História O pai da minha melhor amiga - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Deidara, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Personagens Originais, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Drama, Naruhina, Romance Policial, Sasusaku, Trama, Violencia
Visualizações 164
Palavras 3.024
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiii geeeeente!!!😆😆😆

Voltei!!!!! Como vocês estão????

Bem, eu estou bem! E apesar de todos os meus trabalhos acadêmicos que me impediram que atualizar semana passada...eu estou viva😅

Gente...é sério...não foi por mal, eu queria ter atualizado antes, mas infelizmente não deu. Mil perdões por isso...😧

Mas...QUERO TAMBÉM AGRADECER A TODOS OS FAVORITOOOOOOS RSRS QUE ATÉ AQUI SÃO 197....AHHHAHHHH QUE LOUCURA MEU....❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤
E TAMBÉM QUERO AGRADECER A TODOS A TODOS MESMO...COMENTÁRIOS QUE TÊM ME AJUDADO E ESTIMULADO À PROSEGUIR COM ESSE PROJETO. OBRIGADA!!!!OBRIGADA!!!!OBRIGADA!!!! RSRSRSR

Bom, voltando ao capítulo...

Me perdoem por qualquer erro e por ele não ser tão grande assim...espero que gostem e prometo que o próximo será maior e também que nele irei expor um pouco do casal NARUHINA que anda um pouco sumido da fic...rsrs

Boa leitura!!!

Obs: O capítulo contém cena de sexo e/ou insinuação de sexo e mutilação. Se você não gosta aconselho a pular essa parte.

Capítulo 13 - A Volta de Izel Uchiha...


 

~Sakura~

 

Olho em volta e tudo parece tão escuro, sem vida e sem cor. Parte de mim se foi, aquela parte que sempre me dizia para não ir em frente, aquela que sempre me alertou. Me sinto fria e sozinha, meu quarto está gelado... ou será eu que estou gelada? Será que a parte sã de mim realmente morreu?...

Fecho os olhos e tudo o que vejo são aqueles olhos sem vida sem brilho e apagados. A luz que brilhava neles mesmo que ínfima e reluzentemtente fraca já não está mais ali. Os olhos do homem que matei me perturbam e não me deixam dormir a noite. Mel e as garotas tem sido minha única saída, me sinto mal e sufocada por não poder compartilhar tudo o que vivi nos últimos dias. Elas pensam que o motivo pelo qual estou assim, sem vida e sem ânimo, seja pelo fato de ter dado um tempo do meu relacionamento... mas tudo não passa de uma mentira, esse relacionamento nunca existiu e só Hyna sabe da verdade por trás do meu suposto namorado... O que eu faço? Estou sufocada...

Tento me convencer de que tudo o que fiz foi certo...mas...mas... “ Você já amou? Ou já foi amada?... A voz de Itachi invade a minha cabeça. Me levanto da minha cama e sento displicentemente na beira do colchão, meu corpo pesa e meus olhos se recusam  a ficar abertos por muito tempo. O que é o amor? – Me questiono ao cair com as costas na cama novamente. Será que...ele me ama?

Meus olhos ardem e uma pequena lagrima escorre por minha bochecha direita. Porque me sinto assim...tão bem? Sim! Eu estou bem! Bem comigo mesma...mas aparentemente debilitada. Parece que meu corpo lamenta a morte da Sakura racional...parece que estou  de luto por ela. Pois ela não existe mais dentro de mim. Já não quero e nem sinto falta  de mutilar meu corpo...a única coisa que sinto falta... é dele! SASUKE... penso nele todas as noites...penso no tempo que ele já está fora tentando ajudar Itachi a encontrar sua família e penso se ele por algum momento pensa em mim nem que seja por único instante do seu dia. 

Seus toques tão seguros de si e precisos me fazem arfar para o nada...perdida em luxúria e presa no meu próprio mundo agora tão sombrio e distante da realidade. Eu queria está com ele, eu queria ajuda-lo a matar aqueles malditos que ousaram sequestrar crianças..mas não posso... as aulas já se iniciaram a duas semanas e eu... eu sequer pus os pés no colégio. 

Todos pensam que estou numa profunda depressão por conta do falso namorado que me deixou... tive que inventar algo para não me questionarem sobre a minha visível apatia por tudo. Não desejo mais fazer parte desse mundo...tudo o que eu quero agora só existe no escuro. Meus objetivos mudaram... desejo eliminar todos aqueles que não deveriam ser intitulados de humanos... e o primeiro da minha lista é Al...
– Sakura... – A voz de Mel invade o ambiente e me tira do transe. Logo em seguida as vozes de Hyna e Ino chegam ao meu ouvido. Levanto de vagar e me sento sobre o colchão. Elas sorriem para mim e o canto dos meus lábios se movem minimamente. Porque sorrir se tornou difícil para mim...– Chega de choro garota... – Ino pula na cama com sua voz histérica. Hyna sorrir sem jeito ao empurrar levemente a loira. – Você está bem? – Ela pergunta de forma doce e eu posso ver um brilho diferente em seus olhos. Nossos olhares se prendem por um momento e involuntariamente uma das minhas sobrancelhas se arqueiam. Hyna sorrir e desvia o olhar, seu rosto está corado. Algo aconteceu...
– O que fazem aqui? – Pergunto ao tentar amarar meus cabelos, mas Hyna me detêm e ela mesma se põe a fazer aquilo enquanto Mel e Ino respondem a minha pergunta e tagarelam sem parar sobre tudo o que aconteceu na escola. Isso é o que elas têm feito todos os dias ao termino das aulas... acho que elas querem me animar e talvez me estimular a ir para escola novamente. Elas pensam que eu estou mal.. mas na verdade estou bem, mas um pouco preocupada com Sasuke e querendo mais que tudo que ele volte logo. Já se passaram duas semanas e ele mal conversou comigo depois que me deixou aqui...

Não tivemos tempo de conversar, ou melhor, eu não conseguia falar nada. Levei uns dias para cair na real e digerir a realidade e o fato de eu ter matado um homem. Mel e as garotas têm me ajudado em relação a isso e tudo o que posso fazer é agradecer por tudo. Mesmo que elas não saibam o que realmente se passa em minha mente.

As vezes me Sinto como uma dependente química, uma viciada que está sendo obrigada a e ficar em abstinência da sua droga preferida, que no meu caso é Sasuke. Ele me faz tanta falta que não consigo controlar essa vontade insana que cresce dentro de mim. Sinto medo desse sentimento, e mais ainda por não ter a certeza que Sasuke sinta o mesmo que eu. 

Quero tanto toca-lo, minhas unhas se afundam no lançou fofo da cama ao imaginar tudo o que desejo fazer com ele quando eu o tiver perto de mim. Quero que ele me tome como da última vez que estivemos juntos logo antes dele partir...quero sangrar novamente, por ele, por nós...


~ Lembranças~


– Eu sei que você não consegue falar... Mas... Sakura, eu preciso te ter antes de partir. – Ouço a voz dele. Estou deitada em minha cama, estou de bruços com o rosto virado na direção oposta à que ele está. Sinto a cama afundar do lado direito e sei que ele agora está sentado ali. Não me mexo, permaneço deitada de bruços de forma relaxada e com os braços levemente Abertos.

Sua mão toca a minha que está virada com a palma para baixo. Ele acaricia por um momento ali e depois toca o alto da minha cabeça fazendo um cafuné carinhoso. Fecho os olhos e tento me deter no seu carinho mas não funciona...pois vejo aqueles olhos sem vida em minha frente novamente. Abro os olhos instintivamente e sinto minha respiração levemente acelerada. 
– É normal sentir medo, Sakura. – Ouço Sasuke novamente. – Mas...você também pode sentir prazer com isso. – Ele conclui e o silêncio volta a se instaurar no quarto.

Aperto levemente sua mão que estava perto da minha e apesar de não está olhando para seu rosto sei que ele sorriu. Aquele gesto meu era um pedido mudo para ele. E sei que ele notou isso.

Momentos depois senti a cama se mover novamente e não me surpreendeu ver ele me por em seu colo envolta apenas com o fino lançou que me cobria. Olhei em seus olhos negros e enigmáticos por alguns instantes e logo depois colei meu rosto em seu peito forte. Me aconcheguei ali enquanto ele me levava para seu quarto. 

A brisa da madrugada tocou a pele da minha costa despida e isso me fez aconchegar-se mais à ele. Eu me sentia segura em seus braços e desejava jamais me ver longe deles.
O lençol macio tocou minhas costas e eu sabia que ali seria minha perdição. Por mais que eu não conseguisse falar era exatamente aquilo que eu queria, ali era exatamente aonde eu queria está. Nos braços dele.

Vi ele retirar suas roupas enquanto me olhava sério e profundamente. Sasuke é um homem lindo e sem igual, e por mais que como toda adolescente eu já tenha visto fotos e vídeos de homens espetaculares jamais vi um como ele. Pois além de ser belo e sexy ele é um assassino...e isso definitivamente me excita. 
– Vou te ensinar a sentir prazer ao invés de horror, pavor ou medo logo depois de uma missão..logo depois de matar alguém. – Sasuke concluiu ao se por sobre meu corpo, mas antes pôs algo sobre o pequeno criado mudo, não me atentei ao que pudesse ser, pois eu estava perdida e extasiada com o que ele estava me fazendo sentir. O que é isso que estou sentindo? Será que é amor? Ou será que é obsessão?... Sasuke, o que você está fazendo comigo? – Eu queria poder perguntar aquilo em alta voz, mas não consegui, porém eu tinha a plena certeza que ele sabia exatamente no que eu estava pensando...

Era incrível como eu me sentia tão pequena embaixo de seu corpo pesado e escultural, eu amo cada pequena parte do corpo daquele homem e amo mais ainda a forma que ele me toma.

Sasuke erguei minhas mãos para cima, seus olhos não desgrudavam dos meus em nem um momento. Ouvi um clic e logo percebi que minhas mãos estavam unidas uma a outra e presas por uma algema feita de um tecido fofo que estava presa sobre a cabeceira de metal da cama dele. Não me assustei e nem tentei me soltar, relaxei meu corpo e Sasuke aprovou isso. A prova foi o sorriso sádico que se formou em seus lábios ao ponto de fazer seus dentes brancos e alinhados ficarem à mostra. 

Ele abaixou os lábios de vagar, seus olhos sempre presos aos meus. Beijou meu ventre plano delicadamente e mordeu logo em seguida, distribuiu beijos por toda aquela área enquanto eu me retorcia sobre o colchão sentido meu centro molhar e retorcer-se dolorosamente. Ela não parou e seguiu a linha do meu quadril beijando chupando forte e lambendo, retirou a única peça de roupa que eu usava, a calcinha, e me tomou em sua boca, explorando cada canto meu, me expondo ao máximo que podia e fazendo tudo o que desejava sem pudor. Meus gemidos já se iam alto, minha respiração já desregulada e os batimentos do meu coração já descompassados não podiam negar o quanto eu desejava aquilo mas ainda faltava algo... algo pelo qual eu não esperava...

O brilho da lâmina fina e reluzente que agora se encontrava nas mãos dele me fez parar os movimentos involuntários que meu corpo fazia. Mais uma vez eu tentei falar mas não consegui.... eu estava com medo...
– Não tenha medo...eu não vou te machucar... – Minha sobrancelha esquerda se arqueou ao desviar o olhar dele para a lâmina em sua mão como quem diz: Sério, mesmo? Ele sorriu e acrescentou: – Não muito. – Não sei porque mas naquele momento eu gostei de ouvir aquilo. – Confie em mim...Eu vou te ensinar o verdadeiro prazer... – Sasuke pois o peso de seu corpo sobre o meu, forçou seu quadril para baixo e isso me fez sentir sua ereção sobre o tecido da cueca boxe preta. Arfei e senti meus braços serem forçados contra a cama enquanto ele se deleitava em minha pele, beijava com intensidade meu pescoço, e nem senti quando ele fez um pequeno corte sobre a linha do meu quadril. Só me dei conta quando senti sua boca beijando aquele local com cuidado.  Seus lábios fixos sobre o corte, não de forma bruta, mas leve e carinhosa. Na sua mão direita estava a lâmina com sangue enquanto a outra mão seguia para minha intimidade. Gemi alto ao sentir seus dedos me penetrarem enquanto ele lambia o corte em meu quadril. Não sei porque mas eu estava sentindo muito prazer com aquele ato insano.

Mais cortes vieram, porem eu não senti nem um deles...quando eu dava por mim seus lábios já se encontravam manchados de sangue...do meu sangue. Ele parecia um louco sádico e sem controle, nossos corpos manchados por pequenas quantidades de sangue e suor se encaixavam perfeitamente enquanto eu lutava para me soltar daquelas algemas que me impediam de tê-lo completamente. 
E quando finalmente me vi solta foi no momento que Sasuke me penetrou de forma voraz e bruta. Parecia que ele não fazia aquilo a anos ou talvez séculos.  Me senti presa nos braços de um louco insaciável.

Minhas coxas apertavam os quadris dele com força a cada arremetida, eu sentia que iria esmaga-lo tamanha a força que eu fazia ali. Eu o queria cada vez mais perto e dentro de mim, como se aquilo fosse passível. Mas ainda assim eu o queria...

Protestei quando ele saiu de dentro de mim por um momento. Mas logo voltei a gemer após ele me virar de bruços e voltar a ir fundo e forte. A minha costa ardia e só me deu conta do porque ao vê-lo novamente me virar de frente e seus lábios vermelhos tomarem minha boca com ânsia e desejo. Ele havia me cortado novamente...
– Eu vou te fazer sangrar todas as vezes que eu te foder... – Ele urrou rouco ao meu ouvido enquanto arremetia sem pudor. Eu não o respondi mas meus gemidos loucos e frenéticos por si só já falavam tudo. Eu não me importava com aquilo...pelo contrário... eu queria, eu precisava...aquilo me excitou de forma tão desmedida que mesmo eu não pude compreender.
Eu sorria, eu chorava, eu gemia, enquanto ele me domava loucamente...
– Me machuque... – Ele sussurrou ao me beijar... – Minhas mãos foram para suas costas e sem medo ou receio eu o arranhei com força. Sua mandíbula perfeitamente desenhada trincou e seus dentes se fecharam com força, os gemidos roucos dele se misturaram com rosnados de dor por conta das marcas vermelhar e dos pequenos ferimentos que fiz em sua pele. 

Eu não estava louca e nem ele por estarmos nos amando e ao mesmo tempo nos mutilando... nós só estávamos sendo nós mesmos... finalmente!

– Sinta-se bem com isso! Sinta-se bem com seus demônios, Sakura. – O corpo dele em completo frenesi pelo ápice atingido e sua voz me instruindo no momento que atingi o ponto máximo do prazer, me fez sufocar e gemer seu nome repetidas vezes... pelo menos seu nome consegui dizer naquela noite inesquecível.


~ Fim~


– Ei testuda... – A voz de Ino me tira novamente do espaço intemporal que me encontrava. – Ah quer saber... – A loira se levantou e ligou a tv. – Vamos ver algo de interessante porque a Sakura ainda insiste em ficar na Bad... – Revirei os olhos ao ouvi-la e Hyna sorriu. Agradeci pela linda trança lateral que ela havia feito em meu cabelo. Mel logo surgi com uma bandeja cheia de sanduíches e me espanto por não ter notado quando ela saiu do quarto e muito menos quando ela disse o que ia fazer...
— Ai até que fim.. você demorou Mel. – Ino reclama ao pegar o primeiro sanduíche...
— De nada... – Mel revira os olhos e Ino da de ombros enquanto eu e Hyna sorrimos das implicações das duas...
— Eu estava pensando...sabe, sei lá,  nós poderíamos sair nesse feriadão ai...pra distrair um pouco sabe... – Ino começa a falar enquanto come seu sanduíche. Sei que ela só está dando aquela ideia por minha causa, sei que elas estão preocupadas comigo e muito mais Ino que já passou por término de relacionamento e imagina que eu esteja sofrendo com isso. Mas não falo nada e continuo comendo meu lanche...
— Eu acho uma boa..sabe. – Mel comenta.

Por um momento me lembro que a senhora Tsunade costumava fazer cachorros-quentes com chili nas noites de sexta quando eu era apenas uma criança. Nós costumávamos sentar à mesa da cozinha, assistindo à TV de alta definição na parede, e naquele horário sempre passava o noticiário. Como agora está passando...
— Então, Sakura... Você não quer vim com a gente ? Vai ser legal. – Hyna completa...
Empurro a comida para dentro com um gole de refrigerante. Estou para responder quando algo no noticiário chama minha atenção. Uma repórter está na frente de uma mansão muito familiar, falando com um homem muito familiar. Distraidamente, deixo meu lanche no prato.
— Eu adoraria poder sair dessa cidade pra variar...— continua Ino.
Estou concentrada demais na TV para lhe dar atenção:
— Sim, senhora — diz Alerrandro Partiolly ao microfone. — Todo ano faço o melhor que posso para contribuir. Neste verão, estou planejando um evento para angariar 1 milhão para minha nova entidade beneficente, o Projeto Prevenção, em homenagem à minha esposa. Vamos dar oportunidade para novas moças que queiram ingressar na carreira de modelo, estaremos fazendo a seleção na florida, em nevada e Los Angeles.
A repórter assente e parece sentir um pouco de remorso, reposicionando o microfone diante dele.
— E seria prevenção do vício ou do suicídio?
— Prevenção do vício — diz Alerrandro Partiolly. — No fundo, sinto que minha Mary não se suicidou. O que a matou foi o vício. Quero fazer o meu papel para ajudar outros que estão viciados em drogas, e também ajudar a prevenir o uso de drogas antes que comece. É uma doença muito terrível neste país.
Assim como mentir, violentar e matar, seu desgraçado.
— Sim, é, sr. Partiolly. — diz a repórter. — Por falar em doença, sei que o senhor também doou dinheiro à pesquisa do câncer por causa...
— Doei — interrompe Alerrandro Partiolly. — Ainda me sinto muito culpado por ter mentido para todos sobre a doença da minha esposa e duvido que um dia vá achar que me desculpei o suficiente. Mas, como já falei, eu só a estava protegendo. As pessoas podem aceitar o câncer, mas não aceitam tão bem o uso de drogas, e fiz o que fiz para proteger minha esposa. Mas, sim, acho que é justo que eu também doe para a pesquisa do câncer.
Voçê é um merda.
Cerro os dentes.
— Sakura ? — pergunta Mel do outro lado da cama. — Já se decidiu? Vamos ou não vamos à passeio esse final de semana?

O resto das palavras de Alerrandro Partiolly desaparece no fundo da minha mente. Penso na pergunta de Mel por muito tempo, olhando-a sem vê-la. Por fim olho para todas elas, pego meu sanduíche e respondo:
— Não, na verdade acho que vamos fazer uma viagem a Los Angeles, neste feriado. — pego um pedaço de salsicha do pãozinho no meu prato, mergulho-o no chili e dou uma mordida.
— Los Angeles? — diz Ino inquisidoramente, também dando uma mordida no seu. — Vai dar um pulinho em Hollywood, hein?
— Sim — digo, com ar distante. — Vai ser ótimo.
Tenho assuntos pendentes lá, ou melhor, Izel Uchiha tem assuntos pendentes lá. 
Sorrio para mim mesma, pensando nisso, e tomo mais um gole de refrigerante. 


Me aguarde Alerrandro Partiolly...







Notas Finais


Por hoje é isso pessoal...rsrs

Espero que tenham gostado.

Bjos no coração e até a próxima!!!😆😆😆


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...