História O omega da destruição - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Bakugo Katsuki, Todoroki Shouto
Tags Abo Universe, Bakugou Katsuki, Omegaverse, Todobaku, Todoroki Shouto
Visualizações 148
Palavras 2.447
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Capítulo novo! Essa é a continuação do anterior, já que eu tive que dividir aquele, trouxe logo a outra metade.
Aviso: tirem as crianças da sala!
Boa leitura a todos.

Capítulo 17 - Depois do encontro


Fanfic / Fanfiction O omega da destruição - Capítulo 17 - Depois do encontro

Midoriya nunca havia imaginado essa possibilidade nem em seus sonhos mais loucos. Shinsou era, na verdade, um ômega, e não um beta como Izuku pensava, não que isso mudasse seus sentimentos ou algo do tipo, mas ainda assim lhe era uma surpresa.

Mas, mais importante que qualquer outro detalhe ou revelação, Midoriya descobriu que era mesmo correspondido, um sentimento recíproco. Amar e ser amado.

- Midoriya... - o maior sussurava quase em um gemido, fazendo o menor voltar a realidade.

- Shinsou-kun, você tem supressores com você? - voltou a se desesperar ao lembrar o estado em que Hitoshi se encontrava.

- Não... pode me aceitar...? - a voz, mesmo com toda luxúria, expressava tristeza - Deve sentir... nojo de mim agora...

- Shinsou-kun, meu amor por você não mudou em nada! Meus sentimentos não são tãos fracos assim! - aproximou-se do azulado, sentado-se no chão e abraçando-o - Mas... com você assim... Tome seus supressores, rápido!

- Eu... - tentava pensar, mas estava difícil - Não tem porque se desesperar... Essa dor... eu a aguento bem, 'to acostumado... e o meu cheiro não vai te afetar... - no momento, queria saber se seria aceito - Então... não tem nojo de mim...?

- Nojo? Não! Porque eu teria!? Eu... Vou confessar uma coisa. - afastou-se um pouco sem desfazer o abraço - Mesmo que seu cheiro não me afete... Suas expressões e gemidos afetam e muito... - estava muito envergonhado com a confissão.

- Midoriya... - o maior, pensando no que acabou de ouvir, olhou pra baixo, notando certo volume na calça do outro.

- Sinto muito... Por favor, tome seus remédios... Eu posso cuidar disso depois. - sugeriu extremamente constrangido.

Sem conseguir pensar muito, Hitoshi colocou a mão no volume extra da calça do menor, apertando aquela área por instinto, ouvindo-o suspirar pelo toque e, sem perceber, gemendo baixo ao ver a reação do esverdeado. Queria muito aquilo, precisava daquilo, desejava aquilo dentro de si loucamente. Seus instintos formigando, a necessidade de ser possuído completamente até ficar satisfeito.

Quando voltou um pouco a si, notou que estava de fato masturbando Izuku por cima da calça que o menor vestia, sentindo o tecido já levemente melado pelo pré-gozo. Corou, afastando-se prontamente de Izuku sem saber onde esconder o rosto tamanha vergonha sentia.

- M-Midoriya... Desculpe... Foi sem pensar... Eu... - falava tentando se explicar sem conseguir conter os suspiros e gemidos a cada palavra.

Aquele cio estava muito intenso, e sabia que era por ter contido todos os anteriores com supressores. Era difícil pensar ou se conter, e, em sua mente, as imagens de Midoriya se declarando calmamente para ele com tanto amor e sinceridade antes não ajudavam em nada. "Se eu amo ele e ele me ama... Não há nada de errado em fazermos isso só um pouquinho", pensava sem querer. Devia mesmo ter tomado os remédios mais cedo como o tutor sugerira, mas como não tinha volta, teria de tomar agora e torcer para não ficar um clima estranho entre eles.

- Shinsou-kun... Você... - o menor não podia negar que gostou daquele toque.

- Espere... Midoriya. - falou o maior, engatinhando, indo com pressa e dificuldade à mochila - Vou tomar... Esse remédio agora... E depois con... conversamos melhor...

Vasculhou com dificuldades a mochila toda, até mesmo jogando para os lados tudo que tinha ali dentro. Não estavam lá, Shinsou conseguiu a proeza de esquecer de levar os supressores consigo. Não faria sentido perguntar se Izuku teria algum em casa por ele ser um beta, mas considerou seriamente perguntar mesmo assim. Com a fase corada de vergonha e pela excitação do cio, olhou para o menor devagar, pensando por um momento no que fazer.

- Eu... Esqueci de trazer...

- Eh?

- Midoriya... Você não tem... Nenhum pra mim...? - Hitoshi tinha algumas lágrimas em seus olhos, a dor intensa já começava a o incomodar - Por favor...

- Shinsou-kun... Mesmo que eu não seja um alfa, não posso ser o bastante pra você?

- ... O... bastante..?

- Sim... - se aproximou novamente do maior, colocando os braços envolta da cintura do mesmo - Posso?

- ... Sim. - não entendeu porque foi abraçado, mas decidiu confiar no menor.

Assim, Izuku carregou Hitoshi nos braços, fazendo-o entrelaçar as pernas envolta de sua cintura. Se fosse em outra situação e em outro lugar, pela diferença de altura que tinham, aquilo seria engraçado de se ver.

- Não... Sou muito pesado?

- Não é, aguento muito bem.

Logo o esverdeado se direcionou à cama com o azulado em seus braços, sentando-o ali com cuidado. Se adiantou, começando a tirar a própria camisa bem diante do outro, que olhava a tudo que o menor fazia com vergonha, curiosidade e principalmente ansiedade.

- ... Você é forte... - disse o maior sem pensar, corando mais em seguida, mas ainda atento às diversas cicatrizes do menor.

- Tão fofo... - Izuku aproveitou para tirar também a camisa de Hitoshi.

Fez tudo devagar, principalmente, para poder sentir que tipo de textura a pele de Shinsou teria. Era melhor do que imaginava, combinando com o cheiro que os feromônios do azulado tinham, sua pele também era macia e delicada como as pétalas de jasmim.

- Sua pele é tão macia... - após tirar a camisa do amante, apertou-lhe cada pedaço de pele exposta dele.

- ... Suas mãos são ásperas...

- Desculpe, te machuquei?

- Não... É bom assim...

Midoriya não conseguiu conter o sorriso, de alguma forma Shinsou estava mesmo se sentindo atraído e isso o deixava bastante feliz. Com certa pressa pela dor que o maior sentia e ficava a cada instante mais intensa, Izuku logo começou a tirar a própria calça sempre sob o olhar atento e ainda envergonhado do outro. Quando se viu livre da calça, seria a vez de ajudar o azulado a se desfazer da peça também.

- Shinsou-kun, vou te ajudar a tirar, só levante um pouco o quadril. - dito isso, o menor teve cuidado ao retirar a calça do maior.

Colocando as mãos dentro das laterais da calça de Hitoshi, Izuku deslizou a peça para baixo, aproveitando para sentir a firmeza daquelas coxas. Quando o viu agora somente com a roupa íntima, o menor percebeu ter ganho outro fetiche relacionado ao maior: aquelas pernas.

Durante uma das conversas que tiveram naquela tarde, Hitoshi havia dito que um de seus passatempos era andar de bicicleta e que fazia disso seu esporte preferido. Izuku agora via que o gosto dele por ciclismo havia gerado bons resultados, tornando a área firme, as coxas grossas, mas não musculosas em exagero. Olhando com mais atenção, notou que o azulado também possuia quadris largos, e não conseguiu evitar morder levemente o lábio inferior em ansiedade, deixando Hitoshi encabulado.

- Você tem pernas perfeitas.

- ... Obrigado... - para o maior, era estranho ter um olhar tão cheio de desejo direcionado a si.

Ainda faltava uma única peça cobrindo ambos, que eram suas roupas íntimas. Mas Midoriya não podia deixar Shinsou se manter sem ações, já que fariam aquilo juntos, por vontade mútua. Com delicadeza, pegou as mãos do maior e as apoiou nas laterais da própria roupa de baixo, deixando-o com expressão confusa no momento.

- Tire-a para mim, Shinsou-kun...

- ...!

Não era necessário dizer o quão envergonhado Hitoshi ficou, mas ele também desejava Izuku, então atenderia seu desejo. Puxou a peça ainda sem jeito, mas com pressa, vendo surgir diante de si o membro de Midoriya já ereto por completo. Por instinto, Hitoshi passou a lingua de leve nos próprios lábios, desejando sentir o sabor de seu amante e ser subjugado por ele.

- Quer que eu te ajude com a sua, Shinsou-kun? - o menor não precisava fingir não o desejar, perguntando ao maior se deveria livrá-lo da última peça também.

Seu desejo estava aos poucos vencendo sua timidez, então Shinsou concordou com um assentir de cabeça, vendo Izuku com calma e malícia no olhar retirar o que ainda lhe cobria o corpo. O maior sentiu o momento em que o menor aproveitaria a aproximação das mãos naquela área para lhe dar um belo aperto na bunda, fazendo-o gemer em surpresa. Midoriya pareceu apreciar tocar aquela parte do azulado, realizando uma breve massagem ali, agora também com um sorriso desejoso nos lábios.

Logo ambos estavam completamente nus, um diante do outro, com o maior sentado na cama encostado a parede e o menor sentado de frente para o azulado. Shinsou estava com as bochechas avermelhadas, mas com uma expressão que conseguia transmitir tanto inocência quanto luxuria em seu rosto, como se desejasse ser corrompido pelo outro.

Midoriya podia jurar que aquela era a visão mais sexy e provocante que jamais sonhou presenciar. Nunca imaginou que o veria de tal forma, tão entregue. Shinsou realmente possuia um belo corpo, apesar de a primeira vista ser bem diferente do esperado para um omega - sem preconceitos, claro. O esverdeado não conseguia deixar de lado a vontade de acariciar as pernas torneadas do azulado, havia mesmo amado aquela parte dele. Agora com uma das mãos tateando persistentemente a coxa do amante, com a outra, resolveu que ja era hora de realizar um toque mais ousado.

- M-Midoriya... - chamou-o com a voz por um fio, contorcendo levemente o corpo, sentindo um dedo invadindo-o em uma área tão intima.

- Shinsou-kun... Tão macio... - movia o dedo dentro do maior com vigor, não tardando a acresentar mais um ao interior do outro - 'Ta bem molhado aqui, meus dedos entram fácil. - disse impressionado com a lubrificação de um ômega.

- Midoriya... - timidamente, puxou um travesseiro para esconder um pouco o rosto e abafar os baixos gemidos, deixando somente os olhos à amostra para ver o que o menor fazia.

Izuku acelerou o movimento dos dedos dentro de Hitoshi, sempre encarando-lhe os olhos. Decidiu deixar ele se esconder por hora, para ver se assim o maior ficava mais a vontade. A julgar as reações do corpo do maior, que estremecia enquanto tentava conter a voz, deveria ter encontrado o ponto certo, atingindo-o agora freneticamente ali e aumentando a pressão excercida. Já não tardaria muito para que o azulado, pelo excesso de estímulo contínuo dentro de si, alcançasse o clímax.

E, para a surpresa de Midoriya, Shinsou poderia ter, mesmo naquela situação, outra atitude que ele secretamente julgaria como fofa. Ao atingir o primeiro orgasmo do dia, a perna esquerda do maior tremia persistentemente, enquanto um suspiro quase imperceptível saía de seus lábios entreabertos. Olhos fortemente fechados e bochecha corada. Como tudo naquele garoto podia ser tão perfeito?

- Shinsou-kun... Tão fofo... - ajeitou-se, ficando apoiado nos próprios joelhos, para poder beijar o maior - Foi bom pra você? Eu fiz direitinho? - perguntou com certa ansiedade.

- Hm... - não sabia como, mas ainda estava tímido - Sim... Você é... - gemeu novamente sentindo o menor tornar a mover os dedos naquela área, checando sua elasticidade - Muito bom... Midoriya...

- Shinsou-kun... Eu quero... - segurou um das mãos do maior e o fez segurar seu sexo, fazendo-o masturba-lo, dessa vez, sem tecidos interrompendo - Quero me sentir bem também... Posso colocar dentro de você?

Mantendo o membro do menor ainda em sua mão, enquanto o acariciava, acabou apertando-o demais em algum momento, ouvindo o esverdeado grunir em resposta. Iria se desculpar, mas percebeu que, na verdade, Midoriya havia gostado daquilo. Apertou aquela parte novamente e conseguiu a confirmação, dessa vez ouvindo um gemido levemente grave após o grunido. Sorriu, demostrando que já não sentia vergonha.

- Pode colocar agora...

Midoriya acomodou-se, sentando-se sobre as próprias pernas, aproximando o sexo à entrada de Shinsou. Com medo de o machucar, colocou primeiro somente a cabeça do membro, observando como Hitoshi reagiria em seguida. O maior contorceu o corpo de leve, como se ansiasse por mais, encarando com olhos semicerrados o menor, em um pedido mudo para prosseguir.

Ao ver que seu amado estava reagindo incrivelmente bem, Izuku penetrou por completo a intimidade do azulado, suspirando prazerosamente com a sensação. Hitoshi também o faria, apreciando a invasão que sofrera.

- Shinsou-kun... Posso me mover?

- ... Por favor...

O modo que aquela afirmativa veio, com necessidade, fez o esverdeado agir. Saia quase completamente de dentro de Shinsou, para logo o reinvadir com força. Midoriya adorava a expressão que o amante fazia durante as primeiras investidas recebidas, numa mistura de surpresa e desejo. Não tardou a intensificar as estocadas, indo, aos poucos, mais rapido, dominando o quarto com o som dos corpos se chocando.

O ato pressionava com força as costas de Hitoshi contra a parede, mas ele não parecia se importar. Inclinou o corpo para frente, se curvando levemente, puxando os cabelos de Izuku para aproximar sua face. Queria beijá-lo, precisava provar a si mesmo que aquilo não era um sonho, precisava ter certeza que Midoriya estava mesmo ali, tomando-lhe o corpo. Se tivesse que dizer em voz alta, morreria de vergonha, mas a verdade é que Shinsou sempre fantasiou ser pego pelo menor assim, com tanta possessividade.

Teve seu desejo atendido, e logo o casal iniciava um beijo amoroso, mas dominante, quase como se precisassem fazer um ao outro perceber a quem pertenciam. Infelizmente, o beijo teria de acabar, tanto pelo ar escasso em seus pulmões quanto por, agora com estocadas em ritmo realmente intenso, Midoriya, ter feito Shinsou atingir seu segundo orgasmo do dia.

- Shinsou-kun... Você parece se sentir tão bem...

- Midoriya...

- Vem, deita na cama. Não quero que acabe machucando ainda mais suas costas...

O menor saiu de dentro do azulado, ajudando-o a deitar-se de lado, ficando deitando bem atrás dele em seguida. Izuku queria que aquilo durasse o máximo possível, então a mudança de posição o ajudaria a recuperar um pouco o fôlego, ainda que isso só lhe rendesse uns poucos minutos extras. Penetrou Hitoshi mais uma vez, logo depositando um beijo gentil em suas costas, em uma parte que estava avermelhada pela pressão contra a parede.

- Sinto muito... Fui egoísta e não percebi que estava te machucando...

- Tudo bem... Eu... Nem percebi...

Sorrindo, deu mais um beijo nas costas do maior, aproveitando para o abraçar calorosamente, trazendo-o mais para si. Recomeçou a mover-se contra o interior de Shinsou, deslizando em um entra e sai profundo e vigoroso. Como Midoriya imaginava, somente mais uns poucos minutos era o tempo que ainda aguentaria fazendo amor com Shinsou.

Sentindo-se próximo ao próprio clímax, aumentou a força das investidas, gemendo rente ao pescoço do maior, finalmente gozando, liberando seu sêmen todo no interior de Hitoshi. O azulado, sentindo o líquido o preencher sem aviso prévio, gozaria também, dando-se, enfim, por satisfeito naquela noite. Agora, com o desejo de ambos saciado, concentravam-se em regular suas respirações. Logo o menor sairia de dentro do outro, mas se mantinha o abraçando.

- Desculpe... Acabei fazendo isso dentro de você sem avisar...

- ....

- Pode não ser o melhor momento, mas... Posso te considerar meu namorado agora? - perguntou de forma estranha, sem saber que palavras usar.

- ... Sim...

Mesmo que não tivesse pedido devidamente, ambos entenderam que Shinsou passaria a noite ali.


Notas Finais


Obrigada por ler!
Em caso de algum erro, me avisem.
No capítulo seguinte, o foco não será no Midoriya! Só pra avisar ^.~
Até a próxima.
Bye Bye ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...