não sabíamos de nada, Selena ainda estava inconformada por não termos uma única notícia que fosse de Kendall e Chaz... estava bem aéreo à tudo e todos, não conseguia olhar pra cara dele e não me sentir chateado.

Chaz é um tremendo de um irresponsável e egoísta.

— Boa tarde, o acompanhante de Kendall Jenner? Por favor se identifique. — Uma mulher alta, bonita até de cabelos castanhos e pele branca, surgiu na sala de espera. Levantei apressado ao mesmo tempo que Chaz, trocamos olhares furiosos. — Qual dos dois é o acompanhante da moça? —  Questionou confusa, risonha.

—  Sou eu. —  Respondi, olhando de forma superior para Somers. Ele riu debochado dando de ombros, estufando o peito.

—  Mas o pai do bebê e noivo da moça sou eu. — Encarou-me cinicamente, sorrindo de maneira presunçosa. — Diga doutora, minha filha nasceu?

—  Ainda não.

—  Como ainda não nasceu? — Selena questionou incrédula, roubando as palavras da minha boca. —  Kendall veio para o hospital à passeio? Estamos aqui têm cinco horas, querida, e você me diz na maior cara de pau que minha amiga ainda não pariu? Ah, vai... — Arregalei os olhos e rapidamente tampei a boca da morena com minha mão, Chaz riu balançando a cabeça negativamente.

—  Selena! —  A repreendi, ela apenas deu de ombros. —  Prossiga doutora, por favor.

— Kendall irá entrar em trabalho de parto agora, não aconteceu antes porque ela não estava preparada, nem psicologicamente, como fisicamente. O bebê também não estava pronto e tivemos problemas, pois diversas vezes a pressão da paciente caiu e ela também desmaiou muitas vezes nas tentativas de realizarmos o parto.

—  Mas minha mulher está bem? — Chaz disse preocupado. Do jeito que sua voz soou ele parecia receoso da resposta da médica em nossa frente.

— As duas estão bem e como iremos começar o parto agora, senhorita Jenner gostaria que alguém a acompanhasse nesse momento importante de sua vida.

— Claro que irei. —  Selena candidatou-se animada, a médica sorriu amigavelmente e Somers a fuzilou com o olhar, cruzando os braços, parecendo bastante incomodado com o que minha esposa falou, mas não seria louco e também não tinha coragem para "enfrentar" Selena.

Segurei delicadamente no braço de Selena ao vê-la passando ao meu lado, para ir até a médica.

—  O que foi? —  Perguntou confusa, sorri sem graça.

—  Deixe o Chaz ir, ele é o pai da Alice. Nós já fizemos nossa parte como bons amigos da chatinha da Kendall, agora deixe esse imbecil cumprir com a parte dele de pai, deixe ele participar e ver com os próprios olhos o nascimento da filha dele, amor.

Por mais que Chaz não merecesse e demonstrasse o quanto estava arrependido do que fez, eu não gostaria passar por isso no nascimento dos meus trigêmeos, dos meus filhos, queria estar lá presenciando e vivendo toda essa emoção com Selena.

— Mas amor...

— Por favor... — Sussurrei suplicante, segurei em sua nuca e colei nossas testas, roçando nossos lábios. A morena suspirou derrotada e assentiu, cabisbaixa. — Obrigado por ser compreensiva, princesa. — Plantei um carinhoso e demorado beijo em seus lábios. Encarei Chaz e ele continuava emburrado demais para tomar alguma atitude, aproximei-me dele e toquei em seu ombro, tendo sua atenção pra mim. —  Hey... vá assistir o nascimento da sua filha.

—  Sua mulher vai no meu lugar. —  Resmungou irritado, virando o rosto para a parede.

— Ela não vai mais, cara. — O moreno olhou-me surpreso, sorri de canto e o abracei pelo ombro. —  Você é o pai da Alice, Chaz, e é você que merece estar lá e ser um dos primeiros para ver o rostinho dela. Boa sorte!

Surpreendentemente Chaz abraçou-me de uma forma um tanto bruta, senti até o ar faltar por míseros segundos.

— Você é o melhor amigo que posso ter. Te amo, Justin! Muito obrigado! —  O moreno disse animado, olhando-me contente com um imenso sorriso no rosto e deixou um beijo estalado em minha testa, ao passar ao lado de Selena ele a abraçou e a beijou por todo seu rosto, fazendo-a reclamar e ri dele.

Logo aquele Chaz saltitante saiu da sala de espera acompanhado da médica e sumiu no corredor com junto com a médica.

Voltei a me sentar no sofá, Selena fez o mesmo e repousou sua cabeça em meu peitoral, envolvendo minha cintura com seu braço. Depositei beijos no topo de sua cabeça, enquanto com a ponta de meus dedos, eu acariciava sua nuca, arrancando arrepios da morena.

— Promete que no dia que nossos filhos nascerem, estará ao meu lado segurando minha mão? —  Perguntou receosa, ri internamente assentindo.

— Estarei ao seu lado até a morte, anjo.


[...]


E depois de muito tempo, em torno das uma e vinte da tarde, Alice resolveu vir ao mundo de uma vez. Nunca irei me esquecer o grito de Chaz, misturado ao choro de Alice, que ecoou até onde estamos e Selena como uma boa manteiga derretida começou a chorar apenas por ouvi a filha de nossos amigos chorando.

Estávamos no quarto que Kendall tinha sido transferida depois do parto, a morena estava deitada na cama com a pequena Alice em seus braços, alimentando-a. Chaz ao seu lado, admirava a filha completamente abobalhado enquanto falava baixinho com ela, Selena também estava sentada no outro lado da cama, segurando na mãozinha do bebê e Kendall parecia à ponto de gritar com eles, mandando-me um olhar de "socorro" e apenas ri dela, dando de ombros.

Todos já haviam segurado Alice no colo, menos eu. Morria de medo de deixar aquela coisinha linda cair dos meus braços, de não saber segurá-la corretamente e algo de ruim acontecer, Chaz já havia reclamado que Alice era mole demais e que parecia que a qualquer momento ela poderia se machucar,  que só me deixava mais receoso de segurá-la.

— Ela é linda. — Falei aproximando-me deles, sentei-me atrás de Selena e fitei com atenção todos os traços da pequena recém nascida.

— Me puxou, é claro. — Kendall disse convencida, rimos e balancei a cabeça negativamente.

—  Não... ela lembra o Chaz e bem pouco , talvez pelo tom escuro do cabelo. — Disse em dúvida, Selena concordou. —  Espero que não puxe o seu jeito, se não o Chaz tá ferrado.

—  Idiota, você é patético, Justin. — Kendall disse, revirei os olhos. Pisquei para a mesma, sorrindo divertido observando a morena parar de amamentar. — Ela tem que puxar a mamãe sim... — Murmurou, beijando a testa da filha.

— Vai entrar no couro. —  Chaz falou sério.

—  Ela acabou de nascer, deixa de ser imbecil, Somers.

— Cala boca, Selena. — O moreno proferiu irritado, Selena o fuzilou com o olhar e voltar a encarar a amiga.

— Desde da hora que seu noivo chegou no hospital, ele tá pedindo pra voar pela janela, Kendall.

—  Pode jogar, não vai fazer falta. — Sorriu falsamente, encarei Chaz e ri de sua expressão incrédula.

— Claro que vou fazer falta pra você, meu pau então... nem se fala. — Sorriu malicioso e arregalei os olhos abismado com a falta de noção dele, e desferi um tapa em seu braço.

—  Cuidado com as palavras, minha sobrinha está aqui ainda. — Falei seriamente, o mesmo fez careta e desculpou-se.

— Kendall me deixa segurar ela mais uma vez? — Selena disse com um pequeno biquinho nos lábios e um olhar bobo.

— Depois do Justin Sel. Ele ainda não segurou quem ele diz ser sobrinha dele! — A morena falou seriamente, enquanto balançava Alice em seus braços, dando leves tapinhas nas costas da mesma, tentando fazê-la arrotar. Engoli em seco, coçando a nuca sem graça e desconfortável levantei da cama, tentando fugir dos olhares deles.

— Não faz bem para o bebê ficar tendo tanto contato logo no primeiro dia, prefiro evitar.

—  Você não tem nenhuma doença contagiosa, Jus. Ou tem e não contou? —  Ela debochou, revirei os olhos estalando a língua. — Segure um pouco a Alice, ela não vai te morder. — Os três riram, balancei a cabeça negativamente.

— Hoje não.

—  Por que cara? — Chaz questionou intrigado.

—  Porque... porque minha roupa está toda suja de sangue. É isso! —  Sorri satisfeito ao ver que essa desculpa funcionou, já que eles me encararam dos pés à cabeça. — Preciso ir pra casa e tomar um banho. Vamos Selena! — Acenei para o casal e sem esperar a morena, retirei-me do quarto.

Assim que pus meus pés dentro do elevador, Selena surgiu do nada ao meu lado e entrou no mesmo, ficamos em um absoluto silêncio, mas senti os olhares questionadores da morena sob mim.

— O que foi?

— Eu que te pergunto. Por que não quis segurar Alice?

— Não te interessa. — Falei rudemente e desviou o olhar, mas tenho certeza que Selena ficou irritada com minha resposta curta e grossa.

Inesperadamente senti minhas costas baterem contra a "parede" de vidro do mediano, quadrado, elevador. Franzi o cenho, sustentando o olhar sério da mulher grávida em minha frente, tocando o meu peitoral com as pontas de suas unhas grandes.

— Não tente dar um de macho pra cima de mim, aos 45 minutos do segundo tempo que não vai rolar, Justin.

— Você quer saber algo que não lhe diz respeito, Selena. — Dei de ombros, a morena riu debochada e segurou firmemente em meu maxilar, forçando-me a olhá-la nos olhos.

— Queridinho, desde o momento em que casamos tudo que acontece ou deixa de acontecer contigo, me interessa sim. — Revirei os olhos, contendo a risada. — Por que não quis segurar Alice?

— E por que você quer tanto saber? Que saco! — Exclamei irritado.

— Quero saber porque daqui a um mês teremos três filhos e irei precisar da sua ajuda. Se você teve medo de segurar Alice, também terá medo de segurar nossos filhos!

— Selena... eu...

— É um bobo medroso. — Riu levemente, apertando minhas bochechas, bufei. — Vamos voltar lá e você verá o quão bom, mágico é ter um bebê no colo, amor... —  A impedi de que apertasse o botão do andar em que Chaz e Kendall estavam com sua filha.

— Eu não quero, Selena. Eles vão me zuar, vou ficar nervoso e não quero pensar no que pode acontecer com Alice por minha causa. Por favor, princesa, respeite meu tempo.

Selena encarou-me por alguns segundos com um olhar curioso, sorriu de canto e assentiu, suspirei aliviado e abracei-a.

— Você só tem mais dez dias para superar esse teu medo, ou já sabe. — Falou severa encarando-me seriamente, assenti engolindo em seco. — Ótimo, agora me leve para comer. Estou com desejo de comer um bom hambúrguer grande com batatas-fritas! — Disse ela, acariciando a enorme barriga. O olhar brilhava em expectativa apenas por pensar em poder comer tal coisa e o sorriso deixava seu rosto ainda mais engraçado, pela sua expressão "sonhadora".

— O que? Selena, você não pode comer essas coisas. Ficou maluca? — A questionei enquanto andávamos para fora do elevador, em direção da saída daquele hospital.

Não estava suportando mais ficar naquele local.

— Maluca eu já sou, Jus. — Riu, dando de ombros. — Vamos comprar meu hambúrguer e depois quero um bom sundae. Tem uma lanchonete aqui por perto...

— Selena, eu não vou comprar essas coisas nada saudáveis pra você. Esquece! — Sorri maroto, piscando para a morena que mostrou-me o dedo do meio.

— Deixa de ser insuportável. O doutor Carly deixou bem claro que comer essas coisas uma vez ou outra, não faz mal.

— Acontece meu amor, que ontem depois da consulta você comeu SOZINHA uma pizza inteira. E antes de ontem, também comeu sozinha a torta salgada que você fez Darah a fazer.

— Ela fez porque quis... — Murmurou desviando o olhar, forcei uma risada.

— Não, não... você fez chantagem emocional com a coitada e ainda a subornou.

—  Que velha fofoqueira! — Disse brava.

— Vamos pra casa, vou fazer uma salada bem gostosa pra você. — Sorri divertido puxando-a para o meu carro.

— Não quero coisas verdes no meu prato. — Ela protestou emburrada.

— Você não tem que querer, amorzinho. Entra no carro! — Ordenei, a morena bufou e entrou no carro, batendo a porta com violência. — Se quebrar meu carro, vou quebrar a tua cara.

— Como é, Bieber? — Questionou, mandando-me um olhar mortal. Dei um sorriso amarelo, negando.

— É b-brincadeira. — Gaguejei nervosa por saber que ela ainda encarava-me com um olhar mortífero. Liguei o carro, e acelerei com o mesmo, dirigindo pelas ruas movimentadas de L.A.

— Acho bom mesmo... — Deu uma pausa. —  Meu hambúrguer, Drew.

— Eu já falei que... — Arregalei os olhos, ao olhá-la e notar o visor de seu celular ligado pronto para enviar uma mensagem para Chaz. — Me dá isso aqui, Selena! — Ordenei tentando tomar o celular de suas mãos enquanto continuava dirigindo, a morena parecia se divertir com a situação pois ria como uma verdadeira louca.

— Não, cala boca e me escuta aqui, se não fizer o que estou mandando vou te expor sem ter pena alguma o seu medinho em segurar bebês. — Apertei o volante em minhas mãos ao ouvir sua risada maligna. — Pode ter certeza que tanto Chaz, quanto Kendall vão te zoar até a morte! — Sorriu maldosa, soquei o volante com determinada força arrancando um provável gemido de satisfação da morena.

— Que mulher insuportável, Deus... — Resmunguei frustrado.

— O que foi que você disse, Justin? —  Ela perguntou sorrindo divertida, ameaçando com o dedo polegar, tocar na tela e mandar a mensagem para Somers. Grunhi irritado e controlei-me para não xingá-la.

— Perguntei onde é a lanchonete... criatura linda e maravilhosa de, Deus. — Falei sarcástico.

— Quanto deboche... será que meu sogrinho vai gostar de saber o quanto veadinho o filho dele é por ter medo de segurar um bebê tão lindo?

— Não, pelo amor de Deus. — Supliquei.

Ser zoado pelo pai, é pedir pra ser morto. Aquele velho escroto não tem limites e esse é o problema.

— Então me trate com carinho. — Sorriu docemente, acariciando minha nuca.

— Amor... meu anjo, minha princesa... — Suspirei pesadamente, olhei brevemente para a morena e notei que ela segurava a vontade de rir da minha cara. — Onde é a lanchonete, querida esposa?

— Vou perdoar o deboche no final da frase...

—  Obrigado.

—  Mas está faltando algo! — Disse ela, fitando-me pensativa.

— O que caralho?

— Olha a boca. — Me repreendeu risonha, bufei revirando os olhos. — Diga que vai me foder depois! — Olhei-a espantado.

— Selena...

— Apenas diga, Jus.

— Não.

— Ok... teu pai vai adorar saber disso. — Ameaçou, mordi os lábios repreendendo o gemido insatisfeito.

— Não, calma...

— Então deixa de ser gay e fala de uma vez, porra. Estou perdendo a paciência já!

— Eu... vou te foder. — Encarei-a forçando um sorriso safado.

— Bem gostoso? — Questionou esperançosa.

— B-bem gostoso. — Respondi, levando minha mão até a parte de sua coxa nua e apertando-a levemente.

— Assim que se fala, querido.


Notas Finais


Alice nasceu! 😍🎈🎊
E em breve será nosso OTP supremo conhecendo seus filhos, está chegando.
Anjos meus, espero que tenham gostado do capítulode hoje, até o próximo! 😊💕😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...