História O pai do meu filho é Ruivo! - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Dakota, Debrah, Iris, Kentin, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Personagens Originais, Rosalya, Violette
Tags Amor Doce, Castiel
Exibições 186
Palavras 1.060
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi gentttt! Quem aqui quer matar o Castiel? 😨🔫😄
Eu!🙋
Bom cap!

Capítulo 6 - Repaginada


Fanfic / Fanfiction O pai do meu filho é Ruivo! - Capítulo 6 - Repaginada

- Uau, sua casa é arrumada!
Ele riu fraco pra mim.
- Eu gosto quando as minhas coisas estão arrumadas.
falou, dando de ombros.
- Eu também. Aonde é o quarto de hóspedes?
- Não tem. Você pode dormir comigo se quiser.
olhei para os meus pés, meio constrangida pelo que a minha mente super pura pensou daquela frase.
- Uh. Certo então.
- Vou separar uma parte do armário pra você.
Ele saiu para o quarto e eu observei a casa.
Deixei uma lágrima solitária cair quando passei a mão no meu cabelo e um fio ruivo ficou na minha mão.
Olhei para o volume na minha barriga.
Passei a mão delicadamente ali.
- Meu pai vai me deserdar se souber disso, mas eu não ligo.
Nathaniel falou e apontou para a minha barriga.
Eu sabia o quanto o pai dele era cruel, e as provas disso estavam nas costas dele.
- Vou comprar alguma coisa pra gente comer. Algo específico em mente?
Ele avisou, pegando a carteira e as chaves do carro e do apê.
- Não. Nada. Vou para o quarto.
Eu disse.
Ele saiu e, como dito, fui pro meu quarto.
O "meu" quarto.
Cheguei lá e tinha uma cama de casal, um guarda roupas, um banheiro e um espelho beeem grande na parede.
Fiquei em frente ao espelho.
- Se ele acha que eu vou aceitar o que ele fez comigo de bom grado, está muito enganado. Castiel Collins, você a partir de agora, não passa de um grão de poeira no passado da vida de Alana Hevews.

POV'S AUTORA

A garota chegou na sala com uma blusa preta com uma estampa... original, um jeans rasgado e uma sapatilha preta.
Passou pela mesa do ruivo que a olhava surpreso, por ela ter mudado o visual de um jeito tão... drástico.
- Dake né?
- Ah, Oi ruivinha.
- Ele não é meu namorado- apontou pra Castiel- Mas eu tenho um, não que isso me impeça de me sentar ao seu lado, posso?
- Claro.
Eles conversavam tranquilamente quando uma bolinha de papel foi parar na mesa dos dois.
Alana abriu.

" O que você pensa que está fazendo sentada da mesma mesa que ele?"

Ela sorriu sarcasticamente e escreveu algo no verso, pra depois arremessar da mesa do ruivo.

" Vá tomar no cu. "

Dakota riu e ela mandou o dedo do meio pra ele.
Castiel, por mais orgulhoso, egocêntrico e arrogante que fosse, só queria que a relação entre ele e ela voltasse ao normal.
Ele mandou outro bilhete.

" Como está meu filho?"

esse ela impediu que Dake lesse e escreveu de volta.

" Bem, sabendo que agora o pai dele é o Nathaniel, não mais você, ele está seguro. "

" Não tem como, eu sou o pai legítimo. "

" É,  mas o bebê não sabe disso."

Era certo que ele não tinha gostado de descobrir que teria que cuidar de uma criança no início,  mas agora, lhe doía o coração não poder ver como seria seu crescimento.

Alexy chegou na sala.
- Diva! Tá repaginada monamour!
- A Alana antiga era boba de acreditar nas palavras do Castiel. Essa Alana nem se lembra da existência dele.
- Tá, e isso aí, como a gente resolve?
Ele aponta pra barriga dela.
- O que ele tem a ver se o filho é do Nath?
Alexy deu de ombros
- Você que sabe.
Ele saiu da sala, indo para a dele.
- Aonde estávamos?
- Estávamos falando sobre...
Antes de Dake terminar a frase, a visão de Alana escurece e ela desmaia.
-ALANA!
Castiel grita e corre até ela.
- Pode deixar, ruivo, eu cuido dela.
Dakota fala e pega a menina no colo, a levando para a enfermaria.
-Eu vou junto professora.
Castiel avisa e corre atrás dos dois.

POV'S ALANA

abri lentamente os olhos e senti um peso sobre a barriga.
Baixei os olhos até lá, e vi uma cabeleira ruiva.
- Ele está aí desde que aquele garoto bronzeado te pôs na maca e saiu.
- Por quanto tempo eu dormi?
- Três horas. Está te dando trabalho cuidar de alguém que não estava no planejamento aparecer?
Corei.
- M-mas  já estava planejado!
- Ser mãe com dezessete anos? Acho que não.
abaixei o rosto, envergonhada.
- Olha, relaxa, ser mãe com essa idade não é bom, mas também não é ruim! Eu já fui mãe com dezenove anos! O que fizeram já foi feito! O que você pode fazer agora é manter uma boa relação com o seu companheiro e tentar dar o máximo de conforto para essa criança que está vindo.
Me senti tão mais tranquila com aquelas palavras que senti que um peso tinha saído das minhas costas e eu suspirei.
- Obrigado.
- Disponha.
Ela disse e saiu da sala.
- Bonitas as palavras dela né?
Levei um susto com a voz de Castiel.
- Achei que estivesse dormindo.
- Eu também, até você delicadamente levantar de uma vez e eu acordar!
- E por que não levantou?
- Preguiça.
Ele deu de ombros.
- Preciso ir pra casa.
peguei meu celular e disquei o número do Nath.

- Nathaniel? É a Lana. Eu passei mal e... Será que você poderia me buscar aqui no colégio?

- Sem problemas, estarei aí em dez minutos.

- Brigada! Te amo!

-Também.

Depois de uns sete minutos se silêncio, peguei minha mochila e pulei da maca, atravessando o colégio.
Quando cheguei na porta de saída alguém segurou meu pulso.
Olhei pra trás e vi Castiel no que parecia estar num conflito interno.
- F-fica.
- Me dê um bom motivo pra pisar no mesmo chão que você.
Ele me beijou, e eu recuei.
- É esse seu motivo? Me beijar com a mesma boca que beijou aquela puta? esquece.
- Alana, D-desculpa tá, eu, eu estava bêbado,não estava bem.
Fiz minha melhor cara de tédio.
- Uau. que pena de você agora.
- Sabe o quanto é difícil pra mim pedir desculpas pra outra pessoa?
- Não, não sei Castiel, mas eu sei de uma coisa.
- O quê ?
- Suas desculpas não valem nada pra mim.
cuspi nos pés dele e saí, entrando no carro foi Nath em seguida.
- Por quê demorou?
- Problemas.
- que tipo de problemas?
- Cabelos ruivos.


Notas Finais


O final da Fanfic está pronto, deve ter pela frente, só mais uns oito ou nove capítulos, então aproveitem pudins♡
💙💚💛💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...